História A fada e o Dragão - Capítulo 38


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Acnologia, Anna Heartfilia, Aquarius, Aries, Cana Alberona, Câncer, Capricórnio, Carla (Charle), Crux (Kurukkusu), Elfman Strauss, Erza Scarlet, Evergreen, Gemini, Gildartz, Gray Fullbuster, Happy, Jellal Fernandes, Loki, Lucy Heartfilia, Makarov Dreyar, Mavis Vermilion, Natsu Dragneel, Wendy Marvell, Zeref
Tags Acnologia, Batalhas, Fairy Tail, Lucy, Magia, Nalu, Natsu, Zeref
Visualizações 19
Palavras 691
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Luta, Magia, Mistério
Avisos: Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Depois de muito tempo, voltei, e mais importante, postei!

Capítulo 38 - Edgar Arturo


Sr. Arturo caminhava lentamento pelos corredores de sua mansão. Conforme andava o terno feito a mão - e sobe medida para ele, diga-se de passagem - que era totalmente preto brilhava sobe a luz que estrava pelas enormes janelas que começavam no teto e terminavam no chão. Ele parou em frente  uma das janelas para apreciar a luz do luar entre as folhas das arvores. Seus guardas estavam posicionados em todos os arredores de sua morada, enquanto ele caminhava notou um deles, de cabelo negro, conversando com o outro de cabelo rosa. Ele franziu a testa em confusão, não lembrava que um de seus subordinados tinham cabelo rosado, mas não ligou, ele nunca dava muita atenção a eles mesmo...

Ele foi para seu escritório, e la em cima de sua mesa notou algo diferente, uma lacrima gravadora brilhando incessanamente, ele se aproximou, caminhando apressadamente para sua cadeira de couro, sendo iluminado somente pela luz das janelas e daquela coisa. assim que se sentou ele ativou a lacrima antes de ouvir: " Socorro". Mesmo não prestando atenção em seus funcionários, ele reconhecia muito bem aquela voz, era a voz do pai de sua falecida esposa, 

- Arturo. - Uma voz o chamou, e foi quando, ele, o mago das trevas, sai da escuridão de uma das partes de seu escritório.

- Zeref o que faz aqui?

- Vim pedir para que pare de me perseguir - Artur gargalhou sarcasticamente com aquele pedido.

- Zeref, meu querido, Zeref, eu não te persigo... Eu só estou devolvendo na mesma moeda o que você fez a mim a anos atrás. Você tirou elas de mim, então eu vou tirar de você, o que te é mais querido, seu irmão; E.N.D - Ele berrou, batendo seu punho na mesa. A lacrima que era redonda saiu de seu suporte, caiu no chão e rachou. Zeref se amaldiçoou mentalmente por ter que explicar, depois, para Wendy o que acontecera com sua lacrima. 

Quando Zeref desviou seu olhar vaziou da lacrima no chão, ele viu os olhos de Artur que estavam bem longe dali...

Flashback _ 5 anos atrás.

Artur com seus olhos cinzas, pele branca, e cabelos negro, observava ao longe, sua linda mulher, albina de olhos azuis, brincando com sua filha, também albina mas essa puxará os olhos cinzas do pai, no meio da maravilhosa floresta de Magnólia. A filha, que adorava jogar bola, acabou chutando-a para longe, então ela foi correndo, atrás do objeto arredondado, enquanto suas tranças balançavam, quando o vento aumentou de repente. A floresta, que antes era verde e com vida, se tornou morta em cores de cinza e preto. A menina olhou para trás assustada, ela voltou seu olhar para a bola, que estava aos pés de um homem totalmente de preto.

- o senhor pode me dar a bola por favor? - Perguntou a menina se aproximando mais e mais.

Zeref que ainda estava alucinado pela aproximação repentina, acordou de seu transe quando disse desesperadamente - Não se aproxime de mim. 

Os pais, antes preocupados, começaram a correr em direção a eles, mas já era tarde demais. Candy, com seu jeito animado e carinhoso, abriu um sorriso infantil, e abraçou o mago negro. e, foi imediato. antes dela poder apertar ainda mais seu abraco carinhoso, ela caiu nos bracos de seu pai, que chegou bem na hora, já sem vida. O pai não fez nada mais além de chorar pela filha, já que, como um grande medico, chegou o pulso dela, e teve certeza que ela estava morta.  A mãe chegou minutos depois, e vendo o olhar desolado de seu marido, a primeira coisa que fez foi derramar uma lagrima, antes de empurrar  o peitoral do magro negro, ele se afastou, não pela força do empurrão, ma sim na esperança de que não acontecesse o que aconteceu a filha dela. Mas não adiantou ela parou, estática, como se estivesse em estado de choque, antes de cair no chão, também sem vida. Edgar olhou para elas, sua filha e sua esposa, Candy e Cassandra, sem vidas. Quando ele direcionou seus olhar para o mago, ele já não estava mais lá


Notas Finais


Só para avisar mesmo, comentários animam o autor!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...