1. Spirit Fanfics >
  2. A filha de Satã >
  3. Akuma x Rin

História A filha de Satã - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


espero que gostem da pequena extensão das habilidades físicas da Akuma, já que foi uma luta bem boba porque o Rin ainda não tem muita noção de confronto corpo-a-corpo, mas vai melhorar.


muito obrigada pela atenção e espero que gostem 💕

Capítulo 4 - Akuma x Rin


Todos estavam reunidos na extensa sala de treinamento físico da Academia Vera Cruz, que possuía um enorme círculo profundo no meio para acontecerem as batalhas. Os oito estudantes estavam reunidos logo acima, na parte alta da quadra, para receberem ordens e instruções do treinamento.

— A única regra é não se matarem — disse a nova professora Shura Kirigakura — De resto vale tudo.

Os jovens arregalaram os olhos, mostrando um leve assombro em suas expressões.

— C-como é? — exclamou Izuku.

— Se vocês acham que demônios darão alguma abertura ou sentirão pena de vocês na hora H, vocês são mais inocentes e idiotas do que eu imaginei  — zombou a professora.

— Argh — arfou a garota.

— Atenção aqui, pessoal — começou Yukio — Quem quer começar para mostrar como se faz, hein? — disse ele rindo.

Akuma levantou a mão.

— Eu adoraria começar — disse ela calmamente — Mas, como eu sou nova aqui e tudo, eu posso escolher meu oponente?

Yukio encarou a garota com um ar de orgulho pela atitude nobre da garota de se oferecer para ser a primeira mesmo sendo apenas uma novata.

— Claro, Akume — disse ele — Quem você escolher para ser seu oponente?

— Eu escolho o Rin. — disse ela abrindo um sorriso malicioso.

Todos arregalaram os olhos e encararam a garota seriamente. Eles sabiam dos poderes de Rin.

— Você não quer escolher outra pessoa? — perguntou Shura, preocupada com o que poderia acontecer com a jovem se seguisse em frente com a decisão.

A garota sorriu.

— Acho que dou conta — sorriu ela.

— Eu não vou machucá-la — disse Rin para Shura, se aproximando e cochichando mais alguma coisa em seu ouvido.

 — Certo. Vão para o centro dentro da quadra. — disse Shura com ar de preocupação.

Rin assentiu e escorreu até o centro fundo da quadra.





Akuma estava virada de costas para o campo de batalha com um enorme e brilhante sorriso estampado em seu pálido rosto. Havia chegado a hora.

A garota se virou e encarou o caminho a sua frente, avistando Rin, que a observava ao longe com um tímido e discreto sorriso.

— Rin e Akuma, para o centro! — gritou Yukio ao longe por um megafone com a tinta descascada.

Os dois assentiram e começar a caminhar, um em direção ao outro até se sentirem barrados pelo círculo mágico pintado no chão, feito para impedir que Rin utilize suas chamas e feito para impedir qualquer manifestação mágica possível.

Quando Akuma se deu conta, ela já estava frente a frente do garoto, que a observava. Ele estava com ar de superioridade.

— Caso eu seja muito agressivo com você, é só pedir que eu paro — riu ele maliciosamente com uma de suas sobrancelhas arqueadas.

— Podem começar! — ecoou o grito de Yukio, juntamente de um tiro.

Akuma olhou para trás para encarar Yukio ao longe e voltar seu olhar para Rin, com um enorme sorriso brilhante em meio à seus lábios.

— Não será necessário — disse ela antes de fechar os punhos, chamando Rin para cima.

O garoto entendeu o recado e se aproximou correndo rapidamente, movimentando seus punhos que cortavam o ar com velocidade mas pouca precisão, que Akuma desviava malditamente bem.

Rin estava ofegante e com os olhos arregalados em expressão de surpresa. Aquela garota era rápida em se esquivar.

Percebendo a brecha, Akuma se atirou no chão e deslizou rapidamente até os pés do garoto, dando-lhe uma rasteira certeira que o fez cair de costas.

A garota se levantou com um pulo e se aproximou, chutando o corpo caído do rapaz.

— Esse foi um dos meus piores golpes, levante-se e lute com sua honra. — disse ela, observando o garoto arfar e se levantar com dificuldade.

Rin estava incrédulo e precisava pensar. Ela era uma oponente forte e ágil, que possuía técnica. Como ele iria acertá-la?

O garoto mirou um soco em direção ao rosto da garota, que se abaixou e fechou um de seus punhos na boca do estômago do rapaz, fazendo-o perder o ar e voar contra a parede.

— Rin! - gritou Shiemi desesperadamente.

O rapaz ainda estava consciente e se levantou, indo em direção à garota. Por mais que ele não tivesse noção de técnicas de luta, como demônio ele era forte e resistente. Mas não o suficiente.

Rin encarou Akuma com ódio em seu olhar, fazendo a garota rir de sua expressão adorável de raiva.

— Eu te dou uma chance de me derrubar se quiser, Rin — disse a garota em meio aos risos — Isso já tá patético o suficiente.

O garoto se atirou como bala em direção à garota que o provocara, agora com mais ódio em seu olhar, a batalha estava ficando pessoal.

— Eu não preciso da sua piedade! — gritou ele enquanto tentava desferir golpes no estômago da garota, que desviou dos golpes com um único salto que fez o garoto perdê-la de vista.

A garota estava a centímetros de sua cabeça e no ar pegou impulso e acertou um chute com força na nuca, que o fez cair de frente e arrastar o rosto no chão de concreto.

— Akuma! Já deu! — gritou Yukio correndo em direção ao irmão — Rin!

O garoto tentou se levantar, sem sucesso. Ele apenas fazia movimentos com dificuldade no chão, tentando se arrastar e puxando o oxigênio com força. 

— E-eu… Eu não vou… perder — disse o garoto em meio a suas tentativas falhas de se levantar.

— Você já perdeu, Rin-san — disse ela chutando forte seu órgão no meio de suas pernas, fazendo o garoto urrar de dor e lacrimejar.

— Acho que já deu mesmo — disse a garota se afastando e escalando as paredes para chegar ao topo onde inicialmente estavam.

Yukio e Shura chegaram para checarem o garoto que rolava de dor no chão com as mãos logo acima de seu órgão externo agredido.

— Vamos para a enfermaria — disse Yukio levando o irmão nos ombros para fora da quadra.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...