História A Detetive - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Deidara, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Temari, Tsunade Senju
Tags Ação, Gaaino, Itazumi, Naruhina, Policial, Sasusaku, Shikatema
Visualizações 204
Palavras 5.232
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Helloooou! o/

Olha quem chegou mais cedo! \ooooo/ kkkk

E eu estou muuuuuuito feliz! O meu amor por vcs cresce cada vez mais a cada favorito.. Somos quase 100 amorecos *-------*

Só d felicidade, vai rolar suruba com vcs tudo! ;) *------*

Mentira, é brincadeira. Infelizmente não vai ter suruba ¬¬' kkkkkkkkkkk

Eu só tenho a agradecer por esse carinho. Por ser minha primeira fic e está tão favoritada, tenho mesmo q agradecer, sinceramente não esperava ter tantos favoritos, mas fico muito feliz por ter vcs. Por eu não ter divulgado, acho um tanto maravilhoso. Rumo aos 100? Aeeeeeee \oo/ kkk

Sei q atraso e enrolo vcs durante dias, mas farei o possível pra isso não ocorrer. Enfim, chega d tanto blá blá blá e vamos a leitura, pq hj o capítulo tá bom e os próximos tbm ")

Boa leitura e até lá em baixo! =**

Capítulo 18 - Capítulo 16


Fanfic / Fanfiction A Detetive - Capítulo 18 - Capítulo 16

POV Sasuke: 


Ok! Eu acho que enlouqueci em pedir a Sakura em namoro. Como assim eu peço ela em namoro? Ok. Eu gosto muito dela, mas pedi em namoro é loucura. Mas eu não consigo ficar longe dela, como não pediria ela em namoro? Ai meu Pau! Estou fudido, F U D I D O! Eu acho que... NÃO! Mentira estou sim. Ai Sasuke! Fugiu tanto do amor e agora está ai vomitando arco-íris de coração. 

Balanço minha cabeça negativamente retirando essas loucuras de minha cabeça enquanto Sakura conversava seriamente com a Loira do trabalho dela, muito estranho a cara que Sakura fez assim que recebeu esse telefonema. Fico olhando ela conversar, estreito meus olhos. Ela suspira fundo e fecha os olhos assim que a loira desliga. 

- O que aconteceu? - pergunto preocupado. 

- Problemas, temos que ir na delegacia encontrar os outros. 

- Mais problemas. Esses merdas não cansam? 

- Parece que não. Vou trocar de roupa e já volto. Eu trago sua camisa? 

- Por favor! 

Ela sai da cozinha e vai para o quarto dela, onde estava minha camisa e onde ela ia trocar de roupa, claro! Fico me perguntando qual a merda da vez, até que sinto meu celular vibrar. Mensagem do Suigetsu. Mais problemas? Desbloqueio a tela de meu celular para ver qual a merda dessa vez, estreito meus olhos para ler. Não estou acreditando no que eu estou lendo. Sério? Sério isso? 

"Sasuke, temos problemas! 

O pau no cú do Orochimaru veio até aqui no nosso território e saiu metendo bala pra todos os lados. Agora temos um Juugo baleado, um Trevor morto, um Derick com medo, um Fuuji baleado em estado grave e eu me fudendo legal, porque o nosso cabeça está em custódia da SY ¬¬'... Dá um jeito ai, cara. Você tem que vim aqui." 

 Suspiro pesado colocando a mão em minha têmpora esquerda, eu ainda mato o Orochimaru. Clico em responder e mando mensagem para Suigetsu. 

"Eu vou dá um jeito, Sui. Segura um pouco as pontas por ai, porque eles atacaram pelo lado da SY aqui também. E eu tenho impressão que aqui a situação vai ficar bem pior." 

 Que merda! Eu estou doidinho para matar gente. E eu acho que já sei quem é. Outra vibração e a resposta de Suigetsu veio. 

"Ok. Vou tentar segurar, mas não demora não, cara. Eu e Juugo estavamos segurando as pontas bem, mas agora ficou difícil eu sozinho. Você sabe que não tenho estrutura para fazer isso sozinho. Até mais, Brother." 

Sorrio, realmente esse babacão não tem jeito sozinho. Tenho que ir lá dar um jeito, mas como vou lá depois dessa aposta que fiz? Estou fudido de novo! Passo a mão nos cabelos nervoso, ouço os passos vindo em minha direção, olho de soslaio vendo a Rosada toda arrumada e com minha camisa em seu ombro. Ela me dá um selinho e a camisa. 

- Pronto? 

- Sim - sorrio fraco suspirando um pouco tenso, ela arqueia a sobrancelha. 

- Tudo bem? 

- Sim. 

- Certeza? Aconteceu alguma coisa? 

- Nada demais - continuo sorrindo fraco. - vamos? 

Ela ainda fica me olhando com os olhos estreitos estranhando a minha reação. Essa mulher é muito esperta. 

- Fala logo o que está acontecendo. 

- Nada. 

- Você não sabe mentir, Sasuke. Desembucha. 

Engulo em seco e em nervoso, pisco os olhos com rapidez, desvio o olhar do dela e respiro fundo. Levanto rápido da cadeira, coloco minha camisa e vou na direção da geladeira para tomar um copo de água, sinto os olhos dela me acompanharem todo o percurso até a geladeira. Coloco a água no copo e tomo tudo de vez. 

- Vamos logo, Sakura! 

- Só saio daqui depois que você falar o que aconteceu. 

- Se nem você sabe o que aconteceu, imagina eu. A Loira falou foi com você e não comigo. 

- Para de enrolar. Você sabe que não é disso que estou falando. 

- E é de que? 

- Não sei. Me responde você! 

- Coisa minha! 

- Sou toda ouvidos. 

- Qual a parte do: a coisa é minha, você não entendeu? 

- E qual a parte do: enquanto você não me falar o que está acontecendo nem eu e muito menos você não sai daqui, VOCÊ não entendeu? - ela retruca alterando um pouco, respiro fundo. 

- Só vamos! 

- Fala o que está acontecendo e a gente vai. 

- Eu falo no caminho. 

- Fala agora! 

- No caminho eu falo, vamos! 

- Você vai falar agora. 

- Você é insuportável, sabia? 

- E você gosta de mim exatamente por causa disso. Desembucha! 

Estreito os olhos em sua direção com o corpo inclinado no balcão, enquanto ela está em pé com os braços cruzados bem séria. Ela tem razão, adoro desafios, e Sakura é o meu maior desafio. Meu primeiro e único desafio que realmente me sinto fraco em tentar desafiar. Essa mulher me enlouquece demais. Fecho os olhos e respiro fundo. 

- Ok. Eu falo, mas você não vai poder fazer nada. 

- Eu posso tentar. 

- Eu não quero que você tenta. 

- Eu não te pedi permissão. Fala logo. 

- Você é muito audaciosa. 

- Isso para mim é um elogio. Fala de uma vez, minha paciência está acabando. 

- Problemas na máfia. 

- Ah! E quais seriam esses problemas? 

- Esses. 

Pego meu celular já desbloqueando a tela e mostrando a mensagem de Suigetsu, ela lê atenta toda a mensagem e depois suspira colocando a mão no queixo pensativa. 

- Você ia sem me falar nada, não ia? 

- Talvez. 

- Não. Você ia. 

- Sim, eu ia. Não para fugir, mas para cuidar da minha máfia. 

- Mesmo sabendo que está em custódia da policia? Você sabe que isso é um crime pior que matar uma pessoa, né? 

- Sei, mas é minha máfia que está... 

- Eu sei, mas a justiça não tolera isso. - me interrompe séria. 

- Me ajuda! - sussurro sério. 

- Como? 

- Eu vou lá e você vai para a delegacia. 

- Vão me perguntar onde você se encontra, e eu... 

- Eu fui em uma lanchonete comprar uns lanches para nós dois. - interrompo. 

- E se você de... 

- Eu não vou demorar. Vou ver a situação e volto. Faz esse favor para mim? - interrompo outra vez e peço esse favor pra ela. 

- Eu posso perder minha profissão, sabia disso? 

Desencosto do balcão indo em direção a ela, passo o dorso da mão em seu rosto, fazendo um carinho nela, vejo ela fechar os olhos gostando daquele carinho, sorrio de canto achando ela linda com aquele jeito de menina carinhosa. Encosto meus lábios nos dela, apenas roçando um pouco para depois depositar um selinho rápido, depois outro e por último um selinho demorado. 

- Você é a melhor Detetive do mundo, e eu não deixarei você perder a profissão - sussurro assim que paro o selinho colando minha testa com a dela. 

- Estou confiando em você. Não quebre minha confiança. 

- Jamais! 

Dou outro selinho demorado nela, passo a mão em seu rosto outra vez, ela me dá as costas indo na mesa da sala pegar suas chaves do carro. Não sabia que ela tinha o carro próprio, mas vamos assim mesno. Fico olhando o andar dela da sala até a porta, onde ela já está me esperando, passo pela porta direto e ando na frente para esperar ela na porta do elevador. Ela tranca tudo e caminha até encostar perto de mim e apertar o botão do térreo. 

Um silêncio toma conta por toda a descida do elevador, apenas fico olhando ela pelo espelho que tinha dentro do elevador. É linda de todas as formas, não consigo parar de olhar para essa mulher um segundo se quer. O barulho do elevador ecoa assim que chega ao hall principal me tirando do transe, vamos andando até a saída principal e vamos ao estacionamento a procura do carro dela, assim que achamos entro no banco do passageiro e ela no banco do motorista. 

- Onde te deixo? 

- Vou colocar aqui no GPS. - pego o GPS e coloco as coordenadas da esquina perto do meu território. 

- Cuidado! 

- Cuidado com o que? 

- Com tudo. 

- Até com você? - pergunto bem-humorado sorrindo de canto, ela me olha sapeca passando a língua nos lábios. 

- Principalmente comigo. 

- Relaxa. Eu estou acostumado com feras. - pisco o olho maroto para ela. 

Ela dá uma risada nasalada e balança a cabeça, voltando o olhar para a estrada. Fico feliz em fazê-la sorrir, eu acho que me matava se fizesse essa maravilha chorar. Agora vamos ao que está me dando dor de cabeça, esse otário do Orochimaru. Eu ainda vou matar esse babaca com todas as minhas forças.


POV Sakura: 


Sasuke acha que me engana. Há há há! É mais fácil o diabo botar o inferno pra virar Polo Norte do que alguém me enganar. Mesmo colocando minha profissão em risco, eu o levei onde ele pediu. Aquela mensagem me preocupou também. Eu imagino a dor do Sasuke se caso os homens dele morressem. Eu acho que se fosse eu no lugar dele eu iria fazer o mesmo. Muita covardia, só porque o Sasuke está em custódia da policia vai atrás dos homens dele para atingir ele? Covarde. Muito covarde. 

Deixei Sasuke no lugar onde ele tinha indicado no GPS e achei estranho ele ficar ali, perguntei como ele ia voltar para a delegacia e o mesmo me disse que daria um jeito. Espero que não aconteça nada com ele. Meu celular toca e eu nem preciso olhar na tela quem é, eu sei que é Ino. 

- Oi Ino! 

- Cadê você, Chiclete? 

- Estou chegando. 

- Tava trepando quando vê assim. A pessoa fica anos sem trepar e quando voltar a trepar fica igual cadela no cio. Creio em Deus Pai, viu! - ela fala com indignação, eu rolo os olhos e seguro a risada alta que quer sair da minha boca. 

- Ou seja, eu virei você? 

- POR ACASO VOCÊ ESTÁ ME CHAMANDO DE CADELA, DONA SAKURA? 

- Eu não disse nada, você que está dizendo. 

- Vem logo para a merda dessa delegacia que estamos todos aqui na porta esperando por você. 

- Aaah! Então vou demorar mais um pouco - faço um deboche da cara dela. 

- Você não é homem pra fazer isso. 

- Realmente. Não sou homem, eu gosto de homens. 

- Sakura Chiclete Big-big de Morango Madonilte Rapariga Vagabundis Holmes Haruno. Ou você chega aqui em 5 minutos, ou eu...

Desligo o celular na cara dela já não aguentando mais segurar a risada. Eu adoro deixar a Ino puta da vida. Ela fica com raiva rápido demais. Olho para a estrada e estou perto do destino, viro a esquina e já vejo um loira brava dando chilique na frente da delegacia. Ok. Vamos enfrentar a fera loira. Estaciono meu carro, abro o porta luvas, pego as chaves da delegacia e vou de encontro com o povo. 

- Olá minha gente! 

- Rapariga, safada, vagabunda, desgraçada! Como você tem coragem em? 

- Desculpa, Ino. Do que está falando? - finjo que não sei de nada e seguro a risada, Ino respira fundo, se ela tivesse uma faca na mão já tinha me matado. 

- Abre. A. Merda. Da. Delegacia. Ou. Eu. Esqueço. Que. Sou. Sua melhor amiga e te MATOO! AAAAARGH! - ela fala pausadamente e alterando no final da frase, não aguento segurar a risada e a solto bem alta. 

 Ai Senhor! Eu adoro deixar a Ino puta da vida, ela fica engraçada demais com raiva. Rodo o chaveiro no dedo, girando-o e coloco uma das chaves no cadeado do portão principal. Passam uns minutos e toda a delegacia é aberta, assim como todos já se encontram em minha sala. Nunca vi minha sala tão lotada como hoje. Fecho a porta da sala e ando direto para a mesa de bebidas, pego um copo vazio, coloco 4 pedras de gelo e despejo uma dose generosa de vodca, vou no meu frigobar, pego uma água de coco e coloco no copo para dar uma adoçada na bebida forte. Dou um gole generoso e sinto a garganta queimar, vou para minha mesa e olho para todos encostados em seus lugares. 

- Qual foi o problema dessa vez? 

- Onde está o Crista de Galo? 

- Ele teve que dar uma saidinha - respondo, Ino e Shikamaru se entre olham e depois me olham com os olhos estreitos. 

- E onde ele foi? - Shika pergunta.

- Comprar uns lanches para mim e para ele. Eu acordei tarde e ele também. 

- Hum! Teve noitada, Tutti-frutti? 

- Não, Porquilda. Minha casa estava uma bagunça e eu fui arrumá-la, ele eu não sei porque acordou tarde. 

- E ele volta? 

- Se ele não voltar, eu faço ele vim.

- Você confia muito nele, em! - olho para Sthefan que estava com cara de confuso, ele estava aqui? Nem percebi. 

- Confio sim, e sei que ele não vai fugir. Agora parem de enrolar e falem qual foi o problema dessa vez. 

- Tem a ver com a máfia dele - Gaara entra na conversa, olho para ele com os olhos estreitos, ele também estava aqui? 

- O que aconteceu? 

- O Orochimaru apareceu lá pelo território da máfia dele e saiu atirando para todos os lados, mas a principal vítima era outra pesssoa. O pessoal da máfia ainda tentaram defender os civis dos arredores, mas eles conseguiram sequestrar a vítima do mesmo jeito. 

- E quem era a vítima? 

Gaara abre e fecha a boca várias vezes tentando falar e não consegue, suspiro e balanço a cabeça, odeio quando me enrolam com algum assunto. Shikamaru pigarreou fazendo com que eu olhe para ele.

- Eu vou falar onde é o território da máfia, você vai ficar calma e vamos fazer as coisas juntos. Entendeu? - Shika me explica e tenta me acalmar. 

Agora eu fiquei nervosa. Quem seria essa... Um filme volta em minha cabeça, lembro da notícia de meu pai morto e no outro dia a ligação de minha mãe. Não consigo esquecer nenhuma palavra sôfrega que saiu da boca de minha mãe.

"Você tem que parar com esse caso, Sakura. Por favor."

"Eles não vão parar, desiste desse caso meu amor, eu imploro."

Engulo em seco nervosa, não pode ser. Só pode ser uma brincadeirinha de mal gosto. Com certeza não é quem eu estou pensando. Não, não, não, não, não! Se for quem eu estou pensando eu vou matar gente demais sem dó e sem piedade. 

- Fala de uma vez! 

- O território fica em Ueno, a 5 km do Parque. 

Arregalo meus olhos assustada e paralisada com o que eu ouvi. Isso não pode está acontecendo. Isso é um pesadelo, eu vou acordar e nada disso está ocorrendo. Pisco meus olhos várias vezes tentando ao máximo controlar minhas lágrimas. 

- Eles sequestraram minha mãe? - sussurro tentando puxar o oxigênio que faltou em meus pulmões. 

Meus olhos correm pela face de todos os presentes e eles estão com cara de "eu sinto muito". Fecho meus olhos e sinto minhas lágrimas descerem sem controle. Primeiro meu pai, agora minha mãe. Se a intenção desse desgraçado era me deixar desolada, ele está de parabéns. Porque conseguiu! 

- Saky! 

- Me deixem sozi... 

Um barulho é ouvido por toda a sala e olho para o telefone fixo da minha sala. Olho para o telefone já com cara de ódio, imagino que seja algum infeliz da Herus querendo falar alguma merda, respiro fundo retirando toda a minha raiva e atendo o telefonema. 

- Holmes! 

- Ora, ora, ora! É uma honra falar com você Detetive Holmes! - uma voz debochada fala e depois ouço uma risada maléfica meia baixa sair. 

- Quem é você? 

- Um alguém que você não precisa saber o nome, apenas escutar. 

- O que você quer? 

- Além da sua morte e a morte do Uchiha? Quero brincar um pouco com a cabeça de vocês. 

- Quem é você? 

- Pergunta rápida: quem é o chefe mais babaca e que faz as mulheres de trouxa nesse mundo? - ele pergunta não dando a mínima para a minha pergunta. 

- Eu não sei se o seu chefe faz as mulheres de trouxa, mas ser o mais babaca com certeza ele é. - falo e sorrio debochadamente. 

- Resposta errada. Vamos fazer assim, cada resposta errada sua, um dedo da sua mamãe é arrancado. Que tal? - ouço ele rir maldosamente. 

Meu sorriso morre e minhas lágrimas descem outra vez, isso com certeza é um pesadelo muito pesado e doloroso. Chega! Já quero acordar e nunca mais dormir só para não ter esse pesadelo. 

- Você não vai encostar um dedo na minha mãe. Está me ouvindo? - eu ameaço ele quase sem voz, ele sorri alto da minha ameaça sem graça. 

- Tchau, Detetive. Foi um prazer falar com você! 

- Não desli... Ga. Desgraçado! 

Bato o telefone no gancho, coloco minha cabeça apoiada na mesa e passo as mãos no meu cabelo de nervosismo. Agora as lágrimas descem descontroladamente. Meu Deus! Por que comigo? O que eu fiz de errado para tudo está indo ruim? 

A porta da minha sala é aberta de vez, levanto minha cabeça olhando assustada para a porta e vejo aquele olhar negro cansado, ofegando alto e suando muito. Fico olhando para ele e sinto uma segurança chegando em mim. Ele suspira e fecha a porta, se vira, vem em minha direção e não dando a mínima para os olhares de todos os presentes na sala, ele me abraça forte. Sou pega de surpresa e fico parada, assim que sinto uma segurança, acabo retribuindo o abraço mais forte ainda. 

- Eu demorei, mas já voltei. 

- Minha mãe, Sasuke. Eles estão com minha mãe. 

- Eu já estou sabendo. Só me abraça e esquece um pouco isso. 

Um silêncio se instala por toda a sala, eu e Sasuke ainda estamos nos abraçando, mesmo com ele me dando paz e segurança, a raiva ainda está presente em meu corpo. Respiro fundo e me afasto de Sasuke, ele estreita os olhos olhando para o meu rosto, saio de perto dele, limpo minhas lágrimas que ainda estavam saindo. Com bebida ainda em meu copo, bebo tudo de uma vez, fazendo com que o líquido desce queimando. 

- Onde eu encontro eles? 

- Sah, vamos com cautela. Nada de agir sem... 

- Foda-se o agir sem pensar, Shikamaru. - interrompo ele olhando séria - eu estou cansada de só agir pensando. 

- Mas foi pensando que você conseguiu colocar o Sasori na cadeia, ou você esqueceu disso? - Gaara pergunta, mas ele acaba me lembrando algo interessante. 

Arregalo os olhos lembrando que Sasori está preso. Já tinha esquecido desse merda, mas esse merda vai me dizer tudo sobre essa situação agora mesmo. Ainda em pé e com o copo vazio na mão, coloco o copo na mesa e saio disparada da sala em direção das celas, transtornada de raiva, faço sinais para os policiais que cuidam das celas e boto para abrir enquanto passo pisando duro, ouço passos atrás de mim, mas não dou a mínima e vejo a cela daquele ruivo infeliz. 

O mesmo estava de costas para o corredor, mas vira o olhar ao perceber que a porta do corredor de celas foi aberto, aquele sorriso cínico dele me irrita. Ao chegar perto da cela dele, eu não penso duas vezes e o puxo pela gola da camisa fazendo o rosto dele grudar na grade fazendo um barulho muito alto.

- Ai! Quanta violência, Amorzinho! 

- ONDE ELES ESTÃO? 

- Desculpa, Gatinha. Não faço ideia do que você fala - fala e sorri debochado, odeio isso. 

- Você não está em um lugar muito bom, ou seja, você está sem vantagem de falar qualquer merda. Então para de deboche e fala logo, ONDE ELES ESTÃO! - falo totalmente alterada e aperto o rosto dele cada vez mais na grade, vendo ele grunhir de dor. 

- Já disse que não sei do que você está falando, Sakura. 

- Virou inocente agora? Acha que 1 dia e meio dentro da cadeia te faz inocente? Acha que os mortos vão voltar a ter vida porque VOCÊ ESTÁ DENTRO DA CADEIA? 

- Ei, ei, ei! Sakura! Se controla. Calma! - sinto braços me arrodearem na cintura me puxando para trás, mas isso só faz com que o ruivo fica com o rosto mais grudado ainda na grade e grunhido de dor. 

- Me solta! - o ruivo fala estranho com a grade praticamente colada no rosto. 

- FALA DE UMA VEZ, SEU RUIVO DESGRAÇADO! 

 - SAKURA! Para. Solta ele! 

Ouço a voz do moreno alterar, mas a raiva ainda me deixa insana e puxo mais e mais o rosto do ruivo, fazendo o rosto dele ficar vermelho e com as marcas da grade. O moreno puxa meus braços para trás de minhas costas me imobilizando, me debato nos braços dele tentando me soltar, o ruivo cai com as costas no chão e torcindo. 

- ME SOLTA, SASUKE. ME SOLTA! 

- Para de loucura e se acalma, Rosada!

- Eu vou MATAR esse desgraçado! - continuo me debatendo tentando me soltar. 

- Deixa de loucura. Nós sabemos que ele é um filho da puta, mas ele está preso e é isso que importa. 

- Nem vou dizer quem é o filho da puta aqui. 

- Você não tem nenhuma vantagem de dizer, então se não quer realmente morrer com a cara presa em uma grade por uma mulher insana, fica calado. 

O ruivo faz cara de raiva e me encara, o encaro de volta ainda com raiva sentindo o meu corpo formigar. Alguns segundos se passam e respirando fundo consigo me acalmar mais. 

- Me solta. Estou calma. 

- Não consigo acreditar, você ainda está tremendo. 

- Me solta logo! 

Ele afrouxa um pouco as mãos de meu braço, e quando ele vê que realmente estou mais calma ele solta meus braços, estico meus braços para cima até dar um estalo nos ombros. Olho para o ruivo e o mesmo está com a marca da grade no lado direito do rosto. 

- Desembucha, Sasori. Ou você prefere ser levado para um interrogador? - Sasuke pergunta cruzando os braços.

 - O que não seria nada ruim eu te levar para ser interrogado pelo Dei. 

- Deidara, Sakura. O nome do loiro é Deidara. - ele fala me olhando estreito, homem ciumento.

- Com o Deidara. Melhorou? - pergunto irônica e sorrindo falso, rolo os olhos. 

- Já acabou a DR de vocês? 

- Não era uma DR! - falamos em uníssono, eu olho para Sasuke e o mesmo olha de volta, rolamos os olhos e voltamos o olhar para o ruivo que estava sorrindo de canto. 

- Você vai falar ou não? - pergunto sem paciência. 

- Já disse que não sei do que você está falando, Holmes. Quer que eu repita de novo? 

- Sasori, colabora. Fala logo antes que você fica sem seus dedos. 

- Eu realmente não sei do que vocês estão falando. Pode pelo menos falar um pedaço do que se trata? 

- Seu chefe. Pra onde ele levou minha mãe? 

- Ooh! - ele gargalha da notícia - Hidan não brinca em serviço. Bem que ele falou mesmo que ia sequestrar sua mãe se não saisse do caminho da Herus. 

- Tinha que ser esse pau no cú! - Sasuke murmura.

- Com medo, Sasuke? 

- Medo eu tenho de Deus, o resto eu resolvo na bala. 

- Fala de uma vez, Sasori. 

- Eu não vou falar. 

- Fala logo, Ruivo pau no cú. 

- Eu não sou obrigado a dizer nada, seu otário. 

- Você escolhe. Ou fala pra gente, ou eu vou ser obrigada a chamar o Deidara - olho para o moreno de soslaio e o mesmo está com o olhar de raiva para o ruivo. 

O ruivo olhou para mim sério e depois olhou para Sasuke. Ele suspira cansado passando a mão nos cabelos em nervosismo, será que ele vai mesmo falar? Só acredito vendo. 

- O que eu ganho falando pra vocês? 

- Pontos com a policia. 

- Eu não quero pontos. - fala ele rolando os olhos. 

- É o que você vai ter, a não ser que queira ficar o tempo que você tem que ficar ai dentro dessa cela. 

- Se eu falar eu posso ser solto? 

 - A pena diminui. Agora desembucha. 

- Eu não posso sair daqui cedo. Eu vou sair daqui cedo? 

- Sua pena diminui um pouco, mas sair mais cedo não. 

- Eles não vão me deixar vivo se eu sair daqui por agora. 

- Você não vai sair. 

- Eu posso ganhar mais um beijo seu? - ele pergunta charmoso, eu arregalo os olhos.

- Claro que não! - Sasuke se intromete na conversa com um pouco de raiva na voz. 

- Eu falei com ela, Uchiha. Não com você.

- Mas eu estou respondendo, Akasuna. Tenta beijar ela e você pode se considerar um homem morto.

Faíscas saem dos olhos dos dois homens, vejo o punho de Sasuke fechar com raiva, Sasori fica olhando sério para o moreno. Ai, que palhaçada! Chega dessa briga idiota.

-- Já chega disso. Eu sei responder por mim, tá legal. Agora fala de uma vez, Sasori. Para de me enrolar. 

- Eu não ia falar, mas eu andei pensando muito nesse 1 dia e meio. E eu cheguei a conclusão que eu gosto muito de você, Sakura. 

 - Ilusão linda e tocante, Sasori. Vou até chorar. Desembucha logo! Minha paciência tem limite. 

- Sabe onde fica Osaka, certo? - pergunta e eu afirmo que sim - assim que você entra em Osaka, você vai direto e depois você vira pra esquerda, de primeira você vai ver um terreno baldio sem nenhuma casa, sem grama, sem nada. Chegou nesse terreno, tem um lugar onde vibra com o movimento. E vibra exatamente para as pessoas se assustarem e sair do local. Assim que vibrar, você de cara vai ver um quadrado que não tem nada a ver com o terreno. Pode entrar que ela vai está lá. - ele explica. 

- E se ela não estiver? 

- Eu viro gay. 

- Você já é gay, panaca. - o moreno sorri de canto, o ruivo sorri malicioso. 

- A Rosada não reclamou quando experimentou. 

O sorriso de Sasuke morre e ele fecha o punho com raiva de novo, vai em direção de Sasori e eu consigo segurar ele um pouco. 

- Sasori! 

- Pode confiar, Holmes. Ela vai está lá. 

- Bom mesmo! Vamos, Sasuke. Antes que você mata alguém. 

O moreno sai louco de ciúmes sem nem me esperar ir junto com ele, rolo os olhos com essa loucura dele. Onde já se viu ser tão ciumento assim? Mas agora estou focada em apenas uma coisa, ir atrás de minha mãe. Assim que chego em minha sala dou de cara com o moreno pegando todos os pertences dele, estreito os olhos para ele. 

- Enlouqueceu? 

- Eu vou matar o Orochimaru. 

- Vou perguntar de novo, enlouqueceu? 

 - Você quer salvar sua mãe? 

- Não, Sasuke. Quero que ela continue onde está - ironicamente eu falo para ele. 

- Eu sei onde é esse terreno baldio. 

- E por que não disse? 

- Só esperei o ruivo dizer para eu confirmar. 

- E estamos esperando o que? 

- Seu bando. 

- Olha o respeito, Crista de Galo. Bando é coisa de marginal. - Gaara entra acompanhado de Ino, Shikamaru, Temari, Naruto, Sthefan e Deidara. Prevejo muita ceninha de ciúme vindo de Sasuke por causa do Moreno e do Loiro. 

- Você aqui Loiro?

- Sim, Mon Amour. Acabei de chegar e já estou ciente dos acontecimentos.

- Então vocês estão prontos, certo? - pergunta Sasuke olhando feio para Deidara e Sthefan, eu disse que ia ter ceninha.

- Eu já nasci pronto. - Naruto fala sorrindo de orelha a orelha. 

- Meu nome do meio é pronta - Ino fala jogando o cabelo. 

- Eu sempre estou pronto, então vamos lá! - Gaara fala esfregando uma mão na outra.

- Você manda e eu faço. - Sthefan se manifesta. 

- Eu vou até pra Marte com você, Rosada. - Deidara fala piscando para mim, sorrio de canto. 

- Mimimimi! Loiro babaca - Sasuke sussurra rolando os olhos.

- Sasuke, relaxa! - sussurro passando as mãos disfarçadamente nas costas dele.

Olho para Shikamaru e o mesmo só olha para mim, ele nem precisa me responder eu sempre sei a resposta dele. Sorrio de canto e olho para o lado dele, Temari pisca marota para mim, eu acabo entendendo como um sim.

Ótimo! Mais uma missão em andamento, e essa é de matar. Porque se me deixar sozinha com esse tal Hidan, eu mato ele mais de uma vez. Pego três chaveiros de números: 01, 02 e 03, jogo para os três motoristas.

- Sasuke, Naruto e Shikamaru. Vocês dirigem. 

- Ok! - Shikamaru e Naruto falam em uníssono. 

- Três grupos de três em cada carro. Eu, Sasuke e Deidara na viatura 01, Shikamaru, Sthefan e Gaara na viatura 02 e Naruto, Ino e Temari na viatura 03.

Sasuke me olha com a cara fechada, finjo que não vi e olho para o pessoal, os mesmos estão confusos com a divisão, até que Temari se pronuncia. 

- Por que essa divisão Sakura? Achei que iam as duplas.

- As divisões estão em Comando, Força e Inteligência. O grupo Comando viatura 01, o grupo Força viatura 02 e o grupo Inteligência viatura 03. 

- Acho que estou entendendo. Os comandantes dessa missão, você, o Crista de Galo e o Dei, a força eu, Gaara e Sthefan, pelo fato de nós sermos os rápidos no gatilho e a inteligência Naruto, Ino e Tema por causa das tecnologias que iremos usar, como hackear câmeras e outras coisas, certo?

- Esperto como sempre, Shika! - pisco marota para ele.

- E por que o Sasuke é comandante? - pergunta Deidara rolando os olhos.

- Eu é que tenho que perguntar porque você é comandante, imbecil. - Sasuke fala com raiva já fechando o punho.

- Eu tenho moral, diferente de você - Deidara sorri de canto, Sasuke vai para cima dele e Gaara consegue segurá-lo antes de chegar no loiro.

- PAROU! - eu altero já perdendo a paciência - vão todos para as viaturas.

Gaara solta Sasuke falando para o mesmo ter calma, o moreno respira fundo enquanto os outros saem da sala com o meu comando, o único que fica é Sasuke, olho para ele séria e ele suspira cansado e me encara.

- Eu... Eu não con...

- Não quero ouvir nada. Eu quero que você para de bestagem. - interrompo.

- É mais forte que eu.

- Se eu estou com você, é porque eu estou com você. Esquece os outros.

- Eu sei. - sussurra.

- Se controla. Por favor.

Ele balança a cabeça afirmando que sim, encosto nele e dou um selinho rápido, sinto os braços dele arrodearem minha cintura em um abraço apertado, fico nesse abraço até ele se acalmar e meu coração abrandar da raiva que estava sentindo. Assim que eu afasto eu chamo ele para irmos atrás dos outros, ele concorda e nós vamos encontrar com o restante do povo. Eu tenho que conseguir acabar com essa missão agora.


Notas Finais


Opa, opa, opaaaa!! :O

Eu não acredito q ele fez isso :o
Hidan filho da mãe em? ¬¬'

Críticas, elogios e ideias são sempre bem vindos.. Sabe q quem manda dpois d mim são vcs ;) kkkk

Bjos d Morango com Nutella pra todos vcs e até o próximo capítulo! =** ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...