História A Deusa Das Ruas - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 2
Palavras 1.927
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, LGBT, Luta, Magia, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 6 - Existe "ganância boa"?


Fim do Flashback.

Cronan : Em resumo, foi isso.

Kurama : ...

Cronan : Ah, desculpe, a sua mente humana não conseguiu processar toda a informação? Eu posso repetir!

Kurama : PUTA MERDA!!!

Cronan : ?

Kurama : Isso é incrível mano! E depois???

Cronan : Ah, depois eu comecei a ver tudo que existia, viajar pelo tempo, testando possibilidades.

Kurama : Acho que começou a ficar meio chato, né?

Cronan : Como adivinhou? Eu comecei a interagir com todas as pessoas que existem, até que eu fiquei curioso... "O que acontece se eu responder isso?" "E se eu tivesse respondido outra coisa?" Eu testei cada opção que me vinha na cabeça, uma de cada vez. Até que começou a ficar um tanto repetitivo... Eu não aguentava mais ouvir sempre as mesmas falas, ver as mesma coisas acontecem... Então eu... Bem...

Kurama : Pode falar.

Cronan : Deixa, é melhor não.

Kurama : De boa, acho que já bebi demais por hoje!

Cronan : Então vamos atrás da sua amiga?

Kurama : Não vai adiantar se eu não souber como matar aquele idiota. Se ele ao menos não fosse intangível...

Cronan : As habilidades de gelo dele também são um problema a ser considerado.

Kurama : Tem isso, mas acho que o jeito vai ser improvisar mesmo. Não sou boa em montar estratégias, mas sou ótima em matar! Se quiser me ajudar...

Cronan : Desculpa, mas eu tenho que proteger a entidade.

Kurama : Claro, então eu vou precisar proteger os dois.

Cronan descongela o tempo.

A cena corta pra torre do relógio, onde Yoku está esperando sentado em um trono de gelo, apreciando as coisas que roubou.

Yoku : Então, os humanos chamam isso de "bolsa"... Até que é prático pra guardar coisas, mas o que é uma "camisinha"?

De repente um tiro arranca a bolsa da mão de Yoku.

Kurama : Significa que você estragou a noite de alguém!

Yoku : Ah, vejo que chegaram. E trouxeram a entidade do tempo, que atenciosos! Vieram fazer a troca?

Kurama : Na verdade eu tenho uma proposta melhor... Eu fico com a entidade, você me devolve a minha amiga, e eu não sujo a parede com a sua cara!

Yoku : Sinto em ouvir isso, mas eu imaginei que você não entregaria tão facilmente... Então preparei algo pra você!

As luzes se acendem, revelando Ongaku congelada no ponteiro do relógio.

Kurama : Ongaku... Qual o seu esquema?

Yoku : Sabem me dizer que horas são?

Cronan : São 7:24...

Yoku : Exato! E sabe o que vai acontecer quando forem 7:35?

Cronan : Os ponteiros vão estar juntos... O gelo vai quebrar!

Yoku : E a garota vai ficar em pedaços, apesar de que ela já está faltando partes, mão é?

Kurama : Então eu só tenho que te matar em menos de 11 minutos!

O ponteiro se move.

Kurama : 10, de boa! Cronan, desce e tenta tirar ela dali!

Cronan : Desculpa, eu sei que ela é importante pra você, mas a entidade é o mais importante a ser protegido! Se eu me aproximar dela...

Kurama : É, acho que ele te mataria... Então se esconde e fica quieto até eu acabar!

Cronan se afasta e fica escondido. Kurama atira contra Yoku, mas a bala atravessa.

Kurama : Tudo bem, agora é sério, qual é o seu esquema?

Yoku : Achei que estava claro.

Kurama : Vamo lá, você podia ter me matado antes, e eu não consigo nem tocar em você, não tem motivo pra você armar isso tudo só pela entidade, eu literalmente não tenho como te impedir de pegar ela agora!

Yoku : Hum, garota esperta! E o que acha que eu quero?

Kurama : Se for uma noite comigo até rola, mas eu acho que não faço o seu tipo!

Yoku : Não se preocupe com isso, eu apenas quero a entidade... Mas, se estiver interessada, podemos ser sócios!

Kurama : Como é?

Yoku : Muchi era um idiota, mas não era fraco! Sei que você é forte, então venho convidar você a vir comigo. Com a entidade do tempo, reuniremos absolutos!

Kurama : Achei que queria a entidade pra sua mestra.

Yoku : Veja bem, eu sou totalmente leal a Ruciferuel... Mas tem coisas que ela não pode me oferecer... Riquezas, mundos, jóias, escravos... Sinto que tudo poderia ser meu!

Kurama : E o que eu ganho com isso?

Cronan : Kurama-San?

Yoku : Bom, eu imagino que você gostaria de receber o que mais aprecia.

Kurama : E porque acha que eu vou aceitar?

Yoku : Acredito que todos possuem um preço... E juntos, poderemos ter tudo!

Kurama : ... Estou ouvindo.

Yoku : Você poderá ter todas as garotas e irá a todas as festas que quiser, será literalmente tratada como uma Deusa!

Kurama : Isso é tentador, acho que posso viver com isso, pelo menos pelos próximos 700 anos...

Yoku : Eu sabia que perceberia o quanto a minha oferta é benéfica!

Kurama : Você é bem ganancioso heim? Traindo a própria mestra...

Yoku : O que posso fazer, se tenho essa visão de que mereço o mundo?

Kurama junta suas mãos.

Kurama : A única coisa que você merece... É queimar no quinto dos infernos!!!

Kurama dispara uma gigantesca bola de fogo contra Yoku e corre em direção a Ongaku, mas seus pés congelam no chão. Yoku sai do solo intacto.

Yoku : Lamentável, você é realmente uma tola, jogando fora uma oportunidade tão boa por uma mortal... Por que?

Kurama atira contra o gelo em seus pés e salta por cima de Yoku, atirando no gelo do teto que cai sobre ele.

Kurama : Porque eu não sou um cobra gananciosa igual você! Eu posso não ser a pessoa mais honrada, mas eu não nunca trairia alguém por um desejo egoísta!

Yoku : "Egoísta"? O que seria um desejo "não egoísta"? Você não quer salvar aquela garota por nenhum motivo totalmente nobre! Você gosta dela, e ela estar bem te deixa feliz, você é tão egoísta quanto eu, lutando pela própria felicidade! Não venha me dizer que existe "ganância boa", somos iguais!

Kurama : Tudo bem, então vamos ver quem é a cobra mais gananciosa!

Kurama começa a atirar contra Yoku que dispara vários espinhos de gelo. Ela desvia enquanto tenta conjurar um feitiço.

Kurama : Droga, como se mata o que não se pode tocar?

Ela tenta usar um feitiço de selamento, mas ele atravessa Yoku.

Yoku : É inútil, apenas desista e junte-se a mim!

Yoku cria uma espada de gelo e começa a tentar acertar Kurama, que desvia e continua tentando acertar um tiro. Yoku se afasta e começa a disparar uma rajada de gelo contra Kurama, que responde com uma rajada de fogo, as duas estão empatadas, quando Kurama ouve os ponteiros do relógio se movendo.

Pensamentos de Kurama : Merda, tenho 5 minutos... Preciso descobrir como fazer ele sofrer algum dano!

Yoku então dispara espinhos de gelo contra Kurama, que é obrigada a parar sua rajada de fogo para desviar, os espinhos atinjem um cabo de energia que cai no chão coberto do gelo derretido, eletrificando a água.

Kurama está sendo congelada pela rajada de Yoku, que se aproxima.

Yoku : É uma pena você morrer tão facilmente, nem consegui ver a sua aura divina, acho que Muchi era fraco mesmo!

Kurama : Merda... Eu... Preciso...

Kurama vê a poça eletrificada e dispara contra ela, fazendo ela respingar em Yoku.

Yoku : Arg, meus olhos!!!

Kurama : Bingo... Seres intangíveis tem fraqueza a eletricidade, não é?

Yoku : Maldita, como descobriu?

Kurama se descongela.

Kurama : Foi um chute, você trouxe a gente a um relógio movido a engrenagens, aqui não tem nada elétrico, além que você não parece ter roubado nenhum eletrodoméstico, o celular da Ongaku mesmo, você deixou pra trás!

Yoku : Não muda nada, você só tem 4 minutos pra salvar ela!

Kurama : Mas agora eu consigo te matar!

Yoku começa a disparar sua rajada de gelo enquanto Kurama salta até os postes de energia, cortando os cabos e os juntando, então salta cuspindo fogo ao redor de Yoku e o impedindo de voar, derretendo o gelo pelo chão todo. Então aterrissa colocando os cabos no chão, eletrificando os dois, ela começa a atirar contra Yoku que não consegue mais ficar intangível, mas fica sem forças por estar sendo eletrificada, soltando os cabos. Kurama cai no chão, Yoku se recompõe e começa a andar em sua direção.

Yoku : S-sua... Pequena vadia desgraçada... Chegou perto de me matar... Mas esqueceu que esse corpo humano é muito mais frágil que o meu! É uma pena ter que matar você, esperava reinar ao seu lado.

Yoku cria uma lança de gelo.

Yoku : Últimas palavras?

Kurama : Na real eu tenho... Pode me dizer que horas são?

Yoku : Quer saber quanto tempo a sua amiga tem? Pois bem, são...

Cronan : Sem tempo, irmão!

Cronan surge atrás de Yoku com um cabo em sua mão, que usa pra eletrificar Yoku. Ele joga a arma pra Kurama que começa a atirar contra Yoku, até que ele cai no chão. Kurama consegue se lenvantar, ela vai até Yoku que não consegue se mover.

Kurama : Fica frio aí!

Cronan : não vai matar ele?

Kurama : Preciso... Ai, fazer uma coisa antes!

Ela vai o relógio que marca 7:34. Então junta as mão e começa a cuspir uma rajada fina de fogo, descongelando Ongaku e a pegando no momento em que o ponteiro se move. Ela põe sua amiga no chão e vai até Yoku que está tentando levantar.

Kurama : Ok, agora vai!

Yoku : Por que? Eu te ofereci o mundo, até mais do que isso!

Kurama : Porque eu não preciso do mundo, eu só preciso que todas as cobras nojentas como você estejam em pedaços, enterrados a sete palmos! Agora, Yoku... Últimas palavras?

Yoku : Há... Haha... Você é tão idiota... Quase se matou pra me vencer, não vai ter chance contra ele!

Cronan : "Ele" quem?

Yoku : Ah, isso é surpresa... E ele não gostaria que eu estragasse a surpresa!

Kurama : Deve ser o último chefão...

Yoku : Uma pena eu não estar aqui para testemunhar os seus gritos de dor e desespero, mas eu vou adorar saber como foi! Te vejo no inferno... Kurama!

Kurama dispara contra a cabeça de Yoku com um feitiço de selamento, e então cai no chão.

Cronan : Kurama!

Kurama : Tô de boa! Só meio cansada... Eu acho que fritei o meu corpo inteiro...

Cronan : Vem, vamos pra sua casa.

Kurama : Espera, eu não vou conseguir carregar a Ongaku e...

Cronan levanta Kurama e a põe em suas costas, então pega Ongaku em seus braços.

Kurama : Ok, você manda, pirralho, vamo nessa.

Ele começa a carregar as duas.

Kurama : Aí, pirralho!

Cronan : Sim?

Kurama : Eu percebi que você congelou o tempo pra se aproximar, e enfrentou aquele demônio sozinho... Por que?

Cronan : Não sei dizer, meu corpo se moveu sozinho, como um instinto primitivo... Eu não devia ter colocado a entidade em risco daquela forma, mas...

Kurama : De boa cara, você mandou bem!

Cronan : ...

Kurama : ...

Cronan : ...Obrigado.

Kurama sorri. Eles chegam em casa, Cronan coloca Ongaku no sofá e leva Kurama a seu quarto.

Kurama : Aqui, pode me deixar aqui, eu vou me curar e depois vejo se a Ongaku está bem.

Cronan : Posso assegurar que ela está viva, mas ela vai precisar descansar, assim como você!

Kurama : Relaxa, eu vou sobreviver! Já passei por coisa pior...

Cronan : Acho difícil de acreditar...

Kurama : Ei, quando foi que eu menti pra você?

Cronan : Haha, acho que nunca mesmo.

Kurama : Isso foi uma risada? Acho que eu vou morrer mesmo.

Cronan fica vermelho.

Cronan : Eu vou ver como a sua amiga está!

Kurama : De boa.

Kurama se cura e adormece. 


Notas Finais


Qualquer erro avisa ai


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...