História A Escolha- versão Jikook - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Jikook Koomin
Visualizações 223
Palavras 1.226
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom dia, boa leitura e até as notas finais.

Capítulo 7 - Seven.


Fanfic / Fanfiction A Escolha- versão Jikook - Capítulo 7 - Seven.

Fui embora, furioso com Jungkook por me fazer se sentir daquele jeito  e furioso comigo mesmo por piorar tanto as coisas.


●A escolha. Capítulo 7


Assisti uma verdadeira transformação no palácio. Do dia para noite,  sinuosas árvores de natal surgiram nos corredores do primeiro andar; guirlandas pendiam nas escadarias; todos os arranjos de flores foram trocados por azevinho de visco. O estranho é que eu podia sentir um pouco do verão de abrisse a janela. Fiquei pensando se o palácio conseguia fabricar neve. Talvez, se eu pedisse, Jungkook cuidaria disso.

Ou talvez não. 

Passaram-se dias. Tentava não me irritar em ver Jungkook fazer o que eu tinha aconselhado. À medida que as coisas esfriavam entre nós, mais eu me arrependia do meu orgulho. E ficava me perguntando se aquilo aconteceria de um jeito ou de outro. Será que eu estava destinado a falar coisa errada? A fazer escolhas erradas? Por mais que eu quisesse Jungkook, nunca conseguiria me controlar para termos uma relação de verdade. 

Toda essa história me deixava cansado.

Passei a dar voltas pelo palácio de tarde. Com o jardim interditado,  o salão dos selecionados ficava sufocado demais as vezes.

Foi numa dessas caminhas que senti a diferença. Era como se um botão invisível tivesse cedo acionado em todo o palácio. Os soldados estavam mais rígidos;  as criadas se moviam mais depressa. Até eu me senti estranho, como se não fosse tão bem- vindo como antes. Antes de entender o que estava acontecendo, vi o rei dobrar a esquina com um pequeno séquito atrás de si.

Tudo faz sentido. Sua ausência tinha deixado a palácio mais acolhedor. Com o seu retorno, estávamos mais uma vez presos em seu capricho. Não era a toa que os rebeldes nortistas adoravam Jungkook. 

Fiz uma reverência quando o rei se aproximou. Quando chegou a um certo nível, ele ergueu uma mão, mandando o homem  que o seguia parar.

Rei: Senhor Park. Vejo que ainda está aqui- comentou com um sorriso forçado. 

Jimin: sim. Majestade.

Rei: e o que fez na minha ausência? 

Jimin: fiquei em silêncio- sorri.

Rei: bom garoto- retomou sua caminhada, mas lembrou de algo e voltou- fui informado de que, entre os garotos que ainda estão aqui, você é o único que recebe dinheiro. Acho que é hora de por um fim a tudo isso- meu queixo caiu- a não ser claro, que você esteja aqui pelo dinheiro não por amar meu filho.

Jimin: o senhor tem razão- me xingava mentalmente por não começar uma discussão- é justo.

Rei: cuidarei disso imediatamente- saiu frustrado por não conseguir o que desejava. 


Eu fiquei lá, parado, tentando não sentir pena de mim mesmo. De fato, era justo. O que as pessoas iriam pensar se soubessem que eu sou o único a receber o pagamento? E afinal, ele ia acabar cedo ou tarde. Respirei fundo e fui para o quarto. O mínimo que podia fazer era escrever uma carta e avisar que o dinheiro não chegaria mais.

Abri a porta, e pela primeira vez, minhas criadas me ignoraram por completo. Bárbara e Agatha estavam em um canto, reunidas em volta de trajes que trabalhavam. 

Agatha: Bárbara, você disse que terminaria a calça Jeans noite passada- reclamou.

Bárbara: eu sei, eu sei. Tive que fazer outra coisa, mas termino agora.

Agatha: exato. Você tem feito tantas coisas ultimamente- bárbara abaixou a cabeça- o que está acontecendo com você? 


Tossi de leve.

As duas imediatamente olharam para mim e fizeram uma reverência. 

Jimin: não sei o que está acontecendo- eu disse, me aproximando- mas duvido que as criadas da rainha discutam desse jeito. Além disso, estamos perdendo tempo, não é?

Agatha: mas ela...- apontou o dedo zangada para bárbara. 


Fiz um gesto com a mão e ela ficou em silêncio. Me surpreendi como havia funcionado. 

Levei minutos até perceber que o clima do meu quarto estava pesado demais para me concentrar. Peguei o papel e caneta correndo para o andar de baixo. 

Parei na porta do salão dos selecionados, talvez lá também não fosse o melhor lugar para ficar. Segui pelo corredor principal até encontrar um cantinho discreto, havia até um banco. Estava praticamente escondido atrás de um vaso enorme de arranjos. A ampla janela dava para o jardim, e por algum motivo o palácio não parecia tão grande. Eu olhava os pássaros tentando achar a melhor forma de dizer que eles não contariam mais com o cheque. 

Xx: Jungkook, nós não podemos ter um encontro de verdade? Em algum lugar fora do palácio? - reconheci no ato a voz, era Taehyung. Talvez o salão dos selecionados não estivesse tão cheio.

Jungkook: eu bem que gostaria, querido, mas as coisas estão meio que complicadas no momento. 

Taehyung: queria poder te ver em um lugar, onde você não fosse o príncipe- resmungou, fazendo charme.

Jungkook: mas eu sou o príncipe em todo lugar.

Taehyung: você sabe o que eu quero dizer.

Jungkook: sei. Sinto muito, mas não posso ceder isso à você. Seria ótimo poder lhe ver em outro lugar, onde você não fizesse parte da elite. Mas essa é minha vida.- seu tom de voz ficou triste- você se arrependeria?- perguntou- porque a realidade é essa, pelo resto da sua vida. Os muros são bonitos, mas são muros. Minha mãe raramente sai do palácio- observei os dois passando, sem eles repararem minha presença- e se você acha o público invasivo agora, saiba que será pior quando for o único garoto que vão acompanhar. Sei que seus sentimentos por mim são profundos. Sinto todos os dias. Mas quer participar disso? De toda minha vida?


Os dois pareciam parar em algum lugar do corredor, pois a voz de Jungkook parecia ficar no mesmo volume.

Taehyung: Jeon Jungkook, do jeito que você fala parece que é um sacrifício para mim estar aqui. Mas eu agradeço todos os dias por ser escolhido. Às vezes, imagino como seria se nós não tivéssemos nos conhecido... prefiro perder você agora, em vez de não ter passado pela seleção. 


Sua voz estava embargada. Não chorava, mas estava quase lá. Não consegui ver.

Taehyung: queria que soubesse que amaria você sem roupas bonitas e salas maravilhosas. Quero você sem a coroa, Jungkook. Apenas quero você. 


Jungkook ficou sem palavras. Imaginei que talvez ele estivesse o abraçando ou enxugando suas lágrimas. 

Jungkook: não consigo expressar o quanto essas palavras significam para mim. Estava desesperado para ouvir alguém dizer que se importava só comigo.- disse baixinho.

Taehyung: você é muito importante para mim, Jeon.- outro momento de silêncio- Jungkook? 

Jungkook: eu... Acho que não quero esperar mais.


Quando ouvi tudo isso, deixei o papel e caneta de lado e tirei meus sapatos, indo silenciosamente até a ponta do corredor. Espiei e pude ver Taehyung passar a mão pela nuca de Jungkook, até parar na gola de seu paletó. Para a primeira vez de Taehyung, ele parecia muito bem. Melhor que a pprimeira vez de Jungkook, isso eu tinha certeza. 

Fiquei atrás da parede e pude ouvir uma risadinha vindo de Taehyung. Jungkook deixou escapar um suspiro, meio de alívio. Voltei correndo para o banquinho. Completamente arrasado.


Mãe e pai.

Há tanto o que fazer, preciso ser breve. Na tentativa de provar meu afeto por Jeon e não pelos luxos da elite, tive que abrir mão da pensão dada aos participantes. Sei que estou avisando de última hora, mas tenho certeza de que, tudo que recebemos até agora, não deveríamos esperar mais.

Não fiquem decepcionados com a notícia. Estou com muitas saudades e espero lhes ver logo.

Amo todos vocês. 

~Jimin.



Notas Finais


Raivinha do Jeon, mesmo que Jimin tenha pedido aquilo.
Comentem suas opiniões, o que vocês acham que o Jimin deve fazer.
É isso ,beijosss
Perdoem o capítulo pequeno.

Bora dar uma olhadinha no trailer? https://youtu.be/OjGOpGet-2Q


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...