1. Spirit Fanfics >
  2. A Esperança Desse Mundo >
  3. O Dia Em Que O Inferno Subiu Para A Terra

História A Esperança Desse Mundo - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


OIIIII. Aqui está mais um capítulo. Eu sei que está demorando, mas no próximo capítulo já tem zombes, lutas e muito sangue!

Capítulo 2 - O Dia Em Que O Inferno Subiu Para A Terra


Fanfic / Fanfiction A Esperança Desse Mundo - Capítulo 2 - O Dia Em Que O Inferno Subiu Para A Terra


Dia 10 de fevereiro de 2021.
05:45 da manhã.

Soya estava nesse exato momento de pé no quarto da sua casa. Ele estava diante da uma mochila preta grande e cheia de coisas. Ele passou todos esses dias levando coisas para a escola sem ninguém perceber.

— Acho que já resolvi tudo que tinha para resolver! — Pensou Soya pegando sua mochila.

Soya estava usando o uniforme da sua escola: Uma camiseta social branca, uma calça social preta e um sapato preto e uma gravata vermelho escuro.

— Acho que já está na hora! —Soya então saiu do seu quarto com a mochila.

Ao sair do quarto, Soya viu uma mulher que tinha em torno de 170 centímetros de altura, cabelos loiros, olhos azuis e um corpo era magro, mas era muito bem definido. Essa é a mãe do Soya, seu nome é Dayumi Calvaria.

— Bom dia mãe! — Disse Soya abraçando a sua mãe.

— Bom dia Soya! — Respondeu a mesma abraçando seu filho de volta.

— Ele vem agindo assim desde antes de ontem, o que será que houve? Sem contar que um dia ele começou a chorar sem parar. — Pensou Dayumi.

— Você vai cumprir sua promessa, não vai?

— Vou sim Soya, eu vou cumprir a promessa de levar minha arma comigo e quando der “09:40 AM” eu já vou estar em um lugar seguro.

— Então eu já vou indo! — Soya logo em seguida saiu de casa.

— Vá com Deus!

— Originalmente minha mãe é morta por um zombe evoluído, duas semanas depois de começar o apocalipse, para piorar ela fez isso para que eu não morresse. Sinceramente, eu era um grande inútil! — Pensou Soya enquanto caminhava até o colégio.

No Colégio.
06:40 da manhã.

— Daqui até lá em casa é mais ou menos uma hora andando, então devido a isso eu tenho uma certa resistência mesmo sendo asmático. — Pensou Soya adentrando no colégio.

Soya então caminhou até chegar à sala de aula e se sentar na sua cadeira.

— Olha ali! Aquele não é o Soya? — Disse um homem de 200 centímetros de altura, musculoso já que pertencia ao clube de Box do colégio, cabelos loiros que chegavam até seus ombros e seus olhos eram castanhos escuros.

Essa pessoa se chama Jooly Harver, ele foi conhecido como o homem mais forte do mundo devido aos seus socos que partiam montanhas com um único soco. Ele também era um companheiro do Soya, mas eles foi morto  por traidores, infelizmente, Soya não estava lá para ajudar e ele se culpa por isso até hoje.

— Sempre achei que ele ficava melhor careca! — Disse Soya em voz alta sem querer.

— Como é que é seu merdinha?! — Gritou Jooly.

— Esqueci que a gente só se torna amigos depois que eu salvo ele sem querer. — Pensou Soya rindo.

— Certo alunos, vão se sentar! —Disse o professor.
Na Sala de Aula do Soya;
09:35 da manhã;

— Já está na hora! — Disse Soya se levantando.

Soya pegou sua mochila e caminhou até a saída da sala.

— Ei Soya, sent... — Antes de o professor terminar ele foi interrompido.

— Cala essa sua boca! — Disse Soya com um olhar intimidador e uma voz calma, mas que passava um ameaçador.

O professor por algum motivo sentia medo daquele olhar do Soya.

— Você deve estar com vergonha de ficar na mesma sala do que eu, a garota que te rejeitou! — Disse uma garota de olhos verdes, cabelos loiros e peitos enormes. Seu nome é Larima.

— Cala a boca cadela! — Disse Soya com o mesmo olhar e voz. — Você vai morrer logo mesmo, então dane-se e não se preocupa, existem pessoas melhores que você nesse mundo!

— Tipo quem? — Larima tinha um tom de arrogância na voz.

— Como, por exemplo, a Anna! — Respondeu o mesmo olhando para a Anna.

— Aquela menina é apena defeito! Ela é surda!

— Mesmo sendo surda ela é mais bela e perfeita que você, então cale essa boca!

— O que voc... — Soya não deixou ela terminar de falar.

— E Jooly, desejo boa sorte para você nesse inferno que está por vir! Não confie na Larima e nem nenhuma outra pessoa dessa sala, além do Fuutaki e eu! — Disse Soya que saiu pela porta da sala e fechou a mesma depois.

Logo depois Soya saiu correndo em direção da enfermaria da escola.
Na Enfermaria.
09:43 da manhã.

Ao chegar ele fechou a porta e trancou a mesma. Depois ele percebeu que ali dentro estava Keita e mais duas meninas. A primeira era a Anna, uma garota pequena com cabelos curtos até o ombro e prateados e seus olhos castanho claro. A outra era sua irmã mais velha, ela era mais velha e era do tamanho do Soya, seu cabelo era preto, seus olhos eram escuros e ela carregava uma espada de madeira com ela. A irmã mais velha se chama Kyelsa.

— O que estamos fazendo aqui? — Perguntou Kyelsa.

— Eu pedi que vissem aqui esse horário, na verdade o Soya me pediu isso.

— Parece que o Jooly não vai vim. — Pensou Soya.

Soya caminhou até a Anna e então falou com ela através da linguagem de sinais.

— Espera aí! Desde quando você sabe linguagem de sinais? — Keita estava impressionado.

— A própria Anna me ensinou em 2025!

— Mas a gente está em 2021 caramba, o que ele está falando? — Pensou Keita confuso.

Soya continuou a conversar com a Anna. Em um momento a Anna parecia espantada com algo.

— Ei espera, para de brincadeira! — Gritou a Kyelsa.

— O que houve? — Keita estava confuso.

— Ele disse que vai curar a Anna em 1 mês!

— O que? O que você quer dizer Soya.

— Parece que começou. — Disse Soya olhando para a janela.

Depois os outros três também olharam para a janela. Era difícil de acreditar, mas uma névoa vermelha e amarela vinha em direção deles.

— Que merda é essa?

Logo depois a nevoa quebrou as janelas e adentrou o local em que eles estavam. Aquela nevoa fazia seu corpo arder e doer muito, ao ponto deles caírem no chão e desmaiarem de dor.
Dua horas depois.
Na Enfermaria.

O Soya acordou e se levantou. Poucos segundos depois as outras pessoas acordaram e levantaram.

— Eu dou boas vindas a vocês! — Disse Soya com um olhar sério.

Soya caminhou até a janela.

— Bem vindos ao inferno na Terra! — Soya sorria de ansiedade e ódio.

Quando os outros três viram aquela cena eles ficaram atônitos. A cidade estava incêndio em vários lugares, gritos podiam ser ouvidos e para piorar dava para ver pessoas devorando pessoas no pátio da escola.

— O... O que é isso? — Kyelsa estava apavorada.

— Como eu havia dito antes: Bem vindo ao inferno na terra!


Notas Finais


O que acharam?Espero que estejam gostando!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...