História A difficult Omega - Capítulo 17


Escrita por: e moonlolla

Postado
Categorias Monsta X
Personagens Hyung Won, I'M, Joo Heon, Ki Hyun, Min Hyuk, Personagens Originais, Show Nu, Won Ho
Tags 2won, Abo, Changki, Joohyuk, Showbear Alone
Visualizações 94
Palavras 3.098
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura, galeris. <3

Capítulo 17 - 17.


Fanfic / Fanfiction A difficult Omega - Capítulo 17 - 17.

- Ok. Como tá a pequena cria aí? - apontei para a barriga de Kihyun, este que apenas sorriu fraco, passando a mão sobre a mesma.

- Tá indo bem, mas... - hesitou um pouco atraindo meu olhar, de Jooheon e de Hyungwon sobre si. - Eu não sei como vou cuidar do meu filhote. Eu não vou ter dinheiro pra sustentar logo agora enquanto estudo, sabe? - suspirou nervoso, e eu entendi o lado dele. Ser pai logo cedo e, ainda mais, ter apenas dois anos para acabar a escola é foda. - Não vou me arrepender de tê-lo. Nunca. Se aconteceu, é porque tinha que acontecer.

- A gente vai estar aqui pro que for. - Hyungwon sentou-se ao seu lado no sofá.

Bem, ficamos conversando na cozinha, mesmo após eu e Jooheon acabarmos nosso café da manhã. Então decidimos ir pra sala. Detalhe: Jooheon agora estava com uma camiseta larga.

Vamos relevar que eu não gostei desse detalhe, mas ok.

- Eu sei. - sorriu de modo fofo.

- E não se preocupe com os custos, qualquer coisa vem falar comigo, tá? - continuou o Chae alguns segundos depois.

- É, quando eu for rico, porque vou ser um fotógrafo foda, ele vai ser mimado pelo tio Minhyuk. - sorri orgulhoso e Kihyun apenas riu.

- Vão querer comprar meu filho com presentes? - zombou.

- Claro, quero ser o tio favorito dele. - continuei com a brincadeira e Hyungwon mostrou a língua para mim.

- Mas o Hyungwon já vai ser o preferido dele só por putamente rico - reviro os olhos e solto uma risada estranha quando sinto algo vir de encontro ao meu rosto, já sei quem tacou.

- O desgraça, faz isso de novo para ver se essa almofada não vai parar no seu cu. - tenho que manter minha pose de sério né? Não posso abandonar meu posto, assim do nada.

- Vish, a bicha tá venenosa, deve ser a saudade de um p...

- CHANGKYUN SE VOCÊ FALAR MAIS UM A, EU TE QUEBRO NA PANCADA AGORA MESMO. - alias, quando foi que esse coiso entrou no meu apartamento? Virou o cu da mãe Joana agora? Qualquer um entra e sai na hora que quer? Não é assim que as coisas funcionam meus queridos.

- Quando foi que você entrou aqui seu porra? - deixando claro, que esse é meu jeito carinhoso de tratar Changkyun, ainda bem que ele já se acostumou com o meu jeito, se não ele estaria fodido na depressão. Escuto risadas altas de fundo, e então saio do meu profundo transe. Do que esses retardados estão rindo afinal?

Olho para o meu lado direito e encontro Kihyun encima de Changkyun o batendo como se fosse a primeira vez em que o mesmo não tivesse comprado o refrigerante certo. Kihyun já era bipolar assim por natureza, agora grávido, ninguém o segura mais.

Arregalo os olhos e levanto 'num pulo, tiro Kihyun de cima de Changkyun com ajuda de Shownu o qual eu também não lembrava a existência.

- Tá, olha, eu não vou brigar com você agora porque você está grávido e nervoso. E também não vou brigar com o Changkyun porque eu não sei o que esse peste fez dessa vez.

- Cala a boca todo mundo! - Hyungwon deu um mini berro. - De onde esses favelados surgiram? - começou a resmungar, e a arrumar as almofadas.

- Enfim... - Kihyun suspirou. - Me dá essa porra. - tomou a sacola com a comida japonesa das mãos do namorado, que o olhou incrédulo.

- Não vai nem agradecer?! - Changkyun deu um grito tão fino que o confundi com a minha pessoa.

- O que tá acontecendo? - dei um berro confuso. Esses porra só vem pra me irritar puta merda.

- Ele demorou com a minha comida! - o rosado disse bravo.

- DEMOREI QUINZE MINUTOS KIHYUN, QUINZE! - o Lim berrou de volta.

- CHEGA DE BRIGA, PORRA! - Shownu, pela primeira vez, além de ter levantado a voz, falou um palavrão. Quem é esse e o que fez com o meu neném Hyunwoo?

- Olha pau no cu de vocês, o pequeno Kihyun não pode passar raiva, então se ele passar mal fiquem sabendo que a alma de vocês está na pomba já. - subo as escadas pisando duro, não sei o porquê, mas essa mini treta me deixou muito puto, no momento eu só quero um... Não sei talvez um chocolate? Um banho quente? Ah não sei.

- Minhyuk, isso foi estranho, você está bem? - Hyungwon aparece no quarto com uma face preocupada e um copo d'água.

- Eu só estou bravo, estressado, puta com a vida. Eu só quero dormir, aliás, cadê o Jooheon? - começo a andar pelo quarto sem saber exatamente o que procurar.

- Tá, isso é bizarro, já pensou em ir ao médico - Hyungwon ao menos se aproxima, acho que ele está com medo de mim. Não sei por que eu sou um anjo.

- Eu... Eu acho que eu quero maçã e melancia. Sim, é isso. Eu quero maçã e melancia - Hyungwon sai do quarto correndo que nem um louco da cabeça, esses meus filhos devem ter algum distúrbio mental, só pode.

Logo sinto pares de braços agarrando minha cintura, pelo cheiro já sei quem é. Jooheon.

- Meu bebê disse que queria maçã e melancia e eu trouxe, toma. - o mesmo me entrega um potinho um as determinadas frutas, não sei quais são os sentimentos que estou sentindo agora, na verdade, eu sei apenas um, Felicidade.

- Obrigado. - sorri, pegando o potinho e me sentando na cama.

- 'Tá mais calmo? - pergunta sentando-se ao meu lado. - O que aconteceu amor?

- Ai, não sei! - falei enquanto enfiava mais maçã e melancia na boca. - Eu to estressado, Honey. - choraminguei me acabando com as frutas.

- Se acalma, sim? - afagou meus fios de cabelo, beijando minha bochecha.

Estou sendo mimado demais pelo meu namorado. Não que eu esteja reclamando.

- Você está me mimando muito. - disse baixinho, deitando minha cabeça em seu ombro.

- Não é como se eu ou você achássemos ruim. - respondeu sorrindo.

Eu acabei tendo um pensamento meio absurdo e só percebi agora, "estou sendo mimado pelo meu namorado" onde já se viu? Nem o pedido teve e ele já é meu namorado? Não, não e não.

- Honey, o que nós somos? - o mesmo arregala os olhos em minha direção, parece que ele não é tão lerdo quanto eu pensava, não é mesmo?

- O que nós somos? Bem... Só tem uma resposta... Somos namorados, certo?

- Como nós namoramos se não tem aliança e nem um pedido digno, huh? Eu não sou qualquer um.

- Isso não é problema, você quer uma aliança e um pedido de verdade, certo? Então eu posso fazer isso para você - o mesmo se levanta da cama sorrindo e sai do quarto dizendo que não demoraria a voltar. Esse garoto é estranho, eu em.

Suspirei, e fui levar o potinho para a cozinha. Desci as escadas e fui até a cozinha, dando de cara com um Kihyun sentado em um banquinho perto das bancadas, e um Hyungwon tentando fazer não sei o que.

- Que farra é essa na minha cozinha? - perguntei largando o potinho dentro da pia. Fiquei ao lado de Hyungwon, vendo que ele apenas fazia um brigadeiro. - Cadê os outros?

- Wonho foi chamado pra jogar futebol, saiu correndo pra ir. - o Chae revirou os olhos, enquanto mexia a colher dentro da panela.

- E advinha quem foram correndo também? - Kihyun disse irônico.

- Jooheon ficou todo estranho e saiu correndo, dizendo que já voltava. Vocês brigaram? - Hyungwon continuou. Apenas neguei, estranhando sua saída rápida.

- Vocês tão é podre, deus me livre. Ó mó cara de cu por causa de macho, tem que dar graças a deus que eles saíram do nosso pé. - sento-me no balcão da cozinha olhando os dois outros presentes no local.

- Vamos fazer como nos velhos tempos, huh? Um filminho, pipoca, doces e muito guaraná. 

Após a minha fala ambos se animam e já começam a preparar as coisas, e eu não fiquei de fora, fui para a sala escolher o filme e logo depois pegar uns travesseiros e cobertores. Pego tudo e deixo no chão ao lado do sofá, respiro fundo e "abro" o sofá, o bom de ter sofá-cama é isso, você tem conforto em todos os lugares possíveis. Arrumo tudo bonitinho até que os garotos chegam com as comidas e bebidas.

- Wow, essa vai ser a melhor tarde/noite de todas em... - diz Hyungwon ajudando Kihyun a organizar as comidas na "cama".

- Já escolhi o filme, agora é só nos arrumarmos aqui para relaxarmos como nunca antes - sorrio e me deito no meio de Kihyun e Hyungwon. Assim como nos velhos tempos...

Estávamos assistindo Cidades de Papel. Kihyun não sabia se sentia raiva da Margo ou se chorava porque ela abandonou Quentin. - Ai, ai. Eu não sei quem é mais trouxa... - comecei pegando a colher da panela de brigadeiro. - o Quentin por correr atrás dela, ou o Hyungwon, que nem se pegou ainda com o Hoseok. - provoquei o mais novo, que riu e jogou pipoca no meu rosto.

- Ah, eu to quase desistindo. - bufou, tomando a colher da minha mão. - Hoseok é lerdo demais. - resmungou com carinha de choro.

- Eu vou arrancar as bolas daquele oxigenado com meus dentes. - o Yoo começou seu falatório. - Hyungwon meu amor, se ele não toma atitude, você toma! Acha que eu e Changkyun estamos namorando por quê? - o mesmo riu. - Eu que tive que pedir aquela praga em namoro. Sonso do jeito que é.

- Vou pensar melhor nisso... - o Chae jogou no ar e voltamos a prestar atenção no filme.

- Pensar melhor nada, temé que atacar logo. Hoseok não é de se jogar fora, se você não amarrar bem essa mula, outros burros vão cair encima dele - falo como quem não quer nada, mas na verdade eu quero, quero muita coisa, e a principal delas é a felicidade de Hyungwon, ele merece um cara como Hoseok.

- É isso mesmo - diz Kihyun alisando sua barriguinha que já estava um pouquinho a mostra, justamente pelo mesmo estar esperando dois filhotinhos.

Não sei o que houve, mas nós dormimos, e muito. Quando acordo, percebo que ainda estou no sofá acompanhado dos meus melhores amigos, olho para os lados e está tudo escuro, apenas a luz da TV ilumina a sala. Olho para a janela e vejo que já é noite, e os garotos ainda não voltaram. Preocupado do jeito que sou, pego meu celular e mando mensagem a cada um deles.

- Jooheon, amor, onde você tá? - indaguei assim que o mesmo atendeu.

- Já to chegando. - avisou e eu suspirei aliviado. Por enquanto. Faltam três pra dar sinal de vida.

- CHANGKYUN ONDE VOCÊ TÁ? - Kihyun berrou ao ser atendido, seguindo em direção à sacada.

Medo.

- Onde você tá? - indaguei novamente, e ele deu um risinho do outro lado da linha.

- Surpresa. - cantarolou e eu ri, com muita vontade de dar um soco naquele rosto bonito do caralho.

- Não demora. - avisei e ele concordou, dizendo um "eu te amo" todo besta antes de encerrar a ligação.

- Tão fofos. - me assustei com a voz de Hyungwon atrás de mim, fazendo-me colocar a mão sobre o peito.

- Que susto, encosto. - dei um tapa em seu braço, e ele riu. Palhaço.

- Quando vão assumir essa palhaçada? - perguntou sentando-se no braço do sofá.

- Que palhaçada?

Ele revirou os olhos, porém continuou: - Quando vão assumir o namoro, Min?

- A gente não namora.

- Ata. E o Kihyun não tá grávido. - ironizou e foi a minha vez de revirar os olhos.

- Enfim... Festa do pijama? - falo como quem não quer nada mesmo, sei que ambos já iriam dormir aqui em casa mesmo sem eu chamar, mas mesmo assim temos que manter a pose de Kátia cega né.

- Você acha que a gente já não ia dormir aqui? Mesmo se você não chamasse meu bem, eu já até tenho meu quarto aqui. - diz Kihyun já subindo às escadas rumo ao seu quarto, e antes que perguntem sim eles tem o próprio quarto aqui em casa. Já estamos no segundão da faculdade, por incrível que pareça, e meus pais vivem mais viajando do que realmente ficam aqui, então, o quarto deles agora é meu e os outros são dos garotos. Os próprios disseram-me para fazer isso. Assim eu não ficaria completamente sozinho.

- Vamos fazer outra rodada de filmes? - Hyungwon sai da cozinha já com outro balde de pipoca em mãos.

- Vou só tomar um banho antes, já volto anjinho.

- Se toca o Minhyuk.

- Não posso nem ser carinhoso mais, credo.

- Seu tipo de carinho é diferente.

- Claro que não.

- Claro que sim. Você faz mais ou menos assim: "Vou tomar banho, seu merda, deveria fazer o mesmo porque você 'tá fedendo".

- Eu não sou assim.

- Para de discutir e vai tomar a porra do banho logo Min. - Hyungwon sorri e joga uma almofada em meu rosto. Sorrio de volta e subo as escadas indo direto ao meu quarto, preciso relaxar e nada mais do que um banho quentinho para esquecer os problemas.

Fiquei um tempo em baixo do chuveiro, pensando na vida. Kihyun há pouco tempo havia descoberto serem gêmeos, e a barriguinha dele já estava saliente. Tão fofo. Hyungwon e Hoseok estavam naquele famoso cu doce para se pegarem. Se é que me entendem. Eu e Jooheon estávamos nessa de namorados sem pedido formal e sem alianças. Isso me incomodava um pouco, não vou negar, mas se for para ser, será não é? Escutei batidas na porta do banheiro perguntando se eu havia morrido, ri baixo desligando o registro e me enrolando na toalha pendurada em cima do Box.  Saí do banheiro, vendo Kihyun passando hidratante enquanto se olhava no espelho do meu quarto, e Hyungwon estava descolorindo o cabelo.

- Mas, gente, eu só fui lavar o cabelo. - ri, me referindo à Hyungwon, largando o pote de descolorante sobre a toalha que tinha em cima de minha cama, e logo pegou seu celular pra responder não sei quem. Chae Hyungwon cheio de contatinhos, não to nem brincando.

- Me deixa. - o outro murmurou concentrado no que fazia.

- Tudo bem. - dei de ombros e logo fui me trocar. Peguei uma boxer, uma calça moletom e um moletom enorme que eu usava de pijama. Entrei dentro do banheiro, mas deixei a porta aberta, e me troquei.

- Aliás, onde Joo está? - Kihyun perguntou alto.

- E eu vou saber? Liguei pra desgraça, e ele disse que era surpresa. - respondi, voltando pro quarto e apagando a luz do banheiro.

- Ele tá preparando algo pra ti. - Hyungwon largou o celular na cama, e se levantou indo até o espelho e vendo seu cabelo agindo com o descolorante.

- Claro que não. - peguei o secador e o liguei na tomada ao lado da minha cama, e sentei-me na mesma.

Coloco o secador em direção à minha cabeça e começo a o secar enquanto olho meus dois melhores amigos fazendo suas coisas. Ficamos alguns minutos em silêncio, apenas o som do secador e do chuveiro ligado. Hyungwon se encontrava lá.

- Kihyun se passar mais hidratante nessa pele, vou começar a achar que você é o pote de hidratante vivo. - O mesmo bufa baixinho e para de passar o bendito creme no corpo, o guardando no local de origem.  - O filho da puta, esse hidratante era meu? - desligo o secador e o jogo na cama, logo me levantando e indo em direção que o menor havia guardado o creme.

- Eu disse que ele iria descobrir. - Hyungwon diz saindo do banheiro já de banho tomado.

- Ah cala a boca Hyungwon. - Kihyun se vira na direção do maior com a feição séria.

- Vem calar com a sua! - O mesmo dá de ombros e se senta na cama começando a usar meu secador.

- Eu acho é que vocês estão muito folgados. Isso sim. - Saio de dentro do closet com o pote de hidratante quase vazio em mãos.

- Eu te dou um pote desse hidratante de presente. - Kihyun mandou beijo no ar para mim, e eu retribuí, rindo em seguida.

- Gente, to pensando em pintar minhas unhas de preto... - comentou o Chae, após desligar o secador e ficar olhando as mesmas.

- Que tipo de Yongguk é você? - brinquei com ele e o mais novo riu. - Mas vai ficar bonito. - lhe sorri e o mesmo retribuiu.

- Ah, Wonnie, como está você e o Hoseok? - Kihyun perguntou deitando-se na cama de barriga para cima, encarando o mais novo.

- Ah, tá tudo maravilhoso... - confessou com um sorrisinho besta. - Ele é tão carinhoso, bem lerdo, me faz sentir tão bem, mas... - começou.

- Mas? - incentivei-o.

- Mas... Eu tenho medo, sabe? - suspirou. - Tenho medo de tudo não se passar de uma ilusão, e, quando eu me entregar por completo, ele não ser tudo isso que eu achei. - confessou, deitando-se na cama, suspirando alto.

- Vai dar tudo certo, Wonnie, só vai com calma. - aconselhei, me deitando junto deles na cama. Ficamos os três encarando o teto em silêncio; um silêncio confortável.

- Ai chega! Nossa amizade não é que nem essas de filme toda bonitinha! - me sento na cama e olho para os outros dois que se seguravam para não rir. - Eu to fican... - sou interrompido pelo toque de meu celular, que particularmente é o melhor de todos, amo DAY6. - Quem é? - Pergunta Kihyun que já havia se sentado também para poder bisbilhotar meu celular. - É o Jooheon! - mordo meu lábio e atendo a ligação, olho para eles e vejo seus celulares começarem a tocar também.

- Se eles não mataram alguém na rua, um deles deve ter se machucado feio! - diz Hyungwon já atendendo seu celular com as mãos trêmulas.

Ai meu cu viu.


Notas Finais


Obrigada á todos que leram até aqui e favoritaram! Amamos todos vocês. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...