História A Estranha Cullen - Capítulo 8


Escrita por:

Visualizações 540
Palavras 2.404
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção Científica, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Mutilação, Necrofilia, Nudez
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - Reneesme


Depois do nosso aniversário de 10 anos. Nada mudou,pelo menos não pra mim. 
As tais meninas que vieram no meu aniversário,agora viviam na casa de vovó e vovô, e eu não sabia o porque, e pra piorar,aquela sonsa da Leah também vinha com mais frequência. Eu detestava isso. Então tia Rose começou a prestar mais atenção na aberração da minha irmã. Mamãe estava com medo que a idiota falasse algo que acontecia em casa,patética. Minhas amigas podiam dormir em casa as dela não. 
Eu fui pela primeira vez ver meus pais caçarem. Vovô Carlisle,achava que eu era muito nova para ver aquilo,mais eu sabia que ele tinha mais orgulho de mim,do que da aberração,que vomitava sangue animal. Naquela noite depois da festa que foi um fracasso por causa da minha irmã,estranhei quando Jane pediu que ela dormisse na casa de minha avó com as meninas. Papai e mamãe não gostaram muito,mais a família toda estava ali,até o vovô Charlie.Minhas amigas dormiram comigo em casa. 
No domingo fomos a Lapush, e a aberração e suas amigas também,aff. 
Então,eu ouvi que uma das amigas sonsas,da aberração,era a companheira de Alec,eu falei que tinha pena dela, Alec rosnou pra mim,como ele ousava? E então papai entrou na minha frente.
A loira feia olhava estranho para papai,eu também não gostava dela. Ela sempre tentou ferir mamãe,mais nunca conseguia por causa do escudo.  
Na segunda feira ela não tinha desculpas,para dormir na casa da vovó,e eu tive minha pequena diversão,tinha quebrado um tampão de vidro e comecei a passar nela,enquanto a idiota estava deitada em um tapete vendo TV,mamãe não a deixava deitar no sofá.Então ela começou a gritar, e eu dava risada,ela gritou por nossos pais,por qualquer um. Ainda bem que minha madrinha,não conseguia ver nosso futuro devido sermos hibridas. Ela tinha arruinado minha festa rosa.
Eu continuava a passar os cacos,agora com força,falando:
_Você arruinou minha festa e meu bolo,garota.
Gosto que ela seja hibrida,ela pode sentir mais dor do que. E os cortes,irão demorar para cicatrizar.Eu estava me divertindo,ate que um tempo depois,bateram na porta. Papai e mamãe,se olharam espantados e os dois começaram a discutir.
_Eu falei pra você colocar o escudo na porta. disse papai.
_Mas eu coloquei,continue,eu vou ver quem é. falou mamãe, indo ver quem é.
_Sou eu Bella,Rose. Eu vim trazer umas coisas das meninas que ficaram em casa,pra Natasha levar para elas amanhã cedo. disse tia Rose.
Então mamãe pediu ao papai que ele trouxesse uma blusa de manga comprida,e que eu jogasse fora os cacos e lavasse as mãos. Eu a muito contragosto,fui obedecer mamãe,e mamãe deixou tia Rose entrar em casa.
Ela me olhava para a aberração.
_Bom é só isso desculpa a hora,as meninas estão cansadas.tia Rose falou dando um beijo na testa da aberração e na minha também. 
_Vá logo para o seu quarto,você esta de castigo. Só irá para a escola e voltara para casa. falou papai.
Eu estava contente e feliz,aqueles cortes iam demorar a cicatrizar. A aberração,foi para o banheiro,depois foi para o quarto,se trancando lá,e eu fui ver filme com meus pais. 
Na manhã seguinte,ouvi barulhos pela casa,mais nem liguei. Olhei o relógio e ainda era bem cedo,e a aberração estudava longe,já que mamãe não queria que eu fosse vista com ela. Imagina,uma Cullen que tome sangue e ainda tenha olhos coloridos. Quando a escutei fechando a porta da sala,eu levantei,fui até meu banheiro,iria tomar um banho de banheira. Meu material já estava arrumado dentro da minha mochila rosa. Então comecei a me trocar  e ouvi barulhos na cozinha,mamãe estava preparando meu café. Coloquei Uma blusa branca e uma saia rosa,passei perfume,passei um batom que minha madrinha tinha me dado e arrumei meus cabelos com um laço rosa e uma sapatilha rosa,eu estava pronta,peguei minha mochila e fui para a cozinha.Tomamos café juntos a meio a brincadeiras.
Um tempo depois,ouvimos o barulho de portas,era o carro do meu padrinho.
_Será que meu padrinho,irá perguntar algo,mamãe? perguntei enquanto comia panquecas com calda chocolate.
_Ela sabe que é melhor ela não falar nada. Será pior pra ela,e outra podemos falar que foi ela mesma que se cortou querendo chamar a atenção.disse mamãe complementando a fala de papai.
Terminamos o café e fomos para o carro.
Eu ia no banco de trás e íamos ouvindo música clássica com o papai.
Quando chegamos a escola,minhas amigas estavam me esperando,perto da porta. Desci do carro dos meus pais, e entrei na parte fundamental. Papai e mamãe iam para o outro lado no prédio do colegial,quando eu entrasse no colegial,eles começariam a trabalhar.
Eu já era popular na escola. E um dia eu iria namorar,Charles Davis,o menino mais bonito da escola.

Quando fizemos 11 anos,eu decidiu fazer ballet, e a tonta da minha irmã pediu ao meu padrinho que ensinasse a ela lutar. A louca da Tânia quase pegou mamãe pelo pescoço uma vez,e ninguém sabia o porque. Como minha madrinha não nos vê,e também não viu Tânia,o que achamos estranho,não teríamos como saber. Eu tinha aulas de ballet todos os dias,e também faria teatro mais a frente. Depois a aberração começou a fazer amizade com a Leah. 
Mamãe quase não comprava doces pra mim,porque falava que podiam dar cáries,mais éramos vampiros, mamãe sempre revirava os olhos e me dava um doce,depois do almoço e depois do jantar. 
Um tempo depois,meu padrinho começou a deixar,a aberração em casa,as 19h40,ela entrava em casa suada e fedendo,nem olhava na cara dela. Ela tomava banho e sempre trazia uma caixa estranha pra casa,depois do banho ela se trancava no quarto e só saía dali o dia seguinte. Vovô Charlie, as vezes pedia para ela dormir em sua casa,mamãe não podia recusar,vovó Esme e vovô Carlisle sempre acharam bom. 
E ela passava,pelo menos um final de semana lá,e eu trazia minhas amigas em casa.Elas já tinham até umas coisas separadas em casa,papai e mamãe não se importavam,já que a aberração não gostava de brincar ou falar comigo.Eu detesto legumes e verduras,mas mamãe dizia que era bom comer,para,mim ficar forte. Eu adoro massa,o que eu podia comer as vezes,pois eu podia engordar,e eu tenho pavor. Iria fazer dieta. Pizza e lanche uma vez ao mês e olhe lá. 
O bom disso tudo é que eu quase não via a aberração.

Aos 12,eu já chama atenção dos meninos,e Jacob sempre vinha me ver no colégio. Achei que já iria ficar menstruada,mas mamãe disse que como eu era hibrida demoraria um pouco. Mamãe e minha madrinha começaram a me dar roupas mais adultas,mais minhas roupas intimas continuavam pequenas,e isso me irritava. Papai não gostava muito falava que ia chamar muito atenção. Queria que meu corpo mudasse logo,como as minhas amigas.  Mais também pensava no collant,e era tão bonito eu era magrinha.
Eu também havia feito três amigas no ballet,Vivian,Sophie e Stephanie. As três também vinham de famílias ricas e nos dávamos muito bem. Também haviam alguns meninos,e eram lindos. Josh e Harry. Meu ballet era em Seattle,e papai e mamãe me levavam todos os dias. Mamãe também havia feito amizade com algumas moças,e nem lembrávamos,que a aberração existia. 
Sempre fazíamos festas uma na casa da outra e íamos ao clube eu não brilhava tanto,quanto meus pais,tios e avós.
Leah as vezes ia chamar a aberração em casa,coisa que eu detestava. E ela sempre estava com uma roupa esquisita de lycra,credo. As vezes quando ela dormia no vô Charlie,eu sempre dava festinhas em casa. Eu seguia uma rotina quase sagrada,todos os dias.
Levantava as 06h15 e  tomava banho,e meu café.
Entrava na escola as 07h15.
Saía 12h00
Voltávamos para casa,e eu almoçava e fazia minhas lições.
Das 13h00 ás 15h00,eu dormia.
Das 15h00 ás 16h00 eu me arrumava,para o ballet.
As 16h00,saíamos de casa,para pegar a estrada e papai corria,já que começava as 16h20.
Das 16h20 as 17h30,eu ensaiava com minhas amigas todos os dias,e sempre ganhando elogios da professora,no mínimo.
Depois, sempre íamos comer alguma coisa,em algum lugar ali perto. 
As 19h00 chegavamos em casa e mamãe me fazia alguma coisa,ou uma sopa ou um lanchinho ou caçavamos.
As 21h00 eu ficava vendo TV,com meus pais,já que era a hora da aberração dormir. Nas sextas,ela ia para casa do vovô Charlie. 
A aberração,chamava Sue,a mãe da sem graça de tia,que horror,ela nem nossa parente era.
A aberração era seca,já que não comia,só devia comer na escola (risos) coitada!! (Risos). Eu sempre ganhava roupas da minha madrinha,tia Rose e mamãe. Uma mais linda que a outra,a maioria rosa,óbvio. Calça jeans,só azul. Eu detesto preto e cores escuras. 
Quando minhas amigas da escola apareciam com algo velho ou usado,eu fechava a cara,detestava aquilo. Eu até poderia doar umas roupinhas a elas. Já minhas amigas do ballet eram sempre bem vestidas. A mãe de Vivian possuía uma loja de roupas,e eu sempre insistia a minha madrinha a comprar roupas,lá.
Jacob me olhava com cara de bobo,tinha um corpo lindo,eu já o tinha visto sem camisa,mais guardava para mim,já que papai,lê mentes,ele fala que eu não devo ter vergonha dele,já que a da aberração é escura para ele. Papai falava que a da mamãe era uma tela branca. Coisa estranha.
Jacob trabalha em uma oficina mecânica,e vive sujo de graxa o dia todo,mais era bonito,mais eu queria namorar alguém que tivesse dinheiro,para me dar as coisas, e também me levar para jantar em restaurantes chiques. Ele e os meninos viviam comendo aquela comida gordurosa,e aquelas coisa estranhas que a mulher de Sam fazia. Eu achei bem feito,ele ter trocado a Leah por ela,a esposa dele,que não fiz questão de gravar o nome,parece mais mulher,do que a Leah.

No meu terrível aniversário de 10 anos,os Volturis me deram alguns presentes. Eu esperava ganhar pelo menos um anel de ouro ou um colar de pedras,dos reis,mais nem isso. Somente ganhei roupas e sapatos. E algumas coisas para a escola,vampiros pão duros. Vi a loira chata entregar um saco a aberração. Mamãe quase termina de estragar aquela festa. Ela deu um grito,quando viu Aro pegar a mão dela,ela não queria que ninguém soubesse do tapa,que papai havia dado nela. Bom mais se ele viu,não fez nada. E depois entregou algo a ela que eu não vi o que era. 
Um dos estranhos da guarda, a sorriu e lhe entregou um pingente velho,credo. Devia estar todo empoeirado,e tinha a forma de uma chave. Ela abraçou a loira estranha e a coitada da amiga dela,é a cantante de Alec,coitada. As Denali me deram roupas e umas pulseiras de prata. O tal Garret era estranho. Mamãe ficou preocupada com a presença do vô Charlie,mais vovó Esme achava aquilo bom,ele não viveria para sempre como nós.  Os Volturis,vieram em pouco numero,ainda bem. E os gêmeos estranhos ficariam por causa da sonsa,da amiga da aberração.Eu havia ganhado vestidos de babados das esposas dos reis,eram bonitos,mais eu esperava mais. E eu não consegui ver os presentes da aberração. Aquela chata. E pior,quando olhei a festa,tinha coisas pretas também. Eu odeio preto. Até o bolo tinha partes pretas,eca. Então quando fomos cantar os parabéns,eu a cortei com as unhas que pedi de porcelana a mamãe e quando as luzes se acenderam ela não estava mais ali. Sorri com aquilo,e mamãe também me olhava sorrindo. 
A aberração vivia treinando não sei porque,bom pelo menos eu não tinha que olhar para cara dela o tempo todo,então minha madrinha começou a dar roupas de academia a ela,e roupas de frio. 
Minhas amigas da escola faziam natação e papai e mamãe conversariam sobre eu fazer ou não. Já que eu tinha o ballet e queria fazer teatro,papai queria que eu fizesse dança,ai ele iria tocar piano.

Aos 13, eu comecei a fazer dieta e odiava a aberração mais ainda. Ela não tava nem ai com minhas provocações. Foi quando fiquei menstruada,mamãe ficou tão feliz,que comprou até um bolo pra mim,vovó achou exagerado,mais eu fiquei feliz e isso bastava pra ela. E o mais importante,foi antes da aberração.
A aberração então pediu para morar com vovô Charlie. Eu não acreditei,aquela tonta,ela não se livraria tão fácil de mim,assim. Fiz um escarcéu,falando que não teria com quem conversar,com quem contar as coisas,todos acreditaram,e ela não falei nada. Bom mesmo. Se não seria pior. Ela quase não parava em casa e se ela sumisse,seria um alívio. Quase não parava em casa. Em casa mamãe me aplaudiu. As aulas de teatro estavam valendo a pena.
Eu ia em lapush as vezes.
Eu estava começando a gostar de dois meninos. Derek da escola e Richard da aula de teatro. Richard tinha dinheiro e era sobrinho de politico.
Já Derek morava em Forks e era filho do dono de uma biblioteca,mamãe adora ler,mais eu não tinha muita paciência.
Faltava três anos para pararmos de envelhecer,eu estava contente. Teria 16 anos eternamente e seria linda.
Eu não entrava no quarto da aberração,era escuro e aquilo devia feder,ficava trancado o dia todo.
Mamãe só esperava que os Volturis,não me quisessem depois na guarda. Eles sempre quiseram minha madrinha,papai e mamãe na guarda.

O dia da minha 1ª apresentação de ballet depois de 2 anos havia chegado. Eu estava nervosa e ansiosa. Toda minha família estaria ali. Jacob levaria minhas amigas da escola,ele queria ir e elas também. O mais importante,a aberração não iria. Enquanto eu me arrumava para ir para Seattle na minha apresentação,a aberração havia chego mais cedo. E contente.
E como minha casa estava cheia de gente me arrumando,mamãe teve que falar.
_Chegou cedo,Natasha,que bom. falou mamãe com um sorriso amarelo.
_Oi mãe,tia Alice,madrinha,vovó. disse a aberração abraçando todo mundo.
_Vovô Charlie,me pegou na escola hoje,como ele saiu mais cedo para poder ir ver sua apresentação Nessie.
Nisso o papai chegou, e a olhou,com o cenho franzido.
_Você irá ver sua irmã dançar,Natasha? perguntou papai, e eu torcia pra que não.
Todos a olharam.
_Edward,filho,que pergunta. Hoje é um dia especial para Nessie,lógico,que ela irá,não é querida? perguntou vovó Esme.
_Eu vou com o vovô,só me passem o endereço. falou ela indo em direção ao banheiro,e papai foi atrás e depois voltou.
_Eu fui escrever o endereço,pra ela. Reneesme estara linda.​
Meia hora depois,todos estavam arrumados. Bom a aberração iria com o vovô,só que não ainda bem.

Quando chegamos no teatro que seria a apresentação,estávamos todas nervosas. Havia muitas pessoas e fotógrafos. Minha família estava na primeira fila,então avistei vovô na porta sozinho,ainda bem. Era a minha noite aquela. Como estavam sendo meus aniversários agora. Já que a aberração falou que só iria querer festa nos 15 anos. Coitada.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...