História A estrada até aqui( 1 e 2 temporada). - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Brinquedo Assassino, Christine, Psicose, Supernatural
Personagens Bobby Singer, Chuck Shurley, Crowley, Dean Winchester, Garth Fitzgerald IV, Hannah, Jody Mills, John Winchester, Lúcifer, Miguel, Sam Winchester
Tags Bobby Singer, Castiel, Chucky Shurley, Crossover, Dean Winchester, Fanfic, Filmes, Horror, John Winchester, Lucifer, Romance, Sam Winchester, Series, Sobrenatural, Songfic, Spoiler, Supernatural, Terror
Visualizações 261
Palavras 1.278
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Com muito amor escrevi esse capítulo baseado no livro de stephen king e no filme cult Christine,o carro assassino de 1983.
É uma ficção baseado na história,alguns personagens são fictícios.
Contém alguns spoilers sobre o enredo do filme e livro,com algumas alterações na história de dennis e Leigh.
O trecho da música é a que toca no começo do filme.
Feito de fã para fã.

Capítulo 13 - Christine


Fanfic / Fanfiction A estrada até aqui( 1 e 2 temporada). - Capítulo 13 - Christine

Atlantic city,Nova Jersey.

Dias atuais.


Dennis Guilder sentiu um aperto no coração quando viu seu neto estacionar o carro no jardim.Josh estava tão contente,seus olhos brilhavam cheio de orgulho,ele passou a mão no vidro do carro como se fizesse um carinho.

“Assim como Arnie Cunningham”o velho senhor suspirou.

Ele bate na porta e beija seu avô pálido.

-vovô-ele o abraça

-Josh...o quê?

-viu que lindo vovô..é um Plymouth Fury ano 58.

Dennis sabia que um dia ela voltaria.Mesmo que tivesse demorado.

Ela estava como nova, o vermelho brilhava e as listras brancas ainda davam arrepios fazendo Dennis ter calafrios.


“ O dia que eu nasci,
As enfermeiras se juntaram em volta
E olharam com grande espanto,
Para o que tinham achado
A enfermeira-chefe se pronunciou,
E disse: " Deixe este sozinho"
Ela podia dizer de cara,
Que eu era mau até os ossos.
Mau até o osso”


(...)


Atlantic city ao meu ver era bem aconchegante,adorava esse lugar maravilhoso cheio de pessoas e a areia era tão fofinha.

-madison hotel?sério Garth?

-de frente para a praia..

-é você anda muito branco mais viemos trabalhar..sem distrações ,o que nos trouxe aqui?-bufei-aliás tenho que parar de deixar escolher nossos casos.

-pessoas estão morrendo aqui sem explicação Julie..

-como?

-um carro vermelho atropelando pessoas e perseguindo até a morte..não acha estranho?

-vamos ao trabalho amigão!


(...)


-Leigh!-Dennis chorava limpando os olhos com as mãos-ela está aqui e vai pegar o Josh-falava entre murmúrios-assim como fez com Arnie e com nosso filho.

A esposa escutou calmamente pegando o telefone.

-vou ligar para Bobby singer agora.

Discou com os dedos trêmulos.

-Bobby-atendeu com a voz firme.

-sou eu Bobby..leigh.

-nossa quanto tempo-parecia surpreso-como esta Dennis?

-Bobby ela está aqui de novo-falou sem rodeios

-quem?

-Christine!

-certo….me dê um tempo okay,preciso verificar qual o caçador mais próximo.


(...)


-pai que bom escutar sua voz..

-também minha filha-senti amor na voz dele.

-onde está com seu parceiro estranho…?

-atlantic City investigando uns atropelamentos

-coincidência-estava surpreso-estive ai em algo parecido a uns quinze anos quando o filho de amigo morreu...aliás liguei por esse motivo.

-do que se trata?

-estou enviando neste momento.


(...)


-Roland LeBay foi o primeiro dono do carro-falei ajeitando os óculos-a esposa e a filha do casal morreram dentro do carro,a filha Rita LeBay de cinco anos..engasgada com um hambúrguer,dizem que Verônica a esposa se matou não aguentando a morte da única filha do casal envenenada com monóxido de carbono.

-nossa odeio quando morrem crianças.

-quando Roland vendeu o carro morreu pouco depois,segundo o irmão George ele era obcecado e cuidava do carro como uma pessoa.

-então?-Garth parecia curioso.

-bem George é falecido-sorri -causas misteriosas…

-acidente de carro?

Exato-continuei-Arnie comprou o carro em 1978 segundo o amigo Dennis,mudou drasticamente sendo possuído pelo amor doentio que sentia pelo carro,colocando em risco a vida de todos até da namorada leigh que quase foi morta-tomei fôlego-engasgada com hambúrguer dentro do carro..salva em tempo.Sabe que o pai de Arnie morreu dentro do carro envenenado por monóxido de carbono?..três dias depois ele morreu com a mãe em outro acidente estranho..

-um espírito?

-indefinido nos relatórios meu caro-acendi um cigarro-no carro foi visto três pessoas no carro..mas só dois corpos.Papai acha que é um demônio..

-nossa…

-consta todas as mortes relacionadas aos donos do carro..entre eles Buddy Repperton e Sandy Galton..esse carro é suspeito demais.

-tem mais alguma coisa?

-Dennis e leigh destruíram o carro que foi para o ferro velho.Alguns anos depois ele virou professor e casou com ela..tiveram um filho Arnold..segundo meu pai quando ajudou a família,Arnold era obcecado pelo seu carro e parece que quem ficasse entre os dois bem acidentes,inclusive Ava a esposa de Arnold..o carro parou quando o último dono morreu.Como se o carro perseguisse a família de Dennis..aliás ele não sabia explicar como o carro chegou até seu filho Arnold.Nome em homenagem ao amigo Arnold Cunningham ou Arnie.

-história longa..-revirou os olhos.

-deve ter muito que nÃo foi documentado

-espero que não…

-também diz que a tinta do carro é a única pista em todos os assassinatos,mas que não tinha um arranhão sequer no carro.

-e qual o próximo passo?

-falar com Dennis aqui tem o endereço dele.Precisamos saber tudo sobre Christine.

-quem?

-Christine é o nome do carro.

-sério??


(...)



-boa tarde, sr Guilder?-abriu a porta desconfiado.

-sim?

-meu nome é Julie Singer,sou filha do Bobby ele me mandou aqui-sorri-e este é Garth Fitzgerald meu parceiro.

O senhor apertou nossas mãos e sentamos no sofá de frente.Uma senhora distinta trouxe cookies e chá sentando do lado do homem e segurando sua mão.

-sr.Guilder estamos aqui para ajudar.

-nos conte tudo-Garth completou.

-tudo que sabemos Bobby SInger sabe…-a senhora falou

-Christine nos persegue-Dennis continuou-vejo no meu neto o mesmo brilho que vemos no nosso filho e ..meu amigo.sinto muito querida-olhou para a esposa.

-temos que desvendar os atropelamentos e pode ter envolvimento com..

-tem-ela chorava-senhorita,nos ajude e prometo que tudo se encaixava.

-daremos prioridade-Garth declarou


(...)

O primeiro passo foi encontrar Christine e Josh Guilder.

Tinha que achar um modo de me aproximar e finalmente atrair Christine até nós.

O garoto ficava até tarde na oficina que trabalhava paparicando o carro.

Cheguei estacionando o carro e entrei em silêncio.

-bom dia-falei olhando e estendendo a mão.

Ele me olhou com curiosidade.

-pode me ajudar?estou de passagem e escutei uns barulhos no carro-sorri-quero ter certeza que tudo está bem.

-entendi,Billy é dono e ainda não chegou-ele falou olhando por cima dos óculos de sol-mas eu ajudo.

-aliás eu me chamo Julie

-Josh

-que nome lindo!

Olhei para um canto no estacionamento e vi Christine,parecia que me engolia com os olhos se isso é possível,fui até ela devagar e passei a mão no capô.

-que maravilha o que você tem aqui-sorri para ele-carro lindo..

-eu reformei-falou orgulhoso.

-ótimo trabalho-passei a mão de leve em seu braço-sei que sou um pouco mais velha que você..mas eu adoraria passear no seu carro.

-eu adoraria te mostrar a cidade!


(...)

Ele até que era um rapaz bonito..alto, moreno,tinha cabelos encaracolados e olhos amendoados.

Devia ter no máximo 20 anos….

Me senti apreensiva no banco do carona do carro.

Não falamos nada apenas nos beijamos o tempo inteiro.

-um clássico-falou orgulhoso -eu vou buscar algo para comer princesa.

Ele saiu e me deixou no carro...deixei a porta aberta colocando o pé no caminho.

-então sua vaca-comecei a rir-se acha esperta christine?

O radio ligou e tocou uma música antiga.

A porta bateu contra minhas pernas,me encolhi e Christine me trancou.Um calor tomou conta de mim e vi uma luz dentro do carro uma luz forte...comecei a sufocar como se alguém apertasse meu pescoço.

Quando acordei Garth me puxava para fora assustado.

Josh  me olhava com medo.

-tudo bem,me engasguei com o chiclete.

-sinto muito gata.-Josh estava sem jeito.


(...)

Passei o dia pesquisando sobre o passado de Christine.

Papai sempre deduziu que ela era um demônio ou tinha vida própria..quando estava desmaiando vi um homem me olhando e arrisquei que era a o primeiro dono Lebay um espírito vingador.

Passei o dia com Josh atiçando o ódio de Christine.Garth viajou atrás do túmulo de Lebay para acabarmos com isso.

Quando chegou no local me informou que estava desenterrado o corpo,passava da uma hora da manhã.

Andei pelas ruas esperando ela vir me matar.

Quando escutei o ronco do motor e os faróis altos eu corri para a areia da praia,eu estava com Garth no telefone esperando estar certa.

Christine se aproximava..meu coração acelerado.Vi uma pessoa dentro do carro.

“Lebay,droga...tô fudida”

Ela estava no meu encalço.

-droga Garth-falei gritando-seja rápido.

-já salguei os ossos.

Corri para dentro da água e nadei até cansar para o mais fundo que consegui.

Quase desmaiei de cansaço.


(...)


-obrigada-Leigh chorava abraçada no esposo.

-como está o Josh?-perguntei.

-ainda não acordou…

-vocês fizeram o necessário-sorri

-drogamos nosso neto e amordaça..

-ele está vivo certo?.


(...)


Literalmente picamos christine em mil pedaços e enterramos em vários lugares diferente cobrindo com concreto.

-só para garantir-Garth me abraçou.

-Fitzgerald seu idiota-eu o empurrei-não me agrada morrer assim...engasgada..sufocada..mas essa vaca merece isso..

Ele fez uma cara fofa.

-você me ama e christine foi Gartheada

-amo sim..

-o que nos reserva o futuro?-ele sorria.

-não sei Garth..o que sei da estrada...até aqui...preciso de uma bebida.

-Normalmente eu não bebo. Atrapalha meu nível de percepção.

-não sei como você está vivo ainda..sério...a última cerveja que tomamos tive que te juntar do chão..

-porque parece que já escutei isso?

-por que eu disse muitas vezes..e creio que vai escutar muito isso ainda...


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Se for de sua vontade deixe opiniões..é bem vinda!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...