1. Spirit Fanfics >
  2. A Filha Da Escuridão - Entre Dois Mundos >
  3. Natsume rever o passado e Reiji recebe uma visita inesperada

História A Filha Da Escuridão - Entre Dois Mundos - Capítulo 3



Notas do Autor


Enfim, consegui ter idéia rsrs

Capítulo 3 - Natsume rever o passado e Reiji recebe uma visita inesperada


Natsume ficava mais agoniada por saber pouco de seus poderes, só via na mente memórias de quando era pequena, uma neko inocente, com um lado das trevas dentro de si.

- Pai.. O que você sabe o cordão? - Disse Natsume séria.

Reiji se encontrava na cozinha, fazendo comida.

- Porque a pergunta? - Perguntou Reiji, que parecia não querer falar a verdade.

- Porque sim. Eu estou pronta! Quero saber a verdade. Eu sinto.... que preciso saber Pai! - Disse Natsume nervosa e agoniada.

- Ainda não. Sabendo, irá fazer-la ficar mais curiosa.. E.. Não. - Disse Reiji que ficava nervoso.

- Porque?! Eu tenho 18 anos! Já sou adulta praticamente! - Falava Natsume mais irritada.

- Filha se acalme! Porque essa fisura? - Reiji disse normal porém acabou lembrando de algo e sua expressão ficou de susto.

- Natsume, depois falamos nisso. Preciso encontrar uma pessoa. - Disse ele com pressa.

Natsume sem entender, apenas respeitou e saiu.

Eu não havia entendido, ele ficou nervoso com o fato de eu ter falado aquilo. Porque?

- Você não vê Natsume?! - Disse a voz, que apareceu novamente.

- O que faz novamente aqui, porra?! - Falei grossa.

- Para que tanta agressividade minha querida Natsume? - Disse a Voz.

- Dane-se. Para de me atormentar. Só quero saber o porque você está dentro de mim! Porque meu pai não quer me contar q verdade! Que caralhos está havendo comigo? - Falei completamente frustrada, expondo meu ódio para fora enquanto conversava com aquela voz.

- Ah isso? Haha... Ora, sua mãe era das trevas, o lado mal. Já seu pai não era. Ele pertencia ao lado que adiquiria poderes da natureza, o gelo, neve, de certa forma o lado do bem. Você puxou bem a ela hehe, mas ela era também não tão má, afinal, a morte dela ou desaparecimento dela tem a ver com a consequência de ter conhecido um homem de mundo diferente, o seu pai real. - Disse a voz lentamente, dizendo a verdade.

- O que...? Como assim eu sou filha de uma mulher do lado.. das trevas? E meu pai do lado.. bom? O que? - Falei sem acreditar, tentando negar aquilo.

Reiji era quem? Ele conhecia meu pai real? Porque ele me criou?! Tantas perguntas e sem respostas passavam pela a cabeça da pobre garota.

- Não fique assim.. Estou aqui, Natsume. Deixe-me controlar-la, eu irei lhe mostrar o que ouve no passado. - Disse a voz tão convincente.

- O que? - Natsume perguntou.

Sem mais o que pensar, Natsume permitiu que a tal voz controla-se ela.

E assim aconteceu, Natsume começou a rever o que ouve no passado, mas chegando na parte onde ela iria ver a cara de seus pais, uma chama apareceu na sua frente a tirando daquele mundo.

- Natsume! Natsume! - Disse uma voz familiar. Era Reiji.

- Pai? - Falei baixo.

- Meu Deus menina! O que você fez?! - Disse ele preocupado.

- O que? Porque? - Perguntei sem entender.

- Você estava com os olhos negros, parada. Era ele né? - Disse Reiji.

- Ah... É... E porque mentiu para mim? Você não é meu pai de verdade. Quem era os meus pais de verdade?! O Black me disse! - Falei grossa e magoada. Eu sabia que estava errada em mentir, mas ele também.

- Não era a hora. Então Natsume, eu irei te contar a verdade. - Disse ele firme.

- Mas porque? Eu já sou adulta praticamente! Tenho 18 anos! Ok.. Diz. - Falei indignada.

- Eu sei! Mas... Ok! Você deve saber... - Disse ele que me olhou sério.

Mas quando ele iria dizer, Reiji precentia algo no ar, seus olhos mudaram, sua verdadeira aparência apareceu. Era de um raposa vermelha, uma Kistune. Eu achei lindo ele nesta forma.

- Natsume vá para o seu quarto... - Disse ele bem agressivo e rígido.

Enquanto isso, Reiji procurava algo invisível.

- Apareça.. Yuri... - Disse Reiji que deduzia de quem seria.

- Haha.. Sabia então que era eu. Você sabe cara Raposa ela é especia, sabe não é? Porém.. ela não deve saber disso ainda, nem saber de onde ela veio, mesmo com aquele lado maligno junto dela. - Disse Yuri sincero.

- Eu sei! Mas não fale assim. Eu não sei quem eram os pais dela. Só sei que era de mundos diferentes. Eu irei contar no momento certo. Agora o que faz aqui?! - Disse Reiji rude, sem demonstrar nem um pingo de medo.

Yuri é um velho amigo dele, mesmo depois dele se juntar a um grupo de pessoas com poderes, que não era um grupo de heróis, era de justiceiros.

- Eu tive que intervir na hora que falaria e também foi porque preciso de sua ajuda. Um homen perverso quer um Ser Puro e ao mesmo tempo com maldade junto de si, para ele. Eu senti que está por perto esse Ser Reiji. - Disse Yuri com uma expressão de desespero.

- O que? Que homen é esse? Eu tenho a Natsume, não sei se devo por ela no meio. - Disse Reiji que ficou confuso.

- Calma. Você sabe que ela já é adulta. E Reiji.. isso é sério! Temos que descobrir quem seja esse cara, ele é ruim! - Disse Yuri sério.

- Não sei... Eu- - Disse Reiji que não completava a fala.

- Eu quero ir Pai. - Disse Natsume que aparecia na sala.

- Natsume? Era para estar no quarto. Isso é assunto sério. - Disse Reiji rude.

- Calma Reiji. Se ela quer, deixe. - Disse Yuri se intrometendo.

- Eu sou o pai dela. Eu sei o que é bom para ela. - Disse Reiji já se irritando. Ele começou a soltar umas espécie de fogo em si mesmo.

- Pai me escute, eu já sou maior! Eu não mais uma garotinha. Quero ajudar! Eu tenho poderes.. - Disse Natsume com um olhar sincero.

- Hum.. Não sei. Você pode ter poder, mas é um poder que você não sabe ainda controlar! - Disse Reiji que começou a discutir.

Yuri se calou e de longe viu a discussão.

Natsume se sentiu mais triste, afinal, ela quase não podia fazer nada sem a permissão de Reiji. Reiji é um pai muito protetor, como tem um espírito de uma raposa, uma Kistune, um animal que mesmo sendo conhecido por ser  mentiroso e traiçoeiro, é magnífico ao mesmo tempo. E Reiji não é assim, é diferente, e mesmo que já tenha sofrido com esses preconceitos, não deixa isso te abalar.

- Mesmo assim pai eu saberei como agir! Me deixe ir junto Pai. Por favor! Você quase não me deixa sair de casa.. - Disse Natsume num tom baixo que logo abaixou as orelhas felinas.

- Vai para o seu quatro.. - Disse Reiji curto e rígido.

Na mesma hora Natsume foi correndo para o quarto triste e indignada.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...