História A Detetive - Capítulo 30


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Deidara, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Temari, Tsunade Senju
Tags Ação, Gaaino, Itazumi, Naruhina, Policial, Sasusaku, Shikatema
Visualizações 35
Palavras 5.608
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hellou meus... ~ desviando de flechas com as pontas em fogo e vários tijolos d laje vindo em minha cara o.o ~

Meu poooovo, calmaê \o/.. Demorei, mas não abandonei vcs e nem vou abandonar.
Meu amor por vcs é tão grande q mesmo pensando em desistir eu ganho forças ao ver cada um d vcs comentar e me fazer feliz.. Obg por tudo! *---* <3

Enfim, hj esse capítulo é para quem não tem emocional, ou seja, ao contrário.. Pq o choro vai ser garantido (eu espero kkkkkkkkkk)..

Então vamos parar d blá blá blá e vamos chorar todos nós juntos *-* kkkkkkk

Ahhhhhhhh.. Estava quase esquecendo. Tem projeto novo em discussão, por favor não me abandone e fiquem no aguardo ;)

Boa leitura e até lá embaixo! =**

Capítulo 30 - Capítulo 28


Fanfic / Fanfiction A Detetive - Capítulo 30 - Capítulo 28

POV Sakura: 


Sem saída? Sim. Estou muito. Nervosa e com o coração na mão? Sim. Arrependida? Mais do que eu achei que ficaria. 

Perdida em pensamentos, vejo uma cabeleira loira acenar para mim. Olho para Naruto que estava com um sorriso estampado no rosto, mas logo o mesmo sorriso morre quando me vê. Fecho os olhos, respiro fundo, abro os olhos e sinto minhas pernas bambearem. 

- Sakura! - ouço ele me chamar e correr até mim. 

Sinto braços fortes me segurarem e me guiarem até uma das viaturas. Respiro fundo e sinto minhas bochechas molhadas por causa das lágrimas. Naruto fica em minha frente com o cenho franzido, Ino vem correndo até nós.

- Sah, o que ouve? Está ferida? - Ino me pergunta assim que se ajoelha perto de mim. 

- Eu estou bem. Só está doendo um pouco - sussurro com a voz triste. 

- Não parece que está doendo pouco. Espera ai que vou chamar a Tenten.

- Não precisa Ino. Minha dor não é física. 

- Como assim? 

- Sakura! O que foi aquilo que aconteceu? Por que você fez aquilo? - Itachi chega alterado e com a respiração pesada. 

- Esquece Itachi. Por favor.

- Esquecer? Como é que você faz aquilo com o homem que VOCÊ diz gostar? 

- Sim. Eu fiz. Esqueceu que eu tenho um cargo a zelar?

- FODA-SE O SEU CARGO SAKURA! Se você realmente gosta, esquece a merda do seu cargo. 

- Engraçado que você não fez nada além de abaixar a arma.

- E você deveria ter feito o mesmo.

- É fácil você falar isso, sua noiva é modelo né?

- Ei, ei, ei! O que está acontecendo? Na verdade, o que foi que aconteceu? - Naruto pergunta confuso. 

- Pergunta para ela. - Itachi fala com revolta.

- Sakura? 

- Já falei para esquecer. 

- O que aconteceu Sakura? - Naruto me pergunta bem sério, agora a coisa ficou um pouco tensa. 

- Nada. 

- Fala de uma vez, o que aconteceu? - ele repete a pergunta. 

- Já disse que não foi nada. Eu só errei! 

- E pelo visto errou feio. - Gaara fala de olhos estreitos. 

- Desembucha de uma vez o que você fez Sakura! - Ino altera e eu fico nervosa. 

- EU NÃO SEI! PAREM DE ME FAZER PERGUNTAS. - eu grito já perdendo a paciência com eles. 

Todos se silenciam e eu encosto minha cabeça no acento do carro com os olhos fechados e com a mão na frente de meus olhos. Por que eu fiz aquilo? Ele vai achar que eu não gosto dele. 

Parabéns Sakura! Você fez exatamente o que aquele travesti filho da puta disse. Você visou apenas o seu lado e foi uma babaca. Sinto mais uma vez lágrimas descerem dos meus olhos sem piedade. Mãos me fazem carinho e eu abro um olho olhando de quem era as mãos, assim que vejo que é Sthefan eu suspiro cansada.

- Sakura! Entre nós dois aqui, no que eu posso realmente te ajudar? - ouço Sthefan me perguntar baixinho. 

- Você tem uma máquina do tempo para eu voltar? 

- Infelizmente não. Se eu tivesse com certeza eu te daria.

- Então não tem nada que realmente possa me ajudar, mas eu quero que faça um favor para mim. Você faz? 

- Claro que faço. 

- A Tsunade está na espera de outros policiais, vai lá ajudar ela no meu lugar. Eu não vou prender o Sasuke. - falo suspirando triste. 

- Aaaah! Então esse foi o seu erro? Você foi mandada para matá-lo e para prendê-lo. - ele fala e eu abro os olhos de vez o encarando triste, o mesmo respira fundo. 

- Foi um erro, eu já fiz a merda, agora é só eu terminar a merda de vez. 

- Você apontou a arma para ele, não queria fazer isso, mas você foi obrigada por Tsunade. - ele continua tentando desvendar o acontecido, rolo os olhos. 

- Vai fazer o que eu pedi ou não vai, hein? - eu pergunto olhando para ele séria, ele sorri anasalado e afirma com a cabeça que sim. 

Vejo ele se levantar e andar devagar em direção ao beco onde provavelmente Sasuke ainda está. Olho para o rumo de um grupo conversando que era composto por Itachi, Gaara, Ino, Shikamaru, Kisame e Naruto. Mais uma vez fecho meus olhos e volto a pensar na merda que fiz e o quanto eu sou idiota e egoísta. Eu não gosto do Sasuke, eu o amo e o que eu faço? Eu aponto uma arma para ele. 

- Como você é tapada Sakura! - sussurro para mim mesma dando um tapa em minha testa. 

Olho para o meu lado e Naruto vai andando para onde Sthefan tinha ido. Acho estranho, mas deixo quieto já que Tsunade deve está com raiva de mim porque eu respondi ela. Um barulho de carro encosta perto dos aglomerados e eu olho para o grisalho que desce dele tranquilo com mais dois policiais. 

- Olá pessoal! Está tudo tranquilo aqui? - Kakashi pergunta olhando para todos nós. 

- Está sim Chefe. Que bom que está aqui. - Guren se pronuncia já que todos estavam calados, ele dá um sorrisinho de felicidade disfarçado, aí tem. 

 Alguns minutos se passam e sinto meus olhos tremerem ao olhar Sasuke algemado com Naruto e Sthefan o segurando em cada braço. Eu me levanto rapidamente e espero eles chegarem mais perto de mim. Ele está com os olhos fechados, dou dois passos para mais perto assim que os rapazes passam perto da viatura onde eu estava. 

Saio de vez do meu lugar dando um sinal para os meninos pararem um pouco, respiro fundo e crio coragem para dar de cara com a pessoa que amo com todas as minhas forças. A aposta que fiz com ele foi de quem dizia eu te amo primeiro, eu falarei e sem arrependimentos. Parada em frente a ele, olho para o rosto dele, o moreno abre os olhos e aquele olhar de sangue me encara sério e frio. 

- Sasuke. Eu... 

- Eu não quero ouvir Sakura. Você foi mandada e teve que obedecer, afinal eu sou um bandido. 

- Não. Não é nada disso. Deixa eu te explicar, eu... Eu... Eu fiquei nervosa e... 

- E não queria deixar seu cargo? Parabéns. Você continua sendo uma Chefe. 

- Eu não estou nem ai se tenho o meu cargo ou não, eu fiz porque... Porque eu fiquei... 

- Para de tentar se explicar Sakura. - ele me interrompe pela terceira vez me fazendo olhar triste, vejo as lágrimas dele rolarem e abaixo a cabeça culpada - O que foi feito está feito. Eu que fui burro demais em amar uma mulher que nem sequer me ama ou amou. 

Eu arregalo meus olhos surpresa e levanto o olhar para ele rapidamente. Abro e fecho a boca várias vezes, mas nenhum som sai dela. Apenas fico parada tentando engolir aquela declaração. 

- Você o que? - sussurro a única coisa que consegui falar, ele sorri irônico. 

- Pois é. Meu amor foi minha ruína. Você ganhou a aposta Holmes. Agora sim você é a maior apostadora e vencedora de Tóquio. - ele fala e ri de canto, Tsunade aparece na frente dele e o leva para a viatura. 

Respiro fundo e sinto minhas lágrimas descerem fortes, olho para a viatura onde um dos homens que vieram com Tsunade estava dirigindo e Sasuke estava na parte de trás do carro. Sinto alguém tocar meu ombro e olho para os olhos verdes com pesar, mas que me confortou por um pequeno momento. 

- Eu o amo Gaara. - sussurro com a pouca voz que juntei. 

- Eu sei disso, mas você tem que falar isso para ele. 

- Ele não vai querer me ouvir. 

- Se ele realmente te ama, vai sim. - Gaara fala e me dá um beijo na bochecha saindo de meu lado, olho para as costas dele e vejo Tsunade vim em minha direção. 

- Por que tão chorosa? Achei que queria ele na cadeia. 

- Diferente do Orochimaru, o Owa não é um bandido ruim. Ele tem um coração bom, ele é um homem maravilhoso... 

- Tantas qualidades. Apaixonada Sakura? - ela me interrompe perguntando desconfiada. 

- Sim Tsunade. Eu estou! - eu afirmo e a mesma me olha surpresa, fico frente a frente com ela - Quer me tirar de sua delegacia, fique a vontade. Eu já perdi tudo o que eu consegui de melhor na vida, perder mais outra coisa é tranquilo. A missão foi cumprida. Vou tirar o restante da noite de folga. Até amanhã! - finalizo a conversa, saio de perto dela e vou direto para a viatura onde Itachi já estava preparando para sair. 

- Você está maluca. 

- Eu não estou nem ai para mais nada Itachi. Já perdi o que eu mais lutei para ter, se eu perder o resto nem ligo mais. - suspiro cansada e passo a mão no rosto em nervoso - Me leva para casa por favor. Preciso ficar sozinha. 

- Nada disso. Vou te levar para minha casa, você vai dormir lá e eu levo a papelada da missão por você. 

- Eu quero minha casa Moreno. Por favor. 

- Já disse que não. - ele fala dando um ponto final na conversa, puxa o celular e disca um número lá que eu nem cheguei a ver. 

Rolo os olhos e respiro fundo encostando minha cabeça na janela do carro. Ele liga o carro acelerando-o pela estrada, olho a paisagem apenas me dando uma chance de ter todo um pensamento certeiro. O que eu fiz? Por que eu fiz e como não tive coragem de ser verdadeira como eu queria? 

Não consegui obter respostas, apenas pensar mais e mais e me matar por ter sido tão idiota ao fazer tanta merda em apenas minutos só por causa de um cargo renomado. Idiota Sakura, você é uma idiota. Fecho os olhos em cansaço ouvindo Itachi falar com alguém no celular e acabo por pegar no sono. 

Não sei se foram horas, se foram minutos, ah, como eu queria que fossem dias. Sinto alguém me mexer pelos ombros, abro os olhos com dificuldade e olho para o moreno sorrindo de canto. Por um momento achei que era o meu moreno, sorrio alargado. 

- Sasuke! 

- Sinto muito, mas sou o irmão minha linda. Vamos, chegamos em minha casa. 

- Eu não quero ficar em sua casa. - falo voltando a me aconchegar no banco. 

- Mas você vai ficar. 

- Eu não quero ficar longe de meus amigos. Me leva para minha casa por favor. - minto abrindo apenas um olho. 

- Eles estão aqui em minha casa. Já disse que você não vai para a sua.

Suspiro cansada e abro os olhos apenas para encarar ele. Sem muita animação, saio do carro olhando para a mediana casa luxuosa, simples digno de um casal em um começo, mas que tem um bom tempo juntos. Sinto Itachi me tirar dos pensamentos com um toque no ombro e me levar pela a pequena estrada até a entrada principal. O acompanho sem muita vontade. 

- Eu já falei que não queria vim para sua casa. 

- Sozinha também você não fica Dona Sakura. 

- Itachi, por favor. Para de forçar barra. Eu quero ficar sozinha. 

- Já que não quer ficar aqui, então por que continua vindo junto comigo? - ele pergunta sorrindo anasalado, rolo os olhos e o encaro. 

- Sakura! Há quanto tempo. - uma morena aparece na porta assim que eu paro, dou um sorriso de leve. 

- Olá Izumi. Faz tempo mesmo. 

- É sempre bem vinda aqui em casa. 

- Obrigada. - sorrio de lado e me viro para o moreno - Eu imaginei que você mentiria para mim sobre meus amigos. 

- E eu sabia que se eu te levasse a sério sobre querer ficar com eles seria apenas uma desculpa sua para ficar sozinha. 

- Eu te odeio Uchiha. 

- E eu te amo Haruno. Zumi, eu vou na delegacia e já volto. Fica de olho nessa mocinha? 

Ela afirma que sim e dá um selinho nele. Ele me dá um beijo na bochecha e eu sigo com os olhos ele voltar para o carro que me trouxe. Izumi se afasta da porta me dando espaço para entrar na casa, entro sem muito ânimo. Olho para a casa que há tempos não venho. 

- Ita me contou o que aconteceu. 

- E mesmo assim ele me trouxe para cá. Eu falei que queria ficar sozinha. 

- Ele me pediu para comprar um conjunto de roupa para você e uma lingerie. - olho para ela estranhando aquele assunto - Ele disse que se passasse em sua casa para pegar suas roupas você não ia vim, então eu fui comprar o que ele pediu. Espero que o meu tamanho dê em você.

- Obrigada mais uma vez Iz.

- Fique a vontade Sakura. 

Eu sorrio e saio em direção da suíte de hóspedes. Assim que entro dou de cara com um conjunto de lingerie da cor vermelha, um conjunto short-saia e uma blusinha folgada, uma rasteirinha trançada e uma sandália de borracha mais arrumada - vulgo marca cara - ao lado da cama. Gostei, parece que ele comprou o pacote completo. Vou ao banheiro e ligo as torneiras do quente e frio da banheira. Uma água morna me deixa mais tranquila, um banho demorado vai me fazer relaxar. 

Enquanto a banheira vai enchendo, eu volto para o quarto abrindo o guarda roupas para pegar uma toalha. Tiro toda a minha roupa enrolando a toalha no corpo, a imagem de Sasuke com lágrimas nos olhos me faz pensar no quanto ele realmente me ama, assim como eu amo ele também. 

- Eu fiz uma torta salgada - saio dos meus pensamentos dando um pulo de susto, me viro e vejo Izumi um pouco assustada - Desculpa. Eu não queria te assustar. 

- Tudo bem. Eu só estava um pouco distraída. 

- Muito distraída você quis dizer né? - ela pergunta sorrindo de leve, dou um sorriso sem graça e suspiro. 

- Eu vou tomar um banho. Eu te encontro na cozinha depois. 

- Vou esperar. 

Balanço a cabeça afirmando, ela dá um sorriso aberto e sai do quarto me deixando sozinha. Suspiro e vou para o meu banho, desligo as torneiras vendo a banheira com um tanto razoável de água, entro nela já mergulhando de cabeça e deixo todos os meus pensamentos se esvair, deixando apenas meu corpo na banheira e sentindo minha alma sumir por completo. 

Horas, minutos, nada disso mais importa para mim, só sei que meu banho estava maravilhosamente relaxante e fico sem uma mínima vontade de sair daqui. Ouço batidas na porta e apenas peço para esperar, saio da banheira um pouco revigorada e com os dedos iguais de velhos. Realmente fiquei muito tempo na água. 

Me enrolo na toalha, vejo meu reflexo no espelho e meus olhos estão vermelhos de tanto chorar, mesmo que tenha saído sem perceber. Abro a porta e vejo Itachi e Izumi me olhar preocupados, Itachi suspira aliviado e Izumi coloca a mão no peito como se estivesse aliviando uma dor no coração. Ergo minhas sobrancelhas sem entendê-los. 

- Porra Sakura. Que susto que você me deu. 

- Dei? - pergunto confusa. 

- Claro que me deu um susto. Onde já se viu demorar 01 hora e meia em um banho? Sem sexo você não ficou para demorar tanto em um banho, então achei que você tinha desmaiado ou morrido sei lá! - ele fala todo nervoso, sorrio ainda confusa com a situação. 

- Nem eu me liguei que fiquei tanto tempo no banho. E como assim não fiquei sem sexo? - pergunto estreitando meu cenho. 

- Não é querendo me gabar, mas meu irmão é meu irmão. Eu sei que ele não te decepcionou - ele fala com um sorrisinho malicioso, rolo os olhos e balanço a cabeça em negação. 

- Ok. Ele não me decepcionou, mas o que meu banho demorado tem a ver com minha vida sexual com seu irmão? - finjo que não sei do que ele está falando e o mesmo bate na própria testa. 

- Vai me dizer mesmo que não sabe do que estou falando? - ele pergunta com desconfiança, sorrio meia sem graça e afirmo que sim. 

- É claro que eu sei da ousadia que você está falando e não. Eu não estava me masturbando. 

- Amém! - ele fala aliviado e agradece com as mãos para cima. 

- Itachi, vaza do quarto agora. 

- Por... - Izumi olha estreito para ele e o mesmo me olha - Aah! Entendi. Eu espero vocês duas na cozinha. 

Ele sai sem graça do quarto deixando eu e Izumi sozinhas. Sorrio anasalado do meu melhor amigo e vou até a cama em busca da calcinha que ganhei, retiro a toalha que me cobre e coloco a peça de baixo vendo o quanto fiquei bonita com ela. Izumi tem um ótimo gosto. 

- Eu sabia que ficaria linda em você. Afinal, você é perfeita. 

- Ninguém é perfeito Iz. 

- Realmente, mas pelo menos alcançar os 98% a gente consegue. E você é 99%. - ela fala e eu a olho, o sorriso e o brilho no olhar mostra o quanto ela realmente está falando sério. 

- Não é para tanto. 

- Vai por mim. Meu cunhado ama você exatamente porque você é 99%. 

- Eu não acho que ele ainda me ama. O que eu fiz não tem perdão. 

- Tem se vocês realmente se amam. O amor não é passageiro Sakura, ele sempre vence os obstáculos. E vai por mim, eles são infinitos. - ela fala, eu olho com pesar para a morena e sorrio concordando em silêncio o que ela me fala - Eu sei que você só quer saber do silêncio e do afastamento, mas se isso te ajuda, eu acredito no amor de vocês dois. Afinal, esses Uchihas faz nós duas suspirar sem nem perceber e não é só no sexo que eu falo, é em tudo. O sentimento de vocês é recíproco, lindo, sem explicação e algo desse jeito não pode morrer por algo sem graça, tem que lutar até esgotar as forças e se esgotar, você descansa e volta a lutar sem parar um minuto se quer. Pense bem nisso está bem? - ela pergunta e eu afirmo que sim com a cabeça. 

Ela me dá uma piscadela e sai do quarto, me sento na cama olhando para o chão pensativa nas palavras de Izumi. Em segundos vejo Izumi voltar para dentro do quarto com um baby doll de seda na cor branca, ela o joga em meu rosto, coloco ele em meu corpo e olho para o relógio no criado mudo marcando 23:35 da noite. 

Senhor! 

Não achei que a hora estava passando tão rapido assim. Me lembro de ter saído do lugar da missão as 19:00 horas e em um piscar de olhos já está quase na hora de dormir. A mulher de meu lado me chama para sair do quarto, eu a acompanho ainda pensando no que ela me falou. 

Não demora muito até nós chegarmos na cozinha dando de cara com Itachi bebendo um copo de uísque com gelo. O mesmo se vira olhando para nós duas e dando um sorriso de lado. Que saudade do sorriso do outro Uchiha. 

- Achei que iam me deixar no vácuo. 

- Claro que não. Fui pegar um baby doll para Sakura e enquanto ela o colocava ficamos conversando. 

- Hum! Eu entendo. Vamos comer? 

- Claro. Vou pegar a torta e os pratos, sentem-se. Podem ficar a vontade. - Izumi fala e sai de perto, Itachi se senta e eu sento de frente para ele. 

- Está se sentindo melhor Rosada? 

- Na medida do possível, sim. Sua noiva é maravilhosa nas palavras. 

- Ela é incrível em tudo! - ele fala sorrindo bobo - Consegui conversar com meu irmão. Ele tirou a lente vermelha e jogou fora. Disse que aquela lente tem maldição - ele fala sorrindo meio baixo, sinto meu coração palpitar só em ouvir ele falar do irmão.

- E como ele está? Me diz que não bateram nele.

- Ele está bem e em uma prisão sozinho. O mandato disso tudo foi meu. 

- Graças a Deus! 

- Ele me perguntou se você fez isso tudo com ele só para prendê-lo. 

- Isso o que? 

- Fingir que gostou dele. 

- Ai meu Deus. E você disse...? 

- Disse que não. Até porque mesmo negando, está na cara que você o ama. 

- Amo mesmo. Estou tão culpada por ele está na cadeia. 

- Não fique. Mesmo se você estivesse longe dele, ele iria ser preso por Tsunade, que por sinal, está puta de raiva com a sua rebeldia. 

- Ela vai me demitir - falo sorrindo anasalado, o moreno me acompanha. 

- Talvez, mas pense no quanto você vai ficar tranquila. Isso é bom. - ele sorri alto e eu o acompanho. 

- Você não vale nada.

- É claro que eu valho a pena.

- Voltei. Aqui está a torta e os pratos - a morena aparece com uma forma e três pratos - Fiquem a vontade para se servir. 

Eu sorrio, pego um pedaço da bonita torta e coloco no prato. Se ela estiver tão gostosa quanto bonita, Izumi é uma mulher maravilhosa para casar e Itachi tem muita sorte. E o pequeno final de noite foi desse jeito, conversas paralelas e minha chateação ficando um pouco de escanteio. Olho para o relógio e já são 01:05 da manhã, dou boa noite ao casal e saio para descansar um pouco para daqui a pouco enfrentar a fera chamada Tsunade. 

~  ~  ~  ~  ~  ~  ~  ~  ~  ~  ~  ~  ~

Dia seguinte, 08:00 horas da manhã. 


Não dormi muito bem, mas pela primeira vez desde ontem estou me sentindo mais tranquila e menos ressentida. Ouço batidas na porta e eu mando entrar, Itachi cruza os braços no peitoral me olhando calmo e se escora no portal da porta. 

- Estou quase pronta. 

- Sem pressa. O seu tempo é quem manda. 

- Obrigada Ita. Por tudo. - agradeço sorrindo, o mesmo me dá um sorriso de lado. 

- Eu e você, você e eu sempre. 

Vou andando até ele já o abraçando forte e agradecida. Beijo a bochecha dele e saio do quarto arrumando meu cabelo. Sim. Eu gosto de arrumar meu cabelo mesmo depois de ter arrumado ele no espelho. Eu sou louca. 

Assim que chego na cozinha para tomar pelo menos o meu café de lei vejo Izumi terminando de coar o mesmo. Eu sem café? Jamais. Aquele cheirinho maravilhoso me fez ficar hipnotizada. 

- Eu te amo Iz. - falo a abraçando e dando um beijo na bochecha. 

- Ui! Eu também te amo. Acabei de fazer o seu motivo de ser feliz, além do Sasuke - ela fala sorrindo e me dando uma xícara escrita "I love Café". 

- Obrigada. 

- Torradas?

- Não estou com fome. Só o café está ótimo.

- Se eu souber que você comeu besteiras assim que sair daqui, eu te mato. - ela fala com os olhos estreitos e ameaçadores, sorrio meio baixo. 

- Não se preocupa. Minha fome agora é só na hora do almoço. 

- O que é algo interessante de saber. Hoje você vai almoçar comigo. - Itachi aparece na cozinha indo direto para a namorada dando-lhe um beijo e comendo um pedaço da torrada da mão dela. 

- Lindeza! Comendo minha torrada engraçadinho. 

- Eu ia falar besteira, mas deixa quieto. Eu falo mais tarde para você. - ele fala sorrindo malicioso, Izumi arregala os olhos sorrindo sem graça.

Seguro o sorriso e dou um gole bem generoso no meu café. Olho para o relógio em cima do balcão perto da geladeira, 08:38. 

Meu Deus! 

Já era para eu estar na estrada. Tomo o restante de café que está em minha xícara e a levo para a pia. Dou dois tapas no braço de Itachi e mostro a ele a hora no relógio, o mesmo sai de perto da noiva depois de beijá-la e corre para a porta comigo no encalço. 

Assim que saímos da casa vamos direto para o carro maravilhoso dele. Eu amo carros e o de Itachi é lindo demais. Eu ainda vou ter ele em minha garagem. Passo as mãos sobre a carroceria daquele Jaguar Coupé perfeito. Ouço um sorrisinho vindo de Itachi, olho para ele confusa. 

- Você e suas paixões por carros velozes. Ele gosta sabia? 

- É claro que eu sei. Ele é o homem mais incrível que conheci na minha vida. 

- Claro! Ele é meu irmão. - o moreno alto fala se achando, rolo os olhos e entro no carro. 

A estrada inteira foi em silêncio, até a aceleração do carro foi em silêncio. Que maravilha. Olho para a paisagem de Tóquio de manhã com aqueles movimentos que eu não gosto, mas acabei acostumando muito bem com o tempo. A estrada demora alguns minutos para acabar, mas como não temos pressa, não ligo de chegar um pouco mais tarde.

Os minutos acabam assim que o prédio da delegacia aparece em minha visão e eu sinto meu coração dar uma acelerada. Respiro fundo e finjo que nada está acontecendo, desço do carro já na frente do prédio, Itachi leva o carro até o estacionamento e eu espero o mesmo voltar. Vejo o moreno sair do carro vindo até onde estou e ouço passos vindo em minha direção, me viro dando de cara com um coroa bem arrumado e com um sorriso de orelha a orelha. 

- Sakura! Meu Deus, como você está linda. Há quanto tempo! - sorrio e ele me abraça, eu o abraço de volta apertado. - Te vi mais nova, quando cresceu tanto? 

- Fazem 3 anos Jiraiya. Eu tinha que crescer né? - pergunto sorrindo do rosto dele de impressionado e ele olha para o lado vendo Itachi encostar. - O que bons ventos o trazem aqui? 

- Saudade. Faz tempo que não via vocês. Olá Itachi. - ele o cumprimenta com um aperto de mão. 

- Há quanto tempo Jiraiya. Como vai? 

- Vou muito bem e espero que vocês também. 

 - Sim. Estamos - eu e Itachi falamos em uníssono, olhamos um para o outro com o cenho franzido fazendo o grisalho mais velho rir. 

- E meu querido sobrinho? 

- Seu sobrinho continua um gênio na tecnologia. Ele foi o principal da minha missão. - falo orgulhosa. 

- Olha, impressionante o quanto ele me surpreende cada vez mais. 

- Coitado Jiraiya. - Itachi fala sorrindo anasalado. 

- Vocês sabem que eu amo o Naruto. Eu acho que estou atrapalhando vocês, certo? 

- Tsunade me chamou para conversar, mas eu vou conversar com alguém antes de ir falar com ela. Com licença - falo sorrindo sem graça, meu cunhado me olha de soslaio e eu pisco cúmplice, o mesmo sorri de lado entendendo o recado. 

- Vai lá. Eu vejo você depois. - Jiraiya fala todo feliz.

Afirmo que sim e saio de perto dos homens que conversam por mais uns breves momentos, pois não vi mais eles após ter entrado na delegacia. Faço as mesmas coisas de sempre para entrar e ando até a parte onde ficam as celas. Respiro fundo e peço ao policial que abra a porta do corredor, o mesmo abre a porta com relutância e eu ando na maior normalidade do mundo, mas o coração a mil por hora. 

Ando no enorme corredor olhando cela por cela, preso por preso até que chego em uma cela no final do corredor. Essas celas são onde ficam presos que dão muita dor de cabeça, mas no caso desse preso, é a vontade de ficar solitário. Olho para dentro do lugar com pouca luz e vejo um homem sem camisa deitado, provavelmente dormindo, meus olhos faz aquele raio-x pecaminoso por todo aquele corpo antes de encostar na grade. 

Puxo todo o ar que consigo para os meus pulmões e os solto segundos depois. Com a parte de metal do meu distintivo, bato de leve na grade chamando a atenção do moreno. Com o pequeno susto ele se levanta rápido e me encara perplexo, o encaro e cumprimento com um aceno de cabeça, ele faz a mesma coisa e se senta na "cama" da cela. 

- Sabe que esse lugar é perigoso para você. O que faz aqui? - ele me pergunta preocupado, mas com frieza. 

- Vim te ver. 

- Já me viu, agora pode sair. - ele fala e abaixa a cabeça. 

Suspiro cansada, olho para o policial e peço em sinais que ele me dê as chaves das celas. Ele afirma que sim e vem em minha direção com rapidez, sinto algo gelado em meu braço e olho um pouco assustada para o monte de chaves perto de mim. Pego as chaves, agradeço e procuro a chave da cela 235, assim que acho ela, abro a portinha da grade e entro fechando-a. 

Ele me encara ainda sentado na cama, suspira e se levanta ficando uns passos longe de mim. Dou dois passos para frente ficando cara a cara com ele, ele ainda continua parado no mesmo lugar me olhando desconfiado e confuso. Engulo em seco e olho nos olhos dele. 

- Eu ia explicar ontem, mas eu achei melhor explicar hoje. 

- Eu já disse que não precisa explicar. 

- Mas eu vou. Eu não deveria ter apontado uma arma para você. Eu fiquei nervosa, com medo e não fazia ideia do que eu estava fazendo. Quando eu percebi a merda que fiz, eu me arrependi amargamente - sussurro abaixando a cabeça. 

- A loira peituda mandou, você tinha que fazer. Eu entendo a sua situação. Meu irmão conversou co.igo ontem. - ele fala e eu estreito os olhos um pouco confusa.

- Ele não me disse que conversou com você.

- Ele conversou e graças a ele, eu tive 08 horas para pensar bem em tudo isso.

- Eu também, por isso que a primeira coisa que fiz depois de acordar foi vim te ver. Só de te olhar já me sinto aliviada - falo com a voz um pouco embargada de choro, ele me encara e eu o encaro de volta. 

O espaço diminuiu assim que dei mais um passo para frente, fico nas pontas do pés para ficar quase da altura dele e passo a mão no rosto dele sentindo ele ficar um pouco nervoso. Fecho os olhos encostando meu nariz no dele e sinto as nossas respirações pesada. 

- Por que você faz isso comigo Sakura? - ele sussurra ainda nervoso com a aproximação. 

- Porque eu te amo muito e não vou te perder - sussurro e dou um selinho demorado nele. 

Sinto as mãos dele encostarem na minha cintura, mas me afasto e saio da cela nas pressas. Ouço ele me chamar várias vezes, mas eu finjo que não estou ouvindo e vou andando para fora do enorme corredor, olho para frente, caminho um pouco perdida nos pensamentos e vejo o elevador acabar de subir, como já me atrasei demais, resolvo ir de escada mesmo. 

Ainda bem que o prédio só tem 4 andares e o andar da sala de Tsunade é no 2°. Quando percebi já estava de frente ao inferno - vulgo sala da chefe - apenas respirando fundo com um pouco de tensão por causa de todos os ocorridos, mas como eu disse antes, eu não ligo para mais nada. 

Dou três batidas na porta dela e ouço a mulher falar o famoso "entre". Abro a porta, coloco apenas a minha cabeça para dentro, ela me encara e suspira. Entro, fecho a porta e vou até a mesa dela sentando frente a frente, ela para de assinar o papel para prestar atenção em mim. 

- Achei que nem vinha mais. 

- Desculpa pelo atraso. Acordei um pouco tarde. - respondo dando de ombros, ela ergue a sobrancelha e olha no relógio de pulso. 

- 09:15 da manhã. Você sempre foi pontual e de acordar cedo. 

- Eu precisava desse descanso Tsunade, agora desembucha e fala de uma vez, por que me chamou? - pergunto séria, a loira me encara com um peso no olhar e respira fundo. 

- O que aconteceu nesse período que eu estava em missão? 

- Eu me apaixonei. 

- E...? 

- E eu amei. 

- E...? 

- E eu estou namorando. 

- Com o Owa? 

- Não. Com o Sasuke. 

- Não tem diferença entre os dois. São as mesmas pessoas. 

- Para mim não. 

- Você sabe que é proibido não sabe? - ela me pergunta com os olhos estreitos, engulo seco e a encaro desafiadora. 

- Claro que sei. 

- Então por que se meteu nisso assim? 

- Só fala qual é a minha sentença e para de me fazer perguntas que nem eu sei responder. Ninguém escolhe quem amar. - falo com a voz um pouco irritada, ela arregala os olhos e os fecha. 

- Seu distintivo Sakura. - ela fala abrindo os olhos e esticando a mão direita em minha direção. 

- Estou fora da sua delegacia não é? - eu pergunto sorrindo irônica e entrego o meu distintivo na mão dela. 

- Não. Você será apenas a Detetive Holmes. Itachi será o novo chefe do seu departamento. - ela fala com a voz meio arrastada, sorrio alto e ironicamente. 

- Ok. 

- Menos 3 estrelas em seu distintivo Senhorita Holmes. 

- Sem problemas. 

- E você ficará afastada da delegacia durante 2 meses.


Notas Finais


Ai meu Deus! Tem um olho em minha lágrima! T.T T.T

Pqqqqqqq?! T.T kkkkkkkkkkk

Carro do Itachi:
https://encrypted-tbn1.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTgEli5zg59lqvfpVYNMxZN17H3S9Rvdw6_X_aKg2IG930_9ozHSsUC7G_PUA

Jiraiya:
https://i.pinimg.com/originals/e8/2a/0c/e82a0c78493eea501c52f97d839db9fa.jpg

Bjos d Skol Beats com Nutella e até o próximo capítulo! =**


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...