História A fada cupido - Capítulo 2


Escrita por: e furustreca5L9

Postado
Categorias EXO
Personagens Byun Baek-hyun (Baekhyun), Park Chan-yeol (Chanyeol), Personagens Originais
Tags Chanbaek, Fadas, Royal Project
Visualizações 55
Palavras 2.162
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ficção, LGBT, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mil perdões por minha demora para atualizar a fanfic, tive um bloqueio criativo monstruoso que veio junto com um monte de problemas pessoais. Espero que possam me perdoar 💕✊😔.

Betado por: @OhLalalaka.

Espero que gostem, boa leitura ❤

Capítulo 2 - Efeitos colaterais


O plano era simples, apenas agiria como se não soubesse de nada. Só precisava interpretar um personagem de série, onde o principal se encontra em uma situação onde, se ele contar, a amizade pode acabar ou mudar e se ele não contar e uma hora acabar escorregando na própria mentira, o amigo descobriria e a amizade acabaria de vez e ele sairia como um traíra. Seguia firme e confiante que não escorregaria. 

Era só manter a amizade normal…

O que seria difícil pra caramba considerando que Baekhyun era irresistivelmente lindo, principalmente com aquele moletom que Chanyeol sabia ser novo.

— Moletom legal, fica bonito em você! — elogiou Chanyeol.

Era estranho o fato de estar elogiando o amigo de forma civilizada já que sempre faziam aquilo com xingamentos e ofensas internas que já não levavam como brincadeira. O Byun estava com sono demais para notar a diferença no amigo, mas o próprio Chanyeol, mesmo estando com sono, notou.

— Que sono. — O Byun resmungou após um bocejo. — Dormi bem tarde ontem vendo uns vídeos da área 51.

— Que idiota, como você pode trocar seu precioso sono para ver vídeos? — indagou Chanyeol. — Eu não trocaria meu sono nem por…

— Nem por?

— Por… Por… UMA MORDIDA DE LOBISOMEM OU VAMPIRO! — respondeu empolgado.

— Duvido, nem você acredita nisso!

— É, eu também duvido. — Os dois riram um pouco e foram para suas respectivas salas. 

Era estranho o jeito que Baekhyun havia se tornado um imã para os olhos do Park, não conseguia evitar olhá-lo. Corria o risco de ser pego pelo próprio, mas, ainda sim, continuava a olhar. 

— O que tem de tão interessante no Byun que não tem em minha aula, Park? — perguntou o professor. 

— Anh… Achei ter visto um bicho andando nele, mas não era nada, acho que olhei por tempo demais para a luz e fiquei vendo coisas. — mentiu. 

— Agora que concluiu sua suspeita, preste atenção na aula, isso é conteúdo de avaliação, Park. 

Mesmo com o olhar direcionado ao chão, Chanyeol conseguia sentir os olhares dos colegas lhe julgando, e pior, o olhar de Baekhyun. Aquilo havia sido um constrangimento total, teria que ter mais cuidado e se controlar mais até que conseguisse falar com July.  Tentou evitar ao máximo falar, olhar, pensar, e até mesmo ficar perto de Baekhyun. Para isso, decidiu que comeria no pátio da escola, sabia que o amigo odiava comer em qualquer outro lugar que não fosse uma mesa. Precisava ficar sozinho e longe do Byun para ao menos tentar pensar em uma solução, do jeito que estava agindo, logo seria pego. Sabia que o amigo demorava um século para comer, o que o ajudaria muito naquele dia. 

Comeu seu sanduíche bem lentamente, normalmente, apreciava o precioso gosto de suas misturas no sanduíche, mas estava tão nervoso que não conseguia pensar naquilo. Seus pensamentos estavam a mil e quase todos diziam a mesma coisa, "eu devo me afastar dele, ao menos por um tempo, mas de forma que ele não perceba e nem estranhe".

Era a única coisa a se fazer.


Gostaria muito de fugir da escola e ir para casa, mas era desastrado demais para pular os muros altos. Por sua sorte, as duas últimas aulas seriam de matemática, o que o ajudaria bastante a manter seus olhos bem longe do Byun.

Como de costume, ainda que faltasse três minutos para o sinal tocar, todos os alunos da turma já estavam com as bolsas nas costas e alguns até estavam na porta, e Chanyeol era um desses. 

Geralmente o Park não tinha pressa alguma para voltar para casa, por isso, Baekhyun estranhou a ansiedade do outro que parecia estar contando os segundos para sair.

— Cara, por que você está tão agitado?

— É… Ah… Meu pai comprou um presente para mim e disse que deixou em cima da minha cama, quero saber logo o que é! — mentiu.

— Tá bom, quando chegar me liga para mostrar o que é.

— Tá bom!

Então o sinal ecoou por toda a escola. Com a porta fechada, o som não era tão alto, mas ao abrirem-a a diferença era bem notável.

O garoto andava o mais rápido que podia, o que não era lá muita coisa, já que era apenas um mero humano. O percurso que costumava a fazer até sua casa era de dez minutos, e ele havia feito em cinco. Abriu a porta com veracidade, reclamando um pouco por não conseguir colocar a chave de primeira. Olhou de relance pela porta aberta do escritório de seu progenitor. Seu pai não estava em casa, o que era estranho se levado em consideração o fato dele trabalhar em casa. 

Subiu a escada para seu quarto um tanto afobado para contatar July. Assim que entrou e trancou a porta, o cansaço bateu e imediatamente o coração disparou pela "corrida" que tinha acabado de fazer.

Não precisou abrir o livro, já tinha decorado o ritual. 

Logo que as palavras mágicas foram ditas, a fadinha se fez presente no quarto, desta vez, aparecendo sentada na beira da cama do Park.

— Me chamou?

— Chamei! 

— O que se passa? — perguntou a fada.

— Muita coisa estranha, vou contar desde o começo. — Chanyeol disse. — Então, quando eu cheguei na escola hoje, aconteceu uma coisa muito louca: Eu elogiei o Baekhyun.

O garoto explicou com seus olhos mais esbugalhados que o normal. July estava tentando entender qual tinha sido a coisa louca, mas ainda não tinha nenhum resultado. Apenas faria cara de atenta até que entendesse o Park.

— Tipo — fez cara de dúvida e colocou suas mãos para frente acima do peitoral, as mãos com as palmas viradas para cima. — A gente não se elogia, a gente se zoa! E eu passei a aula toda olhando para ele, eu não conseguia tirar o olho dele. Isso é muito estranho.

— Não, Chanyeol, isso não é diferente. É apenas novo entre vocês, é uma mudança nos seus hormônios e sentimentos. Essas coisas que estão acontecendo com você em relação a ele, são efeitos colaterais. — Explicou a fada — E lamento em te informar, mas não vão parar. Você sentiria isso algum dia porque o destino quis assim. Então o melhor a se fazer é aceitar e tentar se acostumar com as mudanças que virão daqui pra frente. Os mesmos efeitos colaterais que você está tendo, ele também está, só que ele sabe disfarçar, você o conhece, sabe que ele é bom em disfarçar o que sente.

Chanyeol estava pensativo, cada palavra proferida por July, pareciam fazer total sentido e em nenhum momento ele achou que desse para fazer o contrário.

— Quando você o elogiou, o que ele disse?

— Nada, ele não fala muito pela manhã.

— Mas ele demonstrou alguma expressão?

— Não prestei muita atenção, mas acho que ele mexeu com as mãos. Como se estivesse nervoso.

— Tá vendo, ele tentou disfarçar — Explicou July. — Sei que você acha que isso é o fim da amizade de vocês, mas não é!

— Você tem razão — disse meio cabisbaixo. — Sabe, eu não prestei muita atenção no dia por estar meio abalado pelo lance com a Joy, mas eu vi as luzes douradas no Baekhyun. Ignorei, pois achei que fosse efeito do sol, mas não, era forte demais.

July sorriu ao perceber que Chanyeol estava levando tudo aquilo com compreensão.

— Você deveria tentar dar um passo mais ousado — July aconselhou.

— Acho que vou esperar mais um pouco. Talvez eu deva dar o livro a ele, vai saber, né?

— Não é uma má ideia, mas acho que ele não é curioso e ousado como você.

— É, ele não é.

Depois de alguns minutos em silêncio, July anunciou sua partida. E depois de alguns "obrigados", a fadinha sumiu, deixando um Chanyeol apreensivo para trás.

Talvez devesse apenas não forçar e deixar que seu coração agisse por si, deixasse apenas transparecer cada dia mais que um sentimento diferente estava sendo implantado naquela amizade.


Evitou pensar naquilo, apenas se sentou em frente a seu computador e começou a assistir um novo episódio da série que havia começado há uma semana. Não viu o tempo passar, logo já era hora de jantar e tomar banho pra dormir. Fez tudo sem muita pressa e tratou de ir dormir, pois o dia de amanhã seria possivelmente estranho.


[•••]


Como ainda estava de manhã, Chanyeol não estava muito pensativo, nada produtivo ou relevante passava por sua cabeça. Mas tudo mudou quando viu Baekhyun e se lembrou que não havia ligado para ele na noite anterior e que seu pai não havia lhe dado presente nenhum.

Teve poucos segundos para pensar e chegou a um resultado que lhe faria se sentir culpado. Teria que mentir para seu melhor amigo.

— Bom dia — cumprimentou o menor tocando em sua mão como de costume.

— Bom dia — respondeu Baekhyun. — Por que não me ligou ontem pra mostrar o presente?

— Ah é, verdade. Foi mal, acabei esquecendo.

— Tá beleza, mas qual era o presente?

— Um boneco lego do Darth Vader.

— Ah, que legal.

Não costumavam conversar muito pela manhã então apenas foram para a sala sem dizer nenhuma palavra.

A primeira aula era de história, o que era uma ótima oportunidade para o Byun dormir, já que na noite anterior, os pensamentos invadiram sua mente e não o deixaram dormir quase nada. Esperava que toda sua confusão mental, chegasse logo ao fim.

Na hora da pausa, combinaram de ir comer qualquer coisa depois da aula, ideia de Baekhyun. Saíam mais cedo nas quintas então deixariam para almoçar no Subway.

Assim que o sinal para o almoço tocou, os dois saíram em disparada para pegar o ônibus, pois mesmo que o estabelecimento não fosse tão longe, eram sedentários para irem à pé. Foi uma luta para conseguir um lugar no ônibus, ele era sempre muito cheio. Parecia que todos os jovens daquela escola pegavam ele para irem em casa almoçar, a luta naquele ônibus nem era para pegar um lugar pra sentar, e sim, um lugar pra ficar em pé.

Depois de sete minutos, desceram em frente ao Subway e mais uma vez foram em disparada para não terem que enfrentar uma fila enorme. Não demorou para que pagassem seus lanches e fossem para a casa de Chanyeol, já que todas as mesas já tinham sido ocupados por bolsas.

Não pegaram nenhum ônibus, pois queriam comer logo seus sanduíches e dentro dos transportes públicos não era permitido.

Ao chegarem em casa, atacaram seus lanches e assim que terminaram de comer, começaram a jogar vídeo game.

— Sabe, depois de me desencantar pela Joy, tenho me sentido muito estranho em relação aos meus sentimentos. — Chanyeol começou o assunto enquanto jogavam.

— Decepção talvez? — Baekhyun brincou.

— Não, é algo mais.

— Quer que eu seja seu psicólogo?

— Não, não quero falar disso até entender o que é.

— Mas sabe que muitas vezes precisamos de alguém para nos ajudar a decifrar nossos próprios sentimentos? — disse Baekhyun. — Alguns sentimentos são grandes demais para se entender sozinho.

Chanyeol olhou meio confuso para Baekhyun, procurando saber de onde aquela reflexão tinha vindo. Será que seria aquilo um pedido de ajuda?

O Byun não era alguém que gostava de falar muito sobre seus sentimentos, às vezes até parecia ter uma certa frieza, mas era apenas o jeito dele.

— O que se passa? — disse Chanyeol tentando garantir que aquilo não era um pedido de ajuda.

— Nada, eu só ando um pouco confuso em relação a meus sentimentos.

— Entendo perfeitamente. Se precisar de alguém pra te ajudar a decifrar, conta comigo.

— Tá bom. — Respondeu Baekhyun com um sorriso singelo.

Acabaram fazendo um contato visual estranho que durou tempo demais, mas que logo foi quebrado ao Chanyeol começar a inclinar sua cabeça para frente e logo selar os seus lábios aos de Baekhyun.

Aquele era o problema de se deixar o coração agir, ele era sentimental e nem um pouco racional. Apenas agia sem pensar nas consequências. Não sabia o que iria acontecer, mas ainda sim foi em frente e aprofundou o beijo. Esperava que Baekhyun apenas se afastasse e gritasse consigo, mas o que ele fez foi totalmente imprevisível. O Byun começou a corresponder o beijo, o que fez o coração do Park palpitar de forma descompassada e feliz demais.

Porém logo o menor caiu em si e se afastou rapidamente, separando a boca de ambos e se levantando  às pressas. Estava perdido e confuso, não conseguia formular nem uma frase sequer. Apenas pegou sua mochila e saiu pela porta do quarto.

Chanyeol estava imóvel, não conseguiu nem ir atrás do melhor amigo. Apenas apoiou a cabeça sobre os joelhos e deixou que os pensamentos invadissem sua mente e, junto a eles, algumas lágrimas.

Nunca mais confiaria em seu coração ao ponto de deixá-lo agir por si.




Notas Finais


Espero que tenham gostado😊❤💫


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...