História A Escolha- kookmin - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Jikook Koomin
Visualizações 331
Palavras 1.195
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello, boa leitura.

Capítulo 11 - Eleven.


Fanfic / Fanfiction A Escolha- kookmin - Capítulo 11 - Eleven.

Taemin: é só dizer.


●A escolha.  Capítulo 11●


Eu estava certo. Taemin conhecia de cor cada canto do palácio e sabia exatamente como Jungkook e eu poderíamos sair de lá. 

Jungkook: você tem certeza disso?- perguntou, enquanto nos trocávamos no dia seguinte. 

Jimin: precisamos saber o que está acontecendo. Não tenho dúvidas que estaremos seguros.


A porta do banheiro estava entreaberta e conversávamos por uma frestinha enquanto ele atirava o terno no chão e vestia jeans e camisa própria de seis. As roupas de Taemin eram um pouco pequenas para Jungkook, mas serviam. Felizmente, para mim tinha conseguido arranjar umas roupas menores de outro soldado. Mesmo assim, tive que dobrar várias vezes a barra da calça para encontrar meus pés. 

Jungkook: você parece confiar muito nesse guarda.

Jimin: minhas criadas dizem que é um dos melhores. E foi ele quem me levou até o abrigo quando os sulistas atacaram rapidamente. Ele sempre parece pronto para tudo. Tenho uma boa impressão dele. Pode confiar.


Em meio aos barulhos de roupas, Jungkook continuou suas perguntas. 

Jungkook: como você sabia que ele era capaz de nos tirar do palácio? - sua voz mostrava um pouco de ciúmes. 

Jimin: não sabia. Apenas perguntei. 

Jungkook: e ele simplesmente disse que sim?

Jimin: bom, eu disse que era um favor para você. 

Então ele emitiu um som que parecia um suspiro. 

Jungkook: ainda acho que você não deveria ir.

Jimin: eu vou, Jungkook. Já está pronto?

Jungkook: sim, só preciso calçar os sapatos. 


Abri a porta e depois de uma olhada rápida, Jungkook caiu na gargalhada. 

Jungkook: desculpe, estou acostumado a te ver com coisas sociais ou jeans.

Jimin: você também fica diferente quando não está de terno, deveria usar jeans mais vezes.


De fato ele ficava, mas não de um jeito cômico. Embora as roupas de Taemin fossem justas demais, Jungkook ficava bem com jeans preta. A camisa mostrava os braços fortes que só havia visto no abrigo.

Jungkook: digamos que essa calça é pesada, mas quem sabe- piscou e um ri. Depois ele foi ate o armário- precisamos de algo para segurar sua calça, ou a noite será mais escandalosa.


Jungkook pegou uma faixa vermelha escura, se aproximou e passou pelo cós da calça. 

Não conseguia dizer o por quê, mas aquele gesto significou muito para mim. Meu coração chegou disparou de tal maneira que me perguntei se Jungkook teria escutado.

Jungkook: ouça- ele disse, enquanto amarrava a faixa- o que vamos fazer é muito perigoso. Se acontecer alguma coisa,  quero que corra. Nem tente voltar ao palácio. Encontre uma família que te hóspede durante a noite.


Jungkook deu um passo para trás e encarou meu rosto aflito. Inclinei a cabeça. 

Jimin: ficar na casa de alguém , pode ser mais perigoso que enfrentar os rebeldes agora. As pessoas podem estar com raiva por não abandonarmos a competição. 

Jungkook: se o artigo que Sehun mostrou estiver certo, as pessoas talvez estejam orgulhosas de você. 


Quis discordar de Jungkook, mas uma batida na porta interrompeu. O príncipe abriu,  e logo Taemin e outro soldado entraram no quarto.

Taemin: alteza- saldou- o senhor Park nos informou que o senhor precisa ir além das muralhas do palácio. 

Jungkook respirou fundo.

Jungkook: sim. E ouvi dizer que você é um homem que pode ajudar, soldado...- buscou o distintivo de Taemin- Taemin.

Taemin: não será muito difícil, na verdade. Manter a discrição pode ser o problema. 

Jungkook: como assim? 

Taemin: bem, acredito que tenha um motivo para o senhor querer fazer isso de noite, sem o conhecimento do rei. Se fossemos interrogados imediatamente- lançou um olhar para o outro soldado- acho que não poderíamos mentir para ele.

Jungkook: e eu não pediria isso a vocês. Espero poder revelar isso ao meu pai em breve. Essa noite,  porém, a discrição é fundamental. 

Taemin: não será problema- respondeu hesitante- acho que o senhor Park não deveria ir.


Como se tivesse vencido uma discussão, Jungkook me olhou com uma cara de "não falei?"

Jimin: não vou ficar sentado aqui, esperando. Já fui perseguido por rebeldes uma vez e fiquei bem.

Jungkook: mas não eram sulistas- rebateu.

Jimin: eu vou! Estamos perdendo tempo- cruzei os braços. 

Jungkook: vamos ser claros: niguém concorda com você. 

Jimin: vamos ser claros: eu não ligo.


Bufando, Jungkook ajeitou a touca na cabeça. 

Jungkook: então,  o que devemos fazer? 

Taemin: o plano é simples- disse em um tom decidido- duas vezes por semana, o palácio despacha um caminhão para comprar mantimentos. Às vezes, a cozinha fica sem previsões no meio da semana. Geralmente quem vai é guardas. 

Jimin: ninguém vai suspeitar?- perguntei.

Taemin: não. Essas saídas são sempre à noite. 


Jungkook pegou um papel do bolso e entregou a Taemin. 

Jungkook: consegui enviar um bilhete para E'Dawn. Ele disse para nos encontrarmos nesse endereço. Sabe onde fica?

Taemin: não é a melhor parte da cidade, mas conseguimos. E o senhor arrume melhor essa touca e coloque esse óculos de sol.


Peguei o óculos e o coloquei. 

Jimin: que tal?

Ele começou a rir.

Jungkook: está ótimo! 


Dei um soquinho em seu braço e me virei para Taemin. 

Notei a dor em seus olhos ao ver a intimidade que eu tinha com Jungkook. Talvez fosse mais que isso. Nós tínhamos passado dois anos escondidos em uma casa da árvore, mas naquele momento eu estava prestes a circular pelas ruas após o toque de recolher com o homem que os rebeldes sulistas queriam morto.

Era um tapa na cara de tudo que tínhamos vivido.

Taemin: sigam-nos. 


Taemin e o outro soldado nos guiaram até a escadaria que levava ao abrigo da família real. Em vez de seguir em direção às grandes portas de aço, passamos reto até acharmos outra escada de espiral.  Saímos na cozinha. 

Assim que entrei, senti o aroma do pão doce. Por uma fração de segundos, me senti em casa. Esperava algo mais frio, mais profissional, como padarias chiques. No entanto, era algo simples. 

Taemin: mantenham a cabeça baixa.- sussurrou- Delilah? - gritou.

xx: um segundo, querido- uma voz respondeu. Passos pesados vinham até nós- Taemin, meu docinho, como tem passado?

Taemin: bem. Acabei de saber que tem uma encomenda para buscar e imaginei que você teria uma lista para mim.

Delilah: encomenda? Não que eu saiba.

Taemin: esquisito, tenho certeza que os soldados falaram isso.

Delilah: vai lá... - deu um risinho.


Taemin saiu e voltou com um maço de chaves.

Taemin: vejo você mais tarde. Obrigado. 

Delilah: venha me visitar mais vezes.


Taemin voltou ao caminho e o seguimos sem dar um pio. Sorri imediatamente, a mulher Delilah deu em cima de um guarda em frente ao príncipe. 

Subimos a rampa e fomos até um par de portas amplas. Taemin descadeou e abriu. Ele estava a nossa espera, em um grande caminhão preto.

Soldado: não tem onde se segurar. Acho que vocês dois devem ir atrás. 


Fui até a traseira do caminhão, onde Taemin já abria as portas.

Taemin: Park- estendeu a mão para mim- Alteza- disse na vez de Jungkook, que recusou a ajuda com uma expressão séria. 


Dentro do caminhão havia alguns caixotes e uma estante presa. Jungkook foi na frente para inspecionar a área. 

Jungkook: aqui, Jimin- disse, apontando para um canto- vamos nos apoiar contra a estante. 


Taemin fechou as portas. Em meio a escuridão, segurei a mão de Jungkook. 

Jungkook: está com medo?- perguntou sereno.

Jimin: não e você?

Jungkook: também não. 


Tinha certeza que estávamos mentindo.





Notas Finais


PERDÃO SE TIVER ERRO DE ESCRITA.
COMENTEM SUAS OPINIÕES
BEIJOSSS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...