História A Era dos Caminhantes - Capítulo 100


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Apocalipse, Caminhada, Caminhantes, Contaminação, Drama, Ficção, Mortos, Mortos Vivos, The Walking Dead, Zombie, Zumbis
Visualizações 4
Palavras 785
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Ficção, Ficção Científica, Romance e Novela, Terror e Horror
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 100 - 8.10 Três Quartos


I...

War e Jow levam o grupo para o interior da casa, era um domicílio normal, os sobreviventes estavam na sala de estar de onde era possível ver a cozinha grande e uma escada que levava para o andar de cima.

- Nós já fomos lá pra cima. - Disse Jow. - tem quatro portas das quais fomos pro de abrir.

- E vocês não abriram? - Perguntou Rinaldo.

- Não.

- Vocês são medrosos. - Debochou Giovanna. - Deveriam no mínimo saber pelo que estão se arriscando ao ficar lá fora impedindo qualquer coisa de entrar.

- Não é problema nossa o que tem naqueles quartos.

- É claro que é. - Giovanna checa a arma e sobe a escada, os outros a seguem. Os Walker deixam os Traficantes irem na frente.

- Pelo menos escutaram algum som vindo de trás das portas? - Giovanna coloca o ouvido próximo a primeira porta.

Jow aponta a AK47 pra porta.

- Não, não ouvimos nada da última vez que viemos averiguar.

Giovanna tenta olhar através do buraco da fechadura mas assim como todas as outras aquela estava tampada por algo. A garota se afasta e pega impulso para tentar sem sucesso derrubar a porta.

- Droga, acho que quebrei a clavícula.

- Meu Deus Ginn. - War acerta dois chutes na porta que desaba no chão, os sobreviventes olham maravilhados quase não acreditando no que viam, era um espécie de closet mas em vez de roupas, calçados e acessórios o lugar estava cheio de armas, munições entre outros equipamentos.

II...

- Puta que pariu! - Exclamou Well. - Isso veio em ótima hora.

- Realmente. - Disse Caren. - Usamos oitenta porcento do que tínhamos na guerra.

- OPA! OPA!  - Jow se vira para os Walkers. - Acham que isso é propriedade de vocês e que vão levar numa boa? Podem esquecer.

- Querido. - Retratou Caren se aproximando dele, ela parecia meiga mas sabia intimidar. - Aposto que tudo isso foi roubado de outros grupos por seus amigos que hoje estão mortos, ou seja, essas armas não são suas, mas pode ser de todos nós se vocês cooperarem e se juntar a nós, se não quiserem podem pegar estrada sozinhos.

- Calma Caren. - Pediu Giovanna. - Jow só está meio confuso, não é mesmo Jow? Não somos traficantes e sim Walkers.

- Tá legal. - Disse Jow. - Vamos levar tudo isso lá pra baixo e depois veremos o que tem nos outros quartos.

- Não. - Interrompeu Rinaldo. - Angelina deve estar em algum desses quartos, cada segundo pode ser preciso, esse arsenal pode esperar, ela não. - Rinaldo vai até a outra porta e com um jogo de corpo ele a derruba caindo dentro em cima da porta dentro do quarto.

Uma zumbi tenta atacar ele mas uma corrente presa na cabeceira da cama e em seu pescoço impede ela de alcançar Rinaldo.

- Já era. - Well com seu machado golpeia a cabeça do vivo-morto. - Temos que ver se é ela.

- E como vão saber? - Perguntou Jow. - Vocês a conhecem?

- Não. - Respondeu Caren. - Sabemos que é branca, cabelo enrolado e castanho, tem uma tatuagem de um crânio com auréola, todos os Anjos tinham.

- Pode ser ela, vou procurar a tatuagem. - Rinaldo se ajoelha ao lado do corpo e começa a procurar pela suposta tatuagem. - É ela, olhem só.

Caren se aproxima e observa a imagem por baixo da coleira no pescoço do corpo.

- Infelizmente.

- Ok, a moça está morta. - Disse Giovanna. - Vamos pegar as armas e voltar pro CCD.

- CCD? - Finalmente falou War, estava curioso. - Eu entendi direito? CCD seria um centro de controle de doenças?

- É isso. - Confirmou Rinaldo se levantando. - É onde estamos.

III...

Caren sai do quarto e olha pelo corredor, Giovanna estava pegando as armas para levar para o carro.

Os garotos também foram ajudar.

- Vocês tem carro? - Perguntou Well para Jow. - Então busquem, vamos ir embora antes que a noite chegue.

Giovanna não aguenta a curiosidade de ver o que tem nos outros quartos, com uma arma adaptada a um silenciador, a garota atira tentando destruir a fechadura da porta do segundo quarto. Ela consegue e nele também encontra uma zumbi no mesmo estado no qual estava Angelina. Giovanna acaba com o bicho é segue pra próxima porta. Ela cola os ouvidos na madeira tentando ouvir algo. Algum som é ouvido, misteriosamente a porta escapa de seu lugar, Giovanna é empurrada para trás por uma dúzia de zumbis.

Caren aparece no corredor a tempo de ver a garota usando a porta para se proteger enquanto entra no último quarto...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...