História A Dor de Um Amor - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jung Hoseok (J-Hope), Min Yoongi (Suga)
Tags Bangtan Boys (bts), Drama, Escolar, Romance, Slash
Visualizações 4
Palavras 3.215
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Slash
Avisos: Homossexualidade, Mutilação
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá chuchus, quanto tempo né, voltei. Não sei o que falar nas notas iniciais, então vou deixar isso aqui mais vazio rs. Adorei escrever este capítulo e espero que gostem dele, se tiver algum erro (qualquer um) me avisem que eu corrijo. Boa leitura meus anjxs :D

Capítulo 13 - Uma Manhã de Café e Música


Fanfic / Fanfiction A Dor de Um Amor - Capítulo 13 - Uma Manhã de Café e Música

Começo a despertar aos poucos, abrindo os olhos, lentamente assimilando o local já bem conhecido. Sinto um calor emanar contra minhas costas, e um ar leve chocar-se com meu pescoço, e é então que me lembro que dividi a cama com alguém esta noite, não em sentido conotativo, apenas dormimos juntos. Yoongi e eu.

Como é bom poder acordar assim, sentindo seu braço molenga por cima de minha cintura indicando sua posse sobre mim, sua respiração calma e tranquila mostrando o sono profundo que lhe toma, o calor de seu corpo emanar para o meu…

E quantas vezes eu não imaginei esta cena, não? Como eu desejei poder vivenciar isto que estou vivenciando.

Me viro para o lado e fico admirando Min. Passamos por tanta coisa já, digo, para duas pessoas que se conheceram a tão pouco tempo, já tivemos várias “aventuras” nada interessantes. Quem sabe não é agora que começamos a viver as aventuras boas?

Levanto minha mão esquerda para acariciar seu rosto tranquilo. Yoongi tem lindas feições, uma pele perfeita sem manchas ou marcas de expressões, macia como as nuvens. Um nariz completamente fofo que me lembra o nariz de uma criança, a boca miúda de lábios rosados que têm um sabor tão único, sabor de marshmallow. Mas o que mais me agrada em seu rosto está despertando agora.

Aos poucos Min acorda, abrindo lentamente os lindos olhos castanhos e, assim como eu, assimila o lugar em que estamos. Isto faz aquelas famosas borboletas voarem em meu estômago, quão estúpido deve ser ele acordar com alguém acariciando suas bochechas, rapidamente puxo minha mão de volta sentindo meu rosto aquecer-se.

_ Isso estava tão bom, por que parou? _ diz com uma voz rouca de sono, fazendo-me voltar minha mão aonde estava antes.

_ Por nada. Bom dia, dormiu bem? _ o respondo com um sorriso discreto enquanto tiro os fios loiros de seu cabelo de cima das sobrancelhas e olhos.

_ Maravilhosamente. Havia alguns dias que eu não dormia direito.

_ Não vou nem perguntar o porquê, eu também fiquei alguns dias sem dormir direito pelo “mesmo motivo”.

_ Você. _ dissemos ao mesmo tempo, o que me fez rir por perceber que somos o típico casal clichê de filmes.

_ Por que você riu? _ pergunta ele curioso.

_ Nada. Está sentindo alguma dor?

_ Estou, mas não muita, nada que precise se preocupar. Que horas são Hoseok?

_ Não faço ideia… umas 8 talvez? Por?

_ Não é nada, é só que a gente deve estar perdendo a escola.

Yoongi nunca foi o tipo de pessoa que faz de tudo para não faltar aulas, ao contrário, ele costuma inventar desculpas para o fazer. Eu que sou assim, de nunca querer faltar. Então, o fato dele estar preocupado com a “escola” me deixa internamente alegre, porque ele está se preocupando comigo na verdade. Meu ego adora desconfiar disto.

_ E estamos, você não pensou que eu te deixaria ir pra aula desse jeito né? Não vamos hoje, vou te ajudar a ir pra casa. _ e, sim, eu já tinha pensado em matarmos nossas aulas hoje.

_ Nossa, mal acordo e já está me mandando embora?!

_ Não foi isso que quis dizer bobo.

_ Eu sei. Só queria te irritar. _ me responde com um leve sorriso e olhos alegres.

_ Preciso trocar seus curativos. Consegue se sentar sozinho?

_ Uhum.

Me levanto e vou em busca dos curativos que comprei, pego também a mochila de Min para procurar os que trouxera. É aí que me deparo com a quantidade de comida que ele trouxe.

_ Yoongi, quantos de mim você pensou que encontraria aqui para trazer tanta comida? _ sério, acho que nunca vi tantos pacotes de doces Fini e salgadinhos, além de alguns potes com macarrão e outros tipos de comida.

_ Nunca se sabe ué, vai que o seu projeto da feira de ciências era um duplicador de moléculas e eu chegando aqui encontrasse dois Jung Hoseoks? Quem sabe três? _ ele disse isto de uma maneira tão séria que em vez de rir coloquei as mãos na cintura e comecei a encará-lo com olhos semicerrados.

_ Estou começando a ficar com medo de você ter batido a cabeça muito forte quando desmaiou. _ me sento ao seu lado começando a refazer os curativos de sua perna.

_ Ah, desculpe não ter dito antes, eu não desmaiei porque bati a cabeça, na verdade foi minha pressão que caiu porque eu estava muito nervoso. Não queria ter te deixado tão preocupado. _ vejo uma feição diferente em seu rosto, talvez… culpa, por não ter me dito antes, misturada com medo, de como eu reagiria… engraçado, engraçado como ele se preocupou com uma coisa tão boba, rio em pensamento.

_ Tudo bem, ao menos agora o pior já passou. Sinto muito por ter rasgado sua calça, ela tinha só um furo praticamente, eu que aumentei ele. Espero que sua mãe não fique brava com você haha.

_ Ah, nem esquenta com isso.

_ Acho que terminei. _ digo recolhendo os curativos sujos. _ Depois você toma um banho e deixa sem nada cobrindo o machucado, logo ele sara sozinho.

_ Tudo bem doutor. Vamos para casa? Você toma o café da manhã comigo. _ ele faz uma cara tão fofa dizendo isto, um sorriso tão meigo e natural, é quase impossível dizer não. Porém eu nunca fui na casa dele, quanto menos para tomar um café da manhã. Não sei, me parece cedo demais para isso.

_ Seus pais não vão achar estranho? É que eu pensei só de te deixar na porta da sua casa e ir embora sabe. _ tento inventar uma desculpa pra recusar mas, pensando na possibilidade de ir, não sei o que seria mais cabuloso: tomar café da manhã com os pais de Yoongi, ou sem eles.

_ Meus pais não ficam em casa nesse horário… _ ele para de falar aos poucos e me olha com os olhos arregalados.

_ O que foi?

_ Truta que partiu! Esqueci de ligar pros meus pais ontem. Aaaaaa, eles vão me matar.

_ Vixi, nem pensei nisso também. Sefodeo. _ começo a rir da careta que ele faz ao levar a mão aos olhos.

_ Também acho. _ diz desfazendo a careta.

_ Anda, pegue suas coisas, você liga pra eles no caminho.

Arrumamos o que iríamos levar e saímos. Tive medo de algum outro desastre acontecer na escada, mas os degraus restantes decidiram cooperar. Yoongi teve um pouco de dificuldade para pular o gradeado da casa, mas com muita peleja conseguiu.

Ele ligou para os pais, que no fim das contas nem pareciam tão preocupados assim. Pelo caminho todo foi apoiado em meu ombro com a desculpa de que “ainda estava com muita dor na perna”, claro que não achei ruim, fingi que acreditei e o segurei pela cintura

E então chegamos a sua casa. É uma bela residência, acho que ele não precisou de bolsa como eu para entrar no colégio, não que eu tivesse alguma dúvida quanto a isso. A propriedade tem um belo jardim de grama bem cuidada na frente da casa, esta, em si, é feita em dois andares com um estilo modernista, tons de branco, cinza e alguns detalhes em madeira fazem a fachada e após passar por um caminho cimentado pude ver de perto uma bela porta. Enfim, é uma bela residência.

_ A casa é bonita, não? _ disse ele percebendo que eu estava admirando-a. _ Bem melhor do que a que tínhamos antes, sou muito grato por meu pai ter conseguido uma promoção no emprego, ele conseguiu essa casa e até me mudou de escola, de cidade…. Mas, do que adianta se ele não tem nem tempo para aproveitar tudo isto? _ apenas assinto com a cabeça, acho que esta foi uma daquelas perguntas que não precisam ser respondidas.

Yoongi abre a porta e se afasta para que eu entre primeiro. A casa é ainda mais majestosa por dentro, tudo combina no estilo modernista, nada fora do lugar. Um espaço para retirar os sapatos ao lado da porta, mais a frente uma mesa de vidro com um vaso de hortênsias bem no centro, a frente desta uma escada leva ao segundo andar. Na lateral esquerda do hall, uma porta leva a uma sala com uma grande televisão, na lateral oposta, uma cozinha. Tudo isto observo de relance enquanto Min me conduz às escadas.

Ao terminar de subir, estamos em um corredor com várias portas onde presumo serem os quartos. Ele segue até a segunda e última do lado direito e a abre, de novo, me deixando entrar primeiro.

Seu quarto. Com uma cama grande o suficiente para duas pessoas, embora só ele deva dormir ali, acima dela algumas prateleiras de madeira. Uma bela mesa de marcenaria ocupa toda a parede da janela, do outro lado do quarto, com uma TV e videogame. E um guarda-roupa que se estende do chão até o teto. Interessante.

_ Você quer tomar banho? _ Yoongi interrompe meus devaneios.

_ Não, estou bem. _ nego imaginando se ele me ofereceu por educação ou porque estou com maus odores e começo a me sentir desconfortável por pensar ser a segunda opção.

_ Não que você esteja cheirando mal, é só que eu vou tomar banho e perguntei se você não gostaria. _ ele interrompe a frase como se fosse o suficiente, mas para mim não foi porque dá entender que ele ME chamou pra tomar banho com ELE. Céus!

_ Ah, não, obrigado mesmo. Pode ir tomar seu banho. _ sinto a voz um pouco mais apreensiva que o normal, só espero que ele não tenha reparado.

_ Ok, eu já volto. Fique à vontade.

_ Obrigado.

Ele passa pela porta do banheiro, que é junto do quarto, e a fecha, me deixando em seu quarto. Sigo até o sofá e me sento. Sim, ele tem um sofá dentro do quarto, achei isso muito legal para dizer o mínimo. Mas não sei se gosto desse quarto, nada aqui mostra o que ele é, nem mesmo algo bagunçado ou algum porta retrato. É tudo muito frio como se ninguém realmente vivesse aqui.

Me levanto e vou até as prateleiras sobre sua cama para dar uma olhada nos livros e, enquanto faço isto, escuto ele me chamar.

_ Hoseok! _ repete ele do banheiro.

_ Sim? _ respondo perto da porta, que, em uma fresta, se abre com uma rajada leve de vapor e cheiro de xampu exibindo Yoongi, parte dele na verdade. Seus olhos apenas, o resto estava atrás da porta.

_ Han, eu esqueci de pegar a toalha. Será que você poderia pegá-la pra mim na janela? _ me viro para a janela e vejo a toalha da qual ele se esqueceu.

Vou até ela e a pego trazendo de volta a Min que passa o braço pela porta, agora um pouco mais aberta, me permitindo ver seus cabelos ensopados de água, o pescoço e ombro direito desnudos. Vejo uma gota escorrer por seu rosto e a observo percorrer toda a lateral de sua face indo em direção ao pescoço e seguindo caminho pelo corpo atrás da porta.

Como eu gostaria de ser essa gota, ou, que não tivesse essa porta….

_ Hmm, obrigado. _ diz me trazendo de volta a realidade. É só então que percebo que ele está segurando a toalha e esperando que eu a solte.

_ Ah, por nada. _ solto-a imediatamente virando de costas.

Aaaaaa, não acredito que acabei de fazer isto. Me jogo de bruços na cama escondendo o rosto que, com certeza, estava rugindo um vermelho vivo. Quanta vergonha! Ficar encarando Yoongi daquele jeito! Aaaaaa.

Min Yoongi P.O.V

Céus, como eu agradeço por ter essa porta! Esse olhar de Jung, tão diferente, tão quente, tão… desejoso, que acabou fazendo um Yoongino que dormia a tanto tempo acordar.

Como eu amo uma porta.

Quando acabo de me secar me deparo com um pequeno problema: minhas roupas. Mano, como assim eu entrei pro banho sem pensar na toalha e nas roupas??? Mas que merda. Me enrolo na toalha e saio pro quarto. Abrindo a porta aos poucos, agradeço por Jung estar jogado de bruços na minha cama… de bruços… na minha cama… de… bruços… Aish! Foco! Roupas Yoongi, roupas.

Enfim saio do banheiro e vou em direção ao guarda-roupa.

Min Yoongi P.O.V off

Escuto a porta sendo aberta e rapidamente me viro vendo Yoongi apenas de toalhas indo até o guarda-roupa com a maior calma do mundo.

_ Hum, okay, era só ter avisado que estava saindo. Vou te esperar lá em baixo. _ me levanto da cama e saio do quarto fechando a porta atrás de mim um tanto quanto apressado.

Vou em direção a escada e me sento no primeiro degrau para me acalmar um pouco. Como ele é lindo, céus como meu namorado é lindo! E um tanto abusado por ter saído só de toalhas do banheiro, ou será que isso é normal e eu que sou tão apaixonado por ele que criei uma paranoia com um simples fato? Acho que a segunda opção, visto que estou sentado na escada da casa dele pensando nisso. Não, nossa que viagem Hoseok, melhor descer e esperar Min lá em baixo.

Desço os degraus, passo pelo hall e me sento em um dos sofás da sala para esperar ele. Como o restante da casa, a sala também é muito bonita, belas cortinas pendem da janela, dois sofás aconchegantes e uma grande TV se destacam no cômodo. Mas o que me chamou a atenção foi uma outra porta, na parede oposta à da televisão. Vou até ela e me deparo com um escritório ou biblioteca, algo do tipo. Nele, algumas estantes com livros e caixas de arquivo, uma mesinha com alguns itens de papelaria e um abajur e, em um dos cantos do espaço, uma outra mesinha disposta na transversal com um _ aparentemente _ instrumento musical em cima. Bom, com certeza deve ser um instrumento, pois é repleto de cordas como uma harpa, só que deitado. Mas nunca vi um deste tipo, qual será o nome? Por mera curiosidade, começo a alisar as cordas da nova descoberta sem nome a minha frente.

_ Desculpe a demora. _ Yoongi adentra o cômodo e se senta na cadeira disposta para a mesinha com diversas canetas coloridas em um pote, me viro no banco para observá-lo. Ele está com uma calça preta um tanto folgada _imagino que seja pelo machucado _ e uma camisa listrada de branco e verde com mangas compridas, os cabelos ainda úmidos pendendo sobre a testa. _ Desculpe também por, hum, ter te deixado constrangido lá em cima. _ vejo sua face enrubescer, me viro para o instrumento e começo a alisá-lo novamente.

Queria dizer a ele que não precisava se desculpar, que na verdade eu tinha até gostado do que vira, que embora ele não tivesse um corpo todo definido e musculoso, eu o achava muito lindo. Mas tudo o que eu disse foi:

_ Não se preocupe. _ e um silêncio estranho se fez presente me deixando um pouco aflito, até Yoongi o interromper.

_ Quer que eu toque para você?

_ Nunca tinha visto um deste. Qual o nome? _ respondo sem me virar para Min, que se levanta de sua cadeira e senta ao meu lado no banco.

_ Chama-se Yangqin, é um instrumento chinês não muito conhecido. Sua história antes de chegar a China não é muito certa, mas lá ele foi muito famoso entre os imperadores e a nobreza. Várias lendas antigas fazem comentários sobre o Yangqin.

_ E este é seu? _ pergunto um tanto interessado em como ele sabia tão bem sobre a minha, agora não mais sem nome, “descoberta”.

_ Da minha família na verdade, meu avô o ganhou quando jovem de um amigo seu que foi morar lá, na China. Ele nos pediu para não o vender e ensinar as suas futuras gerações como tocá-lo. Posso mostrar?

_ Claro. _ digo chegando um pouco mais para o lado para que ele possa ficar no meu lugar, defronte ao instrumento.

Yoongi abriu uma pequena gaveta que eu não tinha reparado sequer existir na mesa e tirou dali dois espécimes de “baquetas” dentre várias outras. Então ele começou a tocar o Yangqin com calma e atenção, fazendo surgir dali sons maravilhosos. Era esplêndido, tocante, completamente apaixonante. As notas chegavam a meus ouvidos como uma brisa calma e acolhedora de outono indicando a estação fria que se segue. Fechei os olhos e deixei-me levar pela calmaria e sensação de paz provocadas pela música de Min.

Aos poucos os sons foram cessando até que a música parou, abri os olhos e vi Yoongi guardar as baquetas nos devidos lugares. Assim que ele fechou a gaveta me aconcheguei em seu pescoço e ele retribuiu o afeto passando o braço por cima de meu ombro.

_ É lindo. _ disse fechando os olhos novamente, sentindo a calmaria das notas que ecoavam em minha mente junto do cheiro bom que emanava de Min.

_ Eu ou a música? _ me solto de seu braço e o encaro no alegre brilho de seus olhos.

_ Os dois. _ sorrio para ele que calmamente captura meus lábios com os seus.

Tão doce quanto marshmallow e calmo quanto notas precisas do Yangqin, um beijo apaixonado me toma conforme ele me conduz, acariciando minhas mãos sobre seu colo.

Min Yoongi P.O.V

Ouço meu estômago roncar e me xingo mentalmente por ter me traído desta forma enquanto Hoseok se afasta e começa a rir de mim. Nos levantamos e o conduzo até a cozinha para preparar nosso café da manhã.

Começo a pensar porque eu não disse a ele a outra parte da história do Yangqin, a parte que meu avô sempre o tocara para minha avó e pediu para que meu pai sempre fizesse o mesmo para sua esposa e fizesse disto uma tradição de nossa família. Eu poderia ter dito, mas parei no meio do caminho, por quê? Eu poderia falar agora, por que não falo?

_ O que foi? _ lanço-lhe um olhar de dúvida por não entender o que ele quis dizer com isto. _ Você pareceu sério do nada. No que está pensando?

_ Ah, não é nada, só estava tentando me lembrar de quantas colheres de pó meu pai costuma por no café. _ disfarço a mentira com um sorriso, empurrando aqueles pensamentos pro fundo da mente, tentando me concentrar apenas no ser lindo sentado a mesa na minha frente me observando com um olhar terno.

[…]

Após o café fomos para a sala, nos deitamos no sofá e ali ficamos. Assim foi nossa manhã, com uma troca de beijos ternos, olhares apaixonados e muita conversa até a hora que Jung disse que tinha de ir embora. Insisti para levá-lo até em casa ou então para nos encontrarmos mais tarde, porém ele não quis e deixou isto bem claro, decidi apenas respeitar sua vontade. O levei até a porta, me despedi com um beijo e fiquei esperando ele sair do alcance de minha vista para fechar a porta. Quase no mesmo instante que fiz isto o pensamento abusado me retornou a mente: por quê


Notas Finais


E então pessoal? O que acharam? Eu acho que esse foi o capítulo mais fofinho que eu já fiz kkk. Bom, se alguém de vocês me acompanha no Twitter ( https://twitter.com/ADorDeUmAmorFic ) sabe que esse capítulo já estava pronto faz algum tempo e eu não postei antes (por pura preguiça de revisar confesso). Mas, aqui está ele. Se vcs quiserem conversar comigo no Twitter eu super agradeço, é o link que tá entre parênteses. Vou deixar o link de um vídeo com uma música do Yangqin, gente é lindo depois vcs assistam. Não sei se eu tinha mais coisas pra falar, acho que é só kkkk. Comentários são super bem-vindos meus anjxs. Beijo pra vcs até a próxima ; )
Link da música: https://www.youtube.com/watch?v=ERGpLUKoLDU


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...