História A Filha de Albus Dumbledore - Capítulo 24


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Aberforth Dumbledore, Alastor Moody, Alvo Dumbledore, Gellert Grindelwald, Harry Potter
Visualizações 70
Palavras 1.668
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 24 - Floresta proibida



Cap - 024 - Floresta proibida ××××××××××××××

___ Vocês estaram fazendo sua detenção com Hagrid está noite. Ele tem um pequeno trabalho na floresta proibida - disse Filch parando em frente a Hagrid - oh meu bom Merlin. Voce ainda esta se lamentando por aquele dragão? - perguntou Filch

___ Norberto se foi, Dumbledore o mandou-o ir morar com uma Colônia - disse Hagrid, Aylla se lembra o quanto ele chorou quando seu pai lhe deu a notícia e Albus lhe deu alguns tapinhas nas costas para confortá-lo

___ Bem, isso é bom, ele estará com sua própria espécie - disse Hermione

___ Mas e se ele não gostar da Romênia! - exclama Hagrid e filch revirou os olhos - e se os outros dragões forem mal para ele? Afinal de contas ele é só um bebê

___ Oh, Meu Merlin, homem, se recomponhar, você estará entrando logo na floresta - disse Filch

___ A floresta? Eu pensei que fosse uma piada! Não podemos ir lá, estudantes não são permitidos. E tem - malfoy começou e todos ouviram um uivo - lobisomens.... - ele terminou

___ Há mas do que lobisomens naquela floresta, Garoto. Voce pode ter certeza disso - disse Filch e draco ficou mas assustado - boa noite - ele disse antes de volta apra o castelo

___ Certo, vamos - disse Hagrid e começou a andar em direção a floresta proibida. Eles andaram e de repente Hagrid parou em uma poça de sangue de unicórnio - Vejam isto - ele disse enquanto se agachava - é sangue de unicórnio. Eu achei um morto uma semana atrás. Mas este está ferido por algo maléfico e é nosso trabalho acha o pobre animal - Hermione e Rony, vocês vêm comigo- disse Hagrid - Harry, Malfoy, vocês vão com Aylla

___ Mas o Canino vem conosco - exigiu draco

___ tudo bem, mas só para você sabe, ele é um medroso - afirmou Hagrid e canino choramigou

××××××××××××

___ Epsera até meu pai, sabe sobre isso - disse malfoy reclamando pela centésima vez. Ele ouviu um uivo e automaticamente segurou a mão de Aylla fazendo a garota fica da cor de seus cabelos, Malfoy olhou para as mãos entrelaçadas e rapidamente a solto com um leve rubor nas bochechas

___ S seu não soubesse melhor, Draco, eu diria que você está com medo - disse harry não tendo visto a cena das mãos entrelaçadas

___ Cale-se potter - recutrou malfoy e se virou quando ouviu um barulho- você ouviu isso? - ele perguntou e os dois balançaram a cabeça

" Não se preocupe Aylla, se você morre eu morro também" disse Salazar e Aylla fez uma cara tipo; ' Oque?'

" isso era para me confortar?" Perguntou Aylla mas não recebeu resposta

Eles continuaram andando e canico parou e rosnou

___ Oque é canino? - perguntou Aylla, as três crianças olham para a frente e viram uma figura encapuzadas com um unicórnio morto abaixo de si

___ Ahhhh - gritou malfoy e saiu correndo com caniço atrás de si, Aylla orfegou e agarrou a sua cicatriz e harry fez o mesmo, a figura se aproximou e Aylla retirou sua varinha ignorando a dor em sua testa

___ Reducto! - ela exclamou o feitiço mas a figura conseguiu desviar fazendo o feitiço acerta nas árvores, deixando 5 delas explodissem e virarem pó, a figura avançou em harry que estava de joelhos com uma mão na sua testa, Aylla rapidamente se jogou na frente e recebe um corte no ombro, e rolou com harry pelo chão, logo um centauro apareceu e lutou contra a figura que recuou, quando ela desapareceu o centauro se virou para os dois garotos, Aylla estava em cima de harry com as mãos ao lado da cabeça dele em uma forma protetora; vendo que o perigo tinha ido embora, ela rolou e se deitou de barriga para cima com uma cara de dor

___ Harry Potter, Aylla Dumbledore - disse ao centauro - vocês devem ir embora, a floresta não é segura neste momento. Especialmente para vocês dois

___ do que foi que nos salvou ? - perguntou harry se levantando

___ Uma criatura mostrosa. Matar um animal tão puro quanto um unicórnio faz quem bebe de seu sangue pode salva-lo da morte. Mas este leva uma vida amaldiçoada - ele disse

___ Quem escolheria tal vida - perguntou harry

___ Você pode pensa em alguém? - perguntou o centauro

___ Voldemort - disse Aylla se sentando enquanto agarrava seu ombro ferido

___ Você sabe que está escondido no castelo neste exato momento? - perguntou o centauro

___ A pedra filosofal - disse harry e Aylla juntos

De repente se ouve um latido de cachorro, ele olharam para trás para vê Hagrid, Malfoy, Hermione e Rony

___ Aylla! - gritou Hermione vendo o sangue na camisa da amiga

___ Olá firenze, eu vejo que você já conheceu o Sr. Potter e a Srta Dumbledore - ele disse e se virou para os garotos - vocês estam bem, harry, Aylla? - ele examinou Aylla e viu o sangue na blusa da garota, Aylla e chegou alguns pontinhos pretos em sua visão - Aylla? Oque aconteceu? - perguntou preocupado

___ Nada - aylla disse e fechou os olhos com forças e voltou a abri-los na esperança de sua visão volta a normal, Ela se levantou com a ajuda de Hermione e se apoiou na garota

___ Harry Potter, Aylla Dumbledore, devo deixa vocês agora. Vocês estam seguros - Firenze os disse e saiu.

___ Aylla devemos ir para a ala hospitalar, você está sangrando muito - disse Hermione preocupada

___ Não! Está tudo bem... - aylla disse meio fraca e se sentiu mole e tudo ficou escuro

___ Aylla.... Aylla... - os chamados dos quatros ficaram foi a última coisa que ela ouviu

×××××××××××××××

___ Ela vai fica bem? - perguntou Albus sentada ao lado da cama da filha

___ Por pouco sim, se Hagrid não a trouxesse a tempo o veneno iria se espalhar pelo seu sangue - disse pompy enquanto Severus segurava uma garrafa de porção antídoto agora seca que ele tinha preparado rapidamente para Aylla.

___ É o corte - perguntou Albus segurando a mão meio gelada da filha

___ Bom, o corte foi profundo mas com algumas porções poderá cicatrizar e logo desaparecerá com o tempo - disse pompy, ter saiu do ombro de albus e pulou para cima da cama de Aylla, ele cutucou suavemente a bochecha da garota.

___ e você tem previsão de que dia ela possa acorda? - perguntou Albus

___ O veneno infertou completamente suas células, vai se sorte de ela acorda daqui a 3 dias - respondeu Snape com uma cara de indiferente, Albus assentiu e depositou um beijo na testa da filha.

Na hora que Aylla desmaiou o castelo reagiu e Albus soube que sua filha estava com problemas, ele saiu correndo de seu escritório e no meio do caminho encontrou o trio de ouro que tinha ido para lhe avisa que Aylla estava na Ala hospitala. Ele ficou muito preocupado quando viu sua filha completamente pálida e gelada, mas pompy e severus foram rápidos, enquanto Severus preparava um antídoto pompy fechava o sangramento da menina. Foi muita sorte Aylla não te morrido e Albus pode suspira de alívio naquele dia. E ficou muito pensativo que o castelo tenha reagido quando Aylla estava para morre e Albus pode senti uma parte dos encantos do castelo se rachando.

×××××××××××

Quirrel ficou parado em frente a cama de Aylla, ele levou as mãos ao pescoço da garota e quando estava presto a fecha-los a voz ordenou.

___ Não Faça isso! - a voz rouca ordenou e intastanhamente Quirrel recuou

___ Por que não? Mestre - perguntou Quirrel confuso

___ Tenho planos para ela e não quero que ela morra... - Voldemort respondeu e Quirrel assentiu e saiu da ala hospitalar para da de cara com dumbledore.

___ Professor Quirrel - disse Albus calmamente - oque faz aqui?

___ E-eu.. eu..eu... E-estava vendo se a-algum aluno... está fora da cama hehehe - gaguejou Quirrel

___ Eu vejo... Mas oque veio fazer na Ala hospitala?

___ Eu vi... uma L-luz.. e só vim revista... - ele Guagueja, Albus sabia que era mentira, mas finju  acredita quando exibiu um sorriso - M-mas eu já estou indo, B-boa noite professor

___ Sim, Sim, tenha uma boa noite - Albus disse e Quirrel sumiu pelo corredor. O diretor foi até Aylla e a viu dormindo calmamente.

Ele conjurou uma cadeira e se sentou vigiando o sono da filha.

××××××××××××××

Era exatamente 4:30 da manhã quando Albus acordou, ele olhou para cama de Aylla para não a ver ali. Ele rapidamente se levantou alerta

"Onde ela está?" Ele se perguntou mentalmente e rapidamente saiu da ala hospitala andando pelos corredores para encontra Aylla olhando as estrelas no parapeito e se surpreendeu por ela já está acorda, já que severus disse que poderia acorda só daqui a três dias ou mas.


___ Aylla..? - ele chamou e a garota se virou para olha-lo

___ Professor dumbledore

___ Oque está fazendo aqui? - ele se aproximou

___ Nada - ela respondeu

___ Você não deveria está aqui - ele disse - venha temos que volta a ala hospitalar, ou Pomfrey irá te encarcerar - aylla sorriu e voltou para a ala hospitalar.

××××××××××××××××××

No outro dia, pomfrey trouxe um café da manhã saudável e fez Aylla comer, a tarde o trio de ouro veio visita Aylla. Onde disseram que Hagrid lhes disse que precisava tocar música para passa pelo fofo e que ele contou isto para o estranho.

___ Precisamos fala com dumbledore, imediatamente - disse harry

___ Professor dumbledore não esta aqui harry, ele recebeu uma coruja do ministério e foi direto para Londres - respondeu Aylla 


___ AGORA OQUE FAZEMOS ?! - exclama Rony desesperado

___ Nós descemos o alçapão hoje a noite - disse harry e Aylla concordou assim como os outros.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...