História A dor usa teu perfume- Imagine Stray Kids - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Stray Kids
Personagens Bang Chan, Han Ji-sung, Hwang Hyun-jin, Kim Seung-min, Kim Woo-jin, Lee Felix, Lee Min-ho, Personagens Originais, Seo Chang-bin, Yang Jeong-in
Tags Stray Kids
Visualizações 9
Palavras 2.196
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fluffy, LGBT, Policial, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura meus solzinhos💜☀️


[CAP NÃO REVISADO]
SERÁ REVISTO EM BREVE

Capítulo 12 - She's got everything


Fanfic / Fanfiction A dor usa teu perfume- Imagine Stray Kids - Capítulo 12 - She's got everything

O ensaio terminou com eu totalmente incerta se no momento eu estou em uma recaída ou eu apenas sou muito boiola por Lee Minho. 

Os meninos iriam agora em direção ao estúdio, começar a ensaiar para a Kcon Thailand. Eu por outro lado, recebi os resumos de hoje que Mary mandou por e-mail e já me encontrava no cantinho da sala estudando enquanto a música ecoava pela sala. 

Changbin: Onda, venha ver como está!-me puxa

-Binnie eu tenho que estudar- choramingo me arrastando até ficar em frente aqueles nove meninos

Jisung: Vamos fazer bem para nossa Onda!- o mais novo grita indo colocar a música e voltando rapidamente para sua posição inicial

Estava tudo incrível, sendo sincera, tem como ficar ruim algo desses meninos? Todo o orgulho que eu sinto por eles e amor por esse projeto é tudo que eu preciso para estar bem.

Jeongin: Noona- sorri ao me ver virar a cabeça- pode ir ali fora comigo?

- Ah, claro Jeongin-ah- levantei com ajuda de Hyun que riu da minha preguiça e abri a porta novamente, indo para aquele corredor

Jeongin: Onda-ssi, para você- o mais novo me ofereceu uma caixinha preta de veludo me fazendo ficar de queixo caído, ela vai me pedir em namoro?

- Saeng, o que está aprontando?- peguei o objeto que ele estendia e abri. Era um anel fininho de ouro, possuía um coraçãozinho rosa

Jeongin: Noona, você foi a melhor pessoa que conheci nesse ano. A pessoa que eu me orgulho todos os dias de falar que sou amigo. A pessoa que estava passando por muitas dificuldades, mas sempre me ajudou no que fosse preciso. A primeira pessoa que deixou meu coração quentinho quando sorri. Eu sempre serei muito grato a você Onda, grato por ser quem você é- ela sorri cada vez que começava a falar novamente. Já eu, estava extremamente corada e feliz

Jeongin: Eu realmente queria que a gente ficasse juntos. Mas nossa amizade se desgastou com nosso "relacionamento"- faz aspas com os dedos- e percebi que nossa amizade nos faz muito melhor. Peço desculpas por não te dar tempo o suficiente para superar tudo o que passou e peço também que lembre que sempre te amei durante a amizade colorida, e ainda te amo, Choi Onda. Você aceita voltar a ser apenas minha amiga?- com sua destra limpa uma lágrima solitária que rolava pela minha bochecha enquanto eu sorria orgulhosa. Yang me fez muito bem, ele é o garoto mais gentil que conheci, com certeza. E posso dizer que a próxima pessoa que fizer o coração do maknae quentinho, será uma sortuda ou sortudo! 

- Obrigada Jeongin, por me fazer ter certeza que fui amada em um relacionamento. Obrigada por me apoiar em tudo. Obrigada por prezar pela nossa amizade- suspirei o abraçando forte- você foi o sol, no meio do meu temporal. Obrigada por tudo, maknae- sussurrei

O maior colocou o anel em meu dedo e mostrou o que já estava no seu, sorrindo. Voltamos para sala sorrindo e logo os demais perguntaram o porquê dos meus olhos estarem lacrimejando.

- Eu só estou grata por Jeongin- respondo sorrindo cúmplice para o mais novo que ri, esfregando na cara - indiretamente- dos hyungs que o culparam anteriormente.

[...]

POV Minho 

Kcon Thailand havia passado, a era de Side effects também e faltava poucos dias para o nosso novo trabalho ser postado, colocamos muito esforço em Double Knot e vamos fazer desse o nosso próximo win.


Atualmente está sendo difícil. Nossos esforços estão se tornando desgastante, dias sem dormir, dance line a todo custo criando coreografias, 3racha não tendo descanso e nem vou comentar sobre a vocal line! Minha rotina tem sido a mesma, dormitório, empresa, gravação e empresa. 

Contudo cada membro do Stray Kids tem seu porto seguro, aquilo ou aquele que pode despejar seus sentimentos! Familiares, amigos, ficantes, treinadores... todos aqui tem alguém! E eu ainda estou com a porra da mesma pergunta ecoando na minha cabeça: por que eu não consigo ceder a alguém? Por que o meu orgulho tem que ser tão além da razão?

Esse pensamento, essa simples pergunta vem me atormentando há dias! E todas as noites, na madrugada, eu fico largado em algum canto do estúdio ou do dormitório odiando-me por ser como sou.

Até mesmo andar pelas ruas de Seul tem trago sofrimento, tudo que sinto é vontade de me manter deitado até que tudo isso passe.

Mas eu estou com medo. Medo de perder a única coisa que eu amo... o palco. Então por isso eu me mantenho em pé todos os dias, andando pelas mesmas avenidas, atravessando as mesmas faixas e repetindo os mesmos passos todos os momentos da minha vida.

Eu apenas queria que meu processo de reconhecimento fosse menos dolorido. E tivesse entendido antes, que a pessoa que estava ao meu lado, a "força", é quem eu posso me entregar. Ficou claro, quando enquanto passava pela loja de conveniência perto da Universidade eu senti o perfume de Onda, um aroma delicado e confortante. E como eu queria que aquele simples cheiro não doesse tanto em mim. 

Naquele momento nossos olhos se encontraram e pude *ver com clareza o estado agitado que a alma de Choi estava.

POV narradora 

Onda se sentiu quebrada ao vê-lo, queria que seus olhos nunca tivesse olhada naquela direção naquele momento. Mas olharam. E por mais incrível que pareça para ela, a mesma não se arrependeu. Todavia iria sair do seu trabalho evitando o mais velho, acreditando que não teria coragem nem forças para falar com o mesmo ou ao menos olha-lo novamente.

Lee por outro lado, sem ao menos pensar nas ações da garota com seu movimento brusco, segurou o pulso da menor e a virou para ele. Queria observar o rosto vermelho da mais nova e nem se importava de algum site de fofocas ou fãs estivesse vendo aquilo. Onda teve uma reação um tanto inesperada e soltou seu braço com firmeza, estranhando o ato do - agora- desconhecido. 

De qualquer forma, Lee não tinha intenção de machuca-lá, só queria acreditar que não havia "perdido" a garota de Busan. Choi o encarou uma última vez, tentando entender o que se passava naquela cabecinha de vento e se aquilo não seria apenas mais uma tentativa de mexer com seus sentimentos. Por isso, manteve a postura fria e voltou ao seu caminho para a Universidade. 

POV Onda

Minho devia estar louco! O que ele queria comigo ao puxar meu braço?! Sinceramente esse homem vai me deixar matar, e dessa vez é de raiva!

Contudo eu não me arrependi de olhá-lo e muito menos de rir comigo mesma por ver o quão idiota sou.


Continuei meu caminho, correndo para a faculdade novamente já que no meu tempo para o almoço eu fui trabalhar e estou atrasada.

 A turma economizou dinheiro e compramos uma mini-van para irmos ao estágio. Foi a primeira vez que isso aconteceu no nosso curso e até ficamos conhecidos com "Os Veteranos Taxistas"! 

Era até engraçado, todos de terno, saltos e sapatos sociais com os cabelos arrumados e pastas na mão, sentindo que éramos donos do mundo com a chave do carro nos bolsos. Nem parecia que a gente era um bando de porra louca!

POV Mary

Eu estava prestes a sair do cartório público com autos que meus sunbaes pediram. Iria também pegar um café para mim, não dormir a noite passada pois minha gata teve filhotes e fiquei a noite toda com ela. 

Na fila esperava ansiosamente pelo meu pedido, peguei o vício de Nana por café. Até que sinto alguém cutucar meu ombro e ao virar lentamente vejo ser Lee Minho. Um misto de raiva e espanto me atingem.

Minho: Mary, certo?- ele coça a nuca parecendo envergonhado

- O que quer?

Minho: Você tem tempo?- olho o relógio 

- 10 minutos- ele suspira dando a entender que não daria tempo- olha, sem querer ser desreseitosa mas você foi um babaca com minha saeng e não entendo o porquê de me procurar. 

- Porém por algum motivo meu coração pede para te escutar. Pode de noite? Aqui mesmo umas 20h?- ele sorri aliviado e confirma- agora dá o fora, sinto vontade de fazer você pagar pelo que fez com Onda- ela agradeceu formalmente e saiu. Sou mais nova que ele e minha forma informal podia gerar um problema para mim, mas ele não precisa saber disso, certo? Hehe 


Fiquei realmente curiosa sobre o que aquele garoto queria. O que Lee andava fazendo?

[...]

Onda: Unnie por favor...- a mais nova choraminga pedindo para eu dormir na casa dela, já que Seung estaria lá com Yuqi e Woosung não estava lá para se distraírem da melação do recente casal

- Saeng, eu tenho que ir trabalhar no restaurante- suspirei mentindo, agradecendo por ela não lembrar que hoje não havia expediente a abraçando, logo beijando o topo de sua cabeça- dá um chutezão em Seung oppa e fica conversando com Yuqi- fiz ela ri e concordar com a idéia 

- Hm- choraminga fazendo birra novamente- vai no carro com a gente?- neguei e ela tentou acertar seu pé em mim- Ya... tchau unnie

- Me ligue quando chegar, uh?- Choi assentiu e foi embora

Andei rapidamente até onde havia combinado com o moreno, mas ao virar a esquina dei de cara como o mesmo tendo um susto.

- Argh- coloco a mão no peito- quer me matar?

Minho: Mianhae- ele ri de leve

- Palli- andei na frente mais rápido, aquelas ruas eram muito escuras e me davam certo receio, apesar de não ser tarde da noite

Abri a portar de vidro daquela cafeteria quase vazia, fazendo ecoar o sininho da porta de forma alta e a senhorinha dona do local nos olhar amorosamente. Sorri para a Ahjumma a desejando boa noite e o outro fez o mesmo.

- Fale

Minho: Quer alguma coisa? Eu pago- olha o cardápio que rapidamente é tirado da sua mão

- Acha que eu tenho tempo? Se não falar logo eu vou embora- ameaço levantar

Minho: Não, não, não. Eu vim pedir um favor. Pode me falar mais de Onda? Pode ser qualquer coisa, do que ela gosta ou não gosta, alguma mania...- me surpreendo 

- Não acha que está muito tarde para querer pensar na minha saeng, não?- ri sarcástica 

Minho: Por favor

- Onda-yah tem a mania de mexer em seus óculos, sempre que ela faz isso está envergonhada ou muito focada. Ela nem percebe que faz isso e sempra que eu falo com ela sobre isso, ela nega- ri

- Todos os dias eu a busco em casa para a gente ir para a faculdade, ela tem a mania de andar de pijama pela casa enrolando. Sempre fica na dúvida entre dançar as músicas de sua playlist e se arrumar- lembro das cenas de todos os dias

Minho: Pode me contar mais?- ele parecia muito satisfeito, como uma criancinha que ganhou um brinquedo novo

- Ela ama ler, em especial romances. Onda é bem clichê e tímida, mas em treinos ou debates se torna totalmente o oposto. Rainha da dualidade o nome- ele solta uma risada engraçada e faz um movimento com a cabeça pedindo por mais, antes, beberiquei o meu café que havia acabado de chegar- ela não sabe cozinhar, definitivamente NADA, ou melhor, quase nada, ela faz ovo frito e bolo de limão como ninguém!- olhei o celular, eram 21h e ficaria meio perigoso para eu ir sozinha para onde moro

- Eu realmente preciso ir- levantei terminando meu café e deixando o xícara, esperei o mais velho vim até mim e me assustei ao vê-lo me abraçar

Minho: Komawo- ela se afasta de mim lentamente- pode me passar o número de outros dois amigos dela?

- Ah claro- apanhei seu celular e compartilhei o celular de Hwasa e Nana, nós somos os melhores amigos de Onda e apesar de não ter idéia do que aquilo se tratava. Parece que resultará em algo bom- tchau Minho- ele sorriu e eu corri até em casa.

POV Onda 

EU NÃO AGUENTO MAIS! Woosung e Yoo estão no Rio Han e estou em casa! Tendo que aguentar um Seungyoun e uma Yuqi muito melosos.

Yuqi: Amor, pode me dar um beijinho?- ela pede manhosa e ele beija a bochecha dela, enquanto eu, olho com nojo da situação. Eu estava feliz com a relação do meu irmão e ela, Yuqi era uma garota gentil e amável, mas eu estou detestando estar sozinha com esses dois

Yuqi: Na boca- seu dedo aponta seus lábios e o maior ri os selando varias vezes

- Socorro- sussurro

Bob esponja cabeça quadrada 

_ Nanaaaaa

Winx: ooi 

_ Tá em casa?

Winx: tô na casa da Hwasa

_ Poxa nem me chamaram...

Queen: Tamo fazendo trabalho do curso, vem p cá, vcs dormem aqui

_ Sério?

Queen: Só vem maknae

_ Irra tô indo! A falsa da @sucuri me largou 

Sucuri: Eu trabalho p comprar comida p as minhas saengs, ok?! 

_ tá desculpada


Acabo com o ósculo que se encontravam, pedindo permissão para sair e dormir fora, assim que é cedida corro para meu quarto jogando algumas roupas e materiais necessários para a aula e trabalho de amanhã. Logo saindo de casa e pedindo um táxi.


É hoje que esqueço meu reencontro com Lee Minho!

"There's nothing left, I'm broken.

Nothing to lose and nothing to prove 

Cause you've got everything

She's got everything"










Notas Finais


Rawl🦕
Música: She's got everything- Jung Jinwoo
*Minho afirma ter visto o estado da alma de Onda pelo olhar. É comum ouvir ou até mesmo ler em livros "os olhos são a janela da alma".


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...