1. Spirit Fanfics >
  2. A Dançarina >
  3. Capítulo 12

História A Dançarina - Capítulo 12


Escrita por:


Capítulo 12 - Capítulo 12


Clara Jauregui era uma das pacientes mais calmas da ala oncológica da clínica particular que Roberto Lofti tinha em sociedade com alguns colegas, o médico se surpreendera com a frieza da paciente ao receber a notícia de sua doença, nada de desespero ou perder a compostura, mantivera-se prática e educada como sempre fora.

-Quando começamos o tratamento doutor? -perguntara.

-Na segunda feira, a senhora precisará ficar internada na clínica, a quimioterapia será muito intensa.

-Tudo bem. -falara Clara finalizando a conversa.

Em casa, enquanto arrumava uma pequena mala que levaria para a clínica, repreendeu veementemente a atitude do marido e dos filhos.

-Vocês fazem muito drama, eu não esqueci que vocês, junto com aquele doutor Abreu, me apunhalaram pelas costas, onde já se viu saber do meu problema antes de mim? Isso é Imperdoável.

-Nós queríamos apenas estar preparados para confortá-la, Clara. -explicou o marido.

-Eu não preciso de conforto, Michael,  preciso de fortes doses de quimioterapia,  e você, não me olhe com esse olhar piedoso, mantenha sua postura de pai e marido, não se entregue tão fácil as emoções.

Michael se surpreendeu com a praticidade e frieza de sua mulher, é certo que Clara nunca fora lá muito amorosa e sentimental, mas a situação era outra, é mesmo assim ela continuava gélida feito mármore, independente de suas maneiras insensíveis, Clara Jauregui era uma pessoa socialmente conhecida e muitas pessoas apareciam para visitá-la no quarto da clínica em que estava hospedada, não porque gostassem dela, mas porque era uma delicadeza social fazê-lo.


Um dentre esses visitante não foi outro senão Tyrone, ele apareceu muito solicito e a fim de dar apoio à família e a doente, no fim da tarde de segunda feira, quando Clara ainda se recuperava da primeira sessão de quimio.

-Sra. Jauregui, quero que saiba que pode contar comigo para tudo que for necessário. -disse ele beijando educadamente a mão da paciente.

-Obrigada, William, sabia que você não me faltaria, e você e Lauren, como estão?

-Não estamos, pra falar a verdade, acho que ela se envolveu com outra pessoa, não nos vemos desde o jantar em sua casa.

-Que erro imperdoável da parte dela. Fique tranquilo, falarei sério com ela sobre isso, caso aquela ingrata venha me visitar, é claro.

-Ela ainda não apareceu? -estranhou Ty.

-Ainda não, minha filha mudou muito, afastou-se completamente de nós.

Clara não ligaria para a filha caçula. Sabia que Chris a informara de sua doença e que ela viria vê-la, mais cedo ou mais tarde, esperava apenas que fosse breve, tinham muito que conversar sobre Tyrone Willian Griffin e o futuro de Lauren.

**********

Camila recebeu o telefonema do pai no sábado de manhã bem cedo, ela fazia o café e Lauren ainda dormia em sua cama.

-Oi, pai. -disse sem muita vontade de falar com ele, não esquecera facilmente o que Mariza fizera.

-Oi filha, nós vamos comemorar amanhã aqui em casa a gravidez da Ashlee, liguei pra te convidar.

-Obrigada pai, mas eu não vou.

-E por quê? Se tiver compromisso com aquela moça, Lauren não é? Trás ela pra cá também, é bom que ela conhece o resto da família.

-Pai você sabe que não é por causa disso, não vou aí, enquanto a Mariza não se desculpar comigo.

-Ainda isso minha filha? Você e a moça já fizeram as pazes, porque não esquece?

-Porque não, sua esposa tem todo direito de se meter na vida dos filhos de vocês, mas na minha não, quando ela pedir desculpas eu apareço, beijo pai. -disse Camila desligando antes que o pai tornasse a insistir.

Só então notou a presença de Lauren a observá-la da porta da cozinha, mesmo com a cara de sono, pijama meio amassado e o cabelo um tanto desalinhado, ela estava linda. 

-Bom dia, dorminhoca.

Ela sorriu.

-Bom dia, Camz.

As duas se abraçaram no meio da cozinha e Camila a puxou para tomarem café.

-Muito obrigada por me deixar ficar aqui e porme fazer companhia ontem. -disse Lauren enquanto bebia um gole de suco de laranja.

-Não agradeça, eu também adorei que tenha ficado. -disse Camila sorrindo.-Quando você vai visitar sua mãe?

-Ainda não sei, acho que na segunda, no fim da tarde ou à noite, não estou muito a fim de ir até a casa deles.

-Se quiser, posso ir com você.

-Não precisa, Camz, minha mãe já é arrogante quando está saudável, ela doente então, iria fazer mil perguntas sobre você. -disse Lauren. -Mas me diz uma coisa, você brigou com seu pai? Meio que sem querer acabei ouvindo parte do seu telefonema.

-Não briguei com ele, só não vou lá enquanto a mulher dele não me pedir desculpas pelo que fez.

-E o que ela fez?

-Contou a Heiley sobre nosso jantar, Mariza sempre adorou se meter na minha vida, diz que eu sou mimada.

-Mas Camz, a gente não já ficou bem? Não estamos juntas? Porque você não vai lá?

-Porque Mariza vai achar que esqueci o que ela me fez, e eu não esqueci ainda.-disse Camila se levantando. -Eles vão comemorar a gravidez da minha cunhada amanhã, é o primeiro neto do velho Alejandro, ele deve estar muito feliz.

-Sua cunhada é a irmã da Normani não é?

-Uhum.

-Então, Camz? Ela vai, a Dinah deve ir também, porque você não vai? É a festa da sua família.

Camila lembrou do que o pai tinha lhe dito, eresolveu usar aquilo a seu favor, tudo valia para ficar mais tempo com Lauren.

-Eu vou, mas tem um problema. -disse ela se esforçando para não sorrir.

-Que problema?

-Meu pai te convidou também, Laur, ele disse pra eu ir e levar a minha namorada, então, isso quer dizer que você tem que ir também.

Lauren sorriu percebendo a chantagem de Camila, levantou-se, colocou as louças sujas na pia e ficou de frente para ela, que estava encostada em um armário.

-Ah, quer dizer que eu sou a sua namorada? -perguntou segurando as mãos de Camila com as suas.

-É sim. -disse a puxando para mais perto, as duas ficaram quase coladas, se encarando. -Você quer namorar comigo, Lauren?

Lauren não conteve o sorriso, nunca esperara tanto um pedido assim, estava feliz que Camila o tivesse feito, queria mais que nunca tentar fazer as duas darem certo juntas, ela lhe transmitia uma sensação de carinho e era tão cheia de cuidados e atenção, como nenhum de seus namorados haviam sido, o beijo veio naturalmente antes da resposta, apaixonado, demorado, cheio de sussurros, sorrisos cúmplices e mordidinhas provocantes.

-Isso é um sim? -perguntou Camila sorrindo e a envolvendo pela cintura, sem deixar que Lauren se afastasse.

-Você sabe que é. -disse encarando aqueles olhos castanhos. -Eu quero muito ficar com você, Camz.

-Eu também quero ficar com você, Lo, mas tenho que te dizer que isso não vai ser fácil, nem todo mundo vai aceitar, a sua família principalmente, e eu nunca fui de me esconder, Laur, de me podar por causa dos outros.

-Não se preocupe, eu sei que não, acho que já passamos da idade de ter que namorar escondido, vou falar com o meu irmão primeiro sobre nós, ele vai nos ajudar com os outros, tenho certeza.

As duas tornaram a sorrir e se beijaram de leve.

-E então? Você vai para a tal festinha da minha família comigo amanhã?

Lauren fez que sim, não queria ver a mãe antes dela começar o tratamento, sabia que Clara não mudaria em nada e ela não conseguiria se controlar e acabaria sendo grosseira, melhor evitar contato, pelo menos por enquanto.

**********

Chris falava via internet com a namorada, quando Lauren ligou no fim da tarde de sábado.

-Oi, maninha. -disse surpreso. -Pensei que fosse aparecer por aqui hoje.

-Não, papai disse que Clara vai se internar na segunda, achei melhor aparecer na clínica para visitá-la.

-Você não acha muito impessoal? Nem parece que vocês são mãe e filha!

-Nunca pareceu, Chris, não ia ser agora que isso iria mudar.

-Lauren, nossa mãe está doente, sabia? Ela precisa de você.

-Me poupe dessas frases sentimentais, Chris, você, mais que eu, sabe que nós nunca fomos uma família unida e que nunca seremos, Clara não precisa de mim, precisa de um bom médico, e isso ela já tem. -disse Lauren com o mesmo tom de voz sério que usava na agência, sempre o usava quando não queria ser questionada. -Mas eu não te liguei para falar sobre Clara.

-Ah não? Pra que então?

-Lembra que você queria conhecer a pessoa com que estou namorando?

-Lembro sim, por quê?

-Posso apresentar você hoje.

-Ele concordou tão rápido?

-Uhum! Você está livre à noite?

-Estou, onde vocês querem ir jantar?

-Jantar? Quem falou em jantar, Chris. Vamos à Green Nigth.

-Green Nigth? -estranhou o rapaz.

-Ah, eu sempre esqueço que você mora fora. -disse Lauren. -É uma boate, o novo “point” como se diz.

-E por que você tem que me apresentar a ele numa boate? Um restaurante não seria mais conveniente?

Lauren quase caiu na gargalhada, o irmão às vezes era tão antiquado quanto seus pais.

-Seria, mas infelizmente não dá, "ele” trabalha na boate, daí fica mais fácil.

Chris ficou surpreso, que tipo de gente poderia trabalhar numa boate e ainda namorar sua irmã?

-Lauren, você anda muito estranha, não me lembro de você namorando gente que trabalhe em boates antes.

-Iiih, não começa a dar um de Clara, você vai ou não?

-Tudo bem, eu vou, nas me prometa que vai mesmo visitar a mamãe na segunda.

-Prometo, te pego às 22h, esteja pronto, eu não vou descer do carro.

-Tá certo, você tem cada uma, quero só ver a cara desse rapaz.

Lauren sorriu.

-Você vai adorar “ele”. -disse antes de desligar.

Achava melhor apresentar logo Camila a seu irmão, elas eram mais que amigas agora, estavam namorando oficialmente e Lauren não queria correr o risco de sua família saber através de outras pessoas, e muito menos não poder ser carinhosa com Camila em público, com medo do que as pessoas falariam, queria mesmo se deixar levar e ficar cada vez mais apaixonada.

**********

Chris teve que admitir que o ambiente da Green Nigth era mais que legal, era muito bom mesmo, nem se lembrava há quanto tempo não ia a uma boate, pois estava sempre estudando, ultimamente, apesar de não ser tão lindo quanto Lauren, ele chamava a atenção, alto, forte, ombros largos, cabelos negros como o da irmã, bem curtos, e um corpo atlético de quem fez vários anos de natação, mais do que natural os olhares de ambos os sexos se voltando para ele, enquanto passavam pela multidão, tentando desesperadamente alcançar o bar.

-Oi, Lauren. -disse Dinah cumprimentando-a com um sorriso quando a viu parada ao lado do balcão e apontando pra Chris. -Quem é o lindinho ai?

-Oi, Dinah, este é Chris, meu irmão.

O rapaz cumprimentou a bargirl com a cabeça, estranhando o fato dela ser tão íntima de sua irmã e ainda por cima, tratá-lo daquela forma.

-Camz já chegou?

-Uhum! Está lá atrás no escritório. -disse Dinah enquanto servia diversos drinks para os clientes próximos. -Vai lá dá um olá.

Lauren apontou discretamente o irmão.

Dinah entendeu.

-Ih... Se precisar de ajuda, é só chamar. -disse encarando Chris.

-Pode deixar.

Lauren carregou o irmão através da multidão até os escritórios da gerência da Green Nigth.

-De onde você conhece aquela moça, Lauren?

-A Dinah? Ah, daqui.

-Você vem tanto aqui, ao ponto de ser amiga da bargirl?

Lauren fez que não.

-Vem, você vai já entender tudo.

O escritório da gerência estava vazio, mas Lauren fez o irmão entrar e se sentar, ela e Camila tinham combinado anteriormente que era melhor conversarem ali, mais sossegado.

-Seu namorado é gerente dessa boate, Lauren? -perguntou Chris observando a sala em que estava, até que não parecia tão mal assim.

-Gerente? Não. -disse ela. -Só dança aqui.

-Dança? -se surpreendeu Chris. -Você quer me dizer que está namorando um dançarino?

-Um dançarino não. -disse uma voz conhecida falando da porta, era Camila. -Uma dançarina.

Ela entrou calmamente na sala, vestia sua calça baixa de coyote, deixando aquele abdômen malhado todo à mostra, abraçou Lauren delicadamente, beijou-lhe o rosto e só então se voltou para Chris, que observava tudo meio atônito.

-Você deve ser o Chris.

-Sou sim e você quem é?

-Camila Cabello. -disse ela formalmente estendendo a mão, que ele apertou ainda a encarando estupefato, não sabia se pela beleza ou pelo que ela dissera.

-Chris, eu e a Camz estamos namorando.-disse Lauren calmamente.

O rapaz se levantou confuso, nunca pensou que teria uma surpresa daquelas, ficou andando de um lado para o outro da sala.

-Lauren, desde quando você é lésbica? Você sempre namorou homens

-Eu sei que deve ser estranho pra você, Chris, pra mim também foi, nunca tinha me envolvido com uma mulher antes de conhecer a Camila. -explicou Lauren pacientemente. -Jamais pensei que algo assim poderia me acontecer, mas eu simplesmente me apaixonei por ela.

-E desde quando vocês... -ele quis saber curioso.

-Estamos juntas? -disse Camila completando a frase com um sorriso nos lábios. -Saímos há algum tempo, mas começamos a namorar oficialmente hoje.

-Hoje? E você já veio me apresentar a sua namorada, Lauren? E se for só uma fase? Só fogo de palha... Só... É... Desejo...? – ele disse fechando os olhos como se quisesse esquecer a última palavra.

Lauren se aproximou do irmão.

-Não é. -disse ela usando seu tom de voz mais meigo. -Você se lembra de quantas vezes eu te apresentei alguém antes?

-Nenhuma, que eu me recorde, você sempre foi tão discreta

-Sempre, mas com a Camz é diferente, a gente se gosta de verdade e queremos ficar juntas, fazer a coisa dar certo e pra isso não podemos nos esconder entende? Com medo do que os outros vão falar ou vão pensar, por isso resolvi te contar, você é a primeira pessoa da família que eu faço questão que saiba, porque sabe como eles podem ser preconceituosos.

Chris percebeu que a irmã estava sendo sincera, Lauren sempre fora muito reservada com sua vida pessoal, se permitira uma participação sua naquele caso, era porque o sentimento devia ser sério mesmo.

-Você gosta mesmo da minha irmã? -ele perguntou sério se voltando para Camila que observava os dois.

Ela sorriu.

-Muito.

-É bom que você faça mesmo ela feliz, viu? -disse ele tentando dar uma de ameaçador, mas sorrindo. -Ou vai se ver comigo com certeza.

As duas abriram sorrisos, Lauren abraçou o irmão e depois foi abraçar Camila.

Chris ficou meio desconcertado em ver as duas assim, tão juntas e carinhosas, não deixava de ser um casal bonito, duas gatas! Que desperdício, ele não pode deixar de pensar, pelo menos as duas tinham muito bom gosto, porque sua irmã era muito linda e a tal Camila tinha um corpo, que pelo amor de Deus, ele não conseguia tirar os olhos daquela bunda, Lauren sorriu ao ver o irmão observá-las meio sem jeito.

-Aos poucos você se acostuma. -disse sorrindo. -Quero só ver é quando o resto da família souber!

-Ih, pelo que eu conheço da mamãe, ela vai te deserdar. -ele disse sorrindo. -Dizer que você envergonhou o nome da família.

Nesse momento Artur, o dono da boate apareceu na porta do escritório.

-Camila, as meninas estão de chamando lá no vestiário. -disse ele. -Urgente.

Camila se despediu de Chris.

-Muito legal te conhecer. -disse sorrindo e voltou-se pra Lauren, as duas se beijaram e se abraçaram. -Te vejo depois do show.

-Uhum, vai lá.

Quando ela saiu da sala, Lauren foi até o irmão ainda parado no meio da sala, meio abalado com tudo aquilo.

-Chris, você é meu irmão e eu te amo. -disse ela sorrindo. -Mas nem pensa em olhar pra Camila assim de novo, ouviu?

-Assim como? Eu nem fiz nada. -disse ele sorrindo, se fazendo de desentendido e Lauren riu.

-Tá bom, só se lembre que ela já tem dona, sua querida irmãzinha aqui, ou seja, não é mesmo pro teu bico.

Os dois sorriram e voltaram à boate a fim de ver o show das coyotes, a noite prometia, já que seu começo fora no mínimo, estranho.


Notas Finais


Boa leitura, bjs.❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...