História A filha da Mama - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias EXO, F(x)
Personagens Amber Liu, Baekhyun
Tags Amber, Baekhyun, Exo, Ko Ko Bop, Mama, Ot10!, Ot12, Ot9, Teorias
Visualizações 8
Palavras 5.296
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Family Problems


Amber não entendia metade das frases ditas pelos vendedores, então dependia totalmente de Jongin e Baekhyun que pareciam ter fluência com a língua, Yixing estava tão perdido quanto ela e por esse motivo decidiu que iriam se dividir.

— Para que possamos comprar mais rapidamente, eu fico com o Jongin e você fica com o Baekhyun. — disse Yixing, Jongin deu de ombros e Baekhyun ficou em silêncio. — Que tal irmos para aquela loja de joias que você comentou querer ir?

— Por mim tudo bem, nos vemos na praça de alimentação. — a mais nova assentiu e a dupla se teletransportou.

— Ele fica desperdiçando os poderes dele atoa como se quisesse exibi-lo, até parece que é a coisa mais normal da Terra e todo mundo faz. — reclamou o mais velho.

— Inveja?

— Me poupe Amber, eu sinto inveja dos próprios humanos e não do meu irmão. — pediu para a vendedora trazer algumas roupas. — Eles são livres, não precisam se esconder e quando fazem mau a eles algo acontece...

— Você quer dizer que te machucaram?

— É um assunto delicado. — sorriu gentilmente para a vendedora e estendeu duas peças de roupa. — Qual dessas eu escolho?

— Você ficaria lindo de azul bebê, mas esse verde musgo parece combinar mais. — não expôs, mas tinha escolhido a mesma peça.

— Ok, obrigado. — informou a vendedora e em seguida deixou a mais nova decidindo o que iria levar para si.

Saíram das loja, tudo seria entregue diretamente na mansão enquanto eles continuavam as compras, sempre que Jongin precisava do cartão o mesmo aparecia usando o poder e voltava a desaparecer. Baekhyun ainda não entendia porque ele tinha ficado com o dinheiro de plástico, mas achou melhor assim para evitar brigas. Compraram mais algumas coisas e foram para a praça de alimentação, lá estava Jongin e Yixing os esperando pacientemente e conversando como se estivessem em uma discussão filosófica sobre o sentido da vida. Mas foi só se aproximar que notaram, era apenas uma discussão sobre frango frito com molho e sem molho.

— E eu achando que minha linhagem era formada por cultos e filósofos gregos, projetos de Einstein. — ironizou Baekhyun recebendo um julgamento silencioso da dupla, Amber apenas riu baixo juntando-se a eles na mesa. — Mas descobri que são apenas frangos fritos.

— Não são apenas frangos fritos, isso define totalmente o sabor do alimento e...

— Já pediram pelo menos? — interrompeu Jongin, a mais nova não queria soar grossa mas estava ansiosa pela ideia de ingerir um fast food pela primeira vez.

— Estavamos esperando vocês. — respondeu a cura e a luz revirou os olhos.

— Baek e Xing deveriam ir lá pedir agora, mas de preferência algo que não gere briga. — disse a mais nova.

— Viu Yixing? Sem molho. — disse Jongin e antes que a discussão se prolongasse, o menor o arrastou para longe dali. — Deve ter sido torturante ficar com o Baekhyun comprando roupas.

— Ah... Não, ele só é calado demais e não me faz decidir muito. — ele assentiu ainda fazendo contato visual, parecia procurar algo que ela não conseguia desvendar, seus pensamentos eram confusos e intensos demais para conseguir processar. — Mas como é comprar com o Yixing?

— Divertido, porque ele fica querendo levar todas as peças que encontra e é extremamente indeciso, ele complica o que é extremamente fácil. — respondeu cruzando os braços e desviando o olhar pela primeira vez, estava sorridente ao lembrar daquele momento.

— Acho que eu não teria problemas com ele então, mas o Baekhyun sim.

— Talvez nesse exato momento os dois estão se matando, porque Yixing é indeciso e Baekhyun impaciente, mas não supera o Chanyeol e o Jongdae.

— Jongdae? — voltou a olhar a mais nova curiosa.

— Logo irá conhecê-lo e vai saber do que estou falando. — assentiu e mordeu o inferior.
 

***

 

Realmente deu briga, levou um bom tempo até a dupla voltar com as bandejas e Baekhyun teve de carregar tudo sozinho, o motivo? Yixing estava desmaiado depois do soco que levou. Amber teve de ir atrás dele e deixar Baek e Jongin, outra dupla perigosa que poderia entrar em conflito a qualquer momento. Felizmente a cura estava bem e foi atendido pelos funcionários, para ajudá-lo a despertar mais rápido teve de repetir o ato que fizeram com ela, um rápido selar que funcionou.

— Conselho de um sábio ancião guerreiro, nunca mexa com a luz ou ela pode te cegar. — ela entendeu o que ele quis dizer e assentiu o ajudando a se levantar.

— Vou considerar seu conselho.

Voltaram para a mesa e ao final da refeição, Amber chamou Baekhyun para conversar em local reservado, tentou aconselhá-lo sobre o ocorrido. O mais velho era um bom ouvinte quando estava de bom humor, o que não era o caso no momento, e por isso ele a cortou o tempo todo.

— Baekhyun, facilita pra mim e pra todo mundo...

— Me deixa em paz! — já tinha chegado no limite e iria embora, mas ela o impediu colocando barreiras na saída, isso gerou uma briga entre a luz e a telecinese.
 

Jongin estava preocupado com a demora, então resolveu ir atrás deles para verificar se estava tudo bem, Yixing o acompanhou e quase foi atingido pela bola de luz que a Mama refletiu ao se defender, para salvar Jongin teve que se teletransportar e fazer o mesmo com a cura. Voltou furioso e aplicou um golpe que aprendeu com os colegas de ballet, fazendo Baekhyun desmaiar rapidamente.

— Vamos embora. — disse sério e sem olhar para a mais nova, em seu ombro estava o mais velho desacordado. A mais nova não quis se explicar, e nem tinha como, então apenas assentiu e deu as mãos a Jongin e Yixing.
 

***

 

Chanyeol ficou furioso ao saber por Jongin, que Baekhyun estava atacando Amber e quase a machucou, a mais nova chegou no momento exato em que o maior daria um tapa no menor, ficou no meio do caminho e recebeu o tapa caindo em seguida. Foi tudo muito rápido, ela olhou rapidamente para Baekhyun e murmurou para que saísse assim como os demais, ficando sozinha com Chanyeol. O maior estava arrependido por tê-la acertado, mas achava errado ela ter interferido no assunto dele com o irmão, para Amber a violência nunca era a solução de nada, por isso apenas se defendeu dos ataques da luz.

— Você... — começou ele sem saber bem o que dizer, ela permanecia caída e olhando para um canto fixo que parecia ser a janela, a lua iluminando o seu rosto com a marca vermelha dos cinco dedos. Ela lembrava-se perfeitamente das surras que levou de Yifan, aquele tapa ainda foi leve para ela, mas o que doía mais era o menor não querer se defender e deixar que o tratassem daquela forma.

— Estou bem. — respondeu rispidamente e se levantou olhando para ele pela primeira vez, nem de longe lembrava a moça doce que conheceu naquele momento, estranhamente seu olhar sério o deixava morrendo de medo como uma criança na escuridão. — Mas não ouse tocar um dedo em nenhum deles, me ouviu? — saiu andando e o deixou ali, indo atrás de Jongin.

Jongin estava sentado na varanda, sozinho e pensativo olhando o céu, a mais nova se aproximou e cutucou a cintura o assustando. Se não estivesse irritada, ela teria rido da expressão fofa que ele fez, mas como estava apenas o fuzilou silenciosamente.

— Está machucada? — arregalou os olhos, o rosto ainda vermelho pelo tapa, ela desviou com o toque dele.

— Não deveria ter dito nada ao Fogo, eu iria resolver e contar como foi.

— Iria proteger o Baekhyun, isso sim.

— E se eu fizesse? Estou cansada dessa briga idiota de vocês, desse rancor todo por algo que o coitado teve de guardar pra si, ele sofreu bem mais do que todos nós juntos!

— Que mentira ele inventou pra você?

— Porra Jongin! Para com isso, já estou perdendo a paciência! Eu sei que preferia ficar com o seu grupo de ballet, consigo ler os seus pensamentos, mas no momento nossa prioridade é outra. — ele semicerrou os olhos ao saber que ela lia seus pensamentos, crispou os lábios e cruzou os braços, pensamentos nada doces passavam em sua mente mas nenhum a intimidava. — Você não é capaz de fazer metade do que está pensando, vocês passaram tanto tempo com os humanos, que se esqueceram quem eram realmente... Talvez só eu e o Baekhyun ainda lembramos de algo. — e aquela frase o fez mudar completamente, a verdade é que já sentia como humano desde que veio e até mesmo preferiu a Terra ao EXO Planet, e foi esse pensamento específico que a fez dizer tais palavras. — Se não quiser ajudar pode me dar o seu poder, é só dele de que eu preciso, mas ainda não sei se a sua vida permanecerá ou irá embora. — afastou-se. — Espero que faça a escolha certa, não pra mim mas pra você. — saiu então o deixando sozinho.

Baekhyun ouviu tudo mesmo que não quisesse, maldita hora em que passou no corredor, e quando pensou em ir embora deu de cara com a mais nova. Ela parecia tão diferente, era como se o tapa tivesse liberado um lado que ninguém tinha conhecido ainda, ou ela apenas revelou que conseguia ser ruim caso fosse necessário. Ele quase era capaz de enxergar a si mesmo no passado, ela se sacrificava pelos outros mesmo que isso a machucasse.

— Viu o Yixing? — ela sabia que a luz não se abriria com ela, não tão cedo e precisaria ter paciência, algo que estava perdendo, então apenas decidiu se curar e se preparar para a viagem.

— Estufa. — assentiu e seguiu direto, o olhar dele encontrou o de Jongin, ele nunca o viu daquele jeito antes.
 

***


 

Yixing estava conversando com os miosótis, por ter as lembranças tão afetadas, ele recorria sempre a um chá de miosótis que o ajudavam naquele instante específico, como pagar as contas que esqueceu perto do vaso de samambaias. Ele preferia viver entre as plantas, a ficar interagindo com os demais humanos ou os seus irmãos que estavam tão mudados. 

— Yixing? — ela chamou parada em frente as aves do paraíso, não sabia explicar, mas elas lhe transmitiam paz e tranquilidade.

— Diga. — respondeu virando-se para a mais nova, parecia bem melhor e não haviam vestígios do soco que levou.

— Poderia me ajudar?

— Claro. — ela se aproximou e ele segurou no rosto dela, ainda sorrindo docemente e não levou mais que alguns segundos para o local do tapa estar totalmente inteiro como antes. — Chanyeol tem uma mão pesada, acho que se você não tivesse tomado a frente, Baekhyun teria caído.

— Por que diz isso? — estava começando a se preocupar, nem ao menos disfarçava.

— Nós não brigamos por conta da comida Amber, eu descobri que ele está morrendo por seu poder estar acabando. — foi como um soco no estomago, se perguntava se era culpa dela pelo beijo que deram na estufa. — Todos ingerimos aquela droga, exceto ele... Se sacrificou por todos nós quase que o tempo todo, mesmo que parecesse que não e talvez só eu tenha reparado isso.

— Não há algo que eu possa fazer? — ele mordeu o inferior e segurou na mão dela.

— Pelo que eu consegui analisar, e era isso que eu utilizava para manter meu poder “ilimitado”, precisamos fazer um chá com uma planta que só cresce em países tropicais.

— Ótimo, iremos viajar para ir atrás do Guardião da Água e pegamos essa planta.

— Ela não é muito fácil de encontrar, principalmente com os desmatamentos ilegais.

— Caralho... — bufou e andou de um lado para o outro, não queria ter que refazer aquilo, a culpa consumia pelo ocorrido com o Lu Han.

— Mas vamos ser otimistas, ok? Se não tiver...

— Eu vou ter que matar ele. — foi direta e ele a olhou surpreso e assustado. — Se eu não conseguir o poder por meio da colaboração, eu tenho a permissão de pegar tudo pra mim, mas em geral a vida vai junto.

— Não vamos recorrer a isso...

— Espero que não.
 

***


 

Chanyeol já estava no jatinho apenas esperando a Amber, e a mesma só esperava Yixing se despedir das plantas que pareciam agora sua família, ela não o apressava e apenas apreciava a cena que achou tão fofa. Jongin estava impaciente, mas não mais que o fogo que estava tamborilando os dedos segurando-se para não arrastá-los até lá, Baekhyun estava no canto dele olhando para a janela pensativo.

— Desculpem a demora, eu precisei me despedir das minhas bebês. — disse Yixing juntando as mãos em um sinal de súplica, Amber apenas sentou-se nos fundos ao lado de Baekhyun, enquanto a cura sentou-se ao lado de Jongin.

— Não se preocupe, iremos voltar.

— Uma dúvida, já pensou no que vai decidir? — perguntou sem rodeios para Jongin.

— É um assunto delicado.

— O que está acontecendo? — perguntou Chanyeol.

— Quero saber se querem mesmo que a arvore da vida seja recriada, ou apenas continuar com as suas vidas como “sere humanos”normais. — cruzou os braços, Chanyeol estava na mesma situação que Jongin.

— Não é fácil deixar de lado a sua vida, todas as conquistas que você lutou pra ter... Os amigos que formou por aqui. — respondeu o fogo, Yixing concordou e Baekhyun apenas revirou os olhos.

— Então me digam agora, querem ou não? Se a resposta for não vocês podem me dar o poder de vocês que eu resolvo o resto.

— O que eles ganhariam se deixassem a Terra para trás? — perguntou Baekhyun expondo algo que o Chanyeol tinha pensado mas que guardou para si, a luz não era boba e conhecia o comportamento humano melhor do que ninguém.

— Vocês teriam uma galáxia só para vocês, seriam os reis e me ajudariam a criar a vida da maneira que desejam, copiando ou não o que tem aqui na Terra. — Jongin e Chanyeol se entreolharam, o fogo estava convencido mas o teleporte não. —  Além de que passariam seus costumes e ensinamentos para o seu povo, imagina que incrível seria eles os cultuassem através da dança?

— Você até que sabe convencer as pessoas, se quiser pode até trabalhar comigo. — disse Chanyeol sorrindo.

— Não seja falso e bajulador Chanyeol, não somos seus clientes. — disse Jongin e o fogo apenas cruzou os braços.

— Estamos resolvidos então?

— Sim. — respondeu o trio, Baekhyun mordeu o inferior e fechou os olhos tentando cochilar, queria esquecer a realidade antes que a mais nova viesse questioná-lo sobre seu estado.

— Depois quero falar contigo. — sussurrou para ele e começou a conversar com Jongin sobre as apresentações que ele tinha feito.
 

***

 

Chegaram na floresta amazônica, e como esperado era cheio de vida animal além das plantas, Yixing se sentia no paraíso, Jongin e Chanyeol sentiam-se no inferno ou fim do mundo, enquanto Baekhyun e Amber apenas achavam o lugar exótico e interessante. A cura estava tão alegre, que abraçou as árvores e por ali ficou murmurando palavras que nenhum deles entendia, Jongin então saiu andando e acabou se deparando com uma tribo fazendo uma dança ritualística, naquele momento se sentiu no paraíso e parou para apreciar, Chanyeol continuava achando um inferno e por isso sentou-se para descansar em cima de uma raíz exposta. Baekhyun saiu andando, enquanto Amber sentou ao lado do fogo tentando localizar o Guardião da água, o fogo se desculpou pelo ocorrido e ela o perdoou abraçando-o em seguida.

Tudo parecia bem, até que ela ouviu um pensamento ‘Fodeu’, intrigada ela foi até Jongin e o informou sobre o pensamento que vinha acompanhado de outros extremamente nervosos e assustados, o rapaz então sumiu dali e foi atrás da fonte dos pensamentos que pareciam vir do outro lado da aldeia. Levou alguns minutos até que o teleporte voltasse segurando um rapaz em seu ombro extremamente elétrico e histérico, era da mesma altura que Amber e Baekhyun, mas muito mais branco que todos ali.

— Achei que o Junmyeon seria o mais certinho de todos nós aqui, mas foi só impressão. — comentou Jongin o colocando no chão. — Estava fugindo de indígenas enfurecidos, não sei o que ele aprontou. — o tal Junmyeon colocou as mãos na cintura e suspirou olhando para o grupo, mas seu olhar fixou somente na mais nova do cabelo azulado.

— Mama? Está diferente. — aproximou-se dela e sorriu, seus pensamentos eram um misto de viciado em seduzir com conhecimentos variados de história, plantas e a cultura local.

— É complicado. — ela respondeu e ele assentiu. — Longa história.

— Eu gosto de histórias, ainda mais longas. — virou-se para Jongin. — Poderia nos levar para o lado leste da floresta? É que minha casa fica lá. — o rapaz deu de ombros e gesticulou para darem as mãos, assim que o fizeram foram levados para outro lugar semelhante ao anterior, mas dessa vez tinha uma casa na árvore muito bem feita.

— Muito linda. — disse Yixing admirado com a casa.

— Obrigado, mas não a construí sozinho, recebi ajuda. — os guiou até as escadas.

Por dentro a casa era bem mais bonita e aquecida do que parecia, tinha muitos equipamentos modernos e entre eles materiais de estudos para analisar as estrelas, animais, plantas e seres microscópicos. Yixing estava imensamente encantado com ele, estava nítido que Junmyeon se tornou um cientista ou biólogo.

— Sentem-se por favor e sintam-se a vontade, Baekhyun venha comigo. — pediu e o rapaz o acompanhou até a cozinha, não tinha comida e sim experimentos que necessitavam de refrigeração. — Pelo jeito não os avisou sobre o seu estado, estou certo?

— Do que está falando?

— Durante anos eu conheci seres que me visitaram procurando ajuda, e pela ajuda eu adquiri presentes e conhecimentos, você deve ter tido contato com uma espécie que parecia um louva-Deus. — estava tão surpreso que nem ao menos sabia o que responder. — Eles nos dão habilidades mentais, as fêmeas concedem telepatia e os machos bloqueio mental a todos que o ajudam.

— Então você ajudou uma fêmea?

— Não, mas como eu disse eu tenho experiência o suficiente para detectar algumas coisas. — sorriu docemente e entregou um frasco com uma bebida rosa neon. — Beba isso, é uma versão melhorada daquela droga, não causa dependência e não afeta a sua saúde.

— Como?...

— Acho que está na hora de conversamos um pouco e contarmos o que aconteceu, assim ficará mais fácil de entender tudo. — assentiu ainda um pouco confuso e bebeu o líquido do frasco, tinha um gosto forte de morango com whisky. — Eu coloquei sabores específicos em cada frasco, escolhi esse por achar que seria o mais familiar pra você.

— De fato é mesmo. — terminou de beber e seguiram para a sala, o trio conversava sobre as plantas locais.

Junmyeon serviu um delicioso chá de uma mistura agradável de ervas, tinha um gosto tão doce que poderia ser confundido com chocolate quente. Enquanto bebiam, a água decidiu contar tudo o que aconteceu, como conheceu tudo, quem conheceu e várias outras coisas. Baekhyun finalmente revelou o que aconteceu consigo e surpreendeu a todos, porque casava perfeitamente com o que Junmyeon contou, afinal muitos refugiados dos experimentos secreto dos governos vieram procurá-lo, e por esse motivo criou a droga em sua versão melhorada. Quando Baekhyun foi capturado, foi enviado para uma base estrangeira junto a outros extraterrestres, participou de testes cruéis e o tempo todo passava por torturas psicológicas para dar informações a eles, informações que ele não tinha. Não soube explicar quanto tempo ficou com eles, só soube que fugiu após conversar telepaticamente com o colega de cela, que parecia um louva-Deus. Depois de tudo que passou, ainda sofria pressão por estar proibido de expor o que sabia pela promessa da Mama.  Baekhyun passou a odiar os humanos e agradecer por não ser como eles, por não pertencer a uma espécie tão cruel e gananciosa. Chanyeol e Jongin estavam tão surpresos, que ficaram em silêncio o tempo todo, sentiam-se péssimos pela forma que travavam o Baekhyun.

— Me perdoe Baekhyun. — disse Jongin nitidamente arrependido, o menor disse um simples tudo bem.

— Eu realmente sinto muito e espero que me perdoe, nunca imaginei que tenha passado por tudo isso. — disse Chanyeol, o bloqueio mental da luz permanecia e isso deixava Amber preocupada e desconfiada.

— Já disse que está tudo bem, agora só precisamos focar na missão atual. — disse Baekhyun e Junmyeon levantou-se chamando a atenção de todos.

— Tudo resolvido aqui? — assentiram e ele então entregou algumas fotos, eram fotografias impressas de um site. — Um site surgiu e meus colegas me informaram sobre, quase fomos descobertos. — nas fotos mostravam Jongin em anos diferentes e um outro rapaz.

— Quem é esse? — perguntou Amber apontando para o rapaz com os cientistas no Ártico.

— Minseok, Guardião do gelo. — respondeu Junmyeon cruzando os braços. — Infelizmente não consegui fazer contato com nenhum de vocês, mas andei os acompanhando.

— Então significa que sabe onde estão os outros? — perguntou ela.

— Exceto um, Kyungsoo, Guardião da terra. — suspirou respondendo. — Ele não se tem registro, sumiu do mapa faz quase cinquenta anos... Mas os outros eu tenho uma certa noção.

— Morto? — perguntou Jongin preocupado.

— Talvez, se pegaram o Baekhyun podem ter pegado o Kyungsoo.

— Vamos ser otimistas, sabemos que Kyungsoo sempre foi o mais inteligente de nós todos. — disse Chanyeol e Baekhyun permanecia do mesmo jeito analisando as fotos.

— Humanos se aliaram aos extraterrestres Chanyeol, acontece uma troca entre eles. — disse a água nitidamente preocupado. — Então talvez Yifan tenha se aliado a eles e feito uma troca também.

— Torço que não. — comentou Amber tentando manter a calma, até notar que o chá que bebeu começou a fazer efeito, não levou muito tempo até todos apagarem.
 

***


 

Amber acordou assustada e notou que estava em outro lugar, até achou que tinham sido traídos, mas na verdade estavam dentro de uma espécie de abrigo nuclear, apenas ela e Baekhyun tinham acordado e o mesmo estava conversando com Junmyeon preocupado. Pelo que ela conseguiu entender, Yifan surgiu pelo local no momento em que eles conversavam, e para torná-los indetectáveis, precisou dopá-los, pois pelas analises da água o mesmo conseguia detectá-los por algo que só eles conseguiam fazer ou transmitir naturalmente, como se fosse ecolocalização. Após ingerirem aquele líquido, eles não só ficavam dopados, como deixavam de transmitir esses sinais.

— O que faremos? Não importa pra onde vamos, eles sempre nos encontram. — perguntou a luz próximo a uma estante de amostras.

— Procuraremos os outros e aqui será nosso abrigo, ao invés de irem todos vamos nos dividir em equipes. — respondeu e notou que a mais nova acordou. — E não tentem se relacionar com os moradores locais, eles podem querer te matar...

— Anotei, podemos ir atrás de quem agora?

— No momento é perigoso, mas pelas minhas analises o Jongdae está no México.

— E aquele site?

— Meus colegas resolveram, muita coisa lá colocavam-os em perigo também. — concordou com a cabeça e virou-se ao ver a mais nova se aproximando. — Dormiu bem?

— Não preciso dormir. — ele assentiu sorrindo e cruzando os braços.

— Vocês dois são tão parecidos, nem parece que é a Mama e em teoria a mais velha. — disse a água com um tom divertido. — Achei sinceramente que seria como o Kyungsoo, mas me surpreendi ao ver que não. — ela o olhou curiosa, ele parecia saber bem mais do que tinha contado. — É Amber, eu sei muita coisa. — ela engoliu em seco e perguntou-se se ele era capaz de ler mentes também.

— Vou ver como eles estão. — disse Baekhyun os deixando conversar.

— Você tem telepatia? — negou com a cabeça.

— Por serem parecidos vocês tem uma linguagem corporal que eu consigo entender, mas deixo avisado que minha mente também está bloqueada e você nunca vai saber o que eu penso.

— Só deve ter porcaria, imagino. — ele concordou começando a rir por pensar em algo muito idiota naquele momento. — Me sinto entediada... disse ela sentando-se em cima de um cofre metálico que havia ali.

— Realmente não tem o que se fazer aqui embaixo, todos os meus equipamentos estão lá em cima e não podemos sair por agora. — ela suspirou. — Já sei, pode parecer infantil mas vai servir por enquanto.

— O que?

— Mimica! 

Usando os seus poderes, o grupo brincou de mimica, fez fogueira ao redor da chama feita pelo Chanyeol, o mesmo tocou um violão de fogo e eles cantarolaram enquanto Jongin dançava. Foi um momento divertido e único para eles, estavam mais unidos do que antes. Amber esperou tanto por um momento como aquele, era contagiante a energia boa que saía deles por estarem vivenciando aquele momento, não só ela esperava por isso como eles também, mesmo que fosse inconscientemente. Depois de um tempo Yixing, Chanyeol e Jongin decidiram descansar e por ali ficaram próximos a fogueira, deixando o trio desperto e alerta.

— Vou ver se já está seguro para voltarmos para a casa na árvore, se eu não voltar em dez ou quinze minutos eu peço que fiquem prontos para fugir. — ela assentiu, mas antes que ele saísse ela segurou o rosto da água e depositou um rápido selar.

— Acho que vocês fazem isso como despedida, então eu fiz. — ele sorriu e depositou outro selar.

— É mais ou menos isso. — deu uma piscadela e saiu, Baekhyun suspirou notando que deveria explicar antes que ela fizesse isso com todos, e a possibilidade dela beijar todos o incomodava.

— Evite beijar os lábios deles, ok? E o pescoço também.

— Por que? — quase foi sincero, mas sabia que ela iria querer saber mais ainda, então por esse motivo ele se limitou a uma resposta curta.

— Eles sentem malícia. — e isso foi o suficiente para ela, entendia muito pouco mas preferiu não perguntar a ele.

— Entendi.

Minutos se passaram e a preocupação só aumentava, a luz não deixava claro mas estava mais preocupado que a Amber, a mesma andava de um lado para o outro tentando dar um jeito de invadir a mente de um animal e o usá-lo de espião, parecia ser uma boa estratégia a longo prazo em caso de captura. Quando estava prestes a sair do esconderijo, a porta se abriu e Junmyeon surgiu sorridente com uma bacia de barro em mãos, cheia de frutas.

— Lembram que eu estava fugindo de uma tribo? Essa mesma tribo deu um jeito de espantar o Yifan, acompanhei tudo na copa de uma árvore. — entregou a bacia para a luz. — Trouxe isso para os rapazes provarem, com certeza irão gostar. 
 

***

 

Jongin despertou ao sentir algo frio tocar os seus lábios, e ao abrir os olhos notou que era uma espécie de sorvete roxo caseiro, Amber estava lhe dando uma colherada daquele alimento com um sorriso animado.

— Junmyeon disse que é açaí, eu provei e confesso que adorei. — ele então provou e adorou também tomando a vasilha para si, devorou o açaí rapidamente ficando com a boca toda suja. — Vejo que também adorou. — ele olhou ao redor e notou que estavam de volta a casa na árvore.

— Yixing e Baekhyun saíram para conhecer a floresta com o Junmyeon, vamos ficar nós três cuidando da casa. — disse Chanyeol aparecendo na porta do quarto, Amber estava sentada na janela enquanto Jongin terminava de comer sentado na cama.

— Yeol, me responda uma coisa.

— Fale.

— Baekhyun disse que eu não poderia beijar os lábios ou pescoço de vocês, porque vocês sentem malícia. — Jongin engasgou com o açaí e o maior desviou o olhar mordendo o inferior, amaldiçoava Baekhyun mentalmente. — Ele fez mal em me contar?

— Por convivermos muito com os humanos acabamos ficando como eles, disso você já sabe. — ela assentiu e ele se aproximou segurando na mão dela, como um adulto explicando algo para uma criança e fosse um assunto delicado. — Humanos precisam se reproduzir, então eles... 

— Mostra pra ela logo um pornô, assim ela vai entender porque o Baekhyun disse aquilo. — interrompeu Jongin limpando a boca. — Mas basicamente, só beijam nos lábios os casais e beijo no pescoço pode nos fazer querer reproduzir a cena. — enquanto ele explicava Chanyeol digitava no celular, estava nervoso e extremamente envergonhado, entregou o objeto para a mais nova e Jongin não conteve o riso ao ver a expressão curiosa e as caretas que fazia. Na mente de Amber, os gemidos eram por ela estar sentindo dor e o rapaz estava a machucando, Chanyeol acabou por sorrir achando a cena fofa e engraçada. 

— Vocês querem me machucar, que tipo de criatura se tornaram? — e Jongin caiu no chão de tanto que riu ao ouvir aquela frase, Chanyeol cobriu o rosto não acreditando no que tinha acabado de ouvir e segurando para não rir também. — Depois disso eu vou fazer o que o Baekhyun pediu. — entregou o celular para o fogo e ele descobriu o rosto.

— Ela não está sofrendo Amber, ela está sentindo prazer.

— Tipo quando o Jongin provou açaí?

— Mais intenso do que isso. — respondeu e ela assentiu, estava extremamente curiosa. — Agora eu já volto, se precisarem de algo estarei no banheiro.

— Pervertido! — gritou o teleporte e o fogo mostrou o dedo do meio saindo em seguida. — Ele está nesse momento querendo fazer o mesmo do vídeo, mas como não pode ele está fazendo outra coisa que vai lhe dar um pouco de bem estar.

— Humanos são tão curiosos e diferentes.

— Não é atoa que nós acabamos preferindo ficar entre eles. — sentou-se ao lado dela e sorriu. — Mas eu trocaria a humanidade inteira para voltar para a nossa casa, não porque irei ter tudo o que eu desejo, porque é lá onde pertenço. — ela não respondeu, apenas o puxou para um abraço apertado.

— Chanyeol vai demorar muito?

— Ah... Eu acho que não. — fez uma careta só de pensar no irmão se tocando no banheiro, mas logo tratou de pensar em outra coisa para não dar a chance de Amber se traumatizar ao ler seu pensamento.


***

 

Yifan estava com um péssimo humor e para piorar, o local que estavam hospedados não era dos melhores e o motivo era simples, não queriam chamar a atenção dos humanos que viviam ali por perto, principalmente os criminosos. Zitao não estava alegre, mas não demonstrava por tentar manter Yifan o mais calmo possível, sentia um carinho muito forte por ele apesar da forma em que era tratado.  Antes agia como um pai e até o repreendia, mas depois da perda de Lu Han ele ficou fragilizado e submisso, alvo fácil para Yifan manipulá-lo e usá-lo como queria.

— Eu acho que você deveria parar de ser tão submisso. — disse Krystal, era uma garota que conseguiu encantar Yifan por ser uma bruxa, e assim como o tempo e o dragão ela era incapaz de envelhecer como os seres humanos.

— E eu acho que você deveria cuidar da sua vida. — ela suspirou e se aproximou segurando no rosto do mais velho, ela odiava a forma como Yifan o tratava e tentava de todas as formas o convencê-lo a parar, mas infelizmente sua magia não era capaz de tocá-lo. A treva tinha se tornado parte de Yifan, como o oxigênio era para os humanos e ela que o mantinha ainda vivo, nada nem ninguém até o momento era capaz de derrotá-lo.

— Com a mesma rispidez que me responde, poderia responder assim ao Yifan. — sorriu fraco, sentia uma forte atração por Zitao mas mantinha isso em segredo. — Custa você mudar só um pouquinho pelo seu próprio bem?

— Existem coisas que você não entende, por mais que eu tente explicar.

— Será que não? — existia um brilho que o tempo reconhecia, mas há muito tempo tinha perdido, esperança.

— Não insista que não irei contar. — ele não conseguiu se afastar, não por feitiço e sim por se sentir atraído por ela fazia um tempo.

Quando Amber estava presa, Yifan notou que precisaria de ajuda com as vendas das drogas, então percorreu as ruas a procura de alguém que se encaixasse no padrão que ele procurava. Encontrou Krystal dançando em uma boate, a mesma que Baekhyun veio a trabalhar tempos depois, ela usava da magia para conseguir todo o dinheiro e mantê-los afastados de si. Isso foi o suficiente para Yifan recrutá-la, e nem precisou dizer muito para conseguir isso. — Agora vá, Yifan deve estar precisando de você.

— Duvido muito, mas farei o que pediu. — beijou a bochecha dele e o soltou saindo em seguida, não viu mas o mais velho sorriu fraco colocando a mão sobre a bochecha.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...