História A Depressiva e o Popular - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Red Velvet
Personagens Irene, Jeon Jeongguk (Jungkook), Joy, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Seulgi, Wendy, Yeri
Tags A Depressiva O Popular, Bts, Depressão, Imagine Jungkook, Tortura
Visualizações 160
Palavras 1.088
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oeee
Tudo bom?

Capítulo 3 - Três


                S/N povs


Ok, ai tem coisa... Quando você tem um Jeon Jungkook parado na sua frente, calmo, te olhando com um sorriso falso estampado na cara elogiando sua blusa simples.... Pode ter certeza de que ai tem coisa! E que não é nadica boa!


— É surda agora? Além de estranha é surda? – Rir


— Não... – continuo encarando


— Ah... Pensei que, ops – Joga o suco de uva na minha blusa


— Droga.. porque fez isso?– pergunto já com raiva


— Porque.... Sim! – Pega o meu suco de uva


  Então ele se levanta, e caminha pra longe, mas ele do nada vai para trás de mim, e joga o suco de uva que eu estava tomando jogando na minha cabeça, me molhando toda... Por mais que eu queira sair daqui correndo e ir pro banheiro chorar, eu não vou dar esse gostinho a ele, então apenas permaneço sentada, suja de suco de uva...


— Não vai sair correndo, pra chorar S/N? Está me desafiando?– Sim, eu estou


— Fosse eu não deixava – Diz Seokjin


— Deixa eu vê o que eu vou fazer?! – Puxa meu cabelo para trás, me fazendo fitar o teto e chega perto o meu ouvido — Que tal uma coisa bem dolorosa? Para doer até próxima semana? O que você acha? Hum?


Então ele empurrar minha cabeça para frente, fazendo com que eu dê de cara com a mesa brutalmente, e apoiando sua mão, para que eu não possa me levantar minha cabeça, e todos começam a rir, e eu a chorar silenciosamente sentindo o meu nariz e testa doer, e meu nariz começar a sangrar


— Jungkook, tá maluco, com certeza tu machucou ela!– Diz Jimin, e então Jungkook levanta minha cabeça puxando meu cabelo


— O que importa? Isso não vai matar ela! – Solta meu cabelo — Agora... – Jungkook diz


— Com prazer – diz Yoongi, e então derruba sorvete em mim e joga na minha cara


— Agora a cobertura... – Diz Seokjin e joga leite em mim


— E você Jimin? Não vai fazer nada com ela? – Pergunta Jungkook


— Isso não é o suficiente? Jungkook você pode ter quebrado o Nariz dela, imbecil – Diz e escuto passos


— Jimin... Aish.. viu o que você fez sua idiota –  Me puxa pelo cabelo fazendo eu me levantar — Agora o meu melhor amigo tá com raiva de mim


— E a culpa é minha? Você que me bateu e a culpa é minha? ATA – sorrio sem humor


— Idiota – me joga no chão — Se ele não me desculpar, você vai vê – Se afasta


Idiota é quem fala – me levanto 


Todos olhando para mim, segurando o riso ou então com os olhos arregalados de medo, uns me olhavam como se fizesse a pergunta: Como você aguentou tudo Isso e não chorou ou foi na diretoria?... Simples, costume, enquanto estou passando pelas pessoas para chegar ao banheiro, eu escutava cochichos tipo; "Ele foi longe demais", "Ela tá sangrando", "Depois dessa, nunca mais íntimo com o Jungkook", "Se ele bateu nela, foi porque ela mereceu"

Chego ao banheiro e vejp duas meninas que me olham, mas logo elas saem do banheiro, me deixando sozinha, olhando para o para o espelho do banheiro, vendo o reflexo de uma menina de 17 anos, depressiva e sem auto-estima, infeliz e odiada, que odeia não consegui odiar os pais, eu não amo eles, eu admito, mas odiar... Odiar é uma palavra muito forte, eu odeio o Jungkook, ele sim eu odeio, mas de repente sinto algo gelado no meu bolso, e sorrio comigo mesma.


— Esqueci que você estava aí – e então, tiro a minha única "Amiga" — Quanto tempo não, te usei quando ontem? – digo com a voz falhando por causa do choro


Então eu apenas posiciono ela no meu, bracinho e ergo a manga da blusa, e faço 1.. 2.. 3.. 4.. Cortes fortes e fundos, fazendo escorrer muito sangue, na pia, então eu boto uns curativos só para não ficar escorrendo sangue e descobrirem, então eu entro na cabine do banheiro, me sento no vaso sanitário e Levanto as pernas e boto minha cabeça encostada nelas, e começo a chorar


— EU TE ODEIO JEON JUNGKOOK, EU ODEIO ESSA ESCOLA – soluço — Eu odeio minha vida..


Chuto com força a porta da cabine do banheiro, fazendo ela Se estremecer, e quase quebrar, era muita coisa, sentimentos misturados, uma batalha na minha mente, eu sentia raiva, dor, tristeza, ódio, tudo junto e isso.. me deixava doida, começo a chutar tudo na minha frente, e até machuco o pé, a sorte é que o banheiro era longe das salas, o banheiro ficava no fundo da escola, então eu podia gritar, e até mesmo me matar e ninguém veria, e nem menos se importaria...



(...)



 Eu já estava na sala da diretora esperando ela me liberar, para eu poder ir embora, para casa, mas ela não deixava, queria falar com um responsável meu, mas ninguém lá em casa atendia, e com certeza nem iria fazer o esforço de se levantar da cama, para atender telefone.


— Aqui diretora a mochila – Diz Irene, ela veio deixar a minha mochila aqui, já que eu estava toda suja


— Obrigada Irene, pode voltar para a sala – Ela sorri e se retira, e eu fico olhando para a minha mão vermelha, apenas de bater no mármore da pia do banheiro


— O que ouvi com sua mão?– diz a diretora


— Tentei quebrar ela, melhor ficar em um hospital do que em casa ou aqui!– Digo sarcástica


— Ninguém atende na sua casa, eles estão mesmo em casa?– Pergunta a diretora


— Não sei, não sou parte da vida deles, eles não me devem satisfação alguma – Digo séria


— Meu Deus, não diga isso menina, Deus vai te castigar – Diz séria


— Acho que ele já está castigando... – Olho para o lado


— Bom... Acho que vou te liberar, ninguém atende eles devem estar ocupados – Fazendo nada no caso


— Obrigada diretora, Tchau – Me retiro da sala


— S/N? Espere! Quem fez isso com você?– pegunta preocupada, ou talvez fingindo


— Foi um acidente que eu tive no refeitório... Passar bem diretora – Corro para fora, igual o flash, e em questão de segundos já estou do lado de fora da escola


 — Obrigado Deus, por deixar aquela doida me liberar logo – Sorrio


Caminho sozinha, nas ruas desertas de Busan, pois as pessoas estão trabalhando, ou na escola hora dessas, e eu? Estou voltando para casa parecendo um sorvete ambulante, com a mochila dentro de um saco plástico para não melar, e do nada sinto duas mãos atrás de mim, me fazendo cair de joelhos no chão, com certeza ralou


— Mas que... – me levanto — O que pensa que tá... Ah Não...


Notas Finais


Então.. o que acharam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...