História A família Winchester - (destiel e sabriel) - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Supernatural
Tags Destiel, Sabriel
Visualizações 59
Palavras 1.576
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Lemon, Orange, Romance e Novela, Sobrenatural, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


vergonha de postar mais um lemon? magina nem tô aqui toda vermelha
enfim vergonha a parte, eu espero que tenha ficado bom ^^

Capítulo 11 - Tão bom...


P.O.V CASTIEL

Já era noite e todo mundo foi para seus respectivos quartos, incluindo eu e o Dean, e como ele sempre insistia pra mesmo que eu não dormisse eu ficasse deitado com ele, decidi por conta própria tirar parte das minhas roupas, então estava sem o sobretudo, o paletó e a gavata

Dean: - ei Cas, já faz tanto tempo que não fazemos nada - Ele disse se aproximando e colando nossos corpos

Castiel: - Dean, tem mais gente em casa agora - eu disse o empurrando de leve

Dean: - é só não fazermos barulho - ele sussurrou no meu ouvido me fazendo arrepiar

Castiel: - é melhor não arriscar - ele me olhou com um olhar pidão

Dean: - você não me quer mais? - ele perguntou parecendo triste

Castiel: - claro que eu quero - ele sorriu e aproximou seus lábios do meu pescoço - m-mas não aqui... - falei tentando ao máximo conter meus gemidos

Dean: - onde então? – sem responder eu nos transportei para o quarto de um motel aqui de Lebanon enquanto selava nossos lábios

Castiel: - aqui está bom – disse enquanto ele me beijava mais em vários pontos do meu pescoço

Dean: - ótimo, senti tanta falta sua meu anjo – ele disse ao desabotoar devagar minha camisa

Castiel: - então minha vadia sentiu saudades? – perguntei com um sorriso malicioso para ele

Dean: - claro, é o que acontece depois de tanto tempo – ele disse se livrando de vez da minha camisa com um olhar sedutor

Castiel: - quem te visse com essa cara juraria que é o ativo – disse dando risada

Dean: - bom, deve ser porque você é a única pessoa com quem eu não sou – ele disse também rindo

Castiel: - e também sou a única pessoa com quem você transa a meses, certo? – perguntei com um falso olhar de dúvida

Dean: - sim, embora nem com você eu tô transando ultimamente – ele reclamou

Castiel: - Dean, faz uma semana – disse tirando a camisa de flanela dele

Dean: - parece um ano – ele disse encontrando meus lábios com os dele

Castiel: - exagerado – disse enquanto revirava os olhos assim que o beijo acabou

Dean: - sabe, agora eu lembrei do que a Jane disse – ele disse me jogando sentado na cama sentando-se sobre meu colo

Castiel: - qual parte?

Dean: - sobre você, quando ela disse que mesmo quando estava dividindo o corpo com ela, você fantasiava em me chamar de vadia – ele disse rebolando devagar sobre meu corpo ainda coberto – há quanto tempo deseja isso?

 Castiel: - desde quando eu notei a bela bunda que você tem – sussurrei no seu ouvido e o vi ficar vermelho

Dean: - quem te visse assim não imaginaria que você é um anjo – ele sorriu e atacou meu pescoço com mais beijos

Castiel: - tem razão, mas a culpa disso é inteira da vadia que me fez cair

Dean: - a mesma vadia que você escolheu no lugar de um exército?

Castiel: - sim... E pela qual eu morri e matei – disse afundando mais sua cabeça no meu corpo

Dean: - e você se arrepende de ter feito isso tudo por uma vadia? – ele perguntou se livrando da própria camisa

Castiel: - nem por um instante – ele sorriu e eu beijei seus lábios

Dean: - por que não? – ele perguntou com um sorriso pervertido

Castiel: - porque cada segundo com essa vadia, é melhor do que passar a eternidade no paraíso – disse colando mais ainda nossos corpos

Dean: - adorável – ele disse se levantando e me obrigando a ficar de pé também

Castiel: - bobo, o que está fazendo? – ele se ajoelhou e começou a desabotoar a minha calça

Dean: - a vadia quer recompensar você um pouco – ele sorriu maliciosamente ao abaixar minha calça deixando à mostra minha cueca já um tanto melada de pré-gozo

Castiel: - e como? – perguntei fingindo não saber o que aconteceria em seguida

Dean: - você verá – ele sorriu e abaixou o tecido expondo meu membro já ereto, então ele começou a passar sua mão por toda extensão numa masturbação lenta e prazerosa, antes de enfim levá-lo até sua boca, primeiro ele tocou a ponta da glande com os lábios e em seguida seguiu passando a língua por toda extensão, lambendo-a inteiramente várias vezes com uma expressão de prazer excitante, depois de fazer isso por um tempo ele enfim levou meu membro até o interior da sua boca quente e o chupou algumas vezes até depois de um tempo repentinamente parar

Castiel: - ah... por que você parou? – perguntei curioso encarando aquelas esmeraldas em sua face que no momento parece tão obscena, e ao invés de me responder com palavras ele levou minha mão até sua cabeça e relaxou sua boca, pedindo para que a partir de agora eu ditasse os movimentos, e eu o fiz, agarrando com força seus cabelos puxei sua cabeça contra meu corpo fodendo aquela boca perfeita cada vez mais rápido – oh céus... DeAn...

Dean: - mmm... – ele gemeu tentando dizer alguma coisa que no momento foi incompreensível, então entrei por um instante em sua mente pra entender o que ele quis dizer “isso é tão... incrível, ele é tão... grande” não contive um sorriso ao ver isso, continuei as estocadas por mais um tempo até finalmente me derramar no interior da sua boca – tão bom... – ele gemeu engolindo todo o liquido branco

Castiel: - nem parece o mesmo cara que reclamou a primeira vez que eu fiz isso – dei risada e ele me olhou feio

Dean: - tem razão, eu não sou mais o mesmo cara, aquele cara não faria isso – ele me jogou deitado na cama e se livrou das próprias calças e em seguida se sentou sobre meu colo e começou a se roçar seu corpo de leve em mim aos poucos me deixando duro de novo – gosta disso meu anjo?

Castiel: - sim.. oh sim... mas e você? Gosta disso? – perguntei agarrando seu membro até então ignorado começando uma masturbação lenta e o vendo se contorcer de prazer

Dean: - sim... é tão bom... mas espera, não quero ah... gozar ainda, quero fazer isso com v-você dentro de mim – ele disse meio vermelho afastando minha mão do seu pau e a dirigindo pra sua entrada

Castiel: - como quiser – sorri e penetrei devagar um dedo no seu interior o movimentando devagar até ele se acostumar

Dean: - isso é... tão bom... oh Cas – ele gemeu e eu comecei a inserir mais um notando uma leve expressão de dor, então os deixei parados até que por vontade própria ele começou a rebolar e seguindo seu ritmo eu voltei a movimentá-los em seu interior, depois de algum tempo eu refiz o mesmo processo com mais um dedo e quando ele se acostumou comecei a estoca-lo com força – tão bom...

Castiel: - gosta disso vadia? Gosta quando te fodo com os meus dedos? – perguntei encarando sua expressão de deleite

Dean: - sim... oh céus... sim! – ele gemeu bem alto

Castiel: - mas prefere quando uso outra coisa, certo? – perguntei retirando meus dedos de seu interior apertado para introduzi-los de novo com velocidade acertando sua próstata

Dean: - s-sim... – ele gemeu em afirmação

Castiel: - e o que prefere que eu use, vadia? – perguntei com um sorriso malicioso

Dean: - você sabe... – ele disse um pouco constrangido

Castiel: - sei, mas eu quero ouvir você dizer, quero que diga que prefere quando eu te fodo com o meu pau, quero que diga que me quer bem fundo no seu interior, quero que diga pra eu te foder tão forte e rápido que você verá estrelas, quero te ouvir gemendo como a vadia que você é, quero ouvir você gritar como uma cadela no cio – disse com minha voz rouca em um tom autoritário e senti ele se contraindo em meus dedos como se estivesse ficando ainda mais excitado com minhas palavras

Dean: - eu prefiro ah... mil vezes quando você me fode oh... com o seu pau, quero você tão fundo em mim que ah... eu verei estrelas, quero que você me faça gemer como ah... vadia que eu sou... – ao ouvir essas palavras eu tirei meus dedos de dentro dele e introduzi devagar o meu membro no seu interior apertado, dando tempo pra que ele se acostumasse

Castiel: - oh céus... você é... tão apertado... – gemi enquanto ele começou a rebolar

Dean: - e você ah... é tão grande... – ele gemeu com aparentemente nenhum desconforto – já pode... ah... se mexer

Castiel: - como quiser... oh tão bom... – gemi enquanto ele por conta própria rebolava ainda mais rápido do que eu era capaz de ir – isso é tão... bom Dean

Dean: - oh Cas... mais forte, fode ah... sua vadia mais forte – atendi seu pedido e comecei a ir mais rápido e forte, até que encontrei de novo sua próstata e a acertei de novo e de novo durante bastante tempo até que ele se derramou sujando nossos corpos ébrios de prazer com seu liquido quente, seu orgasmo fez com que sua entrada se contraísse o que bastou pra que eu viesse em seu interior

Castiel: - isso foi tão bom – disse quando saí de seu interior e ele se deitou sobre meu peito

Dean: - foi incrível, eu te amo anjinho – ele disse me abraçando

Castiel: - eu também te amo vadia – ele deu risada e eu o apertei forte em meus braços até ele cair no sono


Notas Finais


comentários são sempre bem-vindos ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...