História A faxineira dos sonhos - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Tô ferrado


Fanfic / Fanfiction A faxineira dos sonhos - Capítulo 4 - Tô ferrado

Capítulo 4 

Pov Soluço 

Conheci a irmã gêmea da Astrid e que a Marta era a mãe da Astrid a dois dias atrás . Acho que a Astrid viu quê ela queria mesmo namorar com migo ,então ela né deu o número dela . 

Como sempre na minha rotina , eu quase ataquei o meu despertador na parede , assim que me levantei , fui ao banheiro tomei banho , coloquei acho que a primeira vez a camisa do uniforme daquela escola , que não era obrigatório ir com ele , coloquei uma calça e um tênis eu sempre usei uma protese só que ela era tão perfeita que nem parecia que ela era uma prótese. Assim que saí do quarto eu vi que tinha esquecido algo , voltei rapidamente pro quarto e fiz um cafuné no Banguela , que já estava esperando . 

Voltei pra cozinha e percebi que a Marta estava com a Astrid e Camicazi na cozinha . 

Marta — garoto vai tomar café ou vai ficar parado que nem uma estátua aí? — ela disse e as duas deram risada de mim 

Eu me sentei e coloquei café numa xícara e comecei a tomar , quando do nada senti alguém passando a perna na minha , bem fiquei com medo , já que as duas eram extremamente parecidas e elas estavam usando roupas diferentes as de dois dias atrás , poderia ser a Astrid dando um carinho a mim , porém vai que é a Camicazi dando em cima de mim . 

Bom meu alarme do ônibus tocou , e eu me levantei e fui rápido pró quarto  pegar a minha mochila . Percebi assim que voltei que as duas garotas estavam de mochila na costa me esperando . 

Marta — Soluço eu sei que você e a Astrid estam estudando na mesma escola , então a Astrid e a Camicazi ensistiram bastante pra mim colocar a Camicazi na mesma escola que vocês , então eu fiz...bom você junto com a Astrid poderiam olhar a Camicazi  pra mim?

Camicazi — mãe para com isso....

Astrid — não se preocupa mãe eu cuidarei da nossa casula 

Camicazi — só nasci um minuto depois de você então essa coisa de casula não existe agora...

Já percebi que era quem a Astrid estava com a camisa vermelha e a Camicazi de camisa verde . Logo , descemos e pegamos o ônibus , e não pude sentar do lado da Astrid , porque o Arcturo tinha vindo hoje . 

Então eu me sentei com a Camicazi , logo o ônibus chegou a escola e geral desceu, a Camicazi ficou na mesma sala que eu e a Astrid . 

Bom de importante nada aconteceu , o sinal do Intervalo tocou , e eu fui esperar a Astrid no lugar de sempre . Porém nada dela , eu achei que ela estava com a Camicazi mostrando a escola a ela . Porém eu percebi que ela (Camicazi) estava já inturmada com os otakus da escola . 

Não achei a Astrid , então fui ao banheiro , não sei porque não tava com vontade de fazer nada , só quii ir mesmo . Na entrada do banheiro tinha uma parede feira de gesso que separava o mictório da entrada , eu vi no reflexo do espelho que era o Arcturo junto com os trouxas da trupe dele formando uma rodinha , já pensei " tão fumando " , eu ia me virar pra sair . Porém escuto alguém chorando.

Astrid — para com isso Arcturo eu não trai você...

Arcturo — CALA BOCA SUA PUTA DESGRAÇADA !!!  MEU PRIMO VIU VOCÊ E AQUELE NERD FILHO DÁ PUTA SE BEIJANDO NO ÔNIBUS AQUELE DIA EM QUE EU FALTEI — eu escutei um tapa logo em seguida 

Astrid — vai escutar ele invés de mim ?

Arcturo — VAGABUNDA !! — escuto outro tapa — EU PERCEBI QUE VOCÊ E ELE DÃO UMA SUMIDA TODO O SANTO RECREIO !!! PRA QUE EU DEVIA DEDUZIR ? QUE TAL FICAREM NAMORANDO OU QUEM SABE FICAREM TRANSANDO ESCONDIDO  — escuto duas seguencias de tapas logo em seguida 

Eu tinha duas opções , fingir que não houvi àquilo e sair vazado dali , más escolhi a segunda dela .

Eu — OH SEU ARROMBADO ENCARA EU INVÉS DELA. — sai de trás da parede de gesso 

Arcturo — você não tem limite né...

Eu não deixei ele terminar de falar e eu virei um murro belê que o fez cair no chão , más os amigos deles viram pra cima de mim e um deles deu um chute na minha prótese que saiu voando . E eu caí no chão por não conseguir me segurar sem a prótese.

Arcturo — olha só — ele se levantou do chão — seu nome é Soluço né...mais se devia se chamar perneta ! — ela me pegou pelo colarinho me levantou do chão e me jogou de cabeça contra a parede de gesso , eu literalmente atravessei a parede , depois já com a cabeça sangrando ele me joga novamente no chão , um dos amigos dele quebrou uma garrafa de vinho e entregou pra ele , ele veio até mim e numa só força enfiou a garrafa já quebrada , na parte da perna aonde eu usava a prontese . Eu já atordoado , ela veio pra cima de mim e começou a virar uma seguencia de socos na minha cara , quando ele término ele virou um chute na minha cabeça e se retirou com os amigos do banheiro . A Astrid veio desesperada me socorrer .

Astrid — meu Deus Soluço ! — a ela se sentou e colocou a minha cabeça no colo dela — tá me houvindo ?! — eu estava com a visão meio ruim porém confirmei com a cabeça , eu vi ela lagremejando os olhos , ela estava também com o rosto todo machucado por causa dos tapas do Arcturo 

Eu — não consegui a proteger....— logo em seguida eu apaguei e escutei os gritos desesperados da Astrid por socorro 

Não me lembro de mais nada . Acordei numa cama de hospital , meus pais estavam do meu lado .

Valka — meu filho ! — ela me abraçou assim que viu que acordei 

Eu — onde estou Mãe?

Stoico — está no hospital filho — ele se levantou da cadeira que ele estava sentado — eu entendi sua coragem filho , más eram muitos  — ele disse um pouco triste — pelo menos você selou pelo seu nome , um Haddock nunca foge de uma briga por algo seguinificativo pra ele  

Eu — pai eu gosto quando você fala do nosso sobrenome más agora não tá bom 

Stoico — sim entendo filho , más qualquer coisa estou orgulhoso de você 

Valka — bom filho , queríamos bastante ficar aqui com você más o nosso chefe não deixa ficarmos mais que meia hora fora do trabalho — ela deu um beijo em minha testa — voltaremos o mais rápido o possível... 

Eu — podem trabalhar não se preocupem muito eu estou bem agora mãe

Stoico — tudo bem filho más agora temos que ir — eles se retiraram 

Depois o médico entrou .

Médico — você deve ser famoso meu jovem , tem mais visita pra você — ele disse e a Astrid com um curativo nas bochechas entrou e veio direto a mim me abraçando — viu deixar vocês conversarem — ela se retirou 

Logo depois a Astrid me beijo .

Astrid — me desculpa por isso — ela disse limpando as lágrimas dos olhos 

Eu — a culpa não foi sua Astrid — disse passando a minha mão no rosto dela 

Astrid — foi sim Soluço , eu que beijei você primeiro , e fiz você passar por tudo isso — ela começou a chorar denovo , eu me sentei na cama e a abracei e ela retribuiu 

Eu — tanto faz se foi ou não foi a culpa sua , eu não me importo com isso — ela me olhou sorriu e começou a me beijar com intensidade e eu restribui

Médico — desculpa atrapalhar os dois é que aqui não é lugar pra isso né — nós dois nós separemos

Eu e Astrid — desculpa...

De certa forma foi engraçado , más será mais animado quando sair desse hospital.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...