História A eternidade ao seu lado - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Blackpink
Personagens Jennie, Jeon Jungkook (Jungkook), Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lisa, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Rosé
Tags Bottom!tae, Kookv, Taekook, Top!jk
Visualizações 7
Palavras 942
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Ficção, Lemon, Literatura Feminina, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Um


Em algum lugar preso no tempo...


Observando a neve cair, Jungkook sente no ar que algo está prestes a mudar, afinal é quase outubro, e para ele esse mês é sempre a mesma coisa, mais uma vez ele irá para algum lugar no futuro, eternamente preso em sua própria casa, mas não nela realmente, e sim na versão que a mesma terá em outras épocas. Ele tem consciência disso, afinal mais de seis séculos se passaram e ele repete essa mesma rotina ano após ano. Época após época, sempre igual e sempre diferente. Eternamente preso na idade de 24 anos, ele sabe que seus destinos é a solidão. E era tudo bem pra ele. Ou pelo menos estava. Afinal...

Ele sabe que seu tempo será pouco, ele sempre tem apenas um mês, um único mês para voltar ao mundo humano, e viver o que puder, essa é a sua maldição e sua alegria, maldição por estar preso a maldita casa por séculos, graças a uma  jovem bruxa que não soube aceitar um não, que culpa tinha ele de não ser apto a achar o sexo feminino atraente? Mulheres deveriam ser mais compreensivas. Mas não, ali estava ele, em mais um ano, preso não apenas naquele mundo, mas também aquela cidade e casa. E pior, completamente encantado pelo rapaz de olhos castanhos e sorriso retangular. Seu vizinho e razão pela qual, ele tem ansiado pelo mês de outubro nos últimos anos. Apenas para poder ver o castanho, ou teria ele mudado a cor de seus cabelos novamente? Ele que já havia sido loiro, ruivo, cinzento, uma profusão de cores contrastantes e singulares, que o tornavam único.

Jungkook sabe que jamais poderia se aproximar dele, afinal nem pertencia àquele mundo, embora também não fosse um morto. Ele era apenas um visitante, sempre preso aquela casa, porém não aquela realidade. Ele estava vivo em sua época, pela eternidade, vendo os outros serem felizes, sabendo que tal felicidade não era pra si, condenado a viver enclausurado e para sempre. Ou até que alguém o tirasse dali, como? Do jeito mais clichê possível, esperando por ele, Lisa o havia dito em uma de suas aparições, a bruxa tinha senso se humor e crueldade natos. Claro que isso jamais iria acontecer. Quem esperaria por alguém como ele? E como ele iria conhecer alguém se não podia sair daquele terreno ou andar na rua sem virar algo translúcido? Sim, tipo um fantasma mesmo. Mas sem lençóis ou correntes no chão.

Ainda observando a neve cair, ele se pegou pensando no jovem, e foi então que Jungkook teve uma ideia, poderia dar uma festa, uma grande festa, para seus vizinhos, e quem sabe, apenas uma vez, poderia estar perto do mesmo, e quem sabe ouvir sua voz dirigida a ele. Era um plano tolo, arriscado, mas quem sabe poderia dar certo. Uma eternidade por um momento no tempo. Então, saindo de perto da janela, pegou uma caneta, havia gostado delas, em vez das penas e papel colorido, e começou a escrever. Cerca de duas horas mais tarde, e cinquenta convites depois, ele esticou o corpo e foi se deitar. E assim, ao cair na cama, em poucos segundos adormeceu.


[•••]


2019...


Taehyung acordou de seu sono conturbado, com o barulho do despertador, por mais que ele amasse Axel, isso em seus tempos áureos, acordar às seis da manhã não era algo que o então azulado, gostasse. Com um muxoxo, ele desligou o despertador bem na hora que o lindo Axel dos anos 90 gritava ooohhhhhh ouohhh Sweet Child o'mine, e se levantou, apenas de moletom ele pegou uma toalha e foi para o banheiro, do qual saiu cerca de trinta minutos mais tarde, pronto ou quase, afinal não poderia sair como veio ao mundo, para mais um dia. E que dia, tinha aula no período da manhã e à tarde, iria até a loja de livros na qual trabalhava com Seokjin.

Ele pegou uma calça marrom, camisas floridas num tom de laranja e um casaco enorme verde e os vestiu, único e lindo! Alguns poderiam discordar, dizer que ele parecia um mendigo de brechó, mas quem ligava? Não Kim Taehyung. Descendo até a cozinha, pegou uma fruta qualquer, algum dinheiro e suas chaves. Saindo, respirou fundo e sentou o nariz gelar, afinal estava quase seis graus. E ele amava aquilo. Sorrindo, se encaminhou para o portão da casa onde morava e ao passar por ele, sentiu, mais do que viu a presença de alguém. Olhando ao redor, o viu. Ali, cerca de três casas após a sua, na casa abandonada, um jovem de cabelos negros e pele extremamente alva. E ele sorria observando o tempo. Seria apenas alguém comum, se Taehyung não tivesse notado que ele além de não usar roupas quentes, apenas calça e camisa sem mangas, descalço, também parecia quase translúcido, algo no jovem lhe parecia familiar. O Kim balançou a cabeça e ao olhar novamente, o mesmo havia sumido. Estranho, mas olhando para o relógio, viu seu atraso e correu. Afinal detestava perder aula e aquela casa sempre seria estranha para si. Um estranho familiar, porém ainda assim estranho.

[°°°]

Enquanto isso Jungkook se repreendia por ter sido visto, ainda não era outubro, então tinha que tomar cuidado com onde apareceria. Não queria causar comoção, havia apenas deixado os convites a vista de Namjoon e Yoongi, seus amigos e companheiros de maldição, já que eles também estavam presos a casa, mas enquanto Jungkook não podia ir além dos jardins e aos seus arredores sozinho, os outros dois podiam ir e vir sempre que quisessem. Um bônus de sua maldição. Ver aqueles que amava presos a ele e também livres.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...