História A devassa e o professor (em revisão) - Capítulo 26


Escrita por:

Visualizações 72
Palavras 3.116
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Droubble, Ecchi, Fantasia, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente desculpa a demora, pra quem ficou perdido leiam os capítulos 23 e 24, corrigirei os erros em breve então por favor relevem, tentarei postar o próximo até quinta.
Boa leitura a todos <3

Capítulo 26 - Quando o seu coração sangra


Pov's on Donnavan (fim de noite da festa sábado )


Megara saiu do meu quarto de uma forma tão desconexa que me deixou puto, como pode aquela garota ser tão arredia? Se me restava alguma duvida agora eu tinha a total certeza de que a teria pra mim nem que o fizesse a força. Não poderia deixar que meu tio desconfiasse dessa parte do plano afinal conheço sua crueldade e sei muito bem o que ele faria comigo caso eu tocasse no seu precioso diamante bruto ao qual pretendo lapida-lo, Megara pode ser a mulher mais imprevisível e instável que eu já conheci mas meu tio a ama acima de tudo, mesmo com todos os erros que cometeu com sua linda esposa a felicidade de Megara segundo os seus padrões e suas correntes eram o que importavam, por hora decidi que seguiria o plano dele afinal não importam os meios e sim o resultado, sendo ele Megara em meus braços com um anel de casamento em suas mãos esta de bom tamanho assim consigo o que quero de uma vez, a total submissão daquela mulher o que pra mim se tornou um sonho e o controle que ela virá possuir sobre a enorme fortuna de seus avós e futuramente a de seu pai.
Tomei um banho deixando de lado todo o meu desejo sexual por ela e me concentrei no meu plano, se eu realmente a quisesse teria que dobra-la e essa seria a tarefa mais dificil. Precisaria bolar um plano tão diabólico a ponto de deixa-la sem saída respirei fundo enquanto deixava a cocaína agir no meu sistema nervoso e gargalhei sozinho na maldita suite presidencial com a minha ideia terrível, usaria de toda a minha influência e meu perfil de bom moço além da minha persuasão para conseguir o que quero já que garotas como ela são tão frágeis como pétalas de rosa, basta arrancar seus espinhos.
Me aguarde Megara pois eu acabei de descobrir a sua única fraqueza.

POV'S Off

Megara (manhã de segunda-feira)


Por Athena! Encarei o relógio com seriedade, estava atrasada e sem tempo para me arrumar, tomei um banho e me vesti correndo liguei para a única pessoa que poderia me ajudar: 
- Saori aonde você esta? - perguntei já colocando tudo o que eu via pela frente na mala.
- No momento no pátio, o diretor quer começar com a inspeção mais cedo pois ainda terá um discurso.
- Ah não Saori eu estou meio atrasada, me ajuda vai... - supliquei rezando para que ele não estivesse no palco.
- Aonde você esta? 
- Em casa - respondo sem rodeios
- Merda! Assim fica difícil de te ajudar! Vou tentar atrasa-lo o máximo possível tem uma papelada pra ele assinar e talvez eu consiga fazer com que ele assine agora mas, voa pra cá porque ele esta com a macaca! Parece que o domingo dele foi péssimo.
- Ok obrigada amiga vou dar um jeito de chegar ai bem rápido - desliguei o telefone e corri ate a sala, me despediria da minha mãe antes de ir embora e quando cheguei na sala me deparei com a cena mais terrível e inexplicável do mundo, lá estava o Donnavan e minha mãe conversando civilizadamente e rindo, a minha cara de espanto foi tão grande que nem percebi quando ambos estavam ao meu lado.
- Bom dia querida, você não deveria esta na escola?
- O que ele faz aqui? - ignorei a pergunta da minha mãe.
- Ele veio me pedir perdão - Meu olhar de espanto foi maior ainda - Querida você esta bem ?
- Megara...  eu pensei muito depois que você saiu do quarto e eu vim me desculpar não so com a sua mãe a quem tanto respeito e admiro como você também, deixei o descontrole do meu tio me dominar e realmente sinto muito - as palavras dele não me convenceram, Donnavan estava armando alguma coisa.
- Estou sem tempo pra isso, preciso chegar no ZHEU em menos de meia hora.
- Que coincidência, eu fui transferido pra la há quatro dias, se você quiser posso te dar uma carona - ele não dava ponto sem nó.
- Obrigada mas eu recuso, o que você faz aqui? A distância entre a Alemanha e a Grécia é bem significativa pra você se mudar do nada - havia mais que irritação em minhas palavras afinal ele estava jogando comigo.
- Digamos que eu não tive muita escolha, meu pai e meu tio decidiram que eu deveria ficar mais próximo a família.
- Ok então, seja bem vindo e se vire, creio que a Universidade tenha muito a te oferecer - dei as costas e fui em direção a porta Donnavan podia ter a aparência de um homem gentil, um cavalheiro, seus traços de beleza fora do padrão o tornavam excêntrico mas por dentro era o pior dos cretinos, chamei um taxi e fui informada de que demoraria cerca de 10 min. pra chegar, aguardei pacientemente e vi quando o idiota saiu de minha casa e veio em minha direção.
- Você poderia se comportar melhor não acha? E que roupa de escola mais curta da pra ver suas coxas daqui e são lindas.
- Donnavan faça um favor a si mesmo e fiquei quieto, ninguém liga para sua opinião - o taxista abriu a mala e antes que pudesse sair do carro o idiota ao meu lado colocou minhas malas no bagageiro e fechou a porta, entrei no carro sem dizer uma palavra.
- Vou te dar um semana Megara, depois disso as coisas serão do meu jeito - ameaças desse nível nunca funcionaram comigo, levantei o vidro do carro e indiquei ao motorista pra onde queria ir, durante o percurso da corrida eu me concentrei em descobrir o que o Schweinhaus quis dizer com aquele sorrisinho nos lábios.

..............................

Subi correndo as escadas do santuário na esperança de que o discurso houvesse acabado mas ouvi de longe as ríspidas palavras do diretor e soube na hora que eu estava enrascada, respirei fundo ante de entrar no auditório e dei de cara com Shun, Jabu e Hyoga que estavam parados e tensos.
- Bom dia meninos, pelo jeito vocês estão bem atrasados...
- Meguezinha! Seu aniversário foi ótimo, pena que não consegui dançar com você - esse garoto (Jabu) era realmente irritante, quando não estava enchendo o saco da Saori vinha atrás de mim.
- Megara, você também não... - Shun coçou a cabeça.
- E então vamos entrar? - perguntei o obvio e eles me olharam alarmados.
- Você esta maluca ou o que? Eu não aguento mais ser punido! - Hyoga cruzou os braços em tom de reprovação.
- Então da próxima vez não chegue atrasado, ninguém mandou ficar se agarrando com a loirona até tarde - Shun o repreendeu enquanto eu e Jabu assistíamos aquela pequena discussão.
- Olha quem fala, você brigou com o Ikki de novo e foi dormir na casa da June pensa que eu não ouvi o "sacrifício" que você fez pra conseguir chegar aqui... patético.
- Pelo menos não fui eu quem arrumou uma divida enorme só pra comer alguém! - essa conversa estava começando a me deixar desconfortável.
- Galera... pega leve, temos uma dama aqui! - Jabu passou o braço pelo meu ombro e eu fiz questão de pisar no seu pé com o meu salto fino, que audácia esse garoto me tocando.
- Verdade, desculpa Megara. Eu ando meio descontrolado esses dias - Shun se desculpou com o rosto envergonhado.
- Agora podemos ir? - perguntei e todos concordaram Jabu e Shun deram alguns passos a minha frente e Hyoga me pediu para aguardar alguns segundos e assim eu fiz.
- Megara, não costumo fazer esse tipo de coisa mas, o Seiya deu de cara com a Saori e o Aioros num quarto do La Blanc e eu não estou conseguido falar com ele desde ontem a noite, so fala pra Saori ficar ligada caso dê algum problema.
- Ok, pode deixar - seguimos em direção ao auditório, era impossível entrar sem que o diretor nos visse.
- ENTÃO TEMOS QUATRO ATRASADOS AQUI! QUATRO ALUNOS QUE SERVIRAM DE EXEMPLO PARA O RESTO! -  o diretor praticamente vociferou no microfone ao nós ver entrando e meus olhos só percorreram pelo palco dando de cara com aquela mulherzinha sentada ao lado do meu professor - ANDEM! EU QUERO OS QUATRO AQUI AGORA!!! - engoli a saliva com dificuldade e um a um subimos no palco formando uma fila, que coisa mais ridícula -  DEIXE ME VER, SENHORES  MARONE, WATANABE E TANAKA E SENHORITA NOBUKI! VOCÊS QUATRO NÃO ME DEIXAM ESCOLHA, EU VOU EXPULSA-LOS PELA NÃO CUMPRIMENTO DAS NORMAS DA ESCOLA! - por Athena ele realmente estava descontrolado e agora?
- Mas diretor, nós não fizemos nada apenas nos atrasamos e segundo o código de conduta da escola isso não é motivo para expulsão - Shun abriu a boca e eu notei que o diretor respirou fundo antes de voltar ao microfone:
- MINHA PALAVRA É A LEI POR AQUI SENHOR WATANABE! POREM, SOU UM HOMEM JUSTO E COMO VEJO QUE VOCÊ LEU OS CÓDIGO DA ESCOLA ENTÃO TODOS SERÃO PUNIDOS COM UMA DETENÇÃO EM CONJUNTO EXECUTADA POR MÁSCARA DA MORTE E MILO, ESPERO QUE NÃO PEGUEM LEVE COM ESSES INSUBORDINADOS! LEMBREM-SE, DAQUI A UMA SEMANA COMEÇAM AS PROVAS E QUEM NÃO SE ATENTOU A MÉDIA DA ESCOLA SUGIRO QUE CORRA ATRÁS, POIS NÃO HAVERÁ SEGUNDA CHANCE, AGORA ASSIM ESTÃO DISPENSADOS! - quando Saori me falou que ele estava de mal humor não me ocorrera que fosse algo tão serio de fato senti um alivio gigantesco por alguém ter lido aquela porcaria de livro, saímos do auditório a mil, faltando apenas uma semana para as provas e essa nova professora entrou para o corpo docente além disso tenho que lidar como os meus problemas pessoais e a certeza de que meu professor esta estranho já que até agora não olhou em meus olhos uma única vez.
- Caramba ruiva achei que você fosse dançar hoje - minha amiga me abraçou
- Eu também, mas graças ao Shun estamos todos salvos! Agora me diz uma coisa, você sabe o porque do diretor esta desse jeito?
- Digamos que alguém descobriu a identidade dele e pra completar ele a namorada misteriosa brigaram, há boatos que ela seja casada.
- Nossa ele tem uma vida bem movimentada, mas mudando de assunto Saori nós precisamos conversar sobre um certo amor seu...
- Então faremos isso mais tarde no nosso dormitório porque agora tenho que ir pra sala, Shaka não gosta de atrasos - seguimos cada uma para  a sua sala e eu me sentei na primeira cadeira, queria ficar bem próxima do meu professor só pra entender o porque dele esta me ignorando e assim passei a aula inteira, concentrada nos meus afazeres sem deixar de lado o que mais me interessava no momento, analisei cada movimento do corpo dele, depois assistir as outras aulas  e quando acabaram não pude evitar e fui questiona-lo:
- Oi professor, nós vamos almoçar na sala como sempre?
- Boa tarde Megara, eu tenho algumas coisas pra fazer e não vou poder te acompanhar hoje, mas nos vemos depois do almoço - aquilo foi muito evasivo e eu segurei na manga de sua camisa social impedindo que o mesmo fosse embora.
- O que aconteceu com você, porque esta me ignorando? - percebi que ele olhou para os lados antes de conversar comigo.
- Nada, apenas estou com o dia cheio e não estou ignorando você - arqueei a sobrancelha com aquilo indicando que não havia engolido aquela historia.
-  Ok se você diz eu acredito, espero que não tenha haver com a sua amiga - tive que me segurar pra não dar um chilique pois a minha vontade era voar em cima dela.
- Esta se referindo a sua nova professora? - cruzou os braços se apoiou na mesa e olhou pra mim.
- A sua amiga de trabalho/amante e sei lá o que mais - comecei a perder minha compostura e ele apenas deu um sorriso de canto por dentro eu me derreti mas por fora mantive minha pose.
- Você fica linda desse jeito - sussurrou no meu ouvido e acariciounos meus cabelos depois se afastou - Ela é sua professora Megara e minha companheira de trabalho nada mais.
- Assim espero professor... digamos que não gosto de dividir - sai da sala antes que ele pudesse dizer algo, eu não engoli aquela explicação mas por hora teria que me contentar, segui para o refeitório onde me reuni com Saori e os outros cavaleiros de bronze o almoço estava estranhamente silencioso e o clima de tensão passeava pela mesa.
- Gente o que foi que aconteceu com vocês? - questionei ao perceber um certo incomodo vindo de minha amiga.
- Nada... - ela corou e só Zeus sabe como aquilo era raro, observei o grupo revirar os olhos com aquela atitude indicando que todos sabiam do ocorrido menos eu.
- O que será que farão com a gente heim Meg, não quero meu corpo nu exposto numa aula de artes - Shun perguntou sendo encarado por  Hyoga.
- Eu espero que não façam nada, sinceramente não aguento mais ser punida...
- É verdade, você já foi punida umas três vezes né? Pelo menos dessa vez nós poderemos ver! - Hyoga gargalhou com aquilo
- Não se esqueça loirinho que você também será punido - arranquei o sorriso prepotente de seu rosto e o almoço voltou a correr com uma conversa aleatória enquanto Saori e Seiya se evitavam ao máximo atiçando ainda mais a minha curiosidade, assim que acabamos, me despedi de todos e fui para a biblioteca eu havia anotado todos os compromissos do meu professor no meu celular pois era mais fácil de acompanhar a sua agenda lotada, peguei a chave com Marin a responsável pelo lugar e abri a sala reservada para guardar os projetos, com todo o cuidado e carinho do mundo peguei o rolo do pergaminho que vínhamos trabalhando a meses, carreguei-o com o restante dos livros até a sala de aula, fiz todo o trajeto com bastante cuidado queria adiantar o trabalho para que pudéssemos conversar com calma e quando entrei na sala percebi que a mesma estava vazia, fui até a sala de descanso e ouvi vozes, abri a porta com cuidado e a cena minha frente fez com que eu derrubasse tudo no chão, lá estava meu professor segurando os braços da mulher que agora beijava seus lábios...
- Alunas não deveriam bater na porta? - ignorei a pergunta daquela mulher e olhei para o meu professor que portava uma expressão assustada.
- Me desculpe eu não queria atrapalhar - respirei fundo, virei de costas e sai batendo a porta com força dei passos apressados mesmo querendo correr eu não faria isso, senti uma lágrima escorrer pelo meu rosto e me amaldiçoei.
- Espera Megara senti uma mão forte segurar meu braço.
- O que você quer? - puxei meu braço com força, eu odeio ser enganada.
- Não é o que você esta pensando...
- Você não me deve explicações não temos nada esqueceu? A nossa relação é somente professor e aluna, você mesmo deixou isso bem claro - eu passei anos da minha vida convivendo com as mentiras que meu pai contava pra minha mãe e aprendi a não confiar em tudo o que me dizem e sim no que meus olhos enxergam.
- Você sabe que não é bem assim - colocou delicadamente a mão no meu ombro - eu não teria te levado pra sair se apenas te enxergasse como minha aluna, não sou o tipo de homem que divide a cama com elas.
- Eu no momento não sei de nada, espero que faça bom proveito com aquelazinha... - meu olhar mortal deixou o seu e com o chacoalhar dos meus fios sai da sala de aula, ele não me impediu e nem poderia ainda precisamos manter a relação professor e aluna, dei vários passos em direção ao pátio cada um carregado com a mais profunda fúria e ódio que eu poderia sentir por alguém e nem percebi quando bati de frente no peitoral masculino.
- Ai... - acariciei meu nariz - Da pra você olhar por onde anda!
- Megara... - aquela voz, respirei fundo e só então vi o professor de escorpião com os braços cruzados a minha frente e um sorriso amigável.
- Desculpe professor, achei que fosse algum aluno...
- Tudo bem, você deveria ir para a detenção os outros ja estão te esperando.
- É verdade eu acabei me esquecendo, onde seremos punidos?
- Na casa de Gêmeos - engoli minha saliva com dificuldade ao ouvir suas palavras aquela era a pior casa de punições de todas segundo minha amiga, caminhamos em silêncio, Milo era muito perceptivo e assim que adentramos o lugar observei os meninos sentados com cara de tédio e o professor de câncer que sorria sem pena.
- Então vamos começar? - espalmou as mãos e me encarou.
- E o que vocês farão conosco? - Shun perguntou assustado.
- Nada demais, mas passaram a semana toda na detenção! - Milo se manteve do meu lado enquanto gargalhava maleficamente.
- E é só isso? - Hyoga perguntou, em nome de Hades porque ele não consegue ficar quieto!?
- Claro que não querido cisne preparamos uns joguinhos para vocês... - meu olhar de espanto foi seguido pelo dos outros alunos enquanto nossos professores decidiam quem iriam incomodar primeiro, me juntei aos outros e me sentei na cadeira sem animo, tudo o que eu conseguia sentir era frustração e um incomodo no peito ao qual não conseguia distinguir e uma vontade estranha de chorar sensações que nunca experimentei antes.

Autora:

Dentro de um jato particular o homem de cabelos e barba negra, olhos castanhos, sobrancelhas grossas e expressão inquieta olhava as fotos que lhe foram entregue, avisava o papel com carinho.
- Senhor Nobuki, devemos chegar a Atenas em meia hora - o seu secretário pessoal lhe informou.
- Não tolerarei atrasos Jun, estou louco para ver a cara de surpresa de minha amada filha e de minha querida ex esposa - um sorriso maléfico passeou por seus lábios ao pensar que Megara não fazia ideia de que seu pior pesadelo estava de volta - Minha Meg, papai lhe fará a surpresa do século! - Tatsuo Nobuki gargalhou depois de sorver o liquido de cor escarlate enquanto olhava as fotos de sua filha acompanhada de pessoas que não conhecia mas que se empenharia e muito para afasta-la.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...