História A Escolhida - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias The Seven Deadly Sins (Nanatsu no Taizai)
Personagens Elizabeth Liones, Meliodas
Tags Drama, Melizabeth, Nanatsu No Taizai, Novela, Romance
Visualizações 52
Palavras 1.041
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oieeee meus amores.
Espero que gostem e boa leitura❤

Capítulo 2 - Um início


 

 

 

 

 

 

 

 

Os dias passaram arrastando-se desde aquele dia. As garotas de todas as partes estavam ficando eufóricas por conta disso. Minha mãe me olhou como se eu já fosse a nova rainha, isso fez meu estômago vazio revirar, afinal desde que acordei hoje e senti que era o dia de conhecer o Príncipe pessoalmente, fez a fome e vontade de viver ir embora rapidamente.

 Eu não tomei café da manhã, não almocei e muito menos desejei colocar qualquer coisa na boca. Eu estava passando muito mal, com o fato disso ser meu destino.

 

 

 

 

 

- Você está linda Elizabeth! - Minha mãe sorriu com seus olhos azuis brilhantes. Para ser honesta ela já me via como uma rainha, mesmo sem a minha aceitação sobre isso, ela só não era capaz de admitir em voz alta para não ferir meus sentimentos.

 

- Mamãe eu não vou conseguir fazer isso. Provavelmente vai ser uma mer...

 

- Nem termine essa frase Elizabeth Liones! Nem devo dizer o quanto as suas palavras podem te ferrar. A última pessoa que falou assim com o rei passou quatro anos sem ver a luz do dia!

 

 

Bom...nem preciso dizer que isso me assustou bastante né?

 

 

 

 Análisei meu vestido vermelho longo acentuava todas as minhas curvas, posso ser mediana, mas de saltos pareço uma mulher muito mais confiante. Meus olhos azuis estavam destacados pelo o esfumaçado, meus lábios rosados com brilho suave, meus cabelos platinados em um coque perfeito, apenas com alguns mexas soltas em meu rosto.

 

 

 

- E se eu não gostar dele? - Engoli seco olhando para minha imagem no espelho.

 

Minha mãe riu.

- Controle o seu gênio bebê. Aposto que ele irá amar você. - Assegurou confiante, mas eu não acreditaria nisso. O príncipe era conhecido por partir os corações de todas as mulheres, e pior, elas não se incomodavam em serem usadas por ele.

 

Mas eu não. Eu não podia aceitar algo assim. Meliodas Demon, sempre teve aquele ar arrogante quando passava pelas as ruas, seus olhos verdes mostravam determinação e teimosia, acho que ele nunca deve ter ouvido um não. Ou seja, eu e ele no mesmo ambiente tinha tudo pra não dar certo.

 

 

Depois de um tempo ouvi o barulho do lado de fora. - Sua hora chegou bebê. – Escutei minha mãe informar ao longe, girei e não sei como diabos ela se moveu até a janela tão rápido. Fiz uma careta, pegando minha bolsa de cima do sofá com as mãos tremulas.

 

- Eu vou voltar. – Afirmei incerta. E se eles me trancafiassem dentro de uma masmorra? Isso poderia acontecer, já que eles são a classe predominante. Meu Deus! Eu pareço um servo prestes a ser abatido.

 

- Claro que sim. – Ela revirou os olhos. – É só um jantar para fins de apresentações e não quem irá a próxima guerra dos estados. – Bufou.

 

- Eu acho que eu sairia melhor na guerra. – soltei sarcasticamente para ela.

 

- Elizabeth.... – Antes que eu partisse ela segurou minha mão fazendo-me encara-la, com seus grandes olhos azuis preocupados. – Qual seu maior medo?

 

 

Eu encarei seus olhos sem saber o que responder.

- Eh... Eu não sei mãe. - Sussurrei. - Ela sorriu em gentileza e me abraçou.

- Bebê, um dia você saberá a resposta para essa pergunta. Ou melhor, eu até acho que sabe. Bom, está na hora de ir. - Ela me apertou ainda mais.

 

 

- Eu te amo mãe. - A abracei de volta.

- Não mais que eu bebê.

Revirei os olhos para o estúpido apelido. 

- Só Elizabeth!

 

Ela abriu a boca para responder mas eu não parei para ouvir indo até a porta a abrindo. Um grande SUV esperava por mim, com passos lentos eu segui de cabeça erguida, porque se a dor me consumir agora, eu irei desmoronar. E tudo que eu não precisava era que o Rei, visse meu lado mais vulnerável.

 

 

 

 

(...)

 

 

 

 

 

 

 

No palácio...

 

 

 

 

Andando em direção ao palácio, sinto minhas pernas fraquejarem ao ponto de quase cair, eu sinto que cedo ou tarde eu irei desmaiar. Pelo amor de Deus! Eu não sou uma candidata. Eu só quero ir para casa, dormir e esquecer tudo isso.

 

- Senhorita Liones? – Uma voz suave cumprimenta-me assim que fico diante da porta. Ergo o olhar para ver um homem alto, de porte militar dentro de um terno preto bem alinhado aos seus músculos. Ele sorriu - Meu nome é Escanor.

 

- Olá. – Eu digo como comprimento. Ele me lança um olhar confuso mais estende uma mão grande para mim. A minha tremula se ergue e segura a sua como se fosse minha tábua da salvação. 

 

- Obrigado, voltem para seus postos. – Escanor ordena para os guardas que me seguiram até aqui. Com sorriso nervoso eu fico ao seu lado. - A senhorita não é muito falante. – Disse com sorriso torto. Olho pelo o canto do olho, sem demonstrar emoções.

 

Bom eu sou o tipo tagarela, mas jamais deixaria ele ver esse meu lado hoje, principalmente diante do Rei. Eu não quero ir para a masmorra por causa da minha língua.

 

- Estou nervosa.

 

- Isso é natural, mas para mim é surpreendente, todas as outra já se encontram no palácio e não param de falar, você por outro lado é tímida e calada. – Observa me levando pela a porta principal. Não respondo, deixo ele com o ar da dúvida sobre mim.

 

Olho em volta, e quase desmaio com a riqueza do lugar. Tudo! Quando eu digo tudo, quero dizer que tudo pode ser de ouro maciço, das molduras dos quadros ao grande corrimão da escada central e maçanetas das portas que não são poucas. Tudo é muito luxuoso e limpo, realmente um verdadeiro grande palácio. Suspiro nervosa apertando a mão de Escanor com medo de cair e fazer uma cena. Ele apenas sorrir e continua me levando em direção a uma sala de estar bem desenhada, esse lugar não como eu imaginei com coisas de época, mas sim um lugar completamente moderno que preservou coisas dos seus antepassados. Assim que a porta é aberta eu tomei um choque, algumas mulheres estavam espelhadas pela a sala enorme. E o que eu poderia dizer? Elas são lindas, uma mais que a outra.

 

 

 

 

" Onde foi que eu me meti? "


Notas Finais


Quem aí está pronto para um encontro do destino?
Espero que tenham gostado.
Não se esqueça de favoritarem e soltar o pontinho aí em baixo pra dar aquela estimulada.

Um beijão da Isa no core de todos vocês❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...