História A Felicidade Existe? - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Ficção Adolescente, Romance
Visualizações 2
Palavras 853
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Mutilação
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 6 - 6 - Alma Abalada


Estava me arrumando para o colégio, acordei mais cedo que todos de casa, queria evitar encontrar com aquele homem que habitava em minha casa como se fosse o rei e os outros escravos, já com a farda, que era uma blusa de manga curta branca com um colete azul e o short-saia preto, mas também vinha uma blusa de manga curta preta, era à sua escolha. Eu vesti a blusa preta, o short-saia preto e coloquei o meu casaco, também preto, um colar prateado que caía em vários outros colares e por fim uma gargantilha preta, no pé calcei uma tênis preto e coloquei lápis de olhos, meus cabelos eu deixei soltos e não penteei.

Peguei minha mochila com alça única preta e uma maçã, peguei meu estilete na bolsa e saí de casa, descascando a maçã no caminho, enquanto comia. Guardei o estilete, quando cheguei na esquina do colégio, não seria divertido, verem aquilo na minha mão!

Como tava muito cedo, poucos alunos tinham chegado, na minha sala tava apenas dois alunos, sentei no fundo da sala, não indo pro meu lugar de sempre, odiava fones de ouvido, mas tinha meu jeito de fugir desse mundinho chato, peguei meu caderno e comecei a desenhar, a cada traço eu via aquela menina ganhando vida, segurando seu guarda-chuva rasgado, tentando se proteger...

:- Decidiu virar gótica?! - Tomei um susto, quando fui jogada de cara na realidade por Miguel falando em meu ouvido, ele estava sentado na carteira ao lado

Luara:- Decidiu virar assassino? Quase me matou de susto!

Miguel:- Ah, vamos, Lu! Não era pra tanto! - Ele brincava

Luara:- Eu não sou 'Lu' e vê se me esquece! - Saí da sala, apenas para respirar um pouco

Vi o professor que daria a minha primeira aula de hoje e o segui pra sala, até o intervalo eu fiquei na minha, não tava com cabeça para nada, fiquei desenhando essas aulas, Miguel tentou algumas vezes me provocar com indiretas e até diretas, mesmo os professores estranharam minha voz não surgir ou uma briga entre mim e o Miguel não acontecer, tive aula de sociologia, justo a aula que eu praticamente virava professora, passava o maior tempo falando. No intervalo fui para o meu cantinho secreto, o telhado do colégio, não comprei lanche tava mal pra pensar em comida.

Sinto vontade de morrer, quando penso que estou fazendo drama, só sinto mais raiva de mim, tem gente com problemas piores, mas vai convencer meu coração pra não se apertar, vai convencer minha alma pra não chorar!

Quando percebi, Miguel estava sentado ao meu lado e olhava para o céu como eu fazia há momentos atrás...

Luara:- Quando chegou?

Miguel:- Já faz um tempo na verdade, mas achei melhor que esperasse notar minha presença

Luara:- Como me achou?! - Ainda estava surpresa

Miguel:- Estudo nessa escola desde que comecei a estudar, com 7 anos achei esse lugar! Vinha aqui sempre, eu era mais quieto na minha, mas então o Léo chegou, ela já estudava na escola, porém, era do turno da tarde, quando ele mudou pra manhã, ficamos amigos, foi no mesmo ano que o Pedro chegou à cidade e entrou pra escola, ficamos amigos os três com 12 anos, então parei de vir aqui. Como não te achei em lugar algum do colégio, lembrei daqui, pensei que poderia ter encontrado e feito desse lugar seu esconderijo, acertei?

Luara:- Quase! Porque, pelo visto, esse lugar já tem outro dono

Miguel:- Eu deixo ser o 'nosso' esconderijo, mas vou ter que voltar a limpar aqui e você vai me ajudar! - Riu e conseguiu me arrancar um pequeno sorriso

Voltei a olhar para frente, observando o céu. Por alguns instantes, Miguel conseguiu me fazer esquecer dos problemas, mas sei que é como qualquer outra vez, ele é como os outros, todos os homens são idiotas!

Miguel:- Percebi que não foi à cantina hoje, pensei que poderia estar com fome... Trouxe pra você - Me ofereceu um refrigerante

Luara:- Valeu, mas pode parar! Sei que só tá agindo legal comigo e tudo mais, por causa da aposta, então se quiser mesmo continuar, não vou te impedir, mas não tente fingir!

Miguel:- Certo. Luara, eu posso até ter feito tudo isso pela aposta, mas quando vi você hoje, percebi que tinha algo errado contigo, não vou te querer mal apenas por me tratar mal, quero você bem, Luara, quero ser seu amigo de verdade. Mas posso esperar até que queira confiar em mim

O olhei desconfiada, então peguei a bebida que ele ainda me oferecia com a mão estendida, abri e tomei um gole, o olhando, antes de dizer...

Luara:- Certo, vamos ver isso.

Miguel:- Sei que quer pensar, porém não quero te deixar só, então vou ficar quieto, podemos apenas ver as pessoas lá embaixo, pode até fingir que não estou aqui

Nada mais falei, apenas fiz como ele disse, a companhia dele me fez bem, se ele não estivesse ali, provavelmente eu já estaria me cortando.

"Sei que não fez de propósito

Mas entrou na minha vida

E acredite

Você fez diferença

Sua presença me mantêm"

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...