1. Spirit Fanfics >
  2. A escolha: amar ou odiar? >
  3. Professor Kakashi, o que deseja?

História A escolha: amar ou odiar? - Capítulo 23


Escrita por: Mysa___15

Notas do Autor


Olá, gente. Passando pra avisar que vou dar um tempo nas outras coisas para desenvolver o romance deles, tudo bem? Afinal, eles precisam resolver o que serão. Depois disso, eu começo a revelar as bombas. 👀

Capítulo 23 - Professor Kakashi, o que deseja?


Fanfic / Fanfiction A escolha: amar ou odiar? - Capítulo 23 - Professor Kakashi, o que deseja?

Sakura

Como eu disse, aquela noite não parou por ali. Depois do banho, nós estávamos morrendo de frio, então deitamos na minha cama debaixo de uma coberta. 

Nos olhamos nos olhos, e ele acaricia minha pele, em seguida me dá um beijo. 

Seu beijo nunca vai ser entendiante, porque ele é bastante criativo. Dessa vez, é um beijo calmo, um beijo apaixonado. Ele parece querer explorar cada cantinho da minha boca. 

Depois de encerrar o beijo, ele me abraça. Me abraça tão forte que posso sentir que ele estava carente.

Naquele momento, pensei comigo mesma que Sasuke não era a pessoa arrogante e fria que queria demonstrar ser. Ele era só um garoto que devia ter sofrido muito, e a única coisa que precisa é de carinho. 

Não sei a hora que dormimos. Mas sei que ficamos nos olhando em silêncio até o sono chegar. Acho que nem precisávamos falar nada. Estava ótimo assim, não precisamos de rótulos. Rótulos as vezes estragam tudo, concorda? 


No meio da noite eu acordo, e dessa vez me sinto acolhida ao ver alguém do meu lado. Não era alguém qualquer, era o Sasuke. Eu não vou negar, eu gosto tanto desse moleque. Mas acho que ainda não estou disposta a me entregar totalmente a alguém. 

Eu passo a admirar seu rostinho lindo. Seus olhos, sua boca, seu narizinho... Tudo parecia esculpido pelos anjos. Eu toco nos seus cabelos, tão macios e sedosos...

Ao sentir meu toque, ele acorda. 

- Ah, oi Sakura. Acordada por essas horas?

- Não, não. Eu dormi, acordei agorinha. 

- Entendi... 

Ele me dá um selinho, e volta a me abraçar. 

- Eu tô morrendo de frio, espero que não se importe. 

Ah, tenha certeza, eu não me importo. Pensei. 


( Manhã seguinte ) 


- Sasuke, acorda. Temos que ir pra faculdade. 

- Sakura... Você está tão linda.

- Faculdade, Sasuke. 

- Ai merda, a faculdade... Eu tinha esquecido disso. E agora, eu nem trouxe roupas? 

- Relaxa, quando você foi morar na casa do Naruto esqueceu algumas roupas aqui. Eu guardei, caso você vinhesse buscar. 

- Ah, muito obrigado, Sakura. Nossa, já te falei que você está linda hoje?

- Para de me chamar de linda toda hora. 

- Você não gosta?

- Gosto, mas é que isso é um pouco estranho. 

Ele se levanta e vem até a mim. Ele encosta seu corpo no meu e me abraça de costas, e então distribui beijos no meu pescoço. 

- Prefere quando eu te chamo de piranha? 

- Talvez...

- Ah, Sakura, que danadinha. - Ele diz dando um tapa na minha bunda. 

- Não temos tempo pra isso, Sasuke. Não agora. Vamos tomar café, eu fiz algo para a gente. 

- Certo... 

Vamos até a cozinha e eu coloco nosso café e algumas panquecas na mesa. 

Enquanto ele come, começa a me encarar. 

- Sabe, Sakura, isso não é exatamente o que eu queria comer agora. 

- Ah, é? E o que você queria comer agora, Sasuke Uchiha? - Falo com uma voz manhosa me fingindo de desentendida. 

- Você, Sakura. Eu quero você. 

- Acho que uma rapidinha não tem problema, não é? 

Ele dá um sorrisinho no canto da boca. Logo se levanta e vem até a mim. 

Ele me pega e me coloca em cima da mesa, e começa a distribuir beijos pelo meu corpo inteiro, enquanto admira cada curva. 

Ele finalmente chega na minha intimidade, e abaixa um pouco minha calcinha, mas não toda, afinal aquilo era uma rapidinha.

Logo sinto suas mãos tocarem as minhas coxas, e ele começa a beijar aquela região, me provocando arrepios. Sinto que vou explodir de tesão, quando ele finalmente mete a língua na minha intimidade. 

Eu gemo de alívio, enquanto ele faz movimentos tão precisos lá embaixo. Sasuke é muito bom no que faz, ele sabe exatamente o ponto que me leva ao delírio e me chupa com vontade. 

- Ai, Sakura, tão molhadinha. 

Eu sei, eu estou enxarcada. Seguro nos seus cabelos para conter um pouco a vontade que estou de gritar. Aquilo está tão bom. 

Quando ele sente que vou gozar, ele para. 

- Por que fez isso, Sasuke?

- Não goza agora. Eu ainda quero comer você. 

- Então faz isso logo. 

- Com prazer, literalmente. 

Ele abaixa duas calças, mostrando seu membro que está totalmente duro. 

- Vê como me deixa? 

Ele começa a me beijar, e eu o masturbo com minhas mãos. 

Assim que encerra o beijo, ele aproxima seu membro da minha intimidade e começa a me masturbar com ele. 

- Sasuke, seu maldito, mete logo. 

- Pervertida demais. Merece um castigo. 

Ele entra sem me avisar, e começa a me penetrar forte, muito forte. Mas eu quero mais, quero senti-lo por completo. 

- Mais forte. Vai, mete tudo. 

- Assim, safadinha? 

Ele diz acelerando os movimentos. 

- Assim, exatamente assim. 

- Sakura, você me deixa louco. Eu só penso em meter em você o tempo inteiro, sua gostosa do caralho. 

Aqueles xingamentos, ah. Eu não aguento, e gozo no membro dele. 

Ele continua metendo mesmo após eu ter gozado. Mas não demora muito para que eu sinta seu pré gozo chegando. 

- Na boquinha, gatinha. 

Eu me levanto da mesa e me ajoelho, e então começo a chupá-lo. Lambuzando ele todo, deixando seu membro todo enxarcadinho com a minha saliva. 

Logo sinto aquele líquido jorrar na minha boca, e eu engulo tudo. 

- Isso, boa garota. 

- Agora precisamos ir logo, estamos atrasados. 

Nos vestimos rapidamente. 

- Nem tempo para um beijinho? 

- Ah, Sasuke... 

Eu nunca consigo resistir. Lá estamos nós, agarrados de novo. Que beijo excitante do caralho. 

- Quando acabar nossa aula, vou querer você de novo, amor. 


Amor? Espera... Sasuke acabou de me chamar de amor? 

- Você não gostou disso, não é? Desculpa, saiu sem querer.

- Não tem problema, eu acho. Só fui pega de surpresa. 

- Então me dá outro beijo aqui. 

Nos beijamos de novo. Só que dessa vez nosso beijo foi interrompido com a chegada de Ino e Itachi. 

- Uau, me desculpem. Não sabia que você estava aqui, Sasuke, e muito menos que estavam ocupados. 

- Não tem problema, já estamos de saída. 

Ino olha para mim com um sorriso maléfico. 

- É, parece que se acertaram. 

Vejo que Itachi e Sasuke se encaram de uma maneira bem louca. Sasuke parece bravo. As coisas pareciam não estar nada bem entre os irmãos. 

- Vem, precisamos ir, estamos atrasados. - Chamo Sasuke, tentando cortar aquele clima, e porque realmente estávamos atrasados. 

- Certo, vamos. 

Passamos por Ino e Itachi, enquanto eles trocavam olhares bem sérios. Parece que tudo desencadeou entre eles depois do dia da delegacia. 


( No carro... )

- Sasuke, estou curiosa. O que aconteceu entre você e seu irmão?

- Nada. 

- Ah, jura. Vai mentir pra mim, Sasuke? 

- Não seja chata, tá. 

- Vixe, já mudou a pose de garoto bonzinho pra esse arrogante aí? 

Percebo que minhas palavras tocaram ele, porque ele percebeu que estava começando a ser chato. 

- Desculpa, Sakura. É que essa impulsividade...

- Não tem problema, não precisa explicar. Eu que sou muito curiosa mesmo. 

- Bem... Você sabe que meus pais morreram não é? 

- Sim, sei. 

- Então. De uns dias pra cá resolvi que quero vingar a morte deles. 

- Então eles foram assassinados?

- Basicamente.

- E parece que Itachi não gostou disso não é?

- Não. Ele não concordou nenhum pouco, acha que eu devo seguir outros ideais. Mas, Sakura, eu não vejo nenhum outro motivo pra seguir minha vida. 

- Então você acha que tendo sua vingança você se sentirá mais feliz e aliviado?

- Talvez. Olha, pensa bem. Se seus pais fossem mortos você não iria querer vingar a morte deles a qualquer custo?

- É, não sei. Na verdade eu não sei responder o que eu faria. Mas eu posso entender você. De qualquer forma, não deixa isso domar você por completo. 

- Eu sei. 

- Sasuke, mas você faz faculdade de medicina, então você também tem um sonho, não é? Você não quer se tornar um médico? 

- Na verdade... Não. 

- Quê? 

- É isso aí, só tô lá porque não tenho nada pra fazer. 

- É... Isso é estranho. 

- Na verdade, eu já tive o sonho de ser alguma coisa. Mas isso é passado. 

- O que você queria ser? 

- Você não vai acreditar, mas eu queria ser escritor. 

- Jura? Que legal! E por que não tenta Sasuke?

- Eu estudei um mês, mais depois que meus pais morreram tranquei o curso. Não me deu vontade de fazer mais nada. 

- Mas quem sabe se você tentar isso não possa alegrar um pouco mais a sua vida. 

- É, acho que não. 

- Tá, se é o que você acha. Mas de qualquer forma, você precisa de uma razão para viver. Não ter uma razão pra viver é muito pior do que estar morto. 

- Eu tenho uma razão. A minha vingança. 

- E depois dela, qual será a sua motivação? 

- ...

- Não sabe não é? É disso que estou falando. 

- Chega de falar de mim, Sakura. E você, qual a sua motivação? 

- Eu quero ser uma médica. Sempre quis. Ajudar as pessoas, eu posso salvar vidas. 

- É um bom sonho, eu acho. 


Continuamos conversando bobeira até chegarmos na faculdade. Estávamos no carro dele, ele se ofereceu pra me levar. 

Como sempre, a atenção das pessoas era toda nossa. Elas deviam ficar curiosas para saber o que era a nossa relação. Coitadas, nem nós sabemos. 

Depois de começar a aula, professor Kakashi anuncia nossa primeira prova. Teríamos um mês para estudar, o que era excelente. Tempo o bastante para se dar bem. Em compensação, os assuntos estavam em 3 livros completos. É, vou ter que me virar nos 30 esse mês. 

Eu e Sasuke damos olhadas a aula inteira. Mandamos beijos, e fazemos gestos. Professor Kakashi ao perceber não parece ter gostado muito daquilo. 

- Os dois podem prestar atenção na aula e deixar o namorico para depois? 

É a primeira vez que tomo bronca. Que coisa, não é? 

Nos olhamos uma última vez e rimos da situação. 

Depois que a aula se encerra, todos nós saímos. 

Quando vou saindo, ouço o professor falar comigo. 

- Sakura... Espere um pouco.

- Sim, professor? 

- Você namora aquele cara?

- É, não. Somos...

- Tá, tá. Era o que eu precisava saber. 

- Mas por quê? 

- Quero te convidar para sair. 

- Sair? Com o senhor? 

- É. Não tem problema, tem? 

- Eu... Não sei. 

- Por que está nervosa, Sakura? É só um encontro. Se quiser, podemos nos encontrar amanhã a noite em um restaurante aqui perto. 

- Certo, eu vou pensar. 

- Pensa direitinho. Beijos, fofa. 


Ai meu Deus... Que droga é essa? Será que o professor está de olho em mim? Não, não. Será não. Ele está de olho em mim. Mas, e agora, o que eu faço? 

Vou até o carro de Sasuke, que já me espera encostado a porta. 

- Você demorou. 

- estava resolvendo umas coisas. 

- Você quer ir pra casa? 

- Sei lá. Acho que sim. 

- Tudo bem. Sakura, não tem nada programado para hoje a noite, tem? 

- Não... 

- Eu queria te levar em algum lugar. 

- Que lugar? 

- Que tal, cinema? 

- É, faz tempo que não vou ao cinema, então pode ser. 

- Ótimo. Eu vou te buscar, tá bom? Esteja pronta às 21h. 

- Ok. 

Ele me deixa em casa, e se despede com um beijo. 

Aquela relação estava mais estranha que outra coisa. Talvez estivéssemos sendo carinhosos demais? Merda, e se eu confiar demais nele e ele for mais um idiota? 

Sabe, a aparência dele me lembra um pouco a do meu ex... Cabelo preto, a pele macia, os olhos... 

Ai meu Deus, Sakura. Apesar de Sasuke ser um idiota, ele nunca te machucou. Como pode comparar Sasuke a alguém como ele?

Entro em casa e tomo um banho. Agora vou ficar fazendo vários nadas enquanto espero chegar a hora do meu encontro... Espera, encontro? Agora caiu a ficha, Sasuke me chamou para um encontro. Ele realmente está apaixonado. 










Notas Finais


Obrigada por ler! : )


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...