1. Spirit Fanfics >
  2. A face da dor >
  3. Fofuras

História A face da dor - Capítulo 21


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura 😇

Capítulo 21 - Fofuras


Fanfic / Fanfiction A face da dor - Capítulo 21 - Fofuras

Kirishima Eijiro POV

Sinceramente, esses dois não podiam esperar até amanhã pra brigarem? Afinal, o que eles disseram pra deixá-la daquele jeito?

Quando cheguei no andar do quarto do Shoto, ele estava na porta com Kaminari e Bakugou.

- Do que vocês estavam falando? – pergunto logo de cara – O que disseram pra deixar a Yagi-san tão triste?

No mesmo momento Bakugou começou a resmungar e ficar mais irritado.

- Foi esse meio-a-meio de merda! – pegou o Todoroki pela camisa – Você não consegui ter sentimentos né?

- E quem é você pra falar sobre sentimentos? Vive fazendo bullying com todo mundo e não se importa com o que eles sentem! E eu que sou o merda sem sentimentos? – Shoto franziu o cenho e suspirei cansado.

- Poderiam parar com isso? Só quero saber o que um de vocês disse pra fazer a Yagi-san chorar! Porra, hoje era pra ser o melhor dia pra ela!

- Ta de noite! – Kaminari diz e o olhei sério.

- Você me entendeu! Não era pra ela chorar hoje! E se fosse, era pra ser de alegria!

- Esse imbecil disse que não pediu pra ela amar ele! – Bakugou respondeu o largando.

- Não podia ter guardado isso pra você? – pergunto e ele me olhou surpreso – Sabe que ela tem admiração por você! Todos da sala sabem que ela gosta de você, na boa Todoroki, ela foi a única que teve coragem de ficar perto de você! Devia dar um desconto pelo menos hoje!

- Você não sabe o que ela fez então não se mete! – ele respondeu e franzi o cenho.

- Seja o que for, ela sempre tem seus motivos e se a conhecesse de verdade saberia que ela faz tudo pensando nos outros nunca nela mesma! Se ela tivesse que se jogar na frente de um trilho de trem pra salvar qualquer um, ela faria sem hesitar ou pensar nas consequências! Você errou feio dessa vez, só espero que não perceba isso tarde! – passei por ele – Melhor irmos dormir! Amanhã temos o treino especial e é melhor dormirmos bem! – Kaminari me seguiu e Bakugou foi pro quarto dele, de longe vi Shoto ainda pensativo.

「Quebra de tempo」

Ginásio Gamma

Estávamos com nossas roupas de herói no ginásio e treinando nossas técnicas secretas com a ajuda de alguns senseis.

- Precisa se concentrar mais Kirishima! – Aizawa diz e então levei um chute do Ectoplasm e cai do monte e de longe vi Keiko treinando sozinha, ela ainda está triste, fui até o sensei – O que é?

- Posso falar com a Yagi-san? Ela não tá muito bem hoje! – com minha fala, o sensei a olhou e depois me olhou e concordou – Yagi-san?

- Oi Eijiro-kun! – ela forçou um sorriso.

- Então, me ajuda com o treino? Preciso de alguém mais forte! – desculpe Ectoplasm-sensei – Então?

- Ok mas.... O que quer que eu faça? – ela me olhou interrogativa.

- Manda tudo! – ativei meu quirk ficando como uma rocha.

- Ta bom! Vou testar algo novo! – as mãos dela começaram a queimar – Icy Flames! – chamas alaranjadas vieram em minha direção mas então senti um impacto maior e o frio se instalou, quando abri os olhos vi que haviam pedaços de gelo caídos no chão.

- Uau, que técnica é essa? – pergunto desativando meu quirk e indo a te a Keiko.

- Consegui fundir dois elementos, as chamas são apenas distração para que as estacas de gelo atinjam o inimigo! – ela respondeu, ela parecia mais animada.

- Quer parar! – senti um tremor no chão e segurei a Keiko para que não caísse, olhei em volta e Bakugou estava explodindo as coisas, olhei para o local onde as coisas caiam e vi Shoto congelando e desviando dos destroços.

- Eu parar? To treinando seu merda! – vai começar tudo de novo.

- Seus amigos são meio estranhos! – olhei pro lado vendo a Kagemaki se aproximando – Eles quase atingiram a Uraraka-san e a Tsuyu-chan!

- Elas estão bem? – Keiko olhou a rosada.

- Sim! A Uraraka-san conseguiu levitar as pedras bem na hora!

Senti um empurram e então vi um enorme pedaço de pedra voar na direção da Kagemaki mas então ele parou e caíu reto no chão.

- Estão bem? – olhei pra trás vendo o Ectoplasm-sensei.

- Sim! – Keiko se levantou e me ajudou – AAAHH! – ela se escondeu atrás de mim e olhei pra baixo vendo o pedaço de pedra.

- O que é isso? – pergunto.

- Minha individualidade! Dou vida a coisas sólidas! – Kagemaki respondeu e olhei Keiko.

- Isso é legal! Eles obedecem seus comandos?

- Sim! Mas não duram muito, o máximo que consigo são cinco a dez minutos e então eles voltam a ficar sem vida! – Kagemaki respondeu desanimada. 

- O que deu em vocês dois hoje? – olhamos na direção que a voz do Aizawa estava, Midoriya e Iida seguravam o Bakugou enquanto o Tokoyami e o Dark Shadow seguravam o Todoroki – Quase feriram seus colegas!

- Ele começou!

- Não importa quem começou! Voltem pro alojamento! – ordenou e olhou os que seguravam eles – Vocês também, tenham certeza que nada vai ser destruído!

Assim os cinco saíram do ginásio eu franzi o cenho, o que mais falta acontecer?

POV'off

Após a retirada dos cinco colegas, o restante da turma voltou a treinar recebendo concelhos de All Might e foi assim até a hora do almoço.

- Alguém sabe sobre o Iida, Midoriya e o Tokoyami? – Mina indagou enquanto seguia com a turma até o refeitório, agora com o uniforme da escola.

- É verdade, eles já deviam ter voltado! – Kirishima comenta.

- Talvez o Bakugou e o Todoroki tenham se matado no caminho e os três tiveram que esconder os corpos! – Mineta comentou só para receber um cascudo de Sero e então viram Keiko mais preocupada ainda.

- Não deve ser isso, talvez só estejam tentando manter os dois afastados! – Oijiro sugeriu.

- Por que não vamos ver como eles estão? – Mariko sugere e todos pararam e olharam a rosada.

- Não é uma má ideia! Vamos! – Kirishima diz e todos seguiram andando até o alojamento da turma.

Kirishima foi o primeiro a abrir a porta e então arregalou os olhos.

- O que houve aqui? – Keiko entrou em seguida tendo a visão de cinco crianças de pelo menos cinco ou seis anos.

- Ele se machuco! – a morena paralisou ao ver quem estava falando.

- Shoto-kun? – se abaixou e encarou o bicolor de cinco anos.

- Eu! – sorriu abertamente surpreendendo Keiko – O que foi moça? – o garotinho a olhou confuso.

- Mo-Moça? Shoto-kun, não sabe quem eu sou? – Keiko perguntou magoada.

- Isso vai ser um problema! – Momo diz vendo Tokoyami escondido enquanto Izuku estava na entrada ajeitando os sapatos e Bakugou na escada brincando com um boneco de All Might enquanto Iida permanecia ao lado de Todoroki.

- O que faremos? – Ochako pergunta sentando-se ao lado do pequeno esverdeado que também ficou ao seu lado.

- Ei pequenos sabem o que houve com vocês? – Kaminari indagou e os cinco o encararam.

- Do que você tá falando Pikachu? – Bakugou olhou o loiro e se levantou.

- Ei baixinho, calma aí! – Kaminari sorriu diabólico – Pensando bem.... Olha como fala comigo! Meu nome é...

- URUSAI! QUER MORRER? – as mãos de Bakugou soltaram pequenas explosões.

- Kacchan, não...

- Você também Deku! Cala a boca ou eu te mato! – ameaçou o esverdeado que se escondeu atrás de Uraraka.

- Precisamos falar com o sensei! – Momo diz caminhando até Iida – Calma, não precisa chorar! – pegou o pequeno no colo.

- Vamos agora então! – Kirishima se aproximou do pequeno explosivo mas o mesmo deu-lhe um chute na canela – AI!

- Fica longe de mim porco-espinho! – e caminhou até a rosada de cabelos lisos – O que você tá olhando?

- Você é assim desde criança? Como eles te suportam? – pegou o mesmo no colo.

- Tokoyami-kun? – Tsuyu se aproximou do pequeno assustado.

- Eu to com medo! – o pequeno diz se escondendo atrás do pilar de sustentação.

- Tudo bem, sou uma amiga! – e estendeu o braço para o mesmo que aceitou ser carregado por ela.

- Vamos Deku-kun? – Ochako carregou o pequeno.

- Keiko-chan, você leva o Todoroki-kun! – Mina diz e Keiko concordou mesmo querendo negar. O pequeno bicolor aceitou de bom grado o colo da maior.

- Seu cabelo é macio! – Shoto diz pegando uma mecha do cabelo dela – É grande, da pra fazer um bigode! – diz colocando uma mecha do cabelo dela abaixo do próprio nariz e com isso arrancando um sorriso da mesma.

- Como você pode ter mudado tanto? – beijou a testa do pequeno.

- Espero que o Aizawa-sensei consiga dar um jeito! – Mina diz encarando as crianças – Se não, vamos ter muito trabalho pela frente!

- Ele vai dar um jeito! Com certeza! – Sero diz confiante.

。。。。

A turma andava pelo corredor principal recebendo olhares de vários alunos.

- Ai, eles são fofos! – várias garotas cercaram a turma querendo chegar perto das crianças.

- O que a gente faz Momo? Você é quem comanda agora!

- SHINEEEEE! – Bakugou lança pequenas explosões na direção da multidão que se abaixa e recua.

- Problema resolvido! – Momo diz olhando Bakugou nos braços de Mariko – Por enquanto!

- Onde vocês estavam? – travaram de medo ao escutar a voz irritada de Aizawa.

- Aconteceu um problema sensei! – Momo respondeu ainda de costa.

- O que estão escondendo? – indagou estranhando o medo dos alunos. 

- SHINE! – Bakugou tentou atingir alguns alunos de outra turma.

- Onde você está Bakugou? – Aizawa não enxergava o menino.

- E quem é você velhote? – o loiro se soltou de Mariko e caminho até o sensei, Aizawa arregalou os olhos vendo aquela criança e então encarou os alunos que agora lhe encaravam com mais quatro crianças no colo.

- Quem vai explicar?

- Quando chegamos no alojamento, eles já estavam assim e pra piorar, não sabem quem fez isso e nem quem somos! – Momo respondeu angustiada ainda com Iida no colo.

- Francamente.... Vamos até o diretor! Somente os que estão com.... Os bebês! – Aizawa diz incerto mas obedeceram. Mariko voltou a segurar Bakugou e seguiram para a diretoria.

Quando chegaram, Nezu encarou as crianças que correram até ele e o abraçaram.

- Ratinho fofo! – Izuku diz abraçando ele.

- Por que esse rato é o diretor? – Bakugou puxou o rabo de Nezu.

- Ele é quase do nosso tamanho! – Shoto diz apertando o nariz do pobre diretor.

- Se comportem! – Iida diz autoritário.

- E quem você é pra mandar na gente, quatro olhos? – Bakugou zombou voltando a brincar com o rabinho de Nezu.

- Já chega! – Aizawa olhou os três brincalhões mortalmente e logo em seguida fez os três se esconderem atrás da mesa do diretor.

- Aizawa, são crianças! – Nezu diz se recompondo – Mas agora, o que quer que eu faça?

- Você é o inteligente! – Aizawa revirou os olhos – Meninas, segurem esses pirralhos!

- Quem você tá chamando de pirralho? Velhote tapado! – Bakugou rosnou irritado.

- Ora seu...

- Ligarei para os responsáveis deles! – Nezu interrompeu Aizawa – Só podemos esperar para ver o que vai acontecer!

- Com todo respeito diretor, não acha que isso só vai causar mais desconfiança da segurança na escola? – Keiko questionou enquanto deixava Shoto sentado em sua coxa direita.

- Mesmo que isso aconteça, precisamos avisar! – Nezu diz discando o número dos pais dos cinco alunos – Agora voltem pro alojamento, está perto de chover e é melhor não deixarmos eles resfriados!

Assim os alunos voltaram para o alojamento e ficaram na sala encarando as cinco crianças sentadas no sofá.

- Ok, até que alguém decida algo, o que vamos fazer? – Kirishima perguntou.

- Cinco crianças, cinco cuidadores! – Kaminari responde.

- Seis seu idiota! – Bakugou diz e a turma o encarou – Ali ó! – apontou para Mineta.

- Eu não sou criança! – se defendeu.

- Claro que é! – Bakugou seguiu até o mesmo e mediu suas alturas – Sou maior que você! – zombou – E o que é isso? – arrancou uma das bolas roxas da cabeça de Mineta – Pra que serve? É de comer? – tentou tirar de sua mão mas não funcionou – Ei! Como tira isso?

- Dai-me paciência! – Kirishima diz e olhou Mineta – Tira isso dele!

- Seria engraçado e.... Cadê a Yagi-san? – indagou ao não perceber a morena na sala.

- Na chuva! – olharam o pequeno Shoto que estava sentado na janela.

- Como ele subiu ali?

- Todoroki-san, pode levar isso pra ela? – Momo fez uma capa de chuva amarela pro menor e um guarda-chuva azul.

- Ta bom moça! – o pequeno bicolor veste a roupa de chuva e calçou a galocha branca ao qual Momo fez tanto pra ele quanto para os outros quatro – Pode abrir? – encarou a maçaneta alta.

- Claro! – e lá se foi o pequeno em baixo da sombrinha.

Shoto desceu um degrau de cada vez dando pulinhos e colocou o guarda-chuva sobre a cabeça de Keiko fazendo a mesma o olhar.

- Moça, você vai ficar resfriada! – alegou e a mesma pegou a sombrinha da mão do pequeno e ele se sentou no degrau ao lado dela – Por que ta triste? – o menininho a olhava confuso – Tava chorando?

- Não Shoto-kun, é só a chuva! – respondeu olhando pra frente.

- Eu sei que você tava chorando! Eu também choro quando chove! Ninguém pode ver minhas lágrimas em baixo de chuva! – Shoto encarava suas pequenas galochas brancas.

- Você se lembra disso? – Keiko não segurou a curiosidade.

- Sim.... A mamãe sempre fica comigo quando eu choro! Eu disse pra ela que quero ser um herói mas não como meu pai.... Meu pai é mal! – tal confissão fez Keiko repensar se seria uma boa ideia Endeavor vir buscar o filho.

- Seu pai não é mal ele só é.... Complicado mas ele se preocupa com você! – Keiko tentou amenizar a situação. 

- Não moça...

- Yagi Keiko!

- Como? – Shoto a olhou confuso.

- Meu nome! Yagi Keiko! – respondeu mais claro.

- Yagi-san, meu pai é cruel! Ele me força a treinar e bate na mamãe as vezes! – confessou e deixou Keiko assustada. A mesma não conseguiu resistir e abraçou o pequeno.

- Vai ficar tudo bem agora! Ninguém vai machucar você Shoto-kun! – diz dando um beijo singelo na testa do pequeno – Agora vamos entrar! – e assim fizeram.

- Ok, eles precisam de um banho! – Mina diz olhando os outros garotos da turma.

- Já entendemos! – Kirishima diz – Eu cuido do Bakugou! – se aproximou do mesmo e antes que o pequeno chutasse sua canela, endureceu o local fazendo o garoto xingar ele em várias línguas – Agora aprendeu! Vamos!

- Eu cuido do Todoroki! – Kaminari pegou o pequeno bicolor.

- Eu do Tokoyami-kun! – Oijiro diz pegando o garotinho dos braços de Tsuyu.

- Vem comigo Midoriya! – Sato diz pegando o esverdeado que ainda estava no colo de Ochako.

- Eu vou fazer algumas roupinhas pra eles! – Momo diz animada.

Depois de um longo tempo, os rapaz desceram com as quatro crianças.

- Ué, cadê o Bakugou e o Kirishima? – Sero pergunta confuso.

- Ele não quer vestir aquelas roupas! – Kirishima apareceu no pé da escada.

- Por que? São fofas! – Momo alega animada.

- Momo-chan, fofas e Bakugou não andam juntas! Quer uma dica, ele adora preto e caveiras! – Keiko sugere e a morena cria outro par de roupas, dessa vez uma camisa preta com pequenas caveiras em volta dela e uma bermuda cinza.

- Agora sim! – Kirishima sobre com as roupas e depois de alguns minutos desce com Katsuki.

- Eles estão fofos! Até mesmo o Bakugou-chan! – Tsuyu diz olhando as cinco crianças sentadas no sofá.

- Estou surpresa com sua imaginação Momo-chan! – Ochako diz olhando a roupa que Izuku usava, uma fantasia do uniforme de All Might.

- Achei que combinaria com ele! – sorriu constrangida.

- Que tal eles comerem algo? Não devem ter almoçado! – Sato diz indo para a cozinha.

- Enquanto isso, eles assistem alguma coisa! – Hagakure ligou a TV e deixou em um desenho dos Baby Looney Tunes deixando os cinco concentrados.

O tempo foi passando e a chuva engrossando, depois se lancharem, ficaram fazendo os trabalhos em duplas, pelo menos aqueles que não haviam virando “bebês”.

Mariko e Keiko estavam sentadas a mesa lado a lado debatendo sobre o assunto até que a rosada muda o foco.

- Ei! Você e o Todoroki são bem próximos né? Eu vi como você ficou quando ele não te reconheceu! – Mariko falou a olhando com pena.

- Tsc.... Não mude de assunto e minha vida privada só diz respeito a mim! – Keiko foi curta e grossa na resposta e voltou a copiar o que havia entendido. Mariko franziu o cenho mas deixou pra lá. 

- Yagi-san! – as duas pararam de escrever e olhando o garotinho bicolor.

- Algum problema Shoto-kun?

- Quer ajuda em algo? – Mariko questionou o menor.

Em uma fração de segundo, um trovão soou alto e um raio caíu deixando um clarão e a luz sumiu.

- AAAAHHHH! – escutaram a voz dos pequeno.

- Calem a boca seu patetas! – a voz de Bakugou soou irritado.

Keiko sentiu um aperto em sua cintura e deduziu ser o bicolor.

- Kaminari-kun! Ajuda! – Kirishima diz e então bateu contra a mesa – AI! AI! AI! Alguém acende alguma coisa!?

- Calma, vou dar um jeito! – Keiko ergueu sua mão direita para manter o bicolor seguro e ativou as chamas em sua mão dando a visão baixa da turma.

- Cadê as crianças? – Mina questionou e então iluminei mais alto com cuidado para não ativar o alarme de incêndio.

- MAMÃE! – as crianças choravam e os trovões não ajudavam em nada.

- Calma! Calma! Não precisam ficar assim! – Ochako, Momo e Tsuyu se aproximaram dos pequeno.

- Tsc.... Seus bebês chorões! – Bakugou desceu do sofá e seguiu até a escada mas como estava escuro, ele não subiu, ficou encarando a escuridão.

- Algum problema Katsuki-kun? – Keiko desconfiou do menor, até certo ponto, a turma sabia que Bakugou só tinha medo da mãe mas isso é algo a se questionar agora que o mesmo está com cinco anos.

- Não! – e tentou subir mas desistiu e se sentou no primeiro degrau – Vocês não tem nada que ajude a dar luz nesse lugar? – indagou impaciente.

- Kaminari! – Kyoka olhou o loiro ao seu lado.

- Eu vou tentar! Não prometo nada! Yagi-san, pode me ajudar a enxergar aonde eu vou? – questionou para a morena que concordou.

- Ok eu.... – sentiu um aperto maior em sua cintura – Ei Shoto-kun, é só trovão, não vão te fazer mal! – acariciou o cabelo do menor que a olhou com medo.

- Eu cuido dele! Vem cá Todoroki-chan! – Mariko bateu as mãos sobre as coxas mas o pequeno não se móvel.

- Ok! Vem comigo então! – carregou o pequeno no colo com uma mão enquanto a outra iluminava o caminho e então Denki deu um pulo de susto.

- Algo pegou minha perna! – diz e Keiko iluminou mais o loiro para ver o pequeno Katsuki abraçando a perna do mesmo.

- Está com medo do escuro Katsuki-kun? – Keiko se abaixou colocando Shoto no chão – A gente vai fazer a luz voltar mas precisa ficar aqui!

- Por que ele pode ir e eu não? – indagou irritado e a morena encarou Kaminari.

- Tá! – pegou Bakugou no colo e seguiram até o porão onde ficava o sistema de energia do alojamento 1-A – Agora fica aqui enquanto eu vejo o que posso fazer! – Kaminari se aproximou da caixa e abriu, Keiko colocou Shoto no chão perto de Bakugou e se aproximou de Denki para iluminar o local – Acho que uma faísca vai ser o suficiente! – e colocou o dedo no meio do aparelho e com um pequeno choque a luz voltou – ISSO! – diz animado.

- Agora vamos! – Keiko pegou novamente Shoto no colo e Denki fez o mesmo com Bakugou.

Assim que voltaram pra sala, deixaram as crianças no sofá junto com as outras e voltaram a estudar.

「Quebra de tempo」

Já era noite, pela volta das 21h, todos já estavam se arrumando para dormir com a ordem de Aizawa, o mesmo já havia falado que não haveria aula para a turma por questão do ocorrido e que amanhã os pais viriam buscar as crianças.

- Vocês colocam eles pra dormir! – Mineta diz entrando em seu quarto.

Momo, Keiko, Mariko, Tsuyu e Ochako ficaram responsáveis por arrumar os pequenos em seus quartos.

Keiko já havia arrumado a cama de Shoto e o mesmo encarava a janela, parecia com medo.

- Algum problema Shoto-kun? – a maior indagou vendo o desconforto do pequeno.

- Cadê a mamãe? – tal pergunta pegou a Yagi de surpresa, não sabia como explicar o que tinha acontecido.

- Ela está em outra casa! Ela está bem e segura não se preocupe! – foi o que conseguiu dizer de mais leve, não podia dizer que a mulher estava internada desde que jogará água quente no rosto do pequeno seria cruel de mais.

- Quando vou vê-la?

- Logo! Não se preocupe agora você precisa dormir! – diz pegando o pequeno e o ajeitando sobre a cama, depois de cobri-lo depositou um beijo singelo na testa do menor – Boa noite Shoto-kun! – e então saíu do quarto apagando a luz.

No quarto de Izuku, Ochako estava com dificuldades para colocar o pequeno na cama, o mesmo estava muito agitado e dizia que estava pronto para lutar contra os vilões e proteger todos que estavam cuidando dele. Era fato que Izuku desde cedo já mostrava que seria um grande herói.

- Vamos Deku-kun, você precisa dormir! – diz tentando pega-lo mas por acidente ativou seu poder e o mesmo começou a flutuar.

- EBAAA! ISSO É DEMAIS! – Izuku fazia cambalhotas arrancando risadas da mais velha.

- É sim! Agora você tem que dormir! – desativou seu quirk e o menor caíu em seus braços.

- Sabe Uraraka-san.... – se aninhou na cama enquanto ela o cobria – Quando eu crescer, quero me casar com alguém igual você! – diz já adormecendo.

Ochako corou violentamente mas sorriu, beijou a bochecha do pequeno e saíu do quarto vendo Tsuyu, Keiko e Momo a esperando.

- Difícil também? – Momo suspirou cansada – Debater com o pequeno Iida é pior que debater com o mais velho!

- Tokoyami-chan dormiu rápido, não deu trabalho! – Tsuyu diz olhando as amigas.

- Então foi só o seu! Alguém viu a Kagemaki-san? – Keiko indagou confusa.

No quarto de Bakugou, a rosada ainda tentava colocar o loiro explosivo na cama.

- Colabora seu pestinha! – diz pulando para pega-lo mas foi de cara no chão.

- Eu não to com sono cereja amarga! – Bakugou diz frustrado e zombando da maior a qual havia dado o apelido por ver que a mesma era chata comparada as outras garotas.

- Seu pirralho! Deita logo nessa droga de cama! Amanhã seus pais vem te buscar! – falou batendo o pé e apontando pra cama com o indicador.

- E quem disse que eu vou? – Bakugou rebateu virando a cara e cruzando os braços.

- Francamente, acho que nem seus pais vão querer ter você de novo desse jeito! Você é um pirralho mimado e insuportável! Não sei como o Kirishima-kun suporta você! Por mim já tinha enfiado você em uma caixa e mandado pro Alasca! – falou cansada da birra do menor – Acho que ninguém vai suportar suas birras mais um dia! Você é um péssimo herói! Inútil! Só serve pra ser sequestrado e torturado! Daria bem melhor sendo um vilão! – diz por fim e escutou um soluço vendo o menor com os olhos marejados e soluçando, então se deu conta que estava falando com uma criança de cinco anos e não com Bakugou explosivo de dezesseis anos – Eu...

- Cai fora do meu quarto! – diz subindo na cama com dificuldades e se deitando virado pra parede.

Mariko suspirou cansada e se sentou na beira da cama do menor.

- Desculpe Bakugou-chan, não queria fazer você chorar é que.... É complicado! Mas esqueça o que eu falei, você vai ser um bom herói! – beijou a testa do pequeno e saíu do quarto cabisbaixa.

Seguiu andando até onde viu as colegas a esperando e então foram para seus quartos.

Keiko tentava dormir mas algo a incomodava, a chuva só aumentada do lado de fora e os trovões ficavam mais ensurdecedores. Vencida pela preocupação, se levantou da cama e abriu a porta, antes que saísse, viu o pequeno Todoroki andando olhando pras portas e segurando um pequeno lençol azul, a Yagi não conteve um sorriso vendo como o menor era fofo.

- Shoto-kun! – o chamou e o mesmo correu para seus braços com medo dos trovões.

- Meu quarto é frio! Me da medo! – diz choramingando, de longe Keiko avistou Ochako segurando o pequeno Izuku que chorava.

- Você também? – Ochako sorriu se aproximando da amiga – Acho que o Aizawa-sensei não vai se importar né? Afinal eles são crianças! – olhou a amiga em dúvida.

- Ele vai entender! Boa noite Ochako-chan! – segurou a mão do pequeno bicolor e entrou no quarto.

- Uau! – o pequeno encarou o quarto aceso vendo o tanto de coisas que tinha, se aproximou do criado-mudo onde havia um porta-retrato – É o All Might! – diz empolgado, Keiko se sentou na cama e olhou menor – Ele é seu pai?

- Na maior parte do tempo! – sorriu pensando nos momentos felizes que tinha com a família na idade do pequeno.

- Deve ser legal! – comentou triste – Sua mãe é bonita! Se parece com você! – tal comentário faz a mesma sorri com carinho, talvez ter Shoto daquele tamanho fosse melhor do que o mal-humorado – Eu não me pareço muito com a mamãe, pra falar a verdade acho que pareço com o papai! Tenho medo de que eu fique igual ele! – a voz tristonha do melhor fez Keiko repensar na infância do próprio.

- Vem cá Shoto-kun! – colocou o menor sentado ao seu lado na cama – Só porque se parece com seu pai, não quer dizer que você será igual ele! Você é você! Pode criar seu próprio caminho e fazer suas próprias escolhas! Entendeu? – o menor concordou abrindo um sorriso grande – Por que você não pode sorrir assim mais vezes? – perguntou se deitando na cama, o menor se deitou ao seu lado e ela ajeitou o edredom para mantê-lo aquecido – Boa noite Shoto-kun! – desligou o interruptor e se ajeitou na cama para poder dormir.

Amanhã certamente seria um dia muito exaustivo.



Notas Finais


Como vocês acham que eles viraram crianças?
Vocês acham certo o que a Kagemaki disse pro pequeno Bakugou?
E vamos concordar eles são umas fofuras😍


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...