História A Dona - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Orgulho e Paixão
Personagens Aurélio Cavalcante, Camilo Sampaio Bittencourt, Darcy Williamson, Elisabeta Benedito, Ema Cavalcante, Julieta Sampaio Bittencourt "Rainha do Café", Susana Adonato
Tags Aurieta, Romance
Visualizações 245
Palavras 937
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, Aurietas... É a primeira vez que escrevo um capítulo duplo, ou seja, farei de tudo para postar a continuação desse ainda hoje. Espero que gostem !

Capítulo 13 - Ciúmes-parte 1: "Que ciúmes, não estou com ciúmes..."


“Prazer em conhecê-la, Josephine Brandão”

Julieta não pôde deixar de perceber a ligação que havia entre a loira e o coronel, uma vez que Josephine possuía o mesmo sobrenome. Visto aquela relação entre os dois, e querendo saciar sua curiosidade, Julieta decidiu ser um pouco invasiva com a desconhecida:

  ---Não pude deixar de perceber sua fisionomia quando toquei no nome de Aurélio. Aconteceu algo entre vocês?

 

Josephine não esperava que a morena fosse soar um tanto curiosa, haja vista a fama da Rainha do Café, ao que comentavam ser de pulso firme, e adversa às relações pessoais. No entanto, Julieta mostrava um interesse não profissional por Aurélio, como percebeu a loira:

  ---Bom, eu e Aurélio nos conhecemos há muitos anos... Tempo suficiente para que marcasse nossa relação, se é que você me entende.

 

Julieta tentou não demonstrar, mas as palavras da loira balançaram a empresária. Ouvir aquilo fez a morena concluir que havia existido um relacionamento íntimo entre a loira e o viúvo. A relação entre Josephine e Aurélio ultrapassou as barreiras do profissionalismo e atingiu o campo pessoal, ao contrário da ligação entre eles.

Ela não admitiria, mas imaginar Aurélio com outra nos braços, na verdade, imaginar a loira em seus braços, as carícias, e os beijos entre os dois, fez com que a morena sentisse algo diferente. Fez Julieta sentir algo que nunca aconteceu anteriormente, ocorreu-lhe que pela primeira vez na vida sentia ciúmes, mesmo negando, o fato de outra ter sentido as mesmas sensações que ela a desagradou.

Numa tentativa de encobertar sua decepção ela decidiu que a conversa com Aurélio poderia ficar para outra hora e decidiu partir:

  ---Então vocês tiveram uma paixão... Deve ter sido muito importante para você, pois vejo como se referiu à relação entre ambos. Bom, acho melhor eu ir, já esta tarde e ele está demorando. Você pode pedir pra ele me procurar na minha fazenda... Quer dizer não diga nada!

 

No momento em que se direcionou a porta para sair, Julieta ouviu a voz de Aurélio:

  ---Julieta?!

Ele não esperava encontra-la ali e naquele horário. Pensou na possibilidade de ter ocorrido algo que explicaria a presença da empresária:

 ---Não esperava ver você aqui, considerando o horário.

 

Ela não queria vê-lo, não depois de deparar-se com Josephine. Olhar para ele a fazia reviver os momentos de carícias entre eles, mas também a lembrava das palavras da mulher e aquilo a deixava indignada:

  ---Pois não é nada importante, só vim falar algo, mas podemos deixar para outra oportunidade. Vejo que já está com visita, aproveite-a bem. Com licença...

 

Julieta falou ironicamente. Pensar em Aurélio seguindo seu conselho e aproveitando a visita da loira a deixava com raiva, algo que não passou despercebido ao viúvo.

 

  ---Não... Fique. Meu assunto com Brandão terminou... Josephine será que você poderia nos deixar a sós?!

 

Percebendo o tipo de relação que havia entre os dois, não conseguiu disfarçar a inveja e contra vontade deixou-os a sós:

  ---Tudo bem... Com licença!

 

  Julieta percebeu o olhar que a loira a dirigiu após o pedido de Aurélio e soltando um sorriso de canto de boca a encarou. Após estarem sozinhos, a empresária foi direta?

  ---Não precisava disso, vim apenas agradecer pelo seu apoio dos últimos dias.

 

Aurélio sabia que não era apenas isso, ao perceber a troca de olhares entre sua amada e a loira, soube que algo tinha saído errado. Precisando saber o que as duas conversaram, resolveu perguntar:

 ---Quê isso, não foi nada. Eu já avisei que pode contar comigo. Farei o que estiver ao meu alcance para que Xavier não atrapalhe seus negócios... Percebi que para ter vindo até me considerando o horário, deve ser por sentir algo a mais. Quem sabe seus sentimentos por mim?!

Não querendo admitir que houvesse ido para vê-lo, e sem que ele soubesse de suas reais intenções, resolveu usar da velha ironia:

  ---Não tome por pensamentos indevidos... Eu sou grata a você, apenas isso. Se não se importa tá na minha hora, preciso partir.

 

Tentando adiar a ida da morena ele resolveu ser mais indiscreto:

   ---Pois não é o que parece... Percebi a tensão entre você e Josephine, foi algo que ela disse?!

 

Sem paciência para falar sobre a loira, Julieta foi seca:

 ---E o que ela poderia saber que fosse do meu interesse?! Não vejo nenhum assunto que diga respeito a ambas. Aliás, o que aquela mulher poderia tratar comigo? Sobre a quantidade de homens que se deixou seduzir por seu belo par de olhos, ou melhor, os homens que não enxergam nada além de um decote?! Poupe minha paciência, senhor Aurélio.

 

Ele estava certo, Josephine havia despertado ciúmes em Julieta. Mesmo feliz por vê-la naquele estado por ele, Aurélio precisou deixar as coisas claras com a empresária, para que essa não tirasse conclusões precipitadas:

  ---Apesar de acha-la ainda mais linda e encantadora com ciúmes, saiba que não há mais nada entre eu e Josephine. Acabou, ficou no passado e pra me foi um relacionamento como qualquer outro que tive.  Nada de especial, ok?!

 

Aliviada ao ouvi-lo dizer aquelas palavras, mas escondendo seus sentimentos, Julieta resolveu se comportar como se aquilo não tivesse a atingido:

  ---O senhor é muito pretensioso mesmo... Que ciúmes, não estou com ciúmes. Apenas comentei algo que percebi, uma vez que a própria disse que a relação entre vocês a marcou, contradizendo suas palavras. Fora que isso, não é da minha conta, não tenho o menor interesse em sua vida amorosa. Bom, então nossa conversa termina aqui. O que tínhamos para tratar era isso. Passar bem!

 

Julieta saiu e deixou Aurélio ciente de uma verdade, aquela mulher seria a responsável por sua loucura.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...