História A família Winchester - (destiel e sabriel) - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Supernatural
Tags Destiel, Sabriel
Visualizações 99
Palavras 1.824
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Lemon, Orange, Romance e Novela, Sobrenatural, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


pra quem não lembra Emma foi a filha amazona que o Dean teve no episódio 13 da sétima temporada, e como eu não superei a morte dela, eu quis dar um jeito de trazê-la de volta nessa fic

Capítulo 12 - Quem é Emma?


P.O.V CASTIEL

Nos transportei de volta ao bunker ainda à noite com o Dean dormindo deitado no meu peito, já estávamos limpos e vestidos, então fiquei apenas o observando dormir, até que em um momento ele começou a se contrair repetidamente, se movimentando de um jeito estranho, notei que ele estava tendo um pesadelo o que era mais frequente do que eu gostaria

Dean: - Emma... – ele resmungou ainda dormindo, não era a primeira vez que ele dizia esse nome enquanto tem pesadelos, e confesso que fiquei um pouco curioso sobre quem seria essa Emma

Castiel: - Dean... Dean... – chamei baixo para livra-lo daquele sonho ruim

Dean: - o que foi... – ele resmungou acordando

Castiel: - estava tendo um pesadelo – disse baixinho passando minhas mãos por seus cabelos

Dean: - eu sei... – ele resmungou - obrigado por me acordar... – ele disse enfiando a cabeça de volta no meu peito e dormindo de novo

Ele dormiu bem por mais algumas horas, até o alarme tocar e nos levantarmos, indo até a cozinha ao encontro de Sam, Gabe, Jack, Jane, Mary, Jody, Claire, Alex e Patience.

Castiel: - bom dia – cumprimentei com um sorriso

Jane: - dormiu bem anjinho? – ela perguntou estranhando meu bom humor

Castiel: - você sabe que eu não durmo Jane

Claire: - por que vocês estão tão felizes?

Dean: - não se pode mais ficar feliz?

Jane: - claro que pode, vocês não vão se sentar?

Dean: - não tô afim – ele deu de ombros e as Novak riram

Castiel: - qual a graça?

Jane: - nada, só o fato de vocês terem transado – como ela sabe disso?

Mary: - você vai fazer isso todas as vezes que eles transarem?

Jane: - todas não, só até eles entenderem.

Dean: - entender o que?

Gabriel: - basicamente, sempre que ela acha que vocês transaram ela te pergunta se você quer sentar, se você disser que não é porque você transou

Jack: - o que uma coisa tem a ver com a outra? – ele perguntou com uma cara inocente

Dean: - não importa – ele estava completamente vermelho

O resto da manhã seguiu normalmente, em algum momento todos haviam deixado a cozinha, exceto Dean e eu, então achei que seria uma boa hora pra perguntar sobre a garota que ele diz o nome durante alguns dos seus pesadelos

Castiel: - ei Dean, posso te fazer uma pergunta?

Dean: - você já fez – ele deu risada

Castiel: - isso é um sim ou um não? – perguntei meio confuso

Dean: - só pergunta logo – ele sorriu

Castiel: - quem é Emma? – o sorriso em seu rosto morreu instantaneamente

Dean: - não importa, por que quer saber? – sua voz apresentava um pouco de remorso

Castiel: - você tem pesadelos com ela há um tempo, talvez sabendo quem ela é eu possa te ajudar com eles

Dean: - ela está morta, é o que precisa saber – ele disse num tom sério e me deixou sozinho

Mesmo com Dean dizendo que eu não precisava saber mais, eu achei melhor entender direito essa história, por isso resolvi falar com o Sam sobre ela, então quando o caçador estava finalmente sozinho na biblioteca resolvi conversar com ele sobre esse assunto

Castiel: - oi Sam

Sam: - oi Cas, precisa de alguma coisa?

Castiel: - na verdade sim, você conheceu alguma Emma?

Sam: - Cas, existem centenas de milhares de garotas com esse nome, seja mais especifico por favor

Castiel: - bom, eu não faço ideia de quem ela é, só sei que o Dean repete esse nome durante pesadelos – ele refletiu por um tempo e então uma expressão de culpa tomou seu rosto por um instante

Sam: - acho que você está falando de uma amazona que eu matei há sete anos

Castiel: - e ela o torturou ou algo assim pra ele ter pesadelos com ela?

Sam: - na verdade acho que a morte dela causa os pesadelos

Castiel: - por quê? Eles tiveram alguma coisa? – perguntei com uma fagulha de ciúmes, e ele pensou um instante sobre como me explicar

Sam: - não, ele não teve nada com a Emma, ele teve com a mãe dela

Castiel: - então você está dizendo que ela era dele?

Sam: - sim, pensei que ele já tinha superado

Castiel: - você matou sua sobrinha?!

Sam: - você não entende? Ela ia matá-lo, ela era um monstro

Castiel: - sim ela era, e você também já foi, o Dean já foi, eu já fui, todos nós já fomos monstros e mesmo assim não matamos um ao outro, por quê? Porque somos família, e se ela realmente era filha dele ela também era da família

Sam: - e o que você queria que eu fizesse? Poupasse o monstro que tentou matar meu irmão?

Castiel: - você poupou o filho de Lúcifer, mas foi incapaz de poupar a própria sobrinha? E ela que é o monstro? – desapareci deixando o caçador sozinho

Fiquei pensando nos pesadelos de Dean, ele teve que ver o próprio irmão matar sua filha, isso era demais até pra ele, uma cena assim não se esquece facilmente, não que ele não tenha perdoado Sam, porque em partes ele estava certo, mas ao meu ver eles poderiam ao menos tentar salva-la e pelos pesadelos e o remorso de Dean acredito que ele concorde comigo, por isso resolvi por conta própria dar uma segunda chance a amazona, mas antes precisava descobrir o que aconteceu com ela, então tive que recorrer a um especialista

Castiel: - Gabriel, eu posso falar com você?

Gabriel: - não – ele respondeu seco sem olhar na minha cara

Castiel: - por que não?

Gabriel: - porque você fez meu namorado chorar

Castiel: - ele chorou? – perguntei meio surpreso

Gabriel: - não, mas ele estava tão magoado que foi como se tivesse chorado

Castiel: - sinto muito – disse meio envergonhado das minhas palavras de antes

Gabriel: - não é pra mim que você deve falar isso

Castiel: - Gabriel, eu preciso da sua ajuda agora, então você não pode me ajudar e depois eu me entendo com o Sam?

Gabriel: - está bem, do que você precisa?

Castiel: - você entende de pagãos, certo?

Gabriel: - sim, por quê?

Castiel: - sabe o que acontece com as amazonas quando morrem?

Gabriel: - purgatório, por quê?

Castiel: - é surpresa

P.O.V DEAN

Eu não devia ter falado daquele jeito com o Cas, mas Emma ainda era um assunto delicado, ainda mais agora com Abby e Jimmy a caminho era difícil não pensar na minha primeira filha, a filha que eu não consegui salvar, a filha que eu vi morrer, lembro de ter encontrado ela quando fui ao purgatório e de não conseguir convencê-la a voltar comigo, lembro dela sangrando pelo tiro que Sam lhe deu... Afastei mais uma vez essas lembranças dolorosas e voltei a me focar no presente, decidindo me desculpar com Cas pela forma como falei eu comecei a procura-lo pelo bunker sem resultado algum, rezei por ele e novamente nada, então decidi perguntar se alguém o viu, começando por Gabriel e Sam que estavam no quarto deles

Dean: - têm alguma ideia de onde o Cas está?

Gabriel: - ele conhece alguma amazona morta? Porque ele me perguntou sobre elas – ao ouvir isso meu irmão engoliu em seco

Dean: - você contou a ele sobre a Emma, não é? – perguntei o encarando

Sam: - sim, e ele me chamou de monstro e me deu uma lição de moral sobre família por tê-la matado

Gabriel: - então ele chorou

Sam: - eu não chorei Gabriel

Gabriel: - sim, você chorou, por dentro

Dean: - podemos ter um pouco de foco? O que ele perguntou sobre amazonas?

Gabriel: - pra onde elas vão quando morrem, não entendi direito porque ele quis saber isso, mas respondi que elas vão pro purgatório

Dean: - merda... – suspirei tentando manter a calma

Sam: - você acha que ele vai tentar trazer a Emma de volta?

Dean: - sim, que merda e se ele morrer no purgatório – o arcanjo deu risada – qual a graça?

Gabriel: - você, seu idiota, passou um ano inteiro no purgatório e não descobriu que não se morre lá

Dean: - como assim não se morre no purgatório? – ele suspirou como se eu fosse idiota

Gabriel: - quando os monstros morrem eles vão pro purgatório, certo? Então se um monstro morre no purgatório o que acontece com ele?

Dean: - eu sei lá – ele bateu na própria testa

Gabriel: - eu realmente estou com o irmão inteligente, se um monstro morre no purgatório ele acorda no próprio purgatório depois de um tempo, como se fosse um jogo no qual sempre que você morre você respawna em uma parte aleatória do mapa

Dean: - então no purgatório nada morre?

Gabriel: - morrer morre, sente a dor e tudo mais, mas ressuscita dentro do próprio purgatório depois de um tempo, não importa o que você seja

Dean: - então se ele foi mesmo pra lá pelo menos vai continuar vivo

Gabriel: - pelo que eu entendi ele foi lá pra ver uma amazona chamada Emma, que o Sam matou, mas por que ele se importa com essa amazona?

Dean: - porque ela é minha filha

Gabriel: - então você matou sua sobrinha? Agora eu entendo porque o Cas te chamou de monstro

Sam: - agora até você tá contra mim? – ele perguntou aparentemente com raiva

Gabriel: - não, não, não, não, não, por favor, não chore – ele abaixou a cabeça do meu irmão até o nível da sua e começou a encher sua testa de beijos – desculpa, desculpa, desculpa

Sam: - eu não ia chorar idiota – ele disse dando risada do namorado

Gabriel: - ia sim, você ia chorar por dentro

Sam: - de onde você tirou essa história que eu choro por dentro? – ele perguntou passando os braços ao redor dos ombros do arcanjo

Gabriel: - da sua mente, você começou a pensar do mesmo jeito que você pensa enquanto chora

Sam: - já disse pra não ler minha mente

Gabriel: - mas eu li, você vai me castigar por isso? – a cara dele me fez entender que não era mais bem-vindo ali

Dean: - eu vou embora antes que eu queira arrancar meus olhos – saí do quarto e bati a porta, deixando o casal a sós – credo!

Deitei no meu quarto e comecei a pensar um pouco na situação toda, meu namorado anjo vai até ao purgatório tentar encontrar minha filha amazona que foi morta pelo meu irmão, isso é bizarro pra caramba, mas mesmo assim é legal da parte dele ao menos tentar trazer Emma de volta, espero que ele consiga convencê-la, seria realmente bom poder vê-la de novo, principalmente agora com seus futuros irmãos mais novos, pensando nisso decidi rezar mais uma vez para o Cas, pra que ele saiba que apoio sua ideia “ei Cas, boa sorte, vê se não demora muito e volta inteiro, eu te amo muito anjinho”


Notas Finais


comentários são sempre bem-vindos ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...