1. Spirit Fanfics >
  2. A Dupla >
  3. Explique-se

História A Dupla - Capítulo 78


Escrita por:


Notas do Autor


Io amores ^^

Estou quase atrasada (ironicamente, quase me atrasei pq estava assistindo Naruto), mas ai esta o cap como prometido <3

Paçocas, mas uma vez eu vou pedir que vocês sejam críticos...porque esse capitulo e o proximo que eu vou postar sao de EXTREMA importância para a fic, e eu definotovamente, não posso errar neles.

Então, se esse cap não soar "Itachi Uchiha", ou se alguma coisa ficou mal explicada, por favor me avisem, porque eu vou tentar dar um jeito de concertar no proximo Cap (apesar que vai ser meio difícil).

Em fim meus amores, boa leitura e fiquem com a fic ^^

Capítulo 78 - Explique-se


Fanfic / Fanfiction A Dupla - Capítulo 78 - Explique-se

Não sei quanto tempo fiquei dormindo...na verdade, a expressão correta seria “olhos fechados”, porque eu não conseguia abrir os olhos, falar ou me mover, mas eu estava lúcida.
 

Comigo a beira da morte, Itachi não teve escolha a não ser mostrar a sua verdadeira face. Ele me deu banho; Tratou dos meus ferimentos (pelo menos até onde os conhecimentos médicos dele permitiam); me deu soro; e ficou sentado ao lado da minha cama a noite toda, quando minha temperatura corporal foi para 40 graus.

 

Já que eu não podia falar, usei meu “tempo livre” para pensar em como vou abordar o Itachi de hoje em diante. 

 

……………….

Quando ele entrou em meu quarto pela manhã, eu já estava sentada na cama, distraída com uma joaninha que entrou ao acaso na caverna. Pensei no quanto aquele pequeno animalzinho era gracioso, com seu corpinho pequeno e colorido cheio de pintinhas. Ela levantou voo, assim que o Uchiha se aproximou da cama, colocando uma pequena bacia de porcelana com água e um pano, na mesinha ao  lado da cama.

 

— Eu quero falar com você, Itachi-san. — Falei, quando ele estava próximo a porta. Como ele me ignorou, não tive escolha, a não ser jogar aquela bacia com água, contra a parede, a dois centímetros de distância do rosto do meu parceiro.

 

Itachi não fez nenhum movimento, apenas ficou parado, de costas para mim.

 

— Você quebrou a tigela. — Ele disse em um tom ainda mais inexpressivo que o habitual,e saiu do quarto.

 

— MATE!— Me levantei da cama, ligeiramente cambaleante. Nunca senti tantas vertigens em toda minha vida. Tudo girava fortemente ao meu redor. Caminhei um pouco, até que finalmente perdi o equilíbrio, e só não cai no chão, porque o Uchiha me segurou.


 

— Você quase caiu em cima dos cacos de porcelana.—  Itachi falou em um tom zangado, me pegando no colo e me colocando de volta na cama. — Eu pensei que ninjas médicos fossem mais responsáveis.

 

Ele ia se afastar, mas eu segurei seu manto. Eu estava tão fraca que tive que concentrar chakra nas mãos para segurar com força.

 

— Pare de fugir, e me diga por que está fazendo isso!

 

Itachi fechou os olhos

 

— Não. 

 

— Itachi! Eu sei que você quer me proteger, mas vai acabar me matando!— Falei. — Pelo menos, pare de me entregar a shinobis da Pedra, eu não vou me afastar de você, não importa o que você faça! — Eu havia decidido isso hoje de madrugada. Meus amigos estavam certos. Itachi não me odiava e não queria me matar, então não havia motivos para me afastar dele. É claro que ainda estou com raiva, mas se Itachi realmente está com problemas, então vou ajudá-lo.

 

Itachi olhava fixamente pra mim, o que fez meu coração acelerar, e consequentemente doer mais, já que eu tinha levado uma facada. Era horrível, porque toda toda vez que o coração batia, eu sentia uma leve dor na região.

 

— Yari...— Itachi começou, mas eu o interrompi

 

— Por favor. —  Falei, colocando minhas mãos eu seu rosto. — Você sabe que pode confiar em mim, não sabe?

 

Depois de tanto tempo, nossos rostos estavam próximos. Acho que Itachi finalmente entendeu que não vai conseguir me afastar dele. Seus olhos negros brilhavam novamente. Eu não conseguia interpretar o que aquele olhar queria dizer, mas tomei como algo positivo: era diferente dos seus olhares duros e congelantes que se habituou a me dar. Foi quando eu finalmente percebi que o antigo Itachi nunca me deixou. Ele apenas vestiu uma armadura fria e quase impenetrável….quase.

 

Itachi colocou uma pena branca em cima da  minha cabeça. Droga, o genjutsu do sono! Antes que eu pudesse dizer “Kai”, o Uchiha disse:

 

— Durma bem, Yari.

…………………………………………………………………..

 

Itachi’s pov on

 

Acho que minha farsa acabou. Eu falhei quando tentei afastar a Takeda de mim. 

 

Quando cheguei na batalha e avistei seu corpo caído, com um corte profundo no coração, eu pensei que ela estivesse morta. Sim, Yari sempre foi forte, mas ela estava lutando contra nove shinobis poderosos ao mesmo tempo. Minhas suspeitas se confirmaram, quando me ajoelhei ao lado dela e não senti chakra nenhum, nem sinal de que ela respirava. Coloquei minha mão em seu coração, tentando captar qualquer sinal de que ela estava viva, mas não detectei nenhum batimento.

 

Não era possível. Apesar de todos os meus esforços para protegê-la, ela estava morta, bem diante de mim. 

 

E por minha causa.


 

— Itachi-san!— Ela me chamou, alegremente. — Vamos cortar o seu cabelo. Ele está mais comprido do que o normal.

 

— Você quer cortar meu cabelo?— Perguntei

 

Ela me sentou na cadeira da cozinha, desfazendo meu rabo.

 

— Olhe, essas mechas estão atrapalhando seus olhos.— Ela puxou uma mecha, mostrando-a para mim. Não se preocupe. — Ela sorriu de um modo doce — Eu só vou cortar um pouquinho. Eu adoro o seu cabelo,sabe...

 

Aquela mulher, que cuidou tão bem de mim,e me amou até o fim de sua vida...a mulher que eu gostaria de ter ao meu lado para sempre...Yari….você estava morta bem diante de mim. 


 

Só então percebi, que meu Susano’o adquiriu o manto por cima do esqueleto, ficando em sua forma quase perfeita. O choque de vê-la morta, fez com que o  Susano’o se desenvolvesse ainda mais. 

 

— O QUE VOCÊS FIZERAM COM ELA!—  Falei em um tom firme, fazendo minha armadura rugir, e atacar seus assassinos.

 

Apenas os dois mais jovens sobreviveram, pois conseguiram fugir. Eu poderia ter ido atrás deles. Eram apenas dois shinobis inexperientes, mas cuidar de minha parceira era o mais importante.

 

Desativei minha armadura, e me ajoelhei novamente ao lado dela, afagando seus cabelos, e seu rosto pálido.

 

Peguei sua mão, fria e pálida, e a afaguei de leve. Suas mãos. Ela salvou tantas pessoas com elas...me salvou tantas vezes...Suas mãos estavam tão frias agora. Yari...eu jamais me esquecerei de tudo que fez por mim. Como fui ingrato.

 

— Me perdoe, Yari. — Falei.

 

Foi quando notei um pouco da cor voltar ao rosto da Takeda.. impossível...ela estava viva! Coloquei minha mão em seu pescoço, sentindo sua pulsação, só pra conferir. Estava muito fraco, mas..  Mas como? Eu podia jurar que ela tinha morrido há alguns minutos atrás. Acho que nunca senti tanto alívio em minha vida.

 

 Quando ela me chamou de Itachi-san, depois de tanto tempo, quando eu entrei em seu quarto hoje pela manhã, e vi que ela estava acordada….quando vi seus olhos brilharem novamente, eu me senti... tão feliz. 

 

“Eu não vou me afastar de você, não importa o que você faça! “

 

Como vou afastá-la de mim? 

 

Não consigo acreditar que alguém tão inteligente como ela, não entende que devia ir embora. Eu já a causei tanto sofrimento,tantas lágrimas, tanta dor. Como ela ainda pode falar algo assim para alguém como eu?

 

 Itachi! Eu sei que você quer me proteger, mas vai acabar me matando!

 

Ela sabe que eu estou tentando protegê-la de algo, porque ela  não se afasta? Ela sempre foi muito imprudente, desde a primeira vez que a vi. 

 

Mordi o polegar tentando pensar em algo. Não adianta mais fingir que não me importo com ela. Também, não foi uma boa estratégia, pois tratá-la com desprezo e indiferença quase causou a sua morte. 

 

Talvez...se eu conversasse com ela. Se eu lhe mostrasse o meu passado, a missão que preciso concluir…

 

Eu sei que não deveria fazer isso. É o maior segredo de estado de Konoha, segredo que morrerá dentro de alguns anos, e que será apagado do mundo ninja junto com a minha morte.

 

Mas pelo bem de Yari, ela precisa saber do perigo que está correndo ficando perto de mim. Depois que eu morrer, Sasuke provavelmente irá querer matar pessoas com quem eu tinha ligação, ou que eram meus aliados; Envolvendo-se comigo, ela fica sob a mira não só da aldeia da Pedra, mas de toda Konoha também. E a Akatsuki também não será um bom lugar para ela, se Madara descobrir algo sobre nós.

 

Também não posso me esquecer que irei morrer dentro de alguns anos. Será muito menos doloroso para ela se afastar de mim agora, do que me ver morrer pelas mãos de Sasuke.

 

Outro problema: Se Yari não souber a verdade, quando Sasuke me matar, ela pode ir atrás dele por vingança. É exatamente algo que ela faria. Em hipótese nenhuma, eu quero que os dois se enfrentem.

 

Yari certamente não irá concordar com nada que o destino me reservou. Mas ela sempre foi muito fiel a mim, então sei que mesmo não concordando, ela irá respeitar minhas decisões.

 

...pelo menos, eu espero que respeite.

…………………………………

 

Já se passaram quatro dias desde então. Yari tem insistido que eu fale com ela, mas não irei começar conversa alguma antes que sua saúde esteja estável.

 

Estava picando frutas na cozinha, para que Yari as comesse no café da manhã. Fiquei surpreso quando ouvi seus passos leves e delicados se aproximando da cozinha.

 

— Ohaio, Itachi-san — Cumprimentou. Parecia melhor e mais forte, embora ainda estivesse um pouco pálida. Ela não devia ter se levantado da cama. Ainda estava fraca. Como Yari é imprudente para uma médica.

 

— Volte para a cama, Yari. Isso é muito sério.

 

Ela ignorou minha ordem, e sentou na cadeira

 

— Pensei que você me odiava— Disse, me fitando com rancor.

 

Senti um leve aperto no peito, ao me recordar de todas as coisas ruins que fiz para ela. Suspirei. Parei de cortar as frutas, e  me sentei de frente para a Takeda.

 

— Você definitivamente não irá se afastar?— Eu não falei em um tom de voz rude, mas pude perceber que ela ficou ligeiramente apreensiva com minha pergunta.

 

— Você é tudo que eu tenho...ou que eu tinha. Além disso, eu sei que está com problemas. Não vou te deixar por nada.

 

 Esse era o tipo de resposta que eu imaginei que daria.

 

Suspirei novamente, inclinando meu corpo pra frente. Desculpe-me Sandaime Hokage. A proteção de Yari, é mais importante do que o segredo de uma vila.

 

— E se eu te convencer a me deixar? — Perguntei

 

Seus olhos amadeirados encontraram os meus, fazendo minha pele formigar. Mesmo depois de tudo o que aconteceu, era completamente visível em seu olhar que ela ainda me amava.

 

— Eu duvido muito que consiga.— Respondeu

 

— Se eu te mostrar, algo — Comecei. — Você promete que nunca comentará isso com ninguém?

 

Seus olhos transmitiam uma confiança e sinceridade inabaláveis

 

— Prometo. — respondeu

 

Mesmo assim eu precisava de uma garantia, por menor que fosse

 

— Como posso ter certeza disso? — Essa era a principal pergunta. Tudo dependia de como Yari iria de me responder

 

A Takeda pegou minha mão e a apertou de levinho. Há alguns dias atrás estava tão rígida e fria, mas agora, suas mãos transmitiam um calor confortável e acolhedor. Ao encontrar seu olhar, pude enxergar até o fundo de sua alma. 

 

— Você sabe que pode confiar em mim. — Ela falou em um tom tão confiável e sincero que finalmente me senti seguro o bastante para contar.

 

Fechei meus olhos, preparando o genjutsu

 

— Não tenha medo, Yari. — disse, ainda de olhos fechados. — Eu vou te mostrar...o meu passado.

 

Eu lhe mostrei tudo. Desde quando tinha cinco anos e presenciei a guerra ninja, a gravidez de minha mãe, minhas reflexões sobre vida e morte, o ataque da Kyuubi, a realocação dos Uchiha, os estudos, o primeiro jutsu que meu pai me ensinou, minha amizade com Shisui, meu relacionamento com Izumi, meus sentimentos por Sasuke, a crise do clã Uchiha, minha entrada nos ANBU...e finalmente

 

Minha missão.

 

Grossas lágrimas escorriam do rosto da Takeda, antes mesmo do genjutsu terminar.

 

— Agora você sabe porque deve se afastar.


Notas Finais


Então paçoquinhas, o que acharam?

Gostaria de dizer que estou com dificuldades em escrever o próximo cap, portanto infelizmente ele só sai depois de terça. Quero pedir desculpas por isso, mas como eu falei, é um capítulo muito importante, e não quero entregar nada mal escrito e mal feito pra vocês.

Por último, desejo um ótimo fim de semana, durmam bastante e se possível, comam paçocas porque é muito bom ^^

Beijokas da autora e da família Uchiha

Eu sei que não parece, mas eu amo vocês ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...