História A Filha de Kakashi Hatake - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Akamaru, Anko Mitarashi, Danzou Shimura, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hanabi Hyuuga, Hashirama Senju, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kabuto, Kakashi Hatake, Kiba Inuzuka, Kurama (Kyuubi), Kurenai Yuuhi, Kushina Uzumaki, Madara Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Nagato, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Obito Uchiha (Tobi), Orochimaru, Pain, Rin Nohara, Rock Lee, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Temari, TenTen Mitsashi, Yamato, Zabuza Momochi, Zetsu
Tags Kakashi
Visualizações 53
Palavras 1.187
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura.

Capítulo 12 - Reencontro desagradável com a serpente.


– Não sei não, Mizuki. Lá deixou de ser meu lá... A um bom tempo. – ele não me encarava, mas podia sentir a tristeza em sua voz.

– Então você vai me deixar sozinha lá? – choraminguei.

– Seu Pai mora lá, Irritante! – ele falou revirando os olhos.

– Aaah Vai! Então tu vai voltar para o Orochimaru, entregar seu corpo/alma para ele? – falei irônica.

– Acha mesmo que eu vou fazer isso? – perguntou como se fosse óbvio.

– Ah sei lá...

– Olha só, Hatake, eu tenho uma vingança para comprir, respeito a sua decisão de querer ir para Konoha, mas eu não posso, não agora... – Ele falou com seu típico semblante sério.

– Ok, tudo bem. – falei com um olhar baixo – Mas se você voltar algum dia para Konoha, saiba que te receberei de abraços abertos.

– Eu sei, Irritante. – ele rio da minha cara, e me puxou para mais um abraço, na qual eu correspondi.

Parecia que a gente nunca mais iria se ver, não queria deixá-lo volta para Orochimaru, mas era escolha dele.

– Idiota! – xinguei.

– Tenho que ir... Aliás quer que eu te leve para Konoha? – acenti que não, ele me soltou do abraço e deu dois passos para frente mas parou – Eu vou sentir saudade, Irritante. – ele falou antes de sair.

Isso foi quase um "eu te amo" vindo do Sasuke! 

Entrei de volta, e fui para o quarto que eu estava antes. Harumi estava lá cuidando de algumas flores.

– Desculpa pelo o Sasuke. Ele é um insensível.

– Tudo bem. – ela falou com sua voz doce.

Eu apenas me sentei na cama novamente, não sabia oque diabos iria fazer.

Eu nem sei mais oque chamar de lar! Puta que pariu! 

Não deu tempo nem eu respirar direito. O sino tocou mais uma vez, mostrando que mais uma pessoa tinha chegado, Haruki dessa vez não correu. Ela olhou para o calendário e arregalou os olhos.

– Oque ouve? – perguntei.

– Oro-Orochimaru... – ela tremia.

Oque essa cobra descascada estava fazendo numa floricultura?

– Fique aqui! Quem vai atender ele, serei eu! – falei antes de ir mais uma vez para a floricultura encontrando aquele psicótico que eu tanto conhecia.

Quando ele colocou os olhos em mim, abriu um sorriso de orelha a orelha.

– Que surpresa encontrei aqui! – ele se aproximou de mim – Como vai filha? – ele tinha um sorriso vitorioso no rosto.

Meu sangue fervia, a vontade de fazer ele engolir sua própria língua, dominava o meu ser!

– Cai fora daqui, ou eu juro que acabo com você! – falei entre dentes.

– Isso é jeito de tratar um cliente? – ele falou com todo o seu sarcasmo. 

– Aliás, oque você está fazendo aqui? – perguntei com o semblante sério.

– Como você mesmo sabe, ainda estou trabalhando naquele esperimento. Sendo assim preciso de flores especiais, querida – ele explicou calmamente.

– Que pena, tá fechado por hoje! Ou você se retira por bem, ou eu mesma retiro você por meio da porrada! – meu linguajar tá ficando mais estranho a cada dia, eu hein. 

Aquela serpente soltou uma risada asquerosa, típico dele. 

– Minha menina cresceu, com anda esses seus olhos escarlates? 

Cara patético, puta que pariu.

– Orochimaru, eu vou falar mais uma vez. Se retire desse estabelecimento! Tô pedindo na boa. – eu falo com toda a paciência que eu não tenho. 

– Tudo bem, não quero confusão. – ele anda até a porta e para por um momento – Cuidado com suas decisões, filha. – ele sorriu e saiu.

Tomara Que ele morra engasgado com sua própria língua! 

– Não acredito! Ele foi embora? – Harumi perguntou incrédula ao entra na sua própria floricultura.

– É oque parece, né... – respondi o óbvio.

Ela me encheu de perguntas nas quais eu me limitava a responder "amham" "Não sei" "Não ligo".

Ela me mostrou um pouco mais da sua floricultura e era nela que nós duas se mantemos conversando. 

Vocês devem está se perguntando o porquê de eu ainda não está voltando para Konoha.... A resposta é a seguinte: eu não sei se volto para lá.

Exatamente isso! Acho que não sou uma pessoa de ficar apenas em um lugar só. Passar o tempo fora como estou fazendo esses últimos dias, vem me fazendo descobrir novas coisas.

Não que eu não goste de Konoha! Nada disso. Eu só quero me encontrar de verdade!

Sei que Kakashi não merece isso, mas ele deve pensar que a filha dele está morta nesse exato momento, e talvez seja melhor assim...

Ele me prometeu uma vez que me protegeria de tudo... Só que eu não preciso dessa proteção, eu não preciso ser salva, talvez oque eu precise seja o contrário. Talvez eu precise me perder para encontrar alguma vocação, ou sei lá, algo que me faça ser mais eu! Estou sentindo que estou perdendo a minha essência.

– Hey! – Harumi falou elevando sua voz.

– Oque? – acho que ela falou algo sobre a vila dela, mas eu estava inerte nos meus pensamentos.

– Você anda muito no mundo da lua, algun problema? – ele perguntou curiosa.

– Harumi... Como você descobriu que gostava tanto de flores? – perguntei inocentemente.

– Ah, bem... – ele pareceu pensar um pouco, antes de responder – Quando eu era mais nova, minha avó tinha uma estufa com variáveis tipos de flores na qual ela amava. Depois que ela morreu, eu prometi que cuidaria das flores por ela! Mas não é que eu pego o jeito com a coisa! Eu simplesmente me apaixonei por elas, pelos os seus significados, e tudo mais que as envolve. – ela sorria enquanto falava, algo que me fez arrancar um sorriso também.

– Não tem vontade de expandir sua loja para o centro da vila? Aqui é tão... Deserto... – falei selecionando bem as palavras.

– Na verdade já pensei nisso várias vezes, mas não acho que o barulho da movimentação de uma vila cheia de gente, possa fazer bem as minhas flores. – ela respondeu prontamente.

– Ah mas...... – eu ia terminar de falar, porém senti um Chakra diferente. Não só um, mas dois chakras diferentes na qual eu não sentia a algun tempo.

– Oque foi? Termine! – ele arqueou a sombrancelha.

– Obito.... Kakashi? – minha voz inaudível saiu mais baixa do que eu queria.

E como um comprovante, o sino da porta soou, anunciando a chegada de mais alguém. Eu sabia muito bem quem acabará de entrar pela a aquela porta, e sabia que também que nesse exatamo momento estou sendo observada pelos os dois corpos masculinos bem atrás de mim. 

– Filha? – a voz angustiada de Kakashi se fez presente no local.

Harumi congelou o olhar em algo atrás mim, eu sei que ela estava encarando eles. Ela com certeza já juntou as pessas e sabe mais ou menos do que está acontecendo. Tanto que ficou calada na sua, apenas a observar.

Me virei devagar, me deparando com eles, para ter mais uma certeza que estavam ali mesmo, de carne e osso.

É claro que Kakashi não se contentaria até me encontrar, estando morta ou não.

Kakashi estava logo a frente, Obito um pouco atrás, me olhando como se estivesse pedindo desculpa. Meu olhar focou no Albino a minha frente, que eu tanto me assemelhava.

– Pai? – e por puro estinto me dirigi a ele com esse sobrenome, que talvez em épocas passadas nunca pensaria sequer em pronunciar, pelo o menos não para ele.


Notas Finais


Capítulo pequeno e meio aleatório, eu sei. Eu sei.

Estou tentando retratar mais a personalidade de Mizuki e andar um pouco mais rápido com a história, afinal não vai ser tão extensa.

Espero que tenham gostado, nós se vemos no próximo capítulo. ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...