1. Spirit Fanfics >
  2. A Feia era Bela >
  3. CIÚMES

História A Feia era Bela - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Oi meninas ❤️
Já queria avisar que acho que essa fic terá só mais uns 4 ou 5 capítulos, ela é bem curta, então acompanhem e aproveitem ❤️
Boa leitura, espero que gostem comentem bastante 💛
O link da música do capítulo de hoje está nas notas finais💛✨

Capítulo 5 - CIÚMES


Fanfic / Fanfiction A Feia era Bela - Capítulo 5 - CIÚMES

TE DESCOBRIRAM? - Tomás pergunta.

Lety: Sim, mas não precisa anunciar pro bairro todo.

Tomás: Lety, como pode estar tão calma? Quem te descobriu?

Lety: Jacks Reinard...

Tomás: JACKS REINARD TE DESCOBRIU? - falou com os olhos arregalados.

Lety: Já pedi pra não falar alto, está surdo – disse batendo no braço dele.

Aíí - ele reclama de dor - Você tem um tapa forte mulher – ele esfrega o braço.

Lety: É pra aprender a falar baixo...

Tomás: Como? Letícia o Jacks Reinard te descobriu, por que está tão calma?

Lety: Por que ele não vai falar nada, mas ele pediu para que eu falasse, foi muito amistoso Tomás, ele parece ser um bom homem...

Tomás: Não deu em cima de você?

Lety: Não, ele foi muito compreensível - Disse pegando uma muda de roupa – Vou ao banheiro, me espere aqui nós ainda precisamos conversar.

Tomás: Está bem - Disse se sentando em frente ao computador.

Enquanto isso na mansão Reinard.

Jacks estava no escritório...

Priscila: Com licença Jacks, trouxe seu café - disse entrando no escritório.

Jacks: Obrigado Cila – disse pensativo.

Priscila: Está tudo bem?

Jacks: Está sim, estava me recordando do jantar que tive ontem, aquela jovem tem a alma meiga igual a...

Priscila: A falecida senhora Verena?

Jacks: Sim, ela me lembrou muito a Verena, com o jeito dela – ele sorri de canto.

Na cada dos Padilha...

Letícia saí do banheiro já de roupa trocada, ela vestia um vestido preto largo, casaco cinza, já tinha feito as tranças e maquiado as sobrancelhas e o bigode.

Lety: Voltei – disse entrando no seu quarto.

Tomás: Estou terminando uns cálculos que você deixou aqui – disse mexendo no computador.

Lety: Muito obrigado Tomás, não tive tempo ontem – disse arrumando sua bolsa.

Tomás: Tudo bem, só mais alguns cálculos e eu já termino – disse concentrado.

Lety: Tomás a viagem para Nova York é semana que vem...

Tomás: Falou com seu pai?

Lety: Sim, depois de muita conversa ele concordou

Tomás: Achei que ele não deixaria ... Terminei os cálculos - disse ainda olhando para o computador.

Lety: Obrigado meu amigo – disse o abraçando.

Tomás olha para o lado e se assusta com a amiga.

Aííí cão - disse quase caindo da cadeira – Lety pelo amor de Deus avisa quando estiver assim – disse com a mão no peito.

Lety: Deixa de ser bobo, já era para ter se acostumado...

Tomás: Nunca vou me acostumar com tanta feiura – disse olhando para a amiga.

Lety ri e pega a bolsa.

Lety: Vou mandar os cálculos para o meu e-mail, assim eu os uso quando chegar na empresa... Prontinho agora vamos, tenho que tomar café e ir trabalhar...

Tomás: Vamos cruz credo – ele debocha

Eles descem as escadas.

Lety: Bom dia Família - disse chegando perto da mesa.

SE: Bom di... Jesus Cristo – disse quase derrubando a xicara de café.

DJ: Pare de ser exagerado meu velho... Bom dia minha filha, está muito feia hoje, mas já me acostumei, sei que a verdadeira Letícia é muito linda.

Lety: Vou interpretar isso como um elogio – ela sorri de canto - vocês deveriam se acostumar, quase todo dia é a mesma reação - ela ri.

DJ: É difícil acostumar com essa... aparência peculiar...

SE: Eu diria horrenda...

Tomás não segura a risada e começa a rir.

DJ: Eu estava tentando ser delicada Erasmo – ela adverte.

Tomás: Seu Erasmo é tão delicado quanto... - ele ri.

Lety: Está tudo bem, mas eu preciso ir trabalhar – disse pegando uma fruta.

SE: Eu te levo, vamos?

Lety: Sim papai.

Letícia se despede de sua mãe e de seu amigo e saí acompanhada pelo seu pai, minutos depois ela chega à empresa, ela cumprimenta a Paula Maria na recepção e sobe de elevador.

Lety: Bom dia Meninas – ela cumprimenta o quartel.

Bom dia Lety – dizem em coro.

Lety: Eu vou para minha sala, qualquer coisa é só me chamarem lá - Disse indo em direção a sua sala.

Sara: A Joaninha devia ter falado pra gente quem mandou... - ela sussurra.

Lola: Jájá nós saberemos, a Lety foi pra sala dela, não demora muito ela vai ver a surpresa...

Marta: Fiquei até com fome de tanta curiosidade – disse pegando um pacote de batatinhas.

Eliza: Você sempre tem fome Marta, mas é realmente curioso a minha chefe receber surpresas como essa...

Letícia entra na sala e se depara com um buquê de rosas vermelhas em cima da mesa, Ao lado do buquê tinha um cartão vermelho.

Lety: Flores? Quem me mandaria flores? - Disse encarando o buquê - Será que foi o Fernando?... Não, não, ele não me mandaria flores, mas mandaria para Aurora... será que ele sabe? - disse pegando o buquê - Tem um cartão... - Disse olhando para o papel vermelho – Vamos ver...

“Olá Letícia, gostei muito do nosso jantar de ontem, sua companhia me fez muito bem, me lembrou uma pessoa... Espero que siga meu conselho, diga quem é a Aurora, não se esconda você é uma mulher forte, enfrente esse desafio, bom, espero que aceite meu convite, que dessa vez é para um almoço, por favor não pense que tenho segundas intenções, meu convite é inocente, só gostaria de ter sua companhia mais uma vez.

De seu novo amigo, Jacks Reinard.”

Letícia termina de ler o cartão com um sorriso no canto da boca, ela vira o cartão e vê um número de telefone escrito, provavelmente é do Jacks, ela guarda o cartão em sua bolsa e volta a segurar o buquê, sentindo o aroma das rosas.

Foi assim que Fernando a encontrou, ele bateu na porta e entrou em seguida, a viu segurando o buquê...

Fernando: Rosas vermelhas... - disse olhando para Letícia que estava de costas para porta.

Letícia se surpreende ao escutar a voz dele.

Lety: Bom dia Fernando...

Fernando: Muito bom dia pelo sinal... Ganhou rosas vermelhas, por acaso tem um admirador secreto?

Lety: Admirador? - ela ri de nervosa - Não, não, não tenho... é que... eu...

Fernando: Não precisa me explicar nada Letícia, bom temos uma reunião, se puder largar esse buquê por algumas horas... Te espero na sala de reuniões - disse saindo da sala.

Lety: Que estranho... ele estava... Não, não - ela balança a cabeça negativamente - Até parece que Fernando teria ciúmes da Lety feia... só na minha cabeça mesmo – ela concluí.

Minutos depois Letícia foi para reunião com Fernando, Omar e Márcia.

Durante toda reunião Fernando estava sério, ríspido, ele foi um pouco grosso com Omar, mas isso já era normal, mas Letícia estranhou as respostas curtas de seu chefe, ele realmente parecia incomodado com algo. Sua expressão séria causou curiosidade em todos presentes na sala, ainda mais quando ele encerrou a reunião e foi para sala da presidência batendo forte a porta.

Omar: O que deu nele? - disse após Fernando sair.

Márcia: Parece uma fera com alguma coisa, mas os contratos estão bons, o Luigi não extrapolou em nenhum comercial, está tudo bem com a empresa, não entendi a postura dele nessa reunião...

Omar: Vou ver o que ele tem... - Disse indo até a presidência.

Márcia: Boa sorte... Você sabe o que ele tem? É Letícia não é?

Lety: Sim... mas eu não sei o que meu chefe tem, parece irritado...

Márcia: Para mim parece que ele está com ciúmes, mas de quem eu não sei... - Disse pensativa

Lety: Ciúmes?

Márcia: Sim, bom comigo ele nunca foi, mas com os pais ele sempre foi bem ciumento, me lembrou desses ciúmes, mas agora é diferente, tenho certeza que ele está com ciúmes, só não sei de quem... Bom eu vou para minha sala, até querida – ela se despede de Letícia e saí.

Dentro da presidência...

Fernando andava de um lado para o outro, estava sério.

O que deu em você? - Omar disse entrando na presidência.

Fernando: Não quero falar com ninguém Carbajal...

Omar: Fernando o que você tem? Nós estávamos em uma reunião importante e você pareceu não ligar para nenhuma decisão que foi tomada.

Fernando: Já disse que não quero conversar

Omar: Mas nós vamos, eu sou seu amigo, me diz que está acontecendo...

Fernando: Quer saber o que está acontecendo? - Disse olhando para o amigo.

Omar: Claro maninho...

Fernando: Estou fervendo... não...melhor dizendo, estou queimando.... me queimando e acho que é de ciúmes - Disse encarando o amigo.

Omar: Ciúmes? Ciúmes de quem? O que houve para estar assim?

Fernando: De quem não interessa, mas eu estou, estou com ganas de matar um... - disse fechando as mãos como se fosse estrangular algo.

Omar: Por que tudo isso?

Fernando: Por que algum – ele faz careta – algum homem deu um buquê de rosas vermelhas – Ele soca o ar - alguém presenteou com rosas, uma pessoa muito importante para mim – Disse olhando com raiva.

Omar: E quem foi que ganhou as rosas?

Fernando: Não interessa quem foi... o caso é que alguém que não sou eu, está fazendo isso...

Omar: Por acaso a pessoa que está ganhando rosas é a Aurora?

Fernando: Não, não é ela...

Omar: E tem outra?

Fernando: Omar você também não vai entender se eu te explicar... Preciso ir para casa... Não estou com cabeça para trabalhar hoje, por sorte não tenho reuniões, nem almoços de negócios, até amanhã - Disse batendo no ombro do amigo.

Fernando vai mais cedo para sua casa.

Por que me incomoda tanto saber que a Lety recebeu flores? - Disse embaixo do chuveiro - Não sei por que... mas isso me dá tanta raiva – Disse fechando a mão.

Enquanto isso...

Letícia colocou as flores em uma jarra, ligou para o número que estava no cartão e combinou o almoço com Jacks.

Horas depois já estava no horário do almoço, o quartel já havia saído, Letícia vai ao banheiro e troca de roupa, ela agora vestia uma calça xadrez e uma blusa branca de mangas longas até o ante braço. Ela solta o cabelo das tranças o penteia deixando os cheios de ondas, ela passa um batom vermelho e saí para o almoço com Jacks.

Alguns minutos depois de sair da conceptos ela chega no restaurante.

Lety: Desculpe a demora... - Disse chegando em frente à mesa que Jacks estava.

Jacks: Não tem problema algum – Disse afastando a cadeira para que ela se sente.

Lety: Obrigada, mas não precisava – Ela sorri.

Jacks: Bom, você seguiu o meu conselho?

Lety: Ainda não, hoje nem poderia...

Jacks: Por que? Tem algum problema na empresa?

Lety: Meu chefe hoje não estava com um bom humor...

Jacks: Por acaso ele viu as flores que eu te mandei?

Lety: Viu sim... - Disse distraída.

Jacks: Me diz uma coisa, o Fernando só gosta da “Aurora”?

Lety: Não entendi a pergunta...

Jacks: Tem alguma possibilidade de o Fernando gostar da “Lety feia”?

Lety: Não nenhuma

Jacks: Tem certeza disso?

Lety: Tenho sim, hoje ele só não devia estar em um bom dia...

Jacks: Duvido muito... mas eu te chamei aqui por que três razões - Disse encarando a.

Lety: Jacks eu gosto muito da sua companhia, mas nós não seremos nada além de amigos eu...

Jacks ri um pouco rouco – Desculpe, não quis aparentar segundas intenções... Letícia só vou falar uma vez, eu sou velho, tenho 70 anos, não tenho muito tempo para perder... sua companhia me agrada, mas eu só busco amizade, sua sincera amizade, não quero nada além disso minha querida – Ele a olha com ternura.

Lety: Fico feliz Jacks, mas não diga que não tem tempo, a vida ainda tem muito para te mostrar meu querido – Ela sorri.

Jacks: Se você soubesse... – ele exclama – Mas o que eu realmente preciso te falar certas coisas... a primeira dela é que, eu vou te ajudar a se vingar.

Lety: Me vingar?

Jacks: Sim, se vingar, nós vamos colocar o senhor Cure na cadeia, além de denunciar os senhores Meg e Rojo...

Lety: Jacks agradeço que queira me ajudar, mas eles são ricos, não ficarão na cadeia e ainda podem me fazer mal... Além de que a polícia não vai acreditar em mim.

Jacks: Letícia nós faremos tudo com cautela, eles podem ser ricos, mas eu tenho muito mais dinheiro que eles, não que eu vá comprar os policiais, isso seria bem fácil na verdade... mas a questão não é essa, é fazer justiça, mostrar quem eles são, minha querida acha mesmo que é a única que sofreu ataques desses senhores? Aposto que não, nós encontraremos outras mulheres vítimas deles e faremos a denúncia.

Lety: Como faremos isso?

Jacks: Bom uma das coisas que teremos que fazer, sei que isso pode te abalar, mas você teria que ser a isca - Disse olhando a com cuidado.

Lety: Isca? Como assim? - perguntou confusa.

Jacks: Você teria que ficar frente a frente com o Vinícius Cure...

Lety: Não - disse firmemente – Jamais... pode esquecer Jacks, não consigo ficar perto desse canalha – Disse incomodada.

Jacks: Eu imagino minha querida, mas você precisa confrontar seu assediador, fazê-lo confessar, eu te prometo que a polícia estará perto e assim que falar a “palavra – chave” nós prendemos o Cure e ele nunca mais assediará nenhuma mulher...

Lety: Não sei não... Jacks é muito difícil para mim...

Jacks: Eu entendo minha amiga, mas é necessário, temos que fazer justiça, entende?

Lety: Entendo...

Jacks: Bom além do plano de fazer justiça, eu tenho um pedido para te fazer, na verdade dois...

Lety: Diga

Jacks: O primeiro pedido é que você conte a verdade, diga quem é a Aurora, mostre a todos que Lety a feia é a mesma modelo capa da Vogue, mostre a todos a mulher forte que você é, principalmente para o Fernando, seja sincera com ele, sei que vocês dois serão muito felizes, se você for sincera com ele...

Lety: É complicado Jacks, tenho medo e se ele me odiar?

Jacks: Odiar você? Impossível, sua doçura jamais permitiria isso, além do que eu aposto que ele gosta de você, em dose dupla e nem sabe...

Lety: Dose dupla?

Jacks: Sim Letícia e Aurora, garanto que as duas apaixonaram o Fernando Mendiola...

Lety: Você tem umas teorias doidas né - ela ri

Jacks: Não são doidas, são óbvias - ele sorri – Mas de verdade minha querida, seja sincera, viva esse amor, aproveite todo tempo que você tem ao lado de quem ama, a vida as vezes não é muito justa – O olhar de se entristece.

Lety: Não diga isso, a vida pode ser maravilhosa...

Jacks: Ela é surpreendente, isso eu garanto, mas tenho mais um pedido.

Lety: Qual pedido?

Jacks: Seja minha amiga, apesar de achar que já somos, queria pedir que você seja minha amiga, queria te conhecer mais, ter mais almoços assim, quem sabe cafés da tarde, ou quem sabe uma partida de xadrez, seja o que for, só gostaria de aproveitar sua companhia e sua amizade...

Lety: Esse pedido eu jamais recusaria – ela sorri – Sabe, você é bem diferente do que as revistas dizem, você é um bom homem, sinto como se já lhe conhecia, claro que aceito sua amizade, já somos amigos – ela segura na mão dele.

Jacks: Muito obrigada, você não sabe o quanto isso é importante para mim – Ele sorri de canto.

Jacks e Letícia almoçaram juntos, depois Letícia volta para empresa, se troca e volta a ser Lety a feia, depois de algumas horas do trabalho, finalmente era hora de ir embora, ela liga para casa e Tomás a busca na empresa.

Os dias passaram rápido, Letícia e Jacks estavam começando uma grande amizade, desde esse almoço, eles passaram a ter mais convívio, Letícia o visitou várias vezes, conheceu a mansão Reinard, conheceu a governanta Priscila e o chofer Julio que trabalham para Jacks, eles são como filhos mesmo trabalhando na casa, ela percebeu que eles o tratam como um amigo, sem formalidades. Jacks e Letícia passaram a caminhar de manhã cedo juntos, durante algumas vezes na caminhada teve alguns episódios em que Jacks passou mal, mas ele disse que era por conta da idade e isso passou despercebido.

Aurora e Fernando acabaram não tendo o terceiro encontro. A Viagem para Nova York estava bem perto e Fernando estava bem distante de Letícia, desde que a viu com o buquê de flores ele ficou diferente, mal conversava com ela, até as reuniões diárias que ele insistia em fazer já não as fazia mais. Qualquer coisa que ele precisasse pedia por e-mail ou com um telefonema rápido.

Isso não significa que ele não sentia sua falta, pelo contrário, todos os dias ele lutava para não ir a sala dela, mas tinha medo de ir e a ver novamente com um buquê, ele estava mais confuso que nunca pois pensava na Aurora, sentia falta do beijo dela, mas também pensava em Lety e como o incomodava saber que alguém que não era ele, poderia estar dando atenção a ela, isso estava o deixando confuso, poderia ele estar gostando de duas mulheres? Isso era possível? Mesmo elas sendo tão diferentes?

Essas perguntas rondaram a mente dele durantes vários dias, até que finalmente chegou o dia da viagem.

Fernando já estava no aeroporto com uma mala e sua pasta que sempre estava com ele.

Ele estava sentado no assento do aeroporto, distraído quando alguém se senta ao lado dele.

Oi – ela disse.

Oi – ele respondeu.

Você está me evitando? - Ela pergunta.

Por que eu te evitaria Letícia... - Ele disse.

Lety: Fernando você nem me olhou nos olhos, faz dias que não temos uma reunião, sinto que nem deveria estar aqui... - Disse levantado e pegando a mala.

Não vai embora – Ele segura a mão dela.

Lety: Acho que não precisa de mim, não tem porque eu ir...

Fernando: Eu preciso de você - disse se levantando e a abraçando.

“Voo com destino a Nova York, embarque na sala 4... Último chamado para o voo com destino a Nova York”

Fernando e Letícia entraram e se sentaram juntos no avião, durante todo o voo eles não trocaram nenhuma palavra, mas Letícia apertava a mão de Fernando mostrando o medo que tinha de voar.

4 horas depois eles aterrissam em Nova York, era fim de tarde e daqui algumas horas eles teriam a primeira reunião, eles foram para o hotel luxuoso, cada um tinha um quarto reservado, o cômico era que seus quartos ficavam um de frente para o outro.

Depois de descansarem duas horas, Fernando estava vestindo um terno preto, blusa social preta e sapato preto, seus cabelos estavam penteados pra trás com gel. Ele marcou com Letícia se de encontrarem no hall do hotel e assim fizeram.

Letícia vestiu um vestido preto longe com mangas, usava brincos delicados e um salto preto fino, diferente do sapato grosseiro que costuma usar diariamente para ser a “feia”. Ela tinha as unhas pintadas de vermelho, o batom da mesma cor que suas unhas, ela segurava uma bolsa dourada. Seus cabelos estavam presos em um coque baixo a altura da nuca, com um pouco de gel.

Apesar de ter maquiado as monocelhas e estar usando seus óculos antiquados, Letícia estava ainda sim, muito bonita, de uma forma diferente, mas estava bonita. E foi isso que Fernando percebeu quando se virou para olhar o elevador e viu uma mulher vindo em sua direção, ele ficou de boca aberta, mas logo tratou de disfarçar sua surpresa, aquela mulher sua assistente, parecia tanto com alguém que ele conhecia, passou a noite toda a observando de canto.

Eles foram para reunião que seria como um jantar chique, Fernando mal prestava atenção na reunião, sua atenção estava em Letícia, era curioso todo seu interesse.

Depois de horas na reunião, eles marcaram uma outra para o fim da tarde do dia seguinte.

Os empresários se despediram de Fernando e Letícia, que depois da reunião foram passear pelas ruas de Nova York.

Lety: Acho que a reunião de amanhã trará bons resultados para a empresa – Ela disse tentando cortar o silêncio.

Fernando: Para falar a verdade eu nem prestei muita atenção na reunião de hoje...

Lety: Eu percebi, todas perguntas que os empresários faziam quem teve que responder era eu, aonde estava com a cabeça? - Disse o encarando.

Fernando: Em você - disse segurando a mão dela.

Lety: Como disse? - Disse fingindo não ter entendido.

Fernando: Eu penso em você... Pra falar a verdade, é a única coisa que eu estou pensando, faz dias... - Disse se aproximando dela.

Lety: Como pensando em mim, fazia dias que não falava comigo, a não ser pelos telefonemas de “ Preciso do novo orçamento Letícia” ou “ Desmarque meu almoço com a Krauss”... Você só dirigia a palavra a mim para pedir ou dar alguma ordem – Disse o encarando...

Fernando: Me desculpe... não imagina como está sendo confuso para mim... Mas eu senti tanto a sua falta – Disse olhando para os lábios de Letícia - Me desculpa por isso Lety.

Fernando toma os lábios de Letícia ferozmente, a puxou pela cintura com uma mão e com a outra segurou na nuca dela, intensificando o beijo, ele tinha ganas de beija-la, sua língua procurava a dela, que não demorou para se render ao beijo, ela tanto quanto ele queria beija-lo, sentir seus lábios, Letícia apertava o braço de Fernando, o beijo lento e intenso, agora estava mais rápido, era tanto desejo que ambos não se seguravam, pararam o beijo por falta de ar, assim que recuperaram o folego retomaram o beijo, Fernando a beijava com ternura e desejo, queria faze-la dele, precisava disso, Letícia sentiu isso quando ele apertava mais e mais contra o corpo dele. Ela estava perdendo o controle, isso a assustou e ela parou o beijo.

Me desculpe, não posso fazer isso – Ela disse e saiu correndo deixando Fernando para trás.

Ela beija como a Aurora – Ele disse vendo Letícia sumir de sua visão.

Fernando se lembra de quando beijou a Aurora, naquele pôr do sol.

Estavam no alto da montanha tinham conversado sobre o que queria para o futuro, seus planos eram tão parecidos que parecia ter sido combinado.

Aurora tinha se virado para pegar o celular na bolsa e acabou se desiquilibrando, foi naquele momento.

Fernando a segurou, impediu que ela caísse no chão, seus corpos estavam tão próximos, sentia o aroma de rosas que o corpo dela exalava, ele tomou os lábios dela em segundos, ela relutou para beija-lo, mas se rendeu, retribuiu o beijo, procurou a língua dele com afinco, sugava os lábios dele com desejo, tanto que quando pararam o beijo, foi ela, Aurora, quem procurou o beijo dele novamente, ficaram um bom tempo se beijando.

Fernando: Não, não, não - Ele balança a cabeça negativamente tentando afastar os pensamentos - É coisa da minha cabeça, como a Lety beijaria igual a Aurora, estou confuso, é isso – ele conclui indo atrás de Letícia, a procurando pelas ruas de Nova York.


Notas Finais


Espero que tenham gostado💛
Comentem bastante ❤️
O link da música :
https://youtu.be/CndW8Cj0pfY


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...