História A filha da assassina. - Capítulo 40


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem.

Capítulo 40 - Capítulo 40 - Chamas azuis








Alvo Severo Potter.

Escórpio, Artemis e eu estávamos conversando animadamente sobre o Torneio, quando uma figura de roupas azuis se aproxima de nós com um sorriso no rosto, fazendo Artemis endireitar a postura.

_Posso me sentarr aqui? - o garoto de cabelo cacheado pergunta para Artemis, que olha para ele com o cenho franzido e acente lentamente, meio desnorteada.

O garoto se senta rapidamente e começa a encarar Artemis, que também o encarava com certa curiosidade.

_É um grrande prrazerr conhecê-la, senhorrita Arrtemís. - ele diz com um sorriso nos lábios, revelando seus dentes brancos e perfeitos, que me fizeram ter vontade de socá-lo.

_Alvo, ele é o Filho da Lua que eu senti a presença mais cedo. - Artemis fala para mim, mas sem tirar os olhos do moreno.

Bem, isso ao menos explica o porquê de esse cara estar encarando a MINHA NAMORADA de maneira tão descarada que me faz querer lançar uma azaração nele.

_Sou Willian Montigomerrry, senhorrrita. - ele estende a mão para Artemis, que a aperta meio à contra-gosto - Lhe enviei algumas carrtas quando soube que estava no hospital, fiquei feliz quando me respondeu.

Que maravilha.

Ele estava demorando demais para soltar a mão de Artemis, o que foi o estopim para mim.

_Prazer, Willian, sou o Alvo, NAMORADO da Artemis. - me inclino sobre Artemis e quase esmago a mão do garoto ao apertá-la em um cumprimento, além de que reforço a palavra "namorado", apenas para que ele entenda bem o que quero dizer - E aquele ali é o Escór. - volto a me sentar em meu lugar, enquanto aponto para Escór, que estava à beira de uma crise de risos, por isso apenas dá um tchauzinho.

_É um prrazerr. - o garoto diz, enquanto massageia a mão que apertei.

Artemis me olha de soslaio, o que faz com que eu fique quieto por um tempo, até que Willian quebra o silêncio entre nós.

_Irrrá parrticiparr do Torrneio? - ele pergunta para Artemis com um sorriso.

_Infelizemente não. - ela responde, enquanto solta um suspiro - Não tenho idade o suficiente, além de que eu provavelmente não estou em um bom estado mental para participar de um evento desse.

_Entendo o que querr dizerr. - ele diz e percebo que começa a encarar a cicatriz na bochecha de Artemis, porém ela não parece perceber - E você... é... Allvo? - ele hesita um pouco, como se estivesse ponderando se era seguro falar comigo - Vai parrticiparr?

_Também não tenho idade para isso. - respondo dando de ombros - Porém vou torcer para quem quer que seja o campeão de Hogwarts. - sorrio para ele, tentando parecer simpático, porém ele apenas arregalou os olhos e começou a prestar atenção dos talheres de prata.

Artemis respira fundo e percebo que é uma aviso para que eu fique quieto.

Começo a olhar ao redor, enquanto nem os diretores e os prefessores chegam, e reparo que os alunos de Durmstrang tiraram as capas de pele escura, revelando seu uniforme vermelho vibrante, que se destaca, juntamente com o uniforme azul-claro de Beuxbatons, entre os uniformes negros de Hogwarts.

Em uma das minhas olhadas, percebi que, ao invés de apenas duas cadeiras à mais na mesa dos professores, haviam quatro cadeiras à mais, duas de cada lado da cadeira da diretora. Porém não tive muito mais tempo para divagar sobre isso, pois os professores começaram a entrar no Salão Principal em fila, o primeiro era o Prof. Neville, e os três últimos eram os diretores.

Quando a Diretora Maxime entrou no Salão, todos os alunos de Beuxbatons se levantaram e não voltaram a se sentar até que sua diretora se sentasse, o que acabou gerando uma série de risadinhas, que nem eu, nem Escór e muito menos Artemis fizemos parte.

Todos os professores se sentaram, exceto nossa diretora, que continuou de pé e falou, assim que todo o Salão ficou em silêncio:

_Boa noite, senhoras, senhores, fantasmas e caros convidados. - a diretora sorri - Gostaria de dar as boas-vindas à todos e, para nossos convidados, gostaria que se sentissem em casa durante sua estadia.

"O Torneio Tribuxo se iniciará oficialmente ao término do banquete, dito isso, bom apetite."

Uma enorme quatidade de comida apareceu na nossa frente, preenchendo as diversas travessas vazias.

Sempre tem bastante comida nas refeições, desta vez, porém, a quantidade parece ser ainda maior e a diversidade também, já que tinham alguns prato que nem em meus sonhos mais estranhos eu teria visto.

Artemis pegou um enorme pedaço de o que parecia ser uma torta de carne e o colocou em seu prato.

_Gosta de Hachis Parrmentierr, Arrtemís? - o moreno pergunta para Artemis.

_É um dos meus pratos franceses preferidos. - ela diz rapidamente e corta um pedaço - Abre a boca e diz "Ah". - ela pegou um pedaço da torta com o garfo e a agora está oferecendo para mim.

_Não tenho certeza se... - Artemis não me deixa terminar, ela enfia o pedaço de torta na minha boca. - Isso é bom. - falo depois de mastigar um pouco.

Artemis sorri e começa a comer seu pedaço de... sabe lá Merlim o que é isso.

Após todos os pratos estarem limpos, percebo que os dois lugares vagos na mesa dos professores foram ocupados.

Ao lado do Sr. Krum, estava sentado um homem que Tiago conhecia muito bem, Olívio Wood, pai de Alícia e um ótimo amigo de nosso pai; ao lado de Mademe Maxime está sentada uma mulher de cabelos escuros e lisos, com traços meio orientais, acho que já vi ela em algum lugar, em alguma fotografia antiga, talvez.

_Agora que estamos todos devidamente alimentados, eu gostaria de explicar um pouco mais as regras, antes de trazer o Cálice, mas primeiro, gostaria de apresentar a vocês, a Sra. Cho Chang Corner, Chefe do Departamento de Cooperação Internacional em Magia. - a mulher se levanta e uma vaga onda de aplausos ecoa pelo salão, a mulher se senta novamente - E o Sr. Olívio Wood, Chefe do Departamento de Jogos e Esportes Mágicos. - um onda de aplausos mais forte e maior ecoa pelo Salão, enquanto ele se levanta, voltando a se sentar logo depois.

É claro que o Sr. Wood foi mais aplaudido, afinal foi um excelente jogador dos Pudllemere United durante anos.

_A Sra. Corner e o Sr. Wood foram uma ajuda indispensável nos últimos meses, e se juntarão à mim e aos outro diretores na banca que julgará os Campeões de cada escola. - olho para trás e vejo Domi e Tiago do outro lado do Salão, as costas completamente retas - E agora, o escrínio. - o zelador, que eu, até agora, não tinha percebido a presença, traz para perto da diretora o que me pareceu um baú extremamente antigo, coberto por lindíssimas pedras preciosas. Um murmúrio de admiração pode ser ouvido.

O zelador coloca o baú na mesa em frente a diretora.

_O sr. Wood e a Sra. Corner aprovaram as instruções para as tarefas a serem realizadas no Torneio esse ano. - a diretora fala, recebendo total atenção de todos os presentes - Haverá três tarefas, que serão realizadas com espaçamentos de alguns meses durante o ano letivo e servirão para testar os Campeões de diferentes maneiras; sua perícia em magia, seus poderes de dedução, sua coragem, e sua capacidade de enfrentar situações perigosas.

Engoli um seco, e percebo que Artemis e Escórpio fazem o mesmo.

_Três Campeões competiram no Torneio, um de cada escola. Eles receberão notas por seu desempenho em cada tarefa, e aquele que tiver a maior desempenho, ganhará vantagem na próxima tarefa, aquele que tiver o melhor desempenho, ganhará a Taça Tribuxo. - a diretora fala com calma - Os Campeões serão decididos por um juíz imparcial, o Cálice de Fogo.

A Profa. McGonagall puxa a varinha de dentro das vestes e deu três leves batidas na tampa do baú. A tampa se abre lentamente com um rangido alto. A diretora enfia a mão no baú e tira um enorme cálice de madeira, que estava cheio até a borda de chamas azuis, que se moviam de um jeito incrível.

A diretora fecha a baú com cuidado.

_Aqueles que quiserem se candidatar, desde que sejam maiores de dezessete anos, deverão escrever seu nome e o nome de sua escola, de maneira legível, em um pedaço de pergaminho e deverão depositá-lo no cálice, vocês terão dois dias para tal ato. - a diretora diz de maneira firme - daqui à dois dias, o cálice cuspira o nome dos três bruxos mais dignos de representarem suas escolas.

"O cálice será colocado no saguão de entrada.

E para que nenhum aluno menor de idade tente participar, irei traçar uma linha etária ao redor do cálice. Ninguém com menos de dezessete poderá ultrapassar a linha.

E uma vez escolhido, o campeão será obrigado a continuar até o final do Tornei. Portanto tenham certeza de estarem preparados de corpo, alma e mente para competir. Dito isso, boa-noite à todos."

Olho para Artemis, e depois para Escór, e nós três soltamos o ar, que eu nem sabia que estava prendendo.

_Bem, - o moreno se levanta - acrrredito que é melhorr irr. - ele sorri para Artemis - Foi um prrazerr conhecerr vocês. - ele olha para Escórpio e para mim e acena com a cabeça - Esperro te verr novamente. - ele sorri para Artemis novamente e eu cerro o meu punho, que estava em cima da mesa, o moreno começa a andar na direção da saída.

Assim que ele sai, Artemis me olha de uma maneira assustadora.

_Precisamos conversar. - ela diz e Escórpio se levanta rapidamente.

_Vou deixar o casal conversar em paz. - ele diz e coloca a mão no meu ombro - Boa sorte. - depois disso ele vai até Rosa, que estava do outro lado do Salão Principal.




                           ***




As risadas de Artemis estavam tão altas que eu tive medo de que alguém escutasse e nos descobrisse no corredor perto do nosso Salão Comunal, porém não tínhamos nenhuma intenção de ir para lá.

_Eu... eu... nunca vou esquecer sua cara. - ela limpa as lágrimas dos olhos, o rosto iluminado apenas pela luz fraca de um dos archotes - Você é incrível quando fica com ciúmes.

Cruzo os braços e olho para o lado.

_Só não faça isso de novo, o pobrezinho parecia estar com muito medo. - ela diz e se aproxima de mim - Vamos lá, Alvo, não faça essa cara.

Ela me abraça e eu, meio desgostoso, retribuo.

_Prometo TENTAR ser mais legal com ele da próxima vez. - digo e ela me dá um selinho demorado - Achei que você iria ficar uma fera comigo.

_Eu até poderia, mas você estava tão engraçado que eu tive que me segurar para não rir. - ela apoia a cabeça no meu ombro e dá algumas risadinhas.

Ficamos assim por um tempo, apenas rindo do nada, igual doidos, até que escuto passos próximos a nós.

_Não sabem que é proibido ficar fora do Salão Comunal até tarde? - uma voz grossa e estranha diz e Artemis e eu olhamos para ver quem é o dono da voz.

A pessoa estava com a varinha em mãos, com uma forte luz saindo dela, o rosto escondido pelas sombras do castelo.

A pessoa aponta a varinha para o próprio rosto, revelando sua identidade.

_Escórpio. - Artemis e eu dizemos em um suspiro.

_Bu. - ele responde e se aproxima de nós, os cabelos quase brancos iluminados pela luz da varinha - Espero que não estejam fazendo coisas estranhas no castelo.

_Que nojo. - Artemis diz e o empurra de leve, fazendo com que ele dê alguns passos para trás, enquanto nós três rimos.

Vamos para o Salão Comunal em meio a risos.

_Boa noite, Alvo Severo. - Artemis diz, antes de subir para seu quarto e me dá um suave beijo - Boa noite, Escór. - ela dá um tchauzinho para Escór e sobe as escadas de seu dormitório.

_Você se livrou de uma enrascada. - Escórpio diz, enquanto ri.

_Quase morri. - digo, nenhum pouco dramático - Cara, foi tenso, por um momento achei que ela ia me dar o maior sermão ou sei lá, mas ela só riu.

_Parabéns, Alvo, você tem uma namorada tão doida quanto você. - mostro uma careta para ele e nós dois subimos as escadas até nosso dormitório rindo.






 






Notas Finais


Espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...