História A estrada até aqui( 1 e 2 temporada). - Capítulo 123


Escrita por:

Postado
Categorias Brinquedo Assassino, Christine, Psicose, Supernatural
Personagens Bobby Singer, Chuck Shurley, Crowley, Dean Winchester, Garth Fitzgerald IV, Hannah, Jody Mills, John Winchester, Lúcifer, Miguel, Sam Winchester
Tags Bobby Singer, Castiel, Chucky Shurley, Crossover, Dean Winchester, Fanfic, Filmes, Horror, John Winchester, Lucifer, Romance, Sam Winchester, Series, Sobrenatural, Songfic, Spoiler, Supernatural, Terror
Visualizações 63
Palavras 1.377
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hello caçadoras..
Espero q gostem..
A temporada esta acabando..falta pouco.
O que vcs esperam em uma terceira temporada?.
Hoje quis inovar com uma música brasileira.
Quando a chuva passar da Ivete sangalo.
Link no final.

Capítulo 123 - Um fim ou um começo?


Fanfic / Fanfiction A estrada até aqui( 1 e 2 temporada). - Capítulo 123 - Um fim ou um começo?

“Pra quê falar 

Se você não quer me ouvir?

Fugir agora não resolve nada

Mas não vou chorar 

Se você quiser partir 

Às vezes a distância ajuda”.


-CHEGA-empurrei Dean.

Ele esfaqueava o corpo já morto do garoto freneticamente.

Jo olhava com os olhos arregalados.

Dean me encarou levando a faca na minha direção.

-você me bateu Dean...meu nariz.

Então ele parou e me abraçou.

Me vi lá no início,quando o conheci e tinha medo que ele descobrisse quem eu era.

A verdadeira Julie Singer.

Quem ele era?.

Hoje quem era Dean Winchester?.

-Não me toque-me afastei-você..você..matou uma criança.

-ele é um monstro..

-assim como eu e você Dean.Você matou uma criança..eu..

Eu só conseguia pensar nos dias que passei com Tyler adolescente.Eles deviam ter a mesma idade.

-eu machuquei você..

-se esse garoto tivesse matado alguém que você ama,você não iria querer vingança?.

Dean segurou meu pescoço apontando meu rosto para o corpo da moça sem vida no chão.

-ELE É UM ASSASSINO.

-Dean?-Jo falava com doçura-não é melhor sairmos daqui?alguém pode chegar.

-VOCÊ ESTÁ DEFENDENDO UM ASSASSINO..

-Não estou-dei um empurrão nele-você está descontrolado.



“E essa tempestade um dia vai acabar 

Só quero te lembrar 

De quando a gente andava nas estrelas 

Nas horas lindas que passamos juntos 

A gente só queria amar e amar e hoje eu tenho certeza

A nossa história não termina agora 

Porque essa tempestade um dia vai acabar”.


Assim que voltamos Dean não tinha falado comigo.Tentei evitar um momento a sós.

Charlie me chamou para um drink e isso me faria esquecer por algumas horas.

Por dentro eu estava em pedaços.

Sentamos em uma mesa no canto do bar.Um bar diferente dos que encontrávamos nas estradas..

Bati os dedos na mesa de madeira no ritmo da canção que tocava.Conveniente tocar  Toxic?.

-I'm addicted to you,Don't you know that you're toxic ?-cantarolei bebericando minha cerveja.

Charlie me olhava com pesar.

-gosta dessa música?-ela riu.

-combina com esse momento da minha vida.-dei um sorriso fraco-eu queria um final feliz..mas estou longe de tudo isso.

-eu sinto muito..eu queria que você fosse feliz..queria que ele fosse feliz.Dean passou por muitas coisas.

-pensei que preferisse Sam.

-não importa o que eu queira,importa o que você quer…

-Charlie sendo sensata?-não evitei uma gargalhada.

-fazer o que?.

-Eu vou falar com ele quando voltarmos-acendi um cigarro-Charlie,eu sei que errei passando a noite com Sam.Eu não vou me justificar sabe?.

-Ele traiu você..

-eu li os pensamentos da Jô-desviei o olhar-e ela..e ele..eles..

-quando?.

-antes..quando ele ainda estava comigo.Nós estávamos bem.

-o que vai fazer?.

-vamos voltar?

Charlie não me questionou.

Não precisava ler a mente de ninguém para saber o que iria acontecer.


“Quando a chuva passar 

Quando o tempo abrir 

Abra a janela e veja eu sou o sol 

Eu sou céu e mar 

Eu sou seu e fim

E o meu amor é imensidão.”



Charlie não falou nada no caminho de volta.

Eu apenas aproveitei a brisa fresca que atravessa meu corpo.

Por alguns segundos as palavras de Missouri vieram à tona na minha cabeça.

O amor pode matar..

Eu precisava fazer isso,precisava falar para ele..

Afinal,eu não conseguia olhar Dean olho no olho.

Eu precisava falar o que estava sentido.

Andei lentamente pelo corredor até o quarto duzentos e três.

Algumas vozes..Dean conversa com Jo:


-dá para ver na cara dela que ela não te ama DEAN.Não como eu..ela nem olhou você.

-escuta,foi muito bom..foi uma delícia..mas foi só uma vez.E isso não vai se repetir.Eu amo minha esposa.

-se amasse não iria me procurar..

-você me procurou.

-e vai dizer que obriguei você a fazer sexo.

-olha Jo,eu gosto de você,da sua família.Posso parecer cretino agora..acho melhor você.


Abri a porta entrando no quarto.

Jo empalideceu assim que entrei.Ela e Dean estavam bem próximos.

Dean se afastou e nitidamente ele parecia incomodado.

-Julie..você chegou a muito tempo?-ele se aproximou.

Fiz um sinal com a mão para ele se afastar.

-cheguei na parte”foi muito bom,foi uma delícia”-dei de ombros-mas continue,não quero atrapalhar.

Tentei ser o mais fria possível.

Claro que a situação estava me matando.

Jo saiu do quarto.Sentei na cama tirando meus sapatos.Fiz um coque no cabelo e acendi um cigarro.

Dean estava parado atrás de mim,eu sentia sua presença.

-não está dando certo isso..-quebrei o silêncio.

-Julie,sinto muito..

-pelas garçonetes ou pela Jo?.Ou pela Lisa?ou por não ter me esperado sair do inferno?.

-por tudo Julie,por ser um idiota.

-lembra quando nos conhecemos?-o encarei-o dia do exorcismo?Você disse que me amava Dean..e disse que sempre voltaria para mim.

-eu disse.

-mas não é o suficiente hoje Dean..talvez eu aceitasse porque me submetia a você.Por que era o mais importante não te perder.Mas..

-você está terminando comigo?.

-sim-suspirei-não quero que sinta culpa.Não sei se você tem certeza do que sente.

-Julie,se fizer isso eu não volto atrás.

-você está descontrolado-encarei ele-e eu nem consigo olhar na sua cara...eu quero te dizer algo..eu..eu...na noite que fui te procurar eu passei a noite com seu irmão.

-VOCÊ?.

-Não é a coisa mais bonita de se fazer.Mas eu estava...não tem explicação.Eu não fiz por vingança..eu fiz porque quis.

Dean caminhou na minha direção,segurou meus braços com força me sacudindo.

-sua piranha..sua..

-tá machucando..me solta.

Me soltei.Dean estava alterado.

Eu nunca fiz isso antes.Mas eu sabia que ele via minhas asas nesse momento.

Meus olhos mudaram de cor.E pela primeira vez me senti a filha de um arcanjo.

Senti o peso das asas nas minhas costas.

-não toque mais em mim Dean.

-acabou Julie..você.Eu amo você que droga.

-eu também amo você Dean.

Dei as costas saindo pela porta.

Saí sem olhar para trás.



“Só quero te lembrar 

De quando a gente andava nas estrelas 

Nas horas lindas que passamos juntos 

A gente só queria amar e amar 

E hoje eu tenho certeza 

A nossa história não termina agora

Porque essa tempestade um dia vai acabar”.




Segurei todo o meu pesar dentro de mim.

Eu sabia dos meus erros.

Dean sabia dos deles.

Mas levar esse amor adiante estava acabando com nós dois.

Eu amarei Dean pela eternidade,e eu desistiria da eternidade por ele..se ele apenas pedisse.

Se ele apenas mandasse..

Eu tinha a minha culpa,e ver meu amado assim..se acabado e se transformando na coisa que ele mais odeia no mundo acabava comigo.

Eu acho que aprendi minha lição.

Tyler disse que temos um futuro Juntos..

Talvez não hoje..

Ou amanhã..

Mas esse futuro existia.

Foi por esse motivo que eu estava aqui.

Por isso adentrei no inferno..

Por isso eu encarava Crowley nesse momento.

Ele me olhava divertido.

-olá querida.

-você queria falar comigo, Crowley?.

-sim,que bom que chegou.

Crowley deu a volta na mesa me abraçando.

-então?.

Sentei pegando um cigarro no bolso da calça.

-bem,agora que tenho liberdade..e depois da morte da cadela da Abaddon temos que colocar o inferno em ordem.

-e que você quer que eu faça?.

-um discurso é o suficiente.

-eu vim aqui por outro motivo..seu discurso pode esperar.

-o que seria?.

-o que sabe da faca do diabo?-fui direta.

-ela é muito valiosa,pode ser usada para matar qualquer coisa.Mas se usada por descendentes de Lúcifer.

-todos sabem dessa faca?.

-ela é a arma mais temida entre céu e inferno Julie.

-por que nunca ouvi falar?.

-Deus quando expulsou Lúcifer do céu queria a faca de volta.Temendo os danos que seu amado pai poderia causar,só tinha um porém..a faca tinha sumido.Deus procurou por todo o céu.Porque quer saber?.

Coloquei as mãos por dentro da jaqueta.

Coloquei a faca na mesa.

Crowley olhava espantado.

-é ela?como conseguiu?.

-um presente de um amigo..

-isso é maravilhoso..

-quero saber se essa faca pode matar Dean.

-você sendo má?.

-só quero saber..pode?ela mata?.

-sim..

-Crowley..e se eu ficar com a marca?.

-seria uma loucura.Seu lado mais sombrio iria despertar.Você sairia de controle e se tornaria um demônio na sua essência.

-eu seria o anticristo?literalmente..

-você não..

-não,só quero saber..e se eu ficasse com a marca e depois usasse a faca em mim?.

-você morreria..

-e Dean estaria livre?.

-sim.

-mas eu achei que Caim viveria para sempre.

-Caim não se compara a você-ele apontou para a faca-e muito menos ao poder dessa faca.E ele valeria o esforço?.

-uma vez me falaram que o amor pode matar..

-você não se atreveria princesa..

-tenho que ir agora..

-e meu discurso?.

-reuna os demônios e eu estarei do seu lado.Cumpro minhas promessas.


“Quando a chuva passar

Quando o tempo abrir

Abra a janela e veja eu sou o sol

Eu sou céu e mar

Eu sou seu e fim

E o meu amor é imensidão”.



Crowley tinha reunido seus demônios.

Estávamos em um palco.

Sim um grande palco vermelho.

Todos me olhavam se curvando.

Assim que todos sentaram comecei a falar.

-meus caros..-limpei a garganta-todos sabem que Crowley lidera o inferno com justiça e igualdade.Quero que continue assim.Não se oponham a gestão do rei..porquê quem for contra ele..é contra mim..

Fiz uma pausa.

Muitos aplausos.

-venho aqui oficializar a solidez da nossa união.

-obrigada princesa.-Crowley segurou minha mão.

-na minha ausência se curvem a ele.Quero informar que assumo o poder total e absoluto deixado por meu pai.Também informo que traidores serão punidos sem clemência.Uma era nova está chegando aqui..



“A nossa história não termina agora

Pois essa tempestade um dia vai acabar”.


Enquanto falava pensei em Dean.

E no término.

E nas coisas que eu tinha que fazer.



Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...