História A Delegada - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Agustín Bernasconi, Karol Sevilla, Ruggero Pasquarelli, Sou Luna
Personagens Karol Sevilla, Ruggero Pasquarelli
Tags Agustín Bernasconi, Amor, Drama, Karol Sevilla, Luna Valente, Lutteo, Matteo Balsano, Romance, Ruggarol, Ruggero Pasquarelli, Sou Luna, Soy Luna
Visualizações 129
Palavras 1.216
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Policial, Romance e Novela, Universo Alternativo

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu sei,eu sei,sei que quem sentiu saudade da fanfic está provavelmente amolando uma faca pra me matar,e eu deixo.
Mas o culpado pela minha demora foi o meu maldito computador que de uma hora pra outra resolveu fazer uma bagaça com a minha cara e não prestou mais ): e eu acho o cúmulo escrever pelo celular.

MAS BUENO,OBRIGADA PELO FAVORITOS E COMENTÁRIOS,JÁ DISSE QUE AMO CÊS? <3

Bueno!

BOA LEITURA! <3

Capítulo 9 - Chapter Eight - admit that you like her


Fanfic / Fanfiction A Delegada - Capítulo 9 - Chapter Eight - admit that you like her

- Não desistir? - a morena pergunta,com os olhos arregalados tentando encontrar alguma sombra de brincadeira pelos olhos de Ruggero. - Sério que está pedindo isso?

 - Karol,esse é o seu sonho. - o moreno começa e solta um suspiro,sabia que estava fazendo a maior burrada de toda sua vida(uma das maiores,na verdade,porque ficar amigo da Karol foi sim uma burrada que ele não se arrependeu de ter cometido)até porque convencer uma delegada de não desistir de prende-lo era o fim da linha. - Vai desistir,assim,não fácil? 

 - Tão fácil? - ela rir sem humor saindo do abraço do italiano. - 5 meses Matteo,5 malditos meses tentando prender aquele filho da mãe,5 meses com dor de cabeça,5 meses criando esperanças falsas e você vem aqui dizendo pra eu não desistir tão fácil? - a Argentina coloca as mãos nos cabelos os puxando levemente. - Já está decido,esse caso vai ser para o senhor Martínez,ele com certeza vai conseguir prendê-lo com um estalar de dedos.

 - Você está sim desistindo fácil. - Karol o encara,incrédula. - Porque eu tenho certeza que você é capaz,eu tenho certeza que vai conseguir prender ele,tenho certeza que se você se esforçar mais um pouco,terá o que tanto quer. - ele se levanta com o olhar da morena sobre si. - Eu fiquei 2 meses te encorajando,dizendo que você vai conseguir,tentando por nessa sua cabeça que você pode sim prender ele,que não é pra você ficar nesse estado,mas você me escuta?Nãããão,prefere dar razão ao o que os outros vão pensar e coloca isso em primeiro,coloca isso em primeiro do que o seu sonho de ser uma delegada de sucesso. - O morena olha para baixo. - Será que por um momento,você pode mandar o que as pessoas pensam para o espaço e focar no que realmente importa? Será que pode parar de se lamentar e ir prender aquele filho da mãe? Porque,realmente,não é se lamentando e chorando que você vai conseguir. - O peito do moreno descia e subia freneticamente enquanto ele tentava recuperar o ar.

 - É difícil,Matteo. Pegar ele é difícil demais. - Karol respira fundo e também se levanta,ficando quase na altura do moreno. - Eu não sei se consigo... 

 - Você consegue Karol,confie no seu potencial. - O moreno fala,colocando as suas mãos no ombro da mulher soltando um sorriso encorajador. - Vai tentar prender ele? - ele pôde ver o brilho no olhar no de Karol voltar,e aquilo aqueceu o seu coração. Havia conseguido fazer a sua "amiga" ter ficado feliz novamente.

 - Vou tentar. - ela sorrir e ele a abraça,agora sim tendo a certeza de que estava completamente ferrado.

 - Karol,mulher,a fila do restaurante já estava ultrapassando a esquina e... - Valentina grita quando chega em casa com duas sacolas na mão,mas logo para quando ver os dois se afastarem bruscamente - Aí Deus...

 - É...melhor eu ir. - Ruggero fala,coçando levemente sua nuca por causa da vergonha. - Até mais,Karol.

 - Eu te levo até a porta. - A morena sorrir,ainda envergonhada enquanto Valentina mantinha os olhos arregalados,olhando fixamente os dois.

 - Ok,beleza,o que acabou de acontecer aqui? - A loira pergunta,sentando no sofá. - Esse que é o Matteo? Seu amigo gostosão capa de revista? - Valentina pode ver o resto da morena roborizar e cai na gargalhada. - Se eu tivesse um amigo desses...Deus,me manda um...  

- Para,ele apenas me ajudou com... - A mais velha a interrompe.

 - Com o seu trabalho? - Ela pergunta revirando os olhos. - Vocês estão apenas buscando pretexto para ficarem juntos,está na cara. Dois lerdos que não percebem que estão gostando um do outro.

 - Não gosto dele. - A morena afirma,pegando um pouco de batata frita que estava em uma das sacolas. - Só somos amigos.

 - Olhe nos meus lindos e maravilhosos olhos e repita que não sente nada por ele além de amizade. - Karol suspira nervosa e tomba a cabeça para o lado,buscando qualquer tipo de distração para aquele assunto. 

 - A tinta da cozinha já está desbotando,temos que comprar uma nova. - A morena fala,vendo Valentina semicerrar os olhos. 

 - Não tente mudar de assunto,você é péssima pra isso. - Karol bufa e se levanta indo em direção a porta. - Pra onde vai? 

 - Pra um lugar que fique bem longe das suas perguntas,ou seja,a delegacia. - Karol pega sua bolsa. - Tchau e acho melhor você comer toda a comida que comprou,desperdiçar comida é o cúmulo.

 - Não pense que se livrou do assunto,ainda vamos conversar bastante sobre isso. Vou fazer você assumir que sente algo por ele. - Valentina rir vendo Karol revirar os olhos e sair da casa. 


- Então...Por que todo mundo está andando de um lado pro outro? - Karol pergunta quando chega na delegacia. - Ah não...De novo? 

- Não Karol,ele não deu as caras. - A morena solta um suspiro que nem percebia que estava guardando. - Achamos uma pista que pode nos ajudar bastante. - Mike sorrir e pega seu notebook,abrindo o mesmo em cima da mesa de Karol.

- E o que descobriram? - ela pergunta olhando fixamente para o objeto a sua frente. Uma pontinha de esperança estava nascendo em seu peito,talvez ouvir Matteo não seria tão ruim assim.


 - O QUE VOCÊ FEZ,RUGGERO?! - Agustín berrava. - ONDE VOCÊ ESTÁ COM A CABEÇA? BATEU ELA NUMA PEDRA? 

 - Não precisa gritar. Quer me deixar surdo? - O tom do moreno sai mais calmo do que esperava,fazendo a raiva de Agustín aumentar mais. - Apenas disse pra ela não desistir,o que há de errado nisso? 

 - Enlouqueceu? É isso? - Agustín pergunta andando de um lado para o outro. - A sua liberdade,seu imbecil,a sua liberdade que há de errado.

 - Sim,mas ela estava frágil,não estava aguentando ver ela daquele jeito e... 

 - Fez uma das piores burradas da sua vida! - O loiro o interrompe vendo ele bufar. - Ruggero,agora ela não vai poupar esforços para prender você,não vai desistir até conseguir. - Agustín bufa alto com a tamanha burrice do melhor amigo. - Você é mesmo um idiota.

 - Ela vai nem desconfiar que sou eu,fica calmo. - O italiano rebate,colocando as suas mãos atraz da cabeça.

 - Você se auto confia demais,e isso vai arruinar a sua vida. - Ele grita,fazendo Ruggero revirar os olhos. - Já pensou se ela descobrir,já pensou se ela te encontrar e ver que o "amigo" que ela tanto confia é o cara que ela mais odeia? - Sim,ele havia pensado naquilo,e isso fazia seu coração doer. - Você está sendo precipitado e ignorante,e também está desconfiando do potencial dela,ela só tem cara de boba,mas pode acreditar,ela não é.

 - Não desconfio do potencial dela,só acredito no meu. - Ruggero sorrir de lado. - Sou o melhor assaltante de Buenos Aires,e... 

 - Dá pra parar de falar essa merda? Ruggero,você pode ser o melhor assaltante do mundo,mas sempre todos são presos,não importa o que aconteça. - Agustín respira fundo tentando parar de gritar. - Por que fez isso?

- Eu não sei...só...foi um impulso. - Pasquarelli admite,fazendo o melhor amigo rir irônico. - O que foi?

- Quando vai admitir que só fez isso pra não vê-lá triste? Quando vai admitir que fez isso porque sim,você tá gostando da delegada que tanto te odeia?


Notas Finais


Agora sim nosso querido Ruggero está mais que ferrado...Agustín colocou ele contra a parede,será que ele vai admitir que sente algo pela Karol? E o que os policiais descobriram? ;-;

AAAAAAAAAAAAA MUITO OBRIGADA NOVAMENTE PELOS FAVORITOS,MUITO OBRIGADA MESMO! <3

Nos vemos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...