História A Filha Da Lua - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


Oi! Td bm?
Espero que sim!
Boa leitura ❤️🌙

Capítulo 19 - Morte da rainha


Depois de toda aquela confusão, Seline e Dylan foram enviados para a prisão e lá ficaram, Seline ainda estava desacordada sua aparência estava péssima sua pele estava pálida e estava gelada, como se estivesse morta. Dylan estava sentado ao lado dela esperando que ela acordasse depois de algumas horas a rainha apareceu na sela com alguns guardas ela pediu pra que eles dessem algum tempo para que eles podessem conversar, e assim fizeram eles; saíram e deixo ela a sós, Dylan se levantou e se curvou.

- Se levante por favor, eu não sou mais digna de reverências.

- Rainha você está bem?

- Sim! Mas não é sobre mim que eu vim falar, como ela está? - olhou para Seline deitada na cama.

- Ela ainda não acordou. Eu receio que ela tenha libertado a nascida do fogo.

- Entendo, isso explica o porque dela estar assim - chegou perto dela e passou a mão em sua cabeça, acariciando os cabelos da Seline. - Você cuidaria da minha filha para sempre?

Essa pergunta fez com que o coração de Dylan disparasse e ficar nervoso.

- Eu acredito que quando ela conseguir controlar bem seu poder, ela não precisará mais de mim.

- Mas mesmo depois que ela não precisar de você, fique com ela, para que ela não se sinta sozinha. Sabe eu vi o modo de como você se preocupa com ela, e além disso vocês tem uma conexão... você a ama não ama?

- Desculpa majestade! Mas... - 

- Então ainda não superou a morte da sua amada e está com medo de se apaixonar... Um dia você terá que parar de mentir para si mesmo.

-... - Dylan ficou em silêncio.

- Mudando de assunto, eu preciso dizer que eu sei onde o livro  sol e lua foram escondidos...

- E onde eles estão?

- Estão na montanha em forma de arco, nessa montanha tem uma caverna e um lago dentro dela, apena um puro de sangue real pode pegá-lo.

- Como você tem certeza disso?

- Antes de tudo isso acontece eu havia encontrado um mapa nas antigas ruínas lunares, foi ai que me dei conta do que se tratava depois que memorizei o mapa eu o queimei.

- Mas presos como estamos nunca conseguiremos ir até eles.

- Eu vou ajudar vocês saírem daqui! Suponho que o rei levará Seline para a sala de exames...

- Tem certeza disso?

- Sim! Talvez essa será a última vez que Seline me veja - Beijou sua cabeça.

Depois que a rainha se retirou ele foi para o lado de Seline novamente, colocou a mão em sua testa e viu que ela estava febril, pegou em no braço dela para sentir o pulso, estava fraco como se ela estivesse morrendo lentamente, mas aquilo era apenas um efeito depois de usar aquele poder. As horas passavam e Seline continuava a adormecida, Dylan sentado no chão ao lado da cama dela, com a cabeça apoiada no colchão, aos poucos seus olhos foram fechando; com o cansaço que o perseguia, mas no fundo escutou que alguém vinha até a sela, um barulho de botas de couro seguia pelo corredor, mas não tinha forças o suficiente para ver quem era logo um odor de arrogância e frieza se espalhou pela prisão. Algo forte bateu nas grades da sela fazendo o de vibrar do ferro; Dylan se acordou com o barulho e logo levantou, olhou para frente e viu o rei parado o encarando, ele abriu a sela e entrou ele estava indo até Seline mas Dylan o impediu que tocasse nela, assim fez entrando na sua frente o rei deu um passo para trás e ficou surpreso com a atitude dele.

- Não chegue perto dela! 

- Da última vez em que você protegeu alguém, uma espada acabou no peito dela. Seja educado, eu vou levar ela e não tente me impedir! Você não quer ser chicoteado de novo ou quer? - se aproximou da cama novamente e apegou no colo.

- Se você a machucar, eu juro que caçarei você até no inferno.

- Não deveria expôr suas fraquezas assim. Fechem a sela. - levou Seline.

Estava tudo ocorrendo como o plano, Dylan  só precisava esperar mais um pouco. Em uma sala escondida havia vários equipamentos estranhos, colocaram Seline deitada em uma cama e amarraram ela; depois de algum tempo Seline despertou, seu corpo estava imóvel mal conseguia erguer os dedos ela via várias pessoas a sua volta.

- Vejo que já está acordada! - disse o Rei.

- Por que me prenderam! Me soltem.

- Vou disser os motivos por quais não vou te soltar.

- Eu não quero ouvir. Está me machucando - virava a cabeça para um lado e para o outro.

- Eu não sou burro o suficiente para te soltar! Fique quieta enquanto a examinamos.

- Eu não vou ficar presa aqui! - Seline apertou as cordas que estava amarradas a ela, e as queimou fazendo a corda arrebentar ela retirou as cordas de si e ficou de pé.

- Impressionante! Mesmo depois de ter usado um poder grandioso, uma mortal como você ainda consegue ficar de pé.

- Você ainda não viu nada! - tentava ser durona mesmo com uma dor enorme.

- Já que você está com forças, invoque as espadas da calamidade! 

- Eu não sei. 

- Senhor talvez ela só consiga liberar o seu poder, quando passa por um momento de raiva ou até mesmo de triste - disse.

- Muito bem tragam o traidor e a mãe dela.

Alguns guardas foram buscar eles, quando chegaram na sela de Dylan ela já sabia que estava na hora. O mesmo foi quando foram até os aposentos da rainha, no caminho os dois se encontraram Dylan estava com as mãos acorrentadas. Quando chegaram lá o rei mandou ambos ficaram ajoelhados, Seline sem entender nada questionou o rei.

- O que você tá fazendo?

- Vou fazer você ficar com raiva, se você não quiser que eles percam a vida é melhor você invocar as espadas agora! 

- imortais não morrem. 

- façam! - disse o rei, apontando o dedo para a rainha.

A rainha ergueu a cabeça e sorriu para Seline, o guarda que estava atrás dela puxou uma espada que tinha um cristal vermelho na ponta, e enfiou nas costas atravessando o peito, seu sangue escorrendo e as lágrimas de Seline caindo ao ver aquela cena, ela indo em direção a sua mãe caída no chão; pegou seu corpo sem vida e o abraçou forte, Seline olhava nós olhos da sua mãe sem vida, olhos sem brilho isso fez o vazio do seu peito aumentar, uma dor extremamente forte. Seline que estava fraca espontâneamente invocou as espadas da calamidade, as duas apareceram em sua mão, deixou o corpo de sua mãe deitado no chão e se levantou, com os olhos cheios de lágrimas caminhava até o rei, chegando nele ela esticou os braços para entregar as espadas, mas era só uma armadilha dela, ela apenas ergueu a espada para cima isso fez com acertasse o olho direito do rei. Enquanto algumas das pessoas ajudavam o rei Dylan se soltou das amarras e bateu nos guardas para que pudessem fujir; ele foi e puxou o braço de Seline e saíram correndo até a saída, no caminho vários cavaleiros apareceram, Seline tomou a frente e rasgou a garganta de cada um deles em uma velocidade que era difícil de acompanhar, quando chegaram até o portal Dylan segurou firme nas mãos de Seline e os dois atravessaram.

Quando chegaram no lago Seline já não estava mais com as espadas, sentiu algo forte no seu corpo, doía muito ela começou a tossir, colocou a mão na boca e viu que era sangue que estava saindo dela.

- Seline você está bem? - chegou perto dela.

- Tô sim, deve ser apenas um efeito...

- Você está muito quente - colocou a mão em seu rosto.- vamos vou te levar para casa.

Enquanto isso no reino solar...

- Senhor você está bem? Devemos mandar alguém atrás dela.

- Não será necessário, enquanto eu a carregava eu peguei o colar que estava em seu pescoço. Além disso falta pouco para o eclipse.








Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Desculpa os erros...
Até o próximo capítulo ❤️🌙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...