História A Deusa Suprema - SasuSaku - Gaatsu - Suirin - NejiTen - Capítulo 5


Escrita por:

Visualizações 184
Palavras 6.386
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Lembrando que o texto final, fui eu mesma que criei, próprio para essa Fanfic<33


Espero que gostem do capítulo!! Obrigada pelos comentários inspiradores!! Vocês me deixam muito feliz com os comentários, pois como já disse, sou muito insegura.

Quero ver a opinião de vocês nos comentários<33 E mais uma vez, obrigada pelos favoritos<333

Capítulo 5 - A História Dos Harames.


Fanfic / Fanfiction A Deusa Suprema - SasuSaku - Gaatsu - Suirin - NejiTen - Capítulo 5 - A História Dos Harames.

A Deusa Suprema

Capítulo  4- A História dos Harames.

Os Harames surgiram depois que um Haruno de sangue puro ser transformado em um Desgarrado. A história é bem macabra e triste ao mesmo tempo.

Aos 7 anos, Hayato Haruno era um garoto saudável, que estava no dia e na hora errada ja floresta. Treinando para se transformar em um Lycan, forte e poderoso do clã.

Cabelos Róseos curto, e os olhos verdes brilhantes. Uma criança muito obediente, carinhosa e gentil.

Gentil...

O que a gentileza não faz, não é?!...

A história da Chapéuzinho Vermelho, não é nada mais, nada menos que a de Hayato, para que as crianças passassem a obedecer.

O que eles julgaram mal, já que Hayato nunca fora uma criança desobediente. A história não tinha nada de cesta de doces e a vovozinha.

A Alcatéia deles sofreu um ataque, e  ele correu para se esconder, e o acordo foi que depois que o conflito acabasse a mãe iria o farejar.

Mais não foi isso que aconteceu. O garoto correu por dois dias e meio pela floresta, e no caminha encontrou um Homem, que estava "machucado" a vista do garoto ingênuo.

Caindo na lábia do Homem que pediu para que levasse o mesmo pra Alcatéia dele, e o garoto de bom coração o ajudou.

O Garoto na altura do campeonato, já estava cansado de tanto carregar um Homem maior que você 4x.

O que o garoto não sabia, é que eles estavam dentro do território dos Desgarrados, onde era perigoso, principalmente aqueles que ainda não tinham suas formas de Lobos.

O menino não sabia, mas o homem que ajudou, era um Lobo solitário. Os mais perigosos e ariscos que existem. O homem pediu para que o levasse até a "casa principal".

O menino estranhou, pois não tinha nenhum Lycan por ali, além de árvores, sangue e carne podre.

Fitando aquilo tudo, o seu olhar inocente ser voltou para o homem, que já estava terminando de se curar.

- Onde está a casa principal?- Indagou com ingenuidade, e o Homem riu, vendo o garoto engolir em seco e o olhar confuso e receoso.

- Não tem casa principal Garoto.- O Homem se levantou. - Faça uma boa amizade com os Desgarrados...

O Homem se virou e se transformou, sumindo entre as árvores. Segundos depois, o pequeno garoto já estava cercado por vários Desgarrados de olhos azuis.

O garoto foi mordido pelos Desgarrados, enquanto gritava tentando pedir ajuda.

Com o ódio que o garoto estava sentindo antes de se transformar, quando Desgarrado, ele se tornou o líder, e o pior de tudo.

Ele era o único que tinha pelo menos um resquício de mentalidade.

"Era uma vez uma menina conhecida como Chapeuzinho Vermelho. Um dia, sua mãe pediu que ela levasse uma cesta de doces para sua Vovó que morava do outro lado do bosque.

Caminhando pelo bosque, a menina encontrou o Lobo.

- Onde vai Chapeuzinho? Perguntou o Lobo.

- Vou a casa da Vovó levar uma cesta de doces. Respondeu Chapeuzinho.

- Muito bem, boa menina! Por que não leva flores também?

Enquanto Chapeuzinho colhia as flores, o lobo correu para casa da Vovó.

Bateu á porta e imitando a voz de Chapeuzinho Vermelho, pediu para entrar.

Assim que entrou, deu um pulo e devorou a Vovó inteirinha.

Depois, colocou a touca, os óculos e se cobriu , esperando Chapeuzinho.

Quando Chapeuzinho chegou, o Lobo pediu para ela chegar mais perto.

- Vovó, que orelhas grandes! Disse Chapeuzinho.

- É para te ouvir melhor! Disse o Lobo.

- Que olhos enormes, Vovó!

- É pra te ver melhor!

- Que nariz comprido!

- É pra te cheirar!

- E essa boca Vovózinha? Que grande!

- É pra te devorar!

Então o Lobo pulou da cama e correu para pegar Chapeuzinho.

Um caçador que passava perto da casa ouviu o barulho e foi ver o que era. O Lobo tentou fugir, mas o caçador atirou e matou o Lobo.

Chapeuzinho apareceu e disse que o Lobo havia engolido a Vovó.

O caçador abriu a barriga do e tirou a Vovó sã e salva."

*

A choradeira estava grande, os homens tentavam acalmar as mulheres, enquanto a Senju continuava a tentar livrar a menina do veneno de Desgarrado, que estava em seu sangue e não há deixava a curar.

Tsunade estava com sérios problemas, o veneno era de bruxa, o que piorava, ela não tinha esse poder todo.

Foi quando limpou o suor da testa e fitou a todos, que a fitavam esperançosos.

- Precisamos de alguém com uma classe maior!- Tsunade exclamou aflita, vendo Sasuke se levantar brutamente. - Alpha...

- Onde vamos arranjar alguém?- O Uchiha estava desesperado com isso. Era sua filha ali, Afinal, mesmo que isso acarretasse vários problemas.

- Não sei meu Alpha!- Tsunade Murmurou, enquanto curava os machucados superficiais.

- Anko?- Mikoto indagou sugestivamente com a voz embargada.

- Não!- Tenten entrou rapidamente na sala, deixando todos surpresos.

- Ela é nossa/

- Bruxa.- Tenten revirou os olhos. - Posso?- Indagou ao Alpha apontando para Mya.

- Claro. - Ele se colocou ao lado da filha, afagando levemente seus cabelos, e ouviu um gemido de dor de sua filha.- Mas o que?...

- Satsuki...- Tenten respondeu entre dentres. - Ela a machucou em todos os lugares possíveis. - Tenten ouviu Sasuke soltar um resmungo muxoxo. - Mais agora ela vai ficar bem.

A Mitsashi levantou a manga das blusas e prendeu os cabelos castanhos em um coque frouxo e alto.

De sua mão, surgiu um brilho vermelho, em um formato de bolha, que quando tocou o corpo da pequena Uchiha, começou a ficar negro.

- Mais o que é isso?- Kushina se levantou exasperada, vendo a mancha preta que estava saindo do corpo da pequena criança.

- Magia negra, Sr.Uzumaki. - A voz de Tenten era fria, estava concentrada em curar a menina. A Mitsashi ja tinha um grande carinho pela menina, que sempre estava com Sakura. - Tem certeza que a Bruxa de vocês é de classe alta?- Tenten questionou em um murmúrio, enquanto tirava todo o veneno de magia negra da menina, que começava a se curar rapidamente.

- Ela é uma das mais poderosas!- Fugaku respondeu com orgulho de sua Alcatéia. - Ela nos ajuda muito.

- Imagino o quanto.  - A morena sorriu forçadamente, aos olhos deles um elogio, e para ela um sacarsmo, já que a Magia negra vinha da própria Anko. - Ela ja está curada.

A magia negra sumiu em alguns segundos, e a menina rapidamente se curou.

- Você é um Ser Sobrenatural?- Neji indagou confuso e ela assentiu, vendo ele a olhar incrédulo. - Não sentimos o cheiro...

- Conseguimos mudar nosso cheiro. - Murmurou lavando as mãos.  - Assim, qualquer outro ser sobrenatural com olfato, acha que somos Humanos.

- Somos?- Naruto indagou curioso e a garota riu.

- Claro. - Respondeu o óbvio. - Porque acham que andamos sempre com...

Sakura?!...

*

Anko andava apressadamente entre os corredores do castelo, em direção ao Rei.

- Vossa Majestade!- A mesma fez uma breve reverência.

- A que devo a honra, Anko?- O ruivo estava sentado no trono, com as pernas cruzadas, enquanto segurava uma taça de sangue na mão.

- Preciso me refugiar em seu território. - A Bruxa respondeu rapidamente, enquanto olhava em volta. O teto era bordado de vermelho, com pequenas pedras pratas, assim como a parede, que tinha pinturas de Vampiros no cento de tudo.

- Para?- O Vampiro tomou o sangue de sua taça lentamente, enquanto seu olhar continuava na maior bruxa de todos os tempos.

- Estou ajudando os Desgarrados a acabarem com os Uchihas. - Ela sabia que o Akasuna, odiava os Uchihas com todas as forças, ali era a onde tinha sua última esperança.  - Se você me esconder e eles pensarem que você me sequestrou, eu conseguirei fazer com que os Desgarrados os ataquem.

- Porque te ajudaria nisso?- O Rei se levantou, descendo os degraus que tinham em baixo de seu trono, elegantemente. Os olhos brilhando em um carmesim aceso, fazia tudo ficar mais vivo ainda. O local era escuro, só os Vampiros conseguiam ver ali, já que Anko era apenas uma Bruxa, não tinha uma visão boa.

- Porque você odeia os Uchihas. - Anko respondeu rapidamente. - Essa é a nossa chance, majestade.

- Nossa é?- O mesmo parou com as mãos dentro dos bolsos da calça jeans vinho, que era bordada com ouro, e a fitou de cima a baixo. - Porque acha que eu entraria nesse plano?

O Akasuna estava apenas zombando da cara da bruxa, e ela não poderia fazer nada, afinal, o território era dele.

- Porque eu sou a Bruxa mais poderosa, e você o Vampiro mais forte. - Ela aumentou o  ego dele, o fazendo sorrir de canto, e mudar a cor dos olhos, de um vermelho vivo para um avermelhado opaco.

- Seja Bem-Vinda Anko.- Desejou cordialmente.

- Obrigada, Sasori no Akasuna.- A mesma fez mais uma reverência.

*

Matsuri fechou os olhos sentindo o carinho que Gaara estava fazendo em seu rosto. Não era a hora apropriada para isso, mas as mãos deles já não paravam mais, quando estavam perto um do outro.

A sala estava vazia devido ao horário. Já passava das 17 horas da tarde, quando Gaara resolveu levar Matsuri para um lugar mais reservado.

- O que quer conversa comigo?- A voz de Matsuri era sexy para Gaara, mesmo que a voz dela estava normal, para Gaara isso em todos esse séculos, nunca mudou. De reencarnação a reencarnação, Matsuri era sempre a mesma, a mesma voz, o mesmo corpo, o que mudava era que apenas nesse, sua marcada havia reencarnado como uma sobrenatural, e poderiam viver para sempre ao lado um do outro.

- O que você sente pelo Deidara?- A voz de Gaara não estava calma, demonstrava irritação e frieza. Ele não queria nem pensar em um Homem tocando sua marcada.

- Nada. - Matsuri sorriu com o ciúmes do marcado, e se sentou em seu colo. - Ele foi um caso de uma noite...

- Hm...- O Sabaku virou o rosto para o lado, deixando a mulher mais sorridente ainda. Aproveitou que o pescoço do ruivo estava amostra, e foi beijando o lugar levemente.- Matsuri...

- Hm?...- A mesma murmurou, ainda beijando o pescoço de Gaara, enquanto sorria levemente. - O que quer de mim?

Gaara fechou os olhos suspirando fundo, tentando prender o rosnado que estava prestes a soltar, com aquela pergunta e a voz.

- Eu quero você comigo.- Murmurou enquanto levou sua mão a bochecha da morena, que fechou os olhos aproveitando o carinho. - Quer Namorar comigo?

Aquela pergunta a pegou de surpresa, não sabia que Gaara ia se expressar tão rápido, afinal, Tenten já tinha dito que ele era um pouco fechado, mas não escondeu a alegria que se apossou dela.

- Sim!- Um selinho.-Sim!- Um beijo. - Sim!- um Abraço forte. - Eu te amo!

Gaara sorriu enquanto ouvia a frase que sempre o deixou de 4 por ela. Decidiu que ia se abrir mais, tinha arrependimento de não falar tudo o que pensava dela antigamente, e no final, ela sempre morria e o deixava só. Ele iria fazer tudo diferente agora.

- Eu também Te Amo!- Murmurou enquanto se inclinava em direção da mulher, que corou com o olhar sedutor do marcado. - Espero que você aguente um homem como eu...

- Eu sempre vou te aguentar, Amor...- O beijo foi quente e desinibido. As carícias só iam aumentando, até que o celular de Gaara tocou, em um número desconhecido, os fazendo parar e ele resmungar, enquanto ela ria.

- Continuamos depois...- Gaara se levantou e deu um último beijo na Namorada, a deixava derretida.

*

- Pare...- A voz já era embargada de dor, os cabelos desgrenhados, e o suor que caia de seu corpo, só mostrava o quão fraca estava dianta dela. - Eu deixo vocês em paz...

- Como se eu acreditasse em você. - A voz vazia estava abafada, como se estivesse longe da mulher que estava sofrendo. - Vou deixar algumas sequelas...- A voz se aproximando, só deixou a mulher mais velha desesperada, querendo se soltar das correntes que queimavam sua pele. - Para nunca se esquecer de mim.

O grito que veio a seguir, foi tão alto e estridente, que todos os objetos de vidros que estavam ali, se despedaçaram em pequenos cacos de vidro.

- É Bom sentir a dor?- A garota mais nova a rodeou, vendo a marca da queimadura de um círculo bem no centro da barriga da mesma. - É bom, Satsuki?

- Não...- A Mulher murmurou enquanto as lágrimas escorriam e ela chorava, enquanto tentava prender os soluços de olhos fechados.- Eu nunca mais vou a machucar...

- Oh, É mesmo?- Indagou debochadamente. A Haruno estava se segurando para não a matar ali. - Você não vai dirigir uma palavra a ela, está me ouvindo?!

- Hai!- A Harame já tinha desistido de lutar. Estava apenas 1 hora sendo torturada pela Haruno, e já tinha desistido a muito tempo. O veneno a queimava por dentro, de vez em quando, ela soltava um grunhido de dor, o veneno não a deixava se curar, e quando Sakura a curava e a machucava de novo, parecia que sentia o dobro da dor. - Por favor...

- Claro...- A Haruno a soltou das correntes, vendo o corpo fraco da mulher cair no chão. - Pensei que fosse mais forte...

Viu que a mulher tinha desmaido e ligou para Gaara de um número desconhecido, Afinal, ninguém no colégio poderia ter acesso aquele celular além dela...

Tinha muitos segredos ali.

- Alô?- A Voz dele estava curiosa. - O que foi?

- Pode vir aqui um pouco?- Indagou baixinho. - Preciso que faça algo para mim...

- Claro.- Ele já sabia o que era. - Saia daí, vá a enfermaria, ou vão desconfiar.

- Ok...- murmurou tirando o tênis que estava encharcado de sangue e pondo outro. - Estou saindo.

O chão a onde estava a alguna segundos, estava com uma grande poça de sangue, que estava ficando seco, lavou as mãos, e trocou a roupa. O corpo estava todo sujo de sangue.

Guardou o chicote de ácido e foi em direção a enfermaria, ouvindo gritos desesperados.

- Merda!O que houve agora?...

*

Estavam a mais de meia hora, trocando olhares, todos tensos com a situação. Mya já estava curada, mas não tinha acordado ainda, deixando todos preocupados, exceto Tenten, que sabia que era uma fase normal, Afinal, a menina era muito pequena para ter resistências a essas coisas.

- O que vai fazer com Satsuki?- Itachi foi o primeiro a quebrar o silêncio, fitando o filho, que olhava seriamente para a filha. Sabia que Kiro estava com raiva, e precisava descontar em algo.

- Ele não vai fazer. - Tenten se pronunciou, chamando a atenção de todos.- Sakura já fez...

- Satsuki é perigosa Tenten...- Ino murmurou enquanto afagava os cabelos do filho.  - Aquilo ali é uma cobra...

- Não mais que Sakura. - A Mitsashi sorriu de canto. - Só tem carinha de Anjo.

- Nisso devo concordar...- Hinata murmurou risonha. - Ela é realmente muito brava.

O silêncio se instalou de novo enquanto Sasuke acariciava a mão da filha com o polegar levemente, sentindo um pequeno aperto na mão.

- Ela está acordando...- Avisou se levantando da cadeira que estava ao lado da cama. A menina abriu os olhos lentamente enquanto tentava se lembrar de algo. - Mya?...

Quando a menina ouviu a voz, se sentou brutamente na cama gritando e se debatendo, enquanto gritava por Sakura.

- MÃE!- Ela chorava de verdade, como se ainda sentisse a dor do veneno em seu corpo. - ME TIRA DAQUI, MAMÃE!

- Mya!- Tenten tentou a acalmar, assim como todos que estavam ali, mas nada dava certo, parecia que a menina não os ouvia. - Olha pra mim pequena...

- MÃE!- A menina soluçou alto, tentando descer da cama.- NÃO ME DEIXA MAMÃE!

Os olhos vermelhos da menina só deixava Sasuke mais assustado. Odiava ver a filha chorar.

- Alguém chame a Sakura!- Izumi pediu desesperada, vendo a sobrinha gritar. Não demorou muito, e Sakura abriu a porta correndo, em direção da menina, que se jogou no colo da rosada que a pegou carinhosamente. - Meu Deus...

- Shh!- Sakura balançava o corpo levemente, fazendo a menina se acalmar. - A Mamãe está aqui pequena...

As palavras eram sussurradas carinhosamente para a menina, que continuava a chorar, mas estava mais calma.

- Não me deixa...- A menina se agarrou mais a Sakura, que aninhou o rosto da menina em seu ombro.

- Não vou!- Garantiu, enquanto ninava a menina e fitava Sasuke com um olhar preocupado. - Durma, mamãe e papai estão aqui...

Eles olharam admirados a cena, Sakura era a única que conseguiu acalmar a menina.

- Como consegue?- Temari indagou incrédula. - Digo...Acalmar ela nesse estado?

- Já ouviu falar no ditado que Amor move montanhas?- Indagou com um pequeno sorriso, e a Nara assentiu, abraçando o filho e o marido. - Pois então. Não e apenas um ditado.

*

- Arigato...- O Uchiha agradeceu, vendo que a filha estava bem melhor. - Ela estava desesperada de chamando e eu... me senti...

- Impotente...- Sakura murmurou, enquanto fitava Mya, e o Uchiha assentiu. - Eu sei como é isso...

- O que fez com Satsuki?- Indagou entre dentes, enquanto apertava os punhos. A vontade de matar ela estava grande, mas não podia, Afinal, uma das regras da Alcatéia Uchiha era que a pessoa tinha outra chance.- Eu queria a matar.

- Essa era minha vontade.- Murmurou com Desdém. - Mas vocês tem regras e as segue.

- Está irritada comigo?- Sasuke perguntou automaticamente. - Digo... Por ter que seguir essa regra.

- Não. - Sakura deu de ombros. - Acho que você sabe que a Rainha não é muito flexível nisso...

- O que sabe sobre a Rainha?- Questionou enquanto se sentava de frente para Sakura.

- Muitas coisas...- A resposta foi em um sussuro, vendo que algumas pessoas estavam passando por ali, e seu olhar se volto ao dele.

- Ela não pode fazer nada sobre esse assunto.- O Uchiha resmungou, de braços cruzados.

- Porque não?- Retrucou tentando esconder a ironia.

- Porque somos da mesma "espécie."- Sasuke respondeu a contragosto. Odiava Satsuki com todas as forças, e só de pensar que se deitou com ela, o fazia ter náuseas. - A Rainha só se intromete quando é uma briga sobre sobrenaturais diferentes.

- Hm...- Sakura ficou pensativa por outros segundos. Se trocasse a regra, ela mesma poderia ferrar com a Harame.

- O que foi?- Sasuke se aproximou, se sentando ao seu lado e segurando sua mão. - Porque está pensativa?

- Nada...- Murmurou se levantando.- Preciso ir...

- Pra onde?- Indagou curioso, porque ela agiria assim do nada? Sasuke precisava se aproximar mais de Sakura, e isso estava o deixando ansioso.

- Vou conversar com Tenten sobre a festa que vai acontecer. - Murmurou entregando Mya para o Uchiha, que logo segurou a filha com carinho.

- Certo.- Suspirou. - Te vejo mais tarde?

- Hai!- Sakura deu um beijo na testa do Uchiha, o deixando surpreso com o gesto da jovem. Viu a figura feminina desaparecer e sorriu de canto, passando a mão a onde a mesma deixou o beijo.

- Não pensei que seria tão bom assim...Otou-san.

*

Estava quase tudo pronto para ser comprado. As mesas seriam decoradas com um manto rosa com laços vermelhos.

A lembrança seria uma pequena jarra, com uma flor de pétalas vermelhas dentro.

Já tinham escolhido tudo para a festa dos dias das mães, só faltava os últimos detalhes.

- Então vai mudar a regra?- Tenten indagou enquanto arrumava as pastas com os papéis que as crianças entregaram, alegando que iriam participar do evento. - Não vai ficar na cara?

- Não. - Sakura respondeu enquanto juntava os papéis de rascunhos sobre a decoração. - Vou aproveitar o ataque ao bosque das fadas.

- Tendi...- Tenten murmurou e olhou para o relógio, arregalando os olhos.- Droga!Estou atrasada!

- Porque?- A Haruno indagou risonha. Sabia que a amiga ia sair com Neji aquela noite.

- Neji me convidou para um encontro...- Murmurou com as bochechas vermelhas. - Você fecha a escola?

- Claro!- A Haruno sorriu tranquila. - Aproveita Garota!

-Hai!- A Mitashi saiu da sala igual ao flash. Se despediu de alguns funcionários que passavam pelos corredores do colégio e foi em direção a saída. - Qual roupa será que eu boto?...

Nunca foi muito de sair, e muito menos de ficar ansiosa com essas coisa. Nunca ligou pra roupas, mas isso era diferente. Era um encontro com Neji. Um encontro com o seu marcado!

Fazia tanto tempo que os dois não se viam, afinal, na última reencarnação, Neji era um humano formado em direito, e morreu em um acidente de carro, deixando Tenten com um filho.

Tenten piscou os olhos, tentando esquecer as lembranças. Era sempre assim. Se casavam, tinha o seu filho e eles morriam, deixando ela novamente sozinha. Ela se martirizava todas as vezes que encontrava com ele em outra vida, e até mesmo já chegou a procurar uma forma de quebrar a ligação que tinham.

Mais não achou, queria que Neji fosse feliz, mesmo que não fosse com ela. Mas pelo menos ele não viveria sofrendo. Em todos esses anos, tentou quebrar a maldição, assim como seus amigos, mas nada adiantou.

E agora tiveram a chance de fazerem o certo. Neji era seu marcado, e melhor: Era um ser Sobrenatural.

Tenten assim como Sakura, não quis ser egoísta apenas para se satisfazer. Mesmo que isso a afetasse e a fizesse sofrer, em primeiro lugar queria sempre o bem do marcado.

Chegou em casa, vendo que sua avó não estava e subiu para o quarto.
Jogou a mochila de qualquer maneira e foi em direção ao banheiro.

No caminho até lá, foi retirandonas blusas e o par de tênis, assim como a calça jeans preta. Entrou no chuveiro rapidamente e se ensaboou.
   Tinha menos de 10 minutos para se arrumar, e sabia muito bem que Neji, em todos esse anos, sempre fora muito pontual.

Depois de tomar um banho de 4 minutos, a mesma se enxugou rapidamente e foi para o guarda roupa procurar alguma roupa descente para a noite.

Suspirou percebendo que o hábito de só ter roupas escuras estava ultrapassado. Puxou um vestido vinho de renda, justo até a cintura e solto até depois da metade das coxas. Pôs um salto alto preto e pegou uma bolsa de mão preta, e foi para o banheiro para terminar de se arrumar.

Passou a escova acertando alguns fios que estavam desalinhados e passou um batom vermelho vivo, sorriu para o espelho e desceu as escadas da casa.

Riu baixinho ouvindo a campainha tocar, olhou para o relógio e marcava 19:30 em ponto.

Abriu a porta envergonhada, se deparando com o olhar penetrante do Hyuuga, que a olhava de cima a baixo, com um olhar feroz.

- B-Boa Noite...- A Mitsashi viu que o Hyuuga estava hipnotizado em suas pernas, e se encolheu. Nunca iria se acostumar a andar por aí de vestido.

- Boa Noite. - A voz rouca e grossa do Hyuuga fez a pele da mesma se arrepiar. - Você está linda...

O olhar cinza se focou em suas orbes e ela sentiu sua bochecha corar. Ela o analisou timidamente, assim como ele, óbvio que sem a timidez.

Ela demorou um pouco na blusa social, que estava com alguns botões abertos, mostrando o peitoral do Hyuuga, e a Mitsashi corou mais ainda.

- A-Arigato...- Era sempre assim. Podia ser forte, fria e decidia com quem quiser, mas quando o assunto era Neji Hyuuga, ela se perdia, como se fosse uma garotinha que sonha com contos de fadas.

- Vamos?- Ela assentiu e se virou para trancar a porta com a chave, deixando a visão de seu corpo curvilíneo para o Hyuuga, que ronronou, a deixando ainda mais envergonhada. Ela se virou, e ele estendeu o braço, fazendo ela aceitar educadamente.

O fuzil preto chegava a brilhar, deixando Tenten maravilhada. Aquele carro era seu sonho de consumo.

- Uau!- Ela murmurou quando ele abriu a porta para ela. - Estou me sentindo alguém importante. - Riu fazendo o Hyuuga a olhar seriamente. - Falei algo que não gostou?!

- Aa. - Assentiu botando o cinto na Mitsashi, que abaixou a cabeça envergonhada.- Você é importante sim. - O mesmo levou a mão até o queixo da mesma e o puxou, para que a mesma ficasse frente a frente com ele. - Para mim...

A respiração dos dois se misturaram, fazendo os mesmo fecharem os olhos e se beijarem, levemente.

Quando Tenten abriu os olhos, viu que o Hyuuga a olhava com um sorriso de canto, a fazendo se hipnotizar.

- Tomare que goste de comidas simples.- O Hyuuga murmurou ligando o carro.

- Eu gosto...- A voz de Tenten era calma e suave, como se tivesse medo de errar em alguma palavra.

- Ótimo!- O Hyuuga sorriu. - Será uma grande noite!

"Saberás que não te amo e que te amo

posto que de dois modos é a vida,

a palavra é uma asa do silêncio,

o fogo tem uma metade de frio.

Eu te amo para começar a amar-te,

para recomeçar o infinito

e para não deixar de amar-te nunca:

por isso não te amo ainda.

Te amo e não te amo como se tivesse

em minhas mãos as chaves da fortuna

e um incerto destino desafortunado.

Meu amor tem duas vidas para amar-te. 

Por isso te amo quando não te amo 

e por isso te amo quando te amo."



*

- Não sabia que você era desses.- A ruiva murmurou enquanto estava sentada no balanço, e do seu lado seu marcado: Suigetsu.

- Desses?...- Indagou a olhando com o cenho franzido.

- É...- A ruiva corou.- Tipo...De parques...

- Ah!- O Prateado riu. - Gosto de vim aqui para esquecer algumas coisas...

- Eu não estou nessa lista, estou?- Indagou risonha e ele negou, a puxando para seu colo. - Ufa!

- Não precisa se preocupar com isso...- O Hozuki apertou mais a ruiva em seus braços com medo que ela desaparecesse.- Eu nunca vou te esquecer...

- Wontt!- A ruiva apertou as bochechas do Hozuki, o fazendo corar. - Você é fofo, sabia?

- Fofo?- Ele arqueou uma sombrancelha e se olhou.- Eu sou fofo?

A ruiva corou e o analisou, mordendo o lábio inferior. O fazendo sorrir de canto, ele era tudo...Menos...Fofo!

- Talvez um pouco...- Ele piscou a fazendo a continuar. - Viril...Mas fofo...

- Humpf!- Suigetsu bufou. - Não tenho nada de fofo!

- Tem sim!- A ruiva murmurou, passando seus braços pelo pescoço do mesmo.- Fofo pra mim...Você é meu!

- Sou é?- Indagou debochadamente, vendo a ruiva o olhar com um olhar mortal.- Certo!Sou seu!

Ele riu se lembrando do passado. Era sempre assim, ela sempre conseguia o por de 4.

Fechou os olhos, puxando a Uzumaki para si. Sentira tanto falta dela, a ruivinha baixinha que sempre brigava com ele, principalmente depois que casaram e tiverm um filho, só faltava matar ele quando jogava o filho pro alto.

Suspirou tentando conter a tremedeira que deu em seu corpo ao lembrar do passado. Era sempre assim, por vários anos e séculos. 

Se conheciam, ela humana e ele um Ser Sobrenatural, ela sua marcada e ele seu marcado, começavam a namorar, ela aceitava o mundo Sobrenatural, casavam e depois tinha o filho. Ela sempre morria nova, não chegava a ver o filho com 10 anos, e o filho do mesmo modo. A maldição era algo que ele queria arrancar de qualquer jeito, mas nunca conseguiu.

- Está tudo bem com você?- A voz calma e doce da Uzumaki o despertara dos pensamentos. - Está tremendo.

- Estou bem!- O mesmo deixou um beijo casto, no topo das mandeixas ruivas. - Já passou...

Ele só não sabia se estava falando isso para ela, ou para ele mesmo.

- Hm...- A ruiva murmurou desconfiada, mas achou melhor deixar de lado e ir o pertubar.- Que tal brincarmos de pique e pega?

- Olha o meu tamanho!- O hozuki murmurou indignado.

- Mas você brinca com as crianças!- Acusou emburrada, o deixando sem jeito. Ele não queria perder nenhum minuto sequer longe dela, então achou melhor tirar o orgulho e aproveitar.

- Certo. -Sorriu de ladinho.- Esta comigo!

- Ladrão!- A ruiva gritou começando a correr.

- Pode correr ruivinha!- Gritou Suigetsu. - Mas você já é minha!

*

- Essa comida realmente é muito boa!- Tenten elogiou entrando no carro.

- Estou feliz que tenha gostado.- Neji girou a chave.  - Assim, voltamos mais vezes!

- Não precisa...- A Mitsashi sorriu, e ele a acompanhou.

- Então,- Pigarreiou.- Que dia é seu aniversário?

- Sábado. - Neji arregalou os olhos.- Porque?

- Está perto...- Murmurou com um sorriso de canto. - Vai ter alguma festa para os 18 anos?

- Eles devem fazer alguma surpresa...- A Mitsashi murmurou timidamente.- Eles sempre fazem.

- Então passe o dia comigo, que tal?- Sorriu galanteador a fazendo corar.

- Claro!- A mesma tentou esconder a animação. - Será uma honra!

- Que nada.- O Hyuuga riu.- O aniversário do resto do pessoal é esse mês?- Indagou curioso.

- Hai!- Exclamou animada. - Sakura dia 12, Gaara dia 14 e Suigetsu dia 16.

- Vocês praticamente nasceram um atrás do outro!- Exclamou surpreso.

- Pois é.- Deu de ombros.- Nossos pais que armaram isso...

- Sinto muito...- O Hyuuga murmurou percebendo que a face dela se tornou triste. Soube da história e ficava muito chateado, de saber que não iria conhecer seus sogros.

- Pelo?...- A Mitsashi indagou confusa

- Seus pais...- Neji Murmurou, enquanto prestava a atenção na estrada.

- Ah!- Exclamou a morena.- Que nada...

- Queria ter conhecido eles...- Murmurou, para a surpresa de Tenten.

- Acho que eles ficariam felizes em ter conhecer...

E ficariam mesmo!

*

- Vamos Mya!- Sasuke chamava pela décima vez. - Vai se atrasar!

A menina não queria sair do carro de jeito nenhum, sabia que Saratsuki estaria lá dentro. A menina estava a mais de 5 minutos dentro do carro, Sasuke estava ficando impaciente; tinha assuntos para resolver sobre a Alcatéia, e queria deixar Mya na escola, pois todos estariam ocupados.

Sabia que a menina estava traumatizada, mas tinha que tirar esse medo dela, Afinal, ela é uma Uchiha, que iria comandar a Alcatéia.

Sabia que não seria fácil, fazer sua garotinha voltar ao normal, mas não queria ver ela andando sempre com medo.

- Eu não quero entrar ai Otou-san!- Mya estava encolhida dentro do carro. Estava com medo de sair e sentir as mesmas dores que tinha sentido segunda. Em plena Sexta a menina estava quase tendo um ataque de nervos.

Sasuke sabia que não seria fácil assim, tentou por outras vezes, mas desistiu, e decidiu pegar a força.

- Se não sair dai em 5 segundos, eu mesmo te carrego até lá dentro!- Ameaçou vendo a menina ameaçar a chorar.- Mya!

- Sasuke?- O Uchiha olhou pra trás, vendo Sakura o fitando preocupada. -  Aconteceu algo?

- Mya não quer ir para a aula!- Suspirou irritadiço. - Será que pode me ajudar?

- Claro!- A rosada deixou a mochila cair em um ombro só, e se sentou no banco do carro. - Mya?

- Mamãe!- A mesma se agarrou no pescoço de Sakura, que a deu um abraço.  - Eu não quero ir...

- Porque princesa?- Indagou enquanto acariciava os braços da menina.

- Tenho medo dela me machucar de novo...- Murmurou com a voz chorosa.

- Shh!Ela não vai te machucar de novo!- Afirmou para a menina. - Se sentir mal, é só pedir para a professora me chamar, tá?

- Tá...- A Haruno se levantou com a menina no colo.

- Eu avisarei a professora. - Sakura murmurou para Sasuke, que a agradeceu novamente.

- Não tenho nem palavras pra dizer mais.- Riu.- Arigato...Sakura!

- Que nada.- Murmurou enquanto o dava as costas e andava com a menina em seu colo. - Quer sentar comigo na hora do intervalo?

- Sim!- Murmurou. A menina ficaria em aulas de dança e literatura, pois suas aulas normais eram de 13 as 17. - Não quero dançar hoje...

- Então eu vou te buscar lá.- A Haruno a deixou no chão e se abaixou. - Fique calma. Ela não vai mais te machucar.

- Arigato, mamãe!- A menina beijou a bochecha da Haruno e a deu um abraço antes de entrar.

- Sakura!- A professora a cumprimentou.- Algum problema?

- Na hora do meu intervalo eu vou  vim buscar a Mya.- Avisou e a Professora assentiu.- Tenha um Bom dia!

- Pra você também!

*

Mya correu com um papel na mão até seu pai. Que estava sentado na mesa do refeitório, junto com o resto de seus familiares.

- Papai!Papai!- O grito da menina chamou a atenção de todo mundo do ambiente.- Olha o que vai ter domingo!!

A menina pulou animada no colo de Sasuke, que sorriu vendo o resto do pessoal rirem da animação da menina por um simples papel.

- Festa dos dia das mães?- Indagou vago. Sabia o quanto a filha esperava esse momento, mas não sabia se Sakura aceitaria isso, Afinal, já tinha feito muito pela menina. - Quer ir?

- Claro!- A menina respondeu animada. - Eu vou chamar a Mamãe Sakura!

- E se ela não for?- Ino murmurou, e Mya emburrou. - Estou brincando gatinha!- Piscou para a sobrinha. - Tenho certeza que Sakura vai aceitar

- O que eu vou aceitar?- Falando nela, a mesma apareceu com as mochilas nas costas. - Boa Tarde!

- Boa Tarde!- Os mesmos devolveram em uníssono.

- Então?- Indagou enquanto fitava Mya que estava com os olhos brilhando.- O que estavam falando de mim?

- A gente estava falando, se você iria aceitar ir a festa de domingo como minha Mamãe...- A pequena murmurou envergonhada. - Você aceita mamãe?

- Claro que aceito!- Abriu os braços e a menina se aconchegou nela. - Estarei aqui te esperando!

- Te amo, mãe!- Murmurou e todos sorriram com aquela confissão.

- Eu também...

*

A mulher andava bastante manca pelos corredores escuros. As feridas não se catrizavam nem por um decreto, resolveu sair da casa da irmã e ir até ali, pois já estava farta de ficar dependente dos outros.

- O que faz aqui Harame?- O tom do mesmo não era amigável, não era amigo dela, apenas aliado, por interesse.

- Vim atrás de Anko!- A mesma respondeu com a voz fraca, mas não com menas grosseria. - Ela precisa me curar.

- Venha!- Sasori se virou.- Consegue andar?

- Claro.- Rosnou irritada. - Vampiros.

- Desgarrados!- Desdenhou o Rei dos Vampiros.

*

O final da sexta passou rápido,  e o Sábado chegou, deixando todos animados com a notícia que teria uma pequena festa para a Mitsashi.

- Neji já tinha pensado em tudo!- Hana riu. - Meu filho realmente não perde tempo.

- Ele foi inteligente!- Gaara murmurou terminando de arrumar a mesa de doces. - Tenten nem percebeu isso...

- Acho que é porque era o Neji, né?!- Suigetsu sorriu, pulando da cadeira, tinha acabado de por as cortinas brancas no fundo. - Está tudo pronto!

- Hai!- Todos exclamaram juntos.

- Já mandei mensagem para Neji!- Hinata os avisou.- Ele já está a caminho!

- Apaguem as luzes!- Chiyo pediu se escondendo na escuridão. Amava aquela menina como se realmente fosse sua neta; Nunca a deu trabalho, e hoje estaria fazendo os benditos 18 anos.

Não demorou mais que 5 minutos, e o casal chegou.

- Porque está tudo escuro?- A Mitashi murmurou tentando descobrir algo pelo cheiro. Tomou um susto quando as luzes se acenderam e as crianças pularam em cima dela, a desejando Feliz aniversário e o resto cantava a música do Parabéns. - Gente! Vocês quase me matam do coração!

- Parabéns pelos 18 aninhos!- Sakura abraçou forte. - Não fique se achando, tá?

- Calma Saky!- A Morena riu.- Daqui a alguns dias é você!

A morena recebeu os presentes com muito carinho, abraçou, comeu, dançou e no final, Neji a chamou para ir a praça que tinha na frente da escola.

- Sei que nos conhecemos a pouco tempo Ten...- O Hyuuga parou na frente da Jovem, que o olhou surpresa. - Mais eu sei o que seu sinto por você!

- Neji...-kun...

- Você é a mulher mais bonita que eu já vi em minha vida!- O Hyuuga sorriu vendo a mesma corar.- Eu quero que esse carinho que nos damos todos os dias, ultrapasse barreiras...

- Neji...- A voz da Mitsashi estava embargada.

- Tenten, não sou bom com palavras.- Você nunca foi Neji! - Mais eu queria dizer que te amo,e queria que você fosse minha namorada. Então, Tenten Mitsashi, aceita ser minha namorada?...

*

Ela andava pela floresta escura atrás de seus alvos. Iria dar mais um susto neles e deixar bem claro, que se encostasse um dedo se quer num fio de cabelo deles, iria se ver com ela.

Viu os olhos azuis brilhantes recuarem, e ela foi atrás. Correndo com uma velocidade sobrenatural entre as árvores, matou alguns desgarrados e sussurou a mensagem para que a floresta a passasse.

- "They chase me dear, they chase me because they are not able to reach my level. My strength is beyond, nothing stops me; No supernatural puts me down. Sometimes I pretend to be weak, but it's just a strategy to end my enemy all at once. They are telling you: No use hiding, I will always see you!"

"Elas me perseguem querido, me perseguem pois não são capazes de chegar em meu nível. Minha força esta além, nada me para; Sobrenatural nenhum me põe para baixo. As vezes me finjo de fraca, mas é apenas uma estratégia, para acabar de vez com meu inimigo. Estão te digo: Não adianta se esconder, eu sempre vou te ver!"




































Notas Finais


Gostaram do capítulo?? Como me pediram, fiz cenas dos casais e a pequena História deles<33

E não, não é só isso a História dos Harames...Tem muito mais por trás disso <33
Lembrando que o texto do final e de minha autoria!!<33
Espero vocês nos comentários <33


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...