História A fazendeira - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Justin Bieber, Selena Gomez
Personagens Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais, Selena Gomez
Tags Amor, Drama, Fazenda, Jelena, Justin Bieber, Principe, Rainha, Rei, Romance, Romantizado Em Realeza, Selena Gomez, Sexo
Visualizações 236
Palavras 2.586
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!!!

Capítulo 7 - Isso foi um erro


Selena Marie Gomez POV's/on

- Justin- Justin olha para mim enquanto eu me levanto do chão. Mas justin é mais rápido e levanta e pega minha mão me ajudando a se levantar. Fico surpresa pelo o ato dele, mas logo tiro minha mão da sua- Você pode ajudar meu pai aqui? Por enquanto ajudo minha mãe?- Ele assente com ânimo.

- Posso sim, até que aprendi a tirar a pele do peixe- Ele solta uma risada.

- Então tá bom, vou deixar você aqui com o meu pai- Ele assente e eu viro as costas e começo andar até em casa...

Beto Gomez POV's/on


Vejo selena sair em rumo para a casa e vejo Justin a ver a caminhar até o local. Ele vira o seu corpo e vem até a mim. Ele fica do meu lado, agachado e com uma faca na mão. Ouço ele suspirar, sinto que justin está inquieto, parece que ele quer fazer uma pergunta,mas ao mesmo tempo não, como se estivesse com medo da pergunta. Volto a prestar atenção no que eu estava fazendo, não querendo ver angustiado por alguma coisa.

- Porque sr. Gomez?- Ele fala. Em sua voz estava com decepção profunda. Olho para ele e me arrepio um pouco por intrigada.

- Por que o que, justin?- Faço me de desentendido, orando para Deus que não seja no que eu estou pensando.

- Porque meu pai me mandou para cá?- E não que é isso mesmo?! Suspiro, não tenho resposta certa para Justin.

- Justin, eles foram viajar- Justin nega várias vezes com a cabeça.

- Sei que eles não foram viajar. Se eles foram viajar realmente, eles iriam aparecer em tudo quanto é lugar que eles tinham viajado e eu sei que eles não foram viajar- Respiro todo ar que consigo. Justin é esperto demais para uma mentira.

- Justin, é complicado- Ele continuava intrigado em seu olhar.

- O que é complicado?- Justin é bem em persistente pelo o jeito.

- Tudo Justin...Seu pai me pediu para que eu cuidasse por você por alguns dias, ou sei lá, até ele acabar com os dever dele- Podia ver em seu olhar que justin estava bem desconfiado por alguma coisa, e que essa coisa o seu pai não vai poder esconder para sempre, uma hora ou outra vai ter que ser revelado isso,  pelo o menos para Justin.

- Porque eu não posso ficar com eles lá?- Suspiro.

- Por sua segurança. Entenda, se seu pai de trouxe para cá, é que ele tem alguma coisa bem pessoal para ser resolvida e não quer incluir você nisso. Então ele achou melhor te trazer para cá, que aqui você estará seguro- Suspiro- Tudo que seu pai está fazendo é por sua segurança. Logo logo irá virar rei e você precisa ter o total segurança desde já, e seu pai quer você aqui e vai ser bem seguro para você...e você não gostou daqui?- Justin observou a paisagem diante de si. Ele assentiu de leve.

- Eu gostar eu gostei, sr. Gomez, aqui é um lugar bem confortável, você e a sra. Gomez são umas pessoas muito boa. A sua filha é uma pessoa durona, mas ela uma pessoa maravilhosa, mas...aqui não é meu lugar, meu lugar  é no castelo, junto com minha família, junto com eles, sr. Gomez, eu não estou acostumado a levar essa vida que vocês levam- Ele olha para mim

- Logo, logo, Justin, você vai acostumar com isso, só tenha paciência...não precisa está preocupado com sua família, porque eu sei que você está preocupado com eles, mas eles estão bem, estão seguros e nada vai acontecer com eles, são só coisas pessoais que eles precisam resolver mesmo- Justin assente

- Ok! Sr. Gomez, vou tentar me habituar aqui- Assente.

- Você acha minha filha dura?- Justin solta uma risada de leve.

- Acho...pois sempre que vou falar com ela, ela está com a cara séria,  e sempre não trocar muitas palavras comigo- Solto uma risada.

- Se, ainda não está se conformando por você está aqui- Ele abaixa a cabeça.

- Estou tentando me aproximar dela- Ergo uma sobrancelha.

- E está dando certo- ele dá de ombro.

- Não sei- Ele volta a olhar para mim.

- Selena é uma menina bem esperta, quando ela vai conhecer a pessoa, primeiro ela analisa e também não é  tudo mundo que ela confia, mas selena é um pessoa boa, sempre nos ajudou e até hoje nunca desapontou eu e sua mãe. Sempre tentou ajudar o máximo as pessoas- Justin prestava cada atenção que eu falava- Mas então...como foi o colégio?- Mudou totalmente de assunto. Não que eu não queira falar sobre minha filha, mas eu quero que justin mesmo descubra quem ela realmente é, se ele estiver interessado, ele vai ir atrás, mas ele não estiver, vai se conformar só com o que eu disse.

- Foi bom, sabe...foi tudo muito novo, conheci pessoas que eu pensava que eu nunca ia conhecer, por sorte eu caí na mesma sala da se- Fico com um sorriso no rosto.

- Voltando ao assunto que estávamos falando a horas trás...e as garota?- Justin uma risada.

- Elas são simpática, pelo o que sei, mas tem algumas que sai fora do normal- Agora dessa vez eu solto uma risada.

- Com o tempo você se acostuma- Pisco para ele. Ele assente- Você já sabe tirar o pelé do peixe- Justin  assentiu.

- Sim! A selena me ajudou com isso, até que achei fácil- Concordo

- Depois não se preocupe pelo cheiro que fique em sua- Ele enruga a testa.

- Por quê?

- Porque depois que você fazer, fica com cheiro de peixe- Ele olha para sua mão e sua mão vai encontro ao seu nariz e ele cheira  e em seguida ele faz cara de nojo- Não, com o tempo sai- Falo tanto uma risada disfarçadamente, pois eu estava com vontade de rir.

- Quando tempo?- Ele continuava olhando para sua mão.

- Depende, um dia, dois dias, três, acho que no máximo uma semana- Ele olha para mim.

- Espero que saia logo- Ele olha para mim. Assente.

- Só ficar passando creme, aí ele sai rápido- Justin assente.

Mesmo Justin  estando preocupado com sua família, eu não posso falar a verdade para ele, o meu dever é cuidar dele e não colocar ele em risco. Eu prometi para sua família que ia cuidar de Justin como um filho para mim, e como não quero ele em risco. Seu pai, sr. Bieber, sabe que cedo ou mais tarde Justin vai ficar sabendo do ocorrido, mas quando ele souber já vai ser tarde demais, aí Justin não vai mais poder entrar nisso. Justin  se importa muito com pessoa que ele mas gosta, e com sua família também e é por isso que justin quer voltar para lá e entendo Justin, sei o que ele está pensando e sei que é complicado. Justin é uma pessoa e se preocupa com próximo, e acho que por isso Justin nunca desapontou sua família. olho de canto para ele e vejo que ele estava cortando o peixe certo, e realmente me surpreendeu com isso.

selena Marie Gomez POV's/on 


Estavo ajudando minha mãe na cozinha, ela estava preparando a comida, por enquanto eu estava limpando a cozinha, não tirando pó, estavo lavando a louça e até que não estava muito, mas eu não parava de lavar, porque minha mãe ficava usando as coisas para a comida e eu tinha que ficar lavando. Olho para minha mãe de escanteio e veio uma pergunta estúpida invadindo minha cabeça: Se meu pai trabalha com o rei, porque ele queria ir no desfile, dizendo que ele já vê o rei?

- Mãe?- Chamo-a, ela olha para mim- Posso lhe fazer uma pergunta?- Paro o que estava fazendo e ela também e volta a sua atenção para mim.

- Diga- Ela fala com um sorriso no rosto.

- O pai trabalha para o rei, certo?- Minha mãe assente, confirmando minha fala- Por que ele queria ver o rei no desfile, dizendo que ele já vê o rei, praticamente?- Falou pensativa. Vejo minha mãe engolir seco.

- Seu pai quis dizer, minha filha, queria ver o desfile, como é desfile quando a família real passeia. Mesmo ele sendo um guarda, mas isso não significa que ele não possa ver o desfile- Assenti, balanço de leve minha cabaça.

- Pensei que vocês  queria que eu ia pro desfile, e arrumaram essa desculpa- Minha mãe tomba a cabeça de lado e ergue o ombro.

- Também- Olho em sua direção, fixando meu olhar- Está bem, a gente queria que você saísse dessa fazenda um pouco, minha querida- Ouço ela suspirar- Sua vida é só colégio e essa fazenda.

- Eu sei, mãe- Suspiro. Volto a lavar a louça.

- E o Justin?- Olho para ela.

- O que tem ele?- Vejo um sorriso surgir em sua face.

- O que ele fez hoje?

- O que ele faz de melhor!

- O que ele faz de melhor?- Reviro os olhos.

- Matar um dragão de sete cabeças, por exemplo- Minha mãe olha para mim não convencida.- Tá, ele cortou um peixe- Seu olhar fica satisfeito- Ah, mas qual é, ele perguntou pra mim aonde que as cobras soltava as fezes delas- Vejo minha mãe trancar a risada- Mãe, esse menino é sem noção- Falo indignada com umas coisas dessas.

- Ele está tentando, Selena- Assenti.

- Eu sei que ele está tentando, mas ele poderia ter uma conversa com pouco mais normal, você não acha?- Ela concorda comigo.


-Seja mais paciente  com ele- Reviro os olhos.


- Ele… ele é todo medido, sem noção, estúpido, arh, eu não gosto dele- Deixo o pano, que até então estava em minha mão, de lado.


-Você poderia tentar ser amiga dele- Nego.


-Não sei se consigo, mãe- Minha balança a cabeça de leve, negando.


-Só tenta- Olho pra frente.


- Ele é o príncipe, ele pode muito bem arrumar novos amigos. E eu sei que essa fazenda não foi feita para ele- Murmurou, mas um bom dom de voz para que minha mãe ouvisse.- Ele poderia arrumar um lugar melhor para ficar, do que aqui- Minha mãe me olha perplexa.


-Não diga isso, Selena- Dou de ombro- Você está pegando pesado com ele. Você nunca foi assim, Selena- Minha mãe me repreende.

Suspiro derrotada por essa conversa. Volto no meu dever que tinha que ser feito. Eu sei que eu poderia estar pegando pesado com Justin, mas eu não me conformo pelo simples fato que ele esteja morando aqui, dentro desta humilde casa. Mas e o mais engraçado, é que ele mal chegou e já fez amizade com todos do colégio e meu pai e minha mãe adorou ele. Pelo o simples fato que ele é uma pessoa honrada por onde quer ele passe. Ele sempre vai ser respeitado e amado por muitos.

Qual é, eu não estou com inveja, só estou ligando os pontos que qualquer um poderia ligar. E o duro que eu tenho que aguentá-lo até Deus sabe quando. Que incrível. Saio da cozinha marchando. Sim, eu estava irritada. Eu não estou sendo egoísta de não deixá-lo em minha casa, mas quando não se gosta de uma pessoa, a gente não suporta viver no mesmo ambiente, viver um do lado do outro. Eu não suporto ele.


Sento no meu balanço, e fico ali, plantada feito uma árvore que nasce raiva.

- Até quando vou ter que aguentar?- Murmuro para mim mesma- Eu não que...

- impressão minha ou você está falando sozinha?- Sobressalto do balanço, de susto. Me recomponho. Era ele.

- Não, estou falando com fadas e duendes- Ele ergue a sobrancelha.

- Aonde?- Ele olha em volta. Reviro os olhos. Qual é, esse menino é tonto mesmo?

- Esquece- Murmuro.

- Sua mãe disse que vai fazer peixe hoje- Olho para ele com interrogação.

- Por acaso, você come peixe?- Ele assenti.- O que você não come?- Ele faz uma cara de quem está pensando.

- Aquele negócio, que eu não sei o nome, que comemos no colégio.

- Sanduíche? Lanche?- Ele assenti.

- Esse mesmo. As empregadas do castelo nunca me ofereceram isso como refeição- Ele faz uma pequena careta, como se estivesse decepcionado

- Esse negócio é  gorduroso demais- Ele assenti.

- Talvez seja isso- Ele senta ao meu lado- Escuta, você sempre estudou naquele colégio?- Ele pergunta e sinto sua curiosidade em sua voz. Assenti.

- Conheço cada canto daquele colégio- Suspiro e olho para frente.

- Você poderia me mostrar qualquer dia?- Assenti.

- Amanhã eu te mostro- Ele assenti e vejo-o de escanteio se virar para frente.- Você não gosta de mim, certo?- Olho para ele.

- Como sabe?- Ele dá de ombro.

- Você sempre fala comigo inferência. Às vezes com poucas palavras. Eu não sei porque você não gosta de mim. Não sei se é pelo o que sou. Às vezes vejo que você me olha com uma certa raiva, mesmo eu não fazendo nada para deixar você nesse status. Eu sei que isso pode incomodar muita gente, porque eu sei que tem pessoas que não gosta de mim, e sei que tem pessoas que me odeiam pelo o que sou.- Ele suspira- Eu ouvi a conversa sua e de sua mãe, eu não queria ouvir, mas quando vocês citaram meu nome, eu caí nas tentações de ouvir o que vocês estavam falando sobre o meu respeito. E eu lamento muito, selena. Eu lamento em ter colocado você nessa situação. Eu lamento por você ter que me a durar por um tempo. Você não sabe o quando eu me lamento por isso.- Ele olha para o lado oposto do meu, e ouço ele inspirar. Ele volta olhar para frente- E eu sei o que você disse aqui, alguns minutos atrás, foi relacionado a mim- Ele ficou calado, esperando eu dizer algo, mas eu não podia, porque aquilo era verdade, aquilo que disse foi relacionado a ele- Mas eu sinto muito por você estar aguentando isso, mas não espere muita coisa de mim, porque eu não posso mudar para agradar alguém. Se eu for mudar, eu tenho que mudar para agradar um país- Ele se levanta e sai com os passos largos, e eu o acompanho com o olhar, ele se distanciar.


O sol estava quase indo embora, e eu permanecia ali, calada, sentindo o vento gelado  bater em meu rosto. As palavras de Justin estava em minha cabeça. Eu sentia uma mistura de decepcionada com magoada. A imagem de Justin se distanciando de mim, se repetia várias e várias vezes. Isso foi um erro, não era para ele ter ouvido aquilo. Não era para ele ter ouvido nada disso. Eu fui burra, eu sabia que ele estava lá dentro, eu poderia ter me controlado mais. Mas não, eu fui lá e falei quase tudo que eu realmente queria falar naquele momento. Agora eu não sei com que cara entro lá dentro. Não sei como vou reagir com o Justin ali. Mas de todas as formas, eu tinha que encarar isso, não posso ficar correndo longe disso. Estou tão decepcionada comigo mesma.



Levantou dali, pronta para eu sair.  Entro dentro de casa e vejo meus pais na cozinha. Passo reto, com os passos largos e vou para quarto, mesmo sabendo que irei encontrá-lo lá. Abro a porta e acendo a luz. O quarto estava vazio, completamente vazio, sem sinal do Justin. Vou até em meu guarda-roupa e pego um pijama e minhas peças íntimas. Saio de perto do guarda-roupa e fecho ele de volta. Olho para janela e me aproximo mais, para ver se eu encontrava ele.

E lá estava ele, sentado na beira da ponte, tacando pedra na água. Suspiro e penso que ele esteja magoado pelo o que eu disse. Eu até não posso gostar do Justin. Eu até posso não suporta-lo. Mas vendo agora, eu não queria magoá-lo.


Notas Finais


Desculpa pela a demora. Desculpe mesmo meus amores.
Queria agradecer a todos por tudo. Obrigada mesmo, de coração <3
Espero que vocês tenham gostado do capítulo.
E queria dizer que essa fanfic, incrível, só vai até o capítulo 20 ou mais ( mais deduzi que não vai sair da casa dos 20 ) Então, pode ser que os capítulos veiam com capítulos grandes ou não.
Desculpa por qualquer coisa.
Não vou querer atrasar o próximo capítulo. Tentarei escrever o mais rápido possível.

Digam o que acharam do capítulo <3
Vocês querem que eu continue?
Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...