1. Spirit Fanfics >
  2. A Fazenda 2 -- TaeGi >
  3. Rotina Matinal Dos Min - Introdução.

História A Fazenda 2 -- TaeGi - Capítulo 1


Escrita por: NCTZEN_Stan

Capítulo 1 - Rotina Matinal Dos Min - Introdução.


Fanfic / Fanfiction A Fazenda 2 -- TaeGi - Capítulo 1 - Rotina Matinal Dos Min - Introdução.

Bocejou, arrastando os pés com pantufas fofinhas pelo corredor longo do segundo andar enquanto esfregava os olhinhos sonolentos, 6:00hrs. da manhã, a rotina da família começava cedo e agitada com a missão de levar os filhos pra escola, mas antes precisava os acordar, pôr no banho, os vestir e os alimentar e tudo era uma tremenda confusão durante as manhãs da família Min.

Primeira parada era o quarto do seu terceiro mais velho, Min Renjun, o adolescente de dezessete anos que lhe dava tanto trabalho quanto uma criança de sete, estava naquela fase rebelde aonde não quer saber de mais nada além de se trancar no quarto o dia todo e passar o dia ouvindo umas músicas estranhas e jogando uns jogos que julgava violentos demais, respondão, sempre tinha as respostas na ponta da língua.

Abriu a porta que continha vários adesivos colados e uma placa de "não pertube" bem no meio, o quarto estava escuro e quentinho devido ao aquecedor ligado e só conseguia ver o volume embaixo das cobertas por causa da pouca claridade que a cortina não conseguia conter. Caminhou até a janela, abrindo as cortinas e depois as janelas de madeira escura e pesadas deixando o frio e a claridade entrar. Era um belo dia em seus 15°graus.

— Vamos, acorde, Renjun. — cutucou a bolinha formada pelos edredons grossos. — Vai se atrasar pra aula.

— Me deixa.– o adolescente reclamou abafado e sonolento, puxando o edredom pra cobrir a cabeça ainda mais. — Fecha isso.

— Bom dia pra você também, levanta pra tomar café.

Saiu do quarto extremamente bagunçado e deixou a porta aberta, sabia que o filho já tinha despertado e estava tomando coragem para deixar o quentinho da cama, também passava por esse sacrifício todas as manhãs.

A porta do lado era a segunda parada, Min Yeji, de doze, era a princesa da família, a única menininha e isso fazia com que fosse especialmente mimada por todos, era baixinha e tinha mais dos traços de Yoongi, adorava rosa e tranças no cabelo longo, vaidosa que só sempre estava com as unhas curtas pintadinhas de rosa ou com glitter, além disso o problema de diabetes fazia com que tivesse uma refeição toda especial e saudável.

Abriu a porta que era branca por fora e rosa por dentro, as paredes tinham alguns pôsters de ídolos teens dois quais a menina era fã, em especial o tal ruivinho Ed Sheeran. Também havia as prateleiras com livros de romance teen e cds, e a escrivaninha com o notebook e outras coisas que eram da escola, tudo ajeitadinho, os post–its coloridos colados a lembravam de tudo que tinha que fazer durante a semana, Yejin era super organizada e o quarto cheirava a desinfetante, o tapete felpudo enorme rosa enfeitava o chão, no outro canto do quarto tinha uma penteadeira branca estilo vintage com as coisas de "garota" como maquiagens e essas coisas.

Assim como no quarto de Renjun foi até a janela abrindo tudo e deixando a claridade entrar.

— Bom dia, minha princesa, acorda, está na hora. — chamou, alisando a cabeça da garotinha que era a única coisa fora das cobertas rosa pesadas

— Bom dia, papai. — abaixou a coberta, liberando o rosto enquanto bocejava ainda com os olhinhos fechados, tomando coragem para os abrir

— Vai tomar banho, querida, sua roupa está passada no cabideiro.

— Tá bom, obrigada, papai.... Eu já vou tomar banho. — murmurou de olhos fechados, grogue de sono e o adulto riu sacudindo a cabeça ao sair do quarto bonito 

Atravessando o ccorrdor pra porta da frente ao do quarto da filha suspirou, porque a parte fácil já tinha acabado e agora era aonde a luta do dia começava de verdade. A abriu, entrando no quarto azul céu, aonde a beliche branca tinha os dois pestinhas deitados e escolhidinhos, com biquinho nos lábios enquanto um deles tinha o dedo na boca, sorriu e sacudiu a cabeça, se perguntava como aqueles dois  podiam ser tão fofinhos com aquelas bochechas fofas, cabelinho de cuia e narizinho miudinho e ao mesmo tempo eram como duas pestinhas quando estão acordados, os gêmeos, Min Jongho e Min Yunho, gêmeos idênticos que aos cinco anos conseguiam deixar todos de cabelos em pé, principalmente os país.

Jongho era mais calmo, mas mesmo assim Yunho conseguia fazer o irmão o seguir nas travessuras, eram gêmeos idênticos e tinham aquela ligação um tanto assustadora de gêmeos, como completar a frase um do outro e terem o mundinho só deles, essas coisas de gêmeos.

Era o caos, porque aprontavam e no final Jongho sempre saía chorando, era sempre ele a se dar mal pois não era tão sagaz quanto o irmão mais travesso.

O quarto era bonito, era azul com um papel de parede de aviãozinho que ia do chão até metade da parede, haviam dois baús cheios de brinquedos, um de cada por que senão tinha briga, a TV presa na parede aonde passava desenho o dia todo, o tapetinho azul felpudo no chão aonde sentavam pra brincar e a mesinha com duas cadeiras aonde sentavam quando queriam colorir.

— Vamos acordar que o sol já nasceu lá na fazendinha. — contarolou enquanto abria a janela. — Quem vai dar bom dia pro papai primeiro?!

Sorriu quando tudo que ouviu foi os resmungou incompreensíveis dos gêmeos manhosos, se aproximou, Jongho dormia na cama principalmente , enquanto Yunho dormia na cama de puxar que ficava embaixo, mas ambos estavam deitados na cama de Jongho o que era muito comum Yunho subir para cama do irmão de madrugada. 

— Vamos acordar, meu amorzinho. — segurou Jongho pelas axilas,o pegando no colo e o mesmo choramingou deitando a cabeça em seu ombros. — Acorda, seus irmãos já acordaram, eles vão tomar o café da manhã todinho, vão comer o cereal colorido

— Papai, não deixa eles come' — Jongho manhou, ficando mais acordadinho e ganhou um beijinho na bochecha gordinha.

— Você não vai proteger o seu cereal, Yunho ?!. — instigou, indo checar se o uniforme dos gêmeos estava certinho no cabideiro, sempre deixava tudo arrumado na noite anterior pra não ter contratempos, a manhã já era caótica o suficiente. — Vamos tomar banho, meu amor ?

— Eu não quero toma banho. — Taehyung se virou vendo o outro gêmeo acordado sentado na cama com os cabelos pra cima, rosto amassado e olhos miudinhos.

— Ya, você quer ir pra escola sem tomar banho? Porco.

— Tô nem aí — sacudiu os ombros. — Nem ligo.

— Ah, mas eu ligo de ter filho porco andando sem banho por ai, já pro banheiro, Yunho.

— Não vou, todo dia tem que tomar banho? Toda hora

— Todo dia ue. Se você não vier tomar banho eu vou chamar o seu pai.— ameaçou, porque Yoongi era o único que dava jeito naquele menino danado.

— Eu nem ligo mesmo .— fingiu

— Yoongi, vem aqui um instante. — chamou alto e então o garotinho saltou da cama correndo para o banheiro. — Sempre funciona. 

O banho morno sempre despertava os gêmeos, Taehyung sempre os banhava juntos pra poupar tempo e disposição, os banhou com o sabonete infantil cheiroso, os secou, cada um com sua toalha macia e de algum personagem infantil e os ajudou a vestir o uniforme do primário, era o primeiro ano escolar dos gêmeos e eles pareciam ir super bem. Os ajudou com os tênis, que era o que os diferenciava, Jongho usava um all-star clássico preto, enquanto o do irmão era azul escuro. Os penteou os cabelos e os deixou cheirosos com perfume, o que não era fácil já que a essa altura já estavam despertos e a 220volts.

— Tô com fome, papai. — Yunho avisou com a barriga roncando.

— Também. — Jongho concordou com o irmão gêmeo.

— Vamos descer, seu pai já tá lá embaixo. — apontou para a porta e os gêmeos não tardaram a saírem correndo

Desceu logo atrás, ouvindo o silêncio da casa se transformar em agitação e gritos infantis e tudo vinha da sala de jantar, então foi até lá, sempre preparado pro caos.

— Ya, você é muito abusado, sabia?! — Jeno ralhou com o irmãozinho, que fazia cara de deboche, talvez fosse igual a Taehyung demais.

Min Jeno era o mais velho depois de Mark, aos dezenove anos estava no segundo ano da faculdade de educação física, trabalhava com Yoongi nos serviços braçais no tempo livre para poder ter o próprio dinheiro e tinha um namorado maravilhoso, era o verdadeiro orgulho dos país, tinha uma personalidade gentil, brincalhona, independentemente, fisicamente era alto e tinha bastantes músculos devido ao treino, era um rapaz super encorpado e saudável. O atleta da família.

— Tô nem ai. — Yunho deu de ombros, realmente não tinha medo do perigo, o irmão era grande e forte o suficiente para o partir em dois.

— Bom dia, querido. — Taehyung selou o topo da cabeça do filho grande, os cabelos cheirosos a shampoo. — Acordou cedo, já está até arrumado.

— Bom dia, papai ... Eu vou buscar o Jaemin antes de ir pra aula então tenho que ir um pouco mais cedo. — explicou e Taehyung assentiu compreendendo enquanto se sentava numa das cadeiras da mesa já posta com o café da manhã farto.

— Traz ele pra jantar aqui hoje, vou fazer lasanha.— se serviu de um pouco de café.

— Hmm, vou falar com ele e com certeza ele vai querer vim sim. — tomou um gole do café com um pouco de leite que tomava.

Taehyung assentiu enquanto enchia os dois copinhos de canudo com o suco de soja, um azul e um verde, eram idênticos só mudava a cor, geralmente Jongho ficava com tudo azul e Yunho com verde, assim não tinham confusão, os entregou, junto com um pratinho com alguns pãezinhos de queijo quentinhos e algumas bisnaguinhas com requeijão.

— Eu quero cereal. — Yunho resmungou,se pudesse comia aquele bendito cereal colorido em todas as refeições.

— Não tem cereal, Yunho, come logo ou vai se atrasar pra escola.

— Se não é cereal eu não quero. — cruzou os braços roliços e curtos, fazendo birra

— Você é chato demais, moleque. — Jeno provocou e ganhou uma língua estirada.— Me mostra essa língua feia pra vê se eu não corto. O papai falou que não tem cereal, come logo isso.

— Você não manda em mim, nem é meu pai. — fez cara de deboche e o irmão suspirou tomando paciência.

— Eu sou seu mais velho, mando em você sim, quer vê eu te deixar de castigo?!

— Você é chato, vou falar tudo pro Jaemin, que você é feio, chato e bobo

— Bla bla bla bla. — provocou, fazendo careta enquanto o imitava. — Agora come.

O som de algo caindo no chão quase assustou os quatro á mesa, então Renjun puxou uma cadeira e se sentou ao lado do pai após jogar a mochila pesada da escola no chão ao pé da cadeia.

— Ya, bom dia mal humor. — Jeno provocou, ganhando uma olhada feia que lhe fez rir.

— Bom dia!. — pegou a jarra de suco natural, se servindo num copo longo.

— Deixa ele, Jeno, sabe que ele acorda de mal humor, depois passa. — Taehyung conhecia muito bem os filhos, Renjun se parecia com Yoongi quando tinha essa idade.

— Renjun é chato!!. — Yunho apontou para o irmão, Renjun era o irmão mais chato, era implicante e estragava as brincadeiras, e nunca dava atenção, os Jenos sempre estavam atrás da atenção desse irmão mas Renjun não parecia nenhum pouco interessado nos pequeninos.

— E você é chorão e mija na cama.

— Eu não sou chorão!! — gritou, ficando de pé na cadeira nervosinho, odiava que o chamassem de chorão.

— É sim!! Chorão!!

— Não sou!! — tacou metade do pãozinho no irmão, que arregalou os olhos.

— Eu vou bater em você!! — ameaçou levantar, mas o garotinho de cinco anos se manteve firme em cima da cadeira. — Piralho!!

— Meu Deus, será que essa casa não pode ser normal nunca ?!. — Yejin se juntou ao pai e os irmãos. — Bom dia, tá?!

— Bom dia, princesa. — Taehyung a mandou um beijinho no ar, ganhando um também da menina que usava o uniforme feminino da escola, uma blusa branca com logotipo da escola no lado direito do peito e uma saia de pregas azul escura, meia até o joelhos e sapato preto, o cabelo estava preso num rabo alto.

— Espera, quem comeu minhas torradas ?! — notou a cestinha das torradas praticamente vazia, só tinha duas, e estavam quebradas.

— Ops, era sua, é?!— Jeno se fez de sonso e a irmã o olhou feio

E então a gritaria recomeçou quando Yejin mandou o irmão ir fazer outras torradas e Yunho e Renjun continuavam discutindo e Jongho gritando pro irmão se sentar e Renjun parar de ser chato.

— Mas que confusão é essa aqui ás seis horas da manhã??! — a voz grave e severa do patriarca fez a confusão acabar de imediato e agora todo mundo mal respirava. Porque ninguém era louco de responder o pai. — Essa casa aqui é casa de loucos por acaso ?!. — o sermão contínuo, e Taehyung quis dar risada, pois Yoongi tinha Soobin no colo e o bebê de dois anos olhava tudo aquilo confuso enquanto chupava a chupeta agarrado ao pescoço do pai. — Eu fui lá fora dar uma volta e lá de fora eu e o Bin estamos ouvindo vocês gritando igual doidos. Qual é o problema?.

Yoongi puxou a cadeira, se sentando na ponta da mesa, colocando o bebê sentado em sua perna.

— Renjun chamou eu de chorão. — Yunho foi o primeiro, apontando para o irmão de cabelo um tanto grande.

— E você me chamou de chato primeiro. — rebateu e ganhou língua do irmão.

— Primeiramente, porque você está em pé na cadeira, Yunho?! Senta! — mandou e o garotinho obedeceu. — Se continuarem se ofendendo vou deixar os dois no cantinho do pensamento juntos até estarem se amando, não chame seu irmão de chato e você não o chame de chorão. Pronto.

— Eu só quero saber se o Jeno vai fazer outras torradas pra mim já que comeu as minhas. — Yejin cruzou os braços.

— Tem um monte de coisa pra comer, você não vai morrer se comer outra coisa, Yejin, na sua idade eu tinha que comer pão do dia seguinte, então não seja mesquinha e porque você comeu a torrada da sua irmã se sabe que ela come isso todo dia ?

— Ue,  achei que ela não ia se importar de comer outra coisa. — se justificou.

— Eu só quero tomar café da manhã em paz, será que dá?!. — o coro baixinho de "desculpa" foi o suficiente para fazer Yoongi suspirar e encerrar o assunto, mas o mesmo sabia que amanhã seria a mesma confusão, era difícil conter aquela trupe. — Você é o único bonzinho, não é, meu amorzinho?! — a voz mudou totalmente enquanto entregava um pedacinho de manga picada da salada de frutas na mãozinha miúda do bebê, que deu uma risadinha gostosa.

Jeno foi o primeiro a pedir licença, dar tchau para os pais e sair pra buscar o namorado e então irem para faculdade.

— Eu vou pegar um casaco e já venho pra levar vocês pra escola, peguem as coisas de vocês, já volto. — Taehyung terminou o café da manhã, e se levantou indo buscar um casaco quente para poder sair ao frio.

— Mama. — Soobin estendeu os bracinhos choramingando ao ver o pai se afastar.

— Mama vai sair, vai levar seus irmãozinhos na escola, você quer ir pra escola, meu amorzinho?! — beijou o topo da cabeça do filho manhoso, Taehyung não podia sair das vistas do bebê que era uma manha só, o "mama" vinha de mamar, porque o bebê relacionava Taehyung ao mamar, Taehyung se sentia a fábrica de de comida daquela criança.

A buzina alta fez Renjun terminar o suco num gole rápido, enfiando o resto do pão na boca de uma vez só apressado e Yoongi fez careta o observando.

— Quem é?!

Changbin. — disse de boca cheia terminando de engolir. — Fui, até mais.

Pegou a mochila no chão, saindo apressado para o melhor amigo e praticamente primo que o aguardava lá fora pra irem juntos pra escola.

Taehyung veio logo depois, trazendo as mochilas e as lancheira dos gêmeos e os chamando assim como Yejin para irem. As crianças se despediram do pai com um beijinho estalado na bochecha e rumaram para fora de casa enquanto os gêmeos falavam alto brincando entre si.

— Eu já volto. — Taehyung se curvou por trás da cadeira do mais velho, beijando o pescoço branquinho do mesmo. — Sabia que eu morro de tesão quando você fala grosso?! — provocou malicioso, fazendo o marido sentir em certos lugares.

— Taehyung! — repreendeu, tapando as orelhinhas do bebê, que estava mais interessado em se lambuzar com a frutinha que tinha na mãozinha. — Não provoca se você não vai me dar.

Taehyung deu uma risada gostosa e o beijou os lábios.

— Não demoro, cuida do bolotinha.

— Uhum. Cuidado na estrada.

Taehyung assentiu e deu meia volta indo atrás dos pestinhas.

— Só restou nós dois, bebê. — o silencio enchia os ouvidos do Min enquanto usava um guardanapo de papel para limpar o rostinho sujo de fruta do bebê  — O que você quer fazer?

— Nequinho" — deitou a cabeça no conforto do peito do adulto.

— Hm, é claro que você quer ver aqueles bonequinhos irritantes. — se levantou, trazendo o filho aconchegado contra seu peito.

Então aproveitando o tempo em paz que tinha enquanto os filhos estavam fora e Taehyung não voltava para ficar com Soobin pra ir trabalhar, foi pra sala ligando a Tv no canal infantil que Soobin tanto gostava aonde passava o dia inteiro bonequinhos coloridos e dançantes que o fazia bater palminhas e dar risada balbuçiando as letras conhecidas.

         ••••

— Bom dia, papai. — desejou, deixando um beijinho na bochecha do homem de macacão jeans, casaco grosso por cima e botinas pesadas e que tomava café numa caneca de alumínio.

— Bom dia, meu xodózinho. — Jeongguk correspondeu deixando um beijinho de volta na bochecha gordinha do filho único.

— Hey, já está de pé, querido, bom dia. — Hoseok deixou um beijinho na testa do filho.

— Bom dia, papai ... Eu quero chegar um pouco mais cedo na faculdade hoje. — se serviu de um pouco de café numa xícara, o cheiro de cuzcuz de milho quentinho enchia seus pulmões lhe fazendo salivar e pegar um pedaço.

— Eu posso levar você se quiser, meu bem. — Jeongguk ofereceu, assim o filho não precisaria andar até o ponto e pegar um dos transportes coletivos demorados.

— E não vai atrapalhar o senhor ?!

— Não vai, meu bem, tome seu café que eu te levo.

— Tá bom, obrigado então. — o deixou outro beijinho  estalado na bochecha.

Jeon Jung Haechan era o filho único e orgulho dos pais, dedicado, esforçado e estudioso Haechan havia conseguido uma das poucas bolsas integrais da faculdade do Michigan, conseguindo cursar a faculdade de pedagogia que tanto queria, aos dezenove anos estava no primeiro ano da faculdade e suas notas eram disparado a melhor da classe, isso enchia os pais de orgulho porque mesmo sem estudos ou muito dinheiro Jeongguk conseguiu dar uma boa educação ao filho e agora Haechan estava na faculdade, algo que nunca teve a chance de fazer, mas seu filho tinha e isso lhe deixava muito realizado, como se fosse si mesmo ou até mais e não era só isso, Haechan ajuda Hoseok com as tarefas de casa, o ajuda no trabalho. O garoto era o maior orgulhoso da sua vida.

— É bom, estou mesmo precisando de alguns temperos, você passa no mercado e compra pra mim, meu bem. — Hoseok se lembrou, bebericando o café quentinho.

— Compro, meu bem.

Haechan terminou o desjejum rápido e pegou sua mochila, avisando ao pai que podiam ir, Hoseok entregou ao marido a lista com os nomes dos temperos porque senão Jeongguk trazia tudo errado, o homem não sabe nem diferenciar salsinha de coentro.

O trajeto até a faculdade foi num silêncio agradável, vez ou outra Jeongguk falava alguma coisa de que se lembrava ou perguntava algo sobre a faculdade, era filho único o que fazia ser especialmente próximo dos pais, além disso Haechan lembrava muito Hoseok, no jeito amigável e simpático de ser sempre, era fácil de conservar e também não tinha clima ruim se simplesmente preferirem o silêncio.

— Obrigado, papai. — agradeceu, abraçando o pai pelo pescoço e o selando a bochecha, ganhando um afago nas costas.

— De nada, se quiser que eu venha te buscar é só me ligar, hm.

— Tá bom.

— Tenha uma boa aula. — desejou, vendo-o saltar da caminhonete e acenar, acenou de volta, ficando ali até o ver entrar com segurança no prédio enorme da faculdade.

Suspirou, ligando o veículo novamente e dirigindo até o mercado que não era longe, nada era longe naquele lugar.

— Meu Deus, Jaemin. — arfou, colocando a mão no peito que batia rápido pelo susto quando foi agarrado por trás.

— Desculpa, vi você distraído e não resisti. — estava rindo do amigo, que lhe rolou os olhos. — Porque veio cedo?! Se soubesse tinha falado pro Jeno te trazer.— estendeu o saquinho de jujubas coloridas e o mais velho negou sacudindo a cabeça. Definitivamente não entendia essa obsessão do amigo por doces, eram sete da manhã e Jaemin já tava com um saco de doce nas mãos, tinha certeza que isso não era saudável.

— Ta tudo bem, meu pai me trouxe.— deu de ombros. — Veio se preparar para a apresentação?! — perguntou e Jaemin grunhiu num lamento fazendo careta de desgosto, sorriu, Jaemin era muito fofo e tinha cabelo rosa como algodão doce.

— Sim, o resto do meu grupo deve ta chegando, incrívelmente eu fui o primeiro. — deu de ombros.— Tô com medo de levar bomba nessa apresentação.

— Você estudou ?!.— Jaemin assentiu, enchendo a boca com as gominhas. — Se preparou?!. — novo assentir. — Então vai dar tudo certo, se ficar nervoso vai ser pior, Jae.

— Você tem razão. — fechou os olhos, respirando como uma meditação e Haechan riu do drama do melhor amigo.

— Cadê o seu namorado ?!.

— Ah, ele disse que ia "ali" quer apostar que ele já tá enfurnado naquela quadra jogando futebol com os desocupados ?! — resmungou rolando os olhos e comendo mais docinho.

— Eles estudam educação física, acho que é normal praticarem esportes, não?! — sorriu vendo o melhor amigo retorcer os lábios, mas algo nos olhos do rosado diziam que era mais do que isso. — É só isso mesmo que está te incomodando, Jae ?

Pararam de andar quando chegaram ao destino do Jeon e Jaemin sorriu para o melhor amigo, ficava besta com a percepção de Haechan, o quanto o amigo era atencioso e parecia lhe notar sempre, era o melhor amigo que podia querer. Haechan não lhe julgava nem nada, nunca.

— Você observa tudo mesmo, hm ?!. — sorriu mínimo. — Depois conversamos, tenho que ensaiar e você fazer suas coisas.

— Tudo bem, mas sabe que pode me contar o que for. — Jaemin assentiu, envolvendo o mais baixo num abraço apertado e reconfortante.

— Eu sei, amo você, meu raio de sol.

— Hey, só o meu pai pode me chamar assim. — resmungou brincalhão e Jae desfez o abraço sorrindo.

— Ya, ninguém mandou o tio falar isso na minha frente, gostei e vou usar, afinal combina você aquece todos que chegam perto, Haechan.

      ×

Não muito longe dali, no supermercado, Jeongguk deu risada quando encontrou Taehyung num dos corredores do mercado, mais precisamente na sessão de Horti Frutti, o mais velho empurrava um carrinho quase cheio e também riu quando lhe notou, fala sério, se viam em casa e nem no supermercado tinham folga da fuça um do outro.

— Você vai mesmo alimentar um batalhão. — comentou enquanto pegava alguns caquis que estavam bem bonitos e frescos, Hoseok e Haechan adoram.

— Vou fazer lasanha lá em casa hoje á noite, vou falar com seu marido depois pra vocês irem também, vamos beber um vinho e conversar. — se juntou ao amigo, pegando algumas daquelas frutas para os filhos também.

— Ta animado hoje, é?! Até vai cozinhar. — tirou sarro.

— Eu cozinho sempre viu, macho. — estalou a língua ofendido e o Jeon riu. — Ah, você sabe que eu fico meio entediado naquela fazenda, então eu gosto de fazer essas coisas as vezes, chamar os amigos, os meninos chamam os amigos e isso deixa aquele lugar menos tedioso.

— Já faz vinte anos e você ainda não se acostumou com a calmaria do interior, Taehyung?!. — zombou, mas aquilo realmente lhe fazia achar graça, já fazia tempo demais.

— Bla, não sou obrigado a me acostumar com o breu, tá?! ... E você tá fazendo o que no mercado essa hora ?!

— Vim trazer o Haechan na faculdade e aproveitei pra comprar umas coisas pro meu marido, falando nisso ... — amostrou os dois ramos verdes que segurava, um em cada mão. — Isso aqui é Coentro ou Salsinha?

Taehyung gargalhou, esses machos ogros só sabem que cuidar de bicho e trabalho braçal, Yoongi era igualzinho, não sabe diferenciar duas plantinhas.

— O Hoseok pediu o que?

— Coentro.

— É esse aqui, macho. — apontou para a mão direita do mais novo.

— Obrigado... Você vai precisar de ajuda?

— Não, tô legal, pode ir.... Passo lá pra falar com o seu marido depois.

— Okay, até mais então. — Taehyung assentiu e Jeongguk seguiu pelos corredores até o caixa.

— Ai ai, esses machos não vivem sem nós mesmo, viu. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...