História A filha de um anjo-(Miguel) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias The Spirit
Personagens Personagens Originais
Visualizações 3
Palavras 1.908
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Mistério, Sobrenatural
Avisos: Álcool, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Essa é minha primeira fic e me perdoem se tiver algum erro.

Espero que gostem❤

Capítulo 1 - Capitulo 1


Fanfic / Fanfiction A filha de um anjo-(Miguel) - Capítulo 1 - Capitulo 1

Meu nome é S/N, tenho 19 anos e moro em uma cidade, vulgo é chamada de Beverly Hills. Meus pais? Eles se separaram quando eu tinha 6 anos de idade, desde então, minha mãe trabalha em uma confeitaria perto de casa, ela ama fazer bolos, mas a única coisa que ela odeia é seu chefe, que além de ser mandão e chato, é um homem muito idiota. Mas tirando isso ela ama seu trabalho. Meu pai? Bom, eu não sei muito sobre ele, pois minha mãe nunca falou muito sobre ele pra mim, aliás, ela deve odia-lo por nos deixar. Ela sempre fica com raiva quando pergunto dele. Mas com o tempo, não pergunto muito, só às vezes. Enfim... 


Deitada em meu quarto, estava a espera de que a hora passasse, para mim ir pro colégio. Tenho umas coisas para resolver com o direitor, ele com certeza me odeia como todos os outros do colégio. Tsc, irônico. Não!


Já é quase 12:30, devo me arrumar rápido. Tomo meu banho e ao termina-lo, me enrolo na toalha, saindo do banheiro indo direto para o guarda roupa e visto uma cauça preta rasgada no joelho, uma blusa curta com mangas grandes e calço um tênis preto, faço uma maquiagem básica, meu cabelo faço um coque solto mesmo. Me olho no espelho e falo:


-Estou pronta -Falo ao me olhar no espelho. 


Saio de minha casa indo direto para o colégio. Ando quase 6 quadras até chegar no colégio dos pertubados. E ao chegar, me deparo com uma de minhas "inimigas,elas não gosta de mim e eu não gosto delas, já que por causa delas eu fui suspensa duas vezes, passo por elas bem rápido, mas ouço uma risada baixa de uma delas, eu queria voltar para perguntar o motivo delas riem de mi, mas eu não queria berar esse tipo de gente, então continuei a anda.


Fui até o escritório do direitor, e lá estava ele rindo feito palhaço, ele me vê e manda eu sentar. Fiz o que ele mandou e começamos a conversar sobre minha volta ao colégio pois eu tinha sido suspensa. 


Direitor - Bem.. S/N agora que você voltou para o colégio queria te pedir um favor. - Ele fala segurando minha mão. 


S/N - Que tipo de favor- tiro minha mão da dele, o olhando feio como sempre.


Diretor- Quero que você pare de implicar com as meninas.- acho que ele ficou maluco. - você consegue fazer isso? - ele me pergunta com um olhar estranho.  


S/N- Eu não implico elas..olha senhor direto, só porquê eu sou pobre e não tenho uma boa nota e tals, não significa que você tem que me tratar assim. E tem mais, isso não quer dizer também, que todos do colégio tem que pisar em mim. -Acho que por falar assim com ele vou ser expulsa novamente.


Diretor- Eu não trato você da forma que você pensa.. Eu gosto de você 

S/n, mas sua falta de educação com todos estão deixando todos aqui afastados de você. - faz cara feia. 


Ele não sabe de nada da minha vida ele nem se importa com nada. Mas em certo ponto ele esta certo. Agir com falta de educação nao me ajuda em nada.


S/N- E quando eu ajo com educação todos me insultam, fazem piadinhas sem graça e tudo mais. Eu tô cansada disso. Ja tivemos essa conversa. E é so isso? Eu tenho que agir como uma aluna perfeita e deixar tidos pisarem em mim?-questiono ironica. 


Diretor- Espero que fique bem, não faça nenhuma besteira agora que voltou para o colégio.- me ignora. Revironos olhos me levantando.


Saio dali com pressa. Sinto que minhas lágrimas irao descer, ja que meus olhos ardem e minha garganta tem um nó. Vou para o banheiro lavar meu rosto, porque já estava chorando sem querer. 


Quando eu ia sair do banheiro, as luzes começou a piscar, achei que era só problemas normais, mas algo estranho começou a sair do tubo de ventilação, era como uma fumaça negra, sai correndo de uma vez pra bem longe daquilo eu não ficaria ali esperando aquilo vim até mim.


Vou para sala e a professora já tinha começado a aula de espanhol, já estava louca para que a aula terminasse logo, as horas não passava rápido e aquilo me dava uma agunia estranha. Meus braços começava à se arepiar do nada, parecia aqueles filmes de terror. Isso me dava medo. Finalmente o sinal toca e vou poder ir comer no refeitório, apesar de que lá vive todos os seres humanos chatos e ridículos dessa escola. 


Peguei minha comida e fui me sentar, estava muito bem sozinha, até chegar um ser humano esquisito perto de mim, ele não era feio, e deve ser novo, ele vem até mim é pergunta meu nome, mas eu não respondo. Ele se senta e tenta tira alguma palavra de minha boca mas acho que isso não vai da certo. 


***-Você não fala muito neh -Eu juro se ele não sai daqui eu vou taca essa bandeija na cara dele.- Eu sou novo aqui e ainda não fiz nem um amigo, eu pensei se eu viesse aqui nois... -Ele foi interrompido. 


*** - Ela não que ser sua amiga. -Diz o cara tirando o outro cara da minha mesa. 


Uma coisa eu digo "Não vou me meter na briga deles eu nem sei porquê eles estão discutindo". Eu saio dali porque não aguentava ver todo mundo me olhando. Povo ridículo. AFF.. 


Entrei para sala e lá estava um cara estranho conversando com a professora, me sento e abaixo a cabeça. Eu ouvia toda conversa deles levantei um pouco a cabeça e olhei para aqueles dois seres ali. Os olhos deles estavam meio estranhos, pois estavam escuros, será que eles estão usando lentes nos olhos e as cores são pretas? Fiz essa pergunta a mim mesma. 


Todos entraram para a sala quando o sinal tocou, e ao olhar para a professora, o homem tinha ido embora sem eu perceber. Era estranho, os olhos dela já não era mais preto, tem algo de errado nisso, espero não ta vivendo um filme de terro rsrs. Ou eu deva estar mesmo ficando louca. 


[•••] Quebra de tempo... 


Todos já tinha indo embora, menos eu e uns outros colegas de sala, pois a professora disse que nois tinha que fazer algo primeiro para ela, achei bem estranho isso porque ela nunca pediu isso para ninguém. 


***-Professora porque nois não pode ir embora? -Pergunta o garoto que senta na minha frente. 


Professora- Hoje termos duas visitas. -diz a mesma olhando pra mim, isso foi de arrepiar. 


*** -Quem são essas pessoas? -Pergunta a garota do meu lado. 


Professora- Vocês vão ver. 


Passou um minuto e essas pessoas que a professora disse já chegava na sala como se mandasse ali. Um deles já chegou dizendo:


***-Quem aqui quer ser o primeiro? -ele pergunta ansioso para quem vai responder algo que nem eu tava entendendo. 


Professora- Vamos crianças, ele fez uma pergunta. 


***- Esquece eu vou escolher- dis o cara indo até a Danny uma colega de clase. -Você vai servir- a garota não tava entendedo nada, muito menos eu. 


Danny- O que... Espera.. Prof.. - a menina foi enterompida com algo negro saindo de uma boneca. 


S/N- Espera eu ja vi isso antes- Falo baixo pra ninguém escutar.- Uma fumaça negra como essa... Humm. - Eu me assusto com uma mulher pegando em meu braço, ela era forte, ela me puxa e meu braço começa a dor. 


*** -Essa é a proxima -Diz a mulher. 


***- Você me parece famíliar.- Diz o homem a me olhar com seus olhos negros. 


Ele tira uma outra boneca da sacola e começa a dizer palavras que eu não tava entendendo. Os alunos estavam com medo, eles não fazia ideia do que tava acontecendo. 


Aquele homem tinha terminado de fazer seu voodu, era o que parecia, e meu corpo começava amolecer meus olhos só enchergava o escuro. 


(Ela desmaiou) 



Flashback on



Minha mãe estava tão contente que seu sorriso iluminava tudo ali, após a mudança, ela prometeu nunca me abandonar, eu amava ela muito e eu não consigo ficar longe dela, ela me protege de quem quer me fazer mal e eu também a protejo mesmo tendo só 6 anos. 


Eu sai para fora de casa para achar meu cachorrinho, ele tinha ido pra mata e lá é muito perigoso, caminhei até uma árvore e lá estava ele pulando e latindo com alguma coisa, ao olhar para cima, algo de olhos vermelhos, com seu pelo totalmente pretos como a noite, tinha pulado para cima de meu cachorro, eu sai correndo chorando e gritei varias vezes minha mãe, mas ela não escutava minha voz, já estava esgotando, até cair no chão e ao olhar para o lado não havia aquela coisa. Ela já não estava mais me perseguindo. 


Me levanto do chão, olho para cima e o céu estava escuro, não havia mais estrelas, a lua tinha sumido, as árvores tinha sumido, minha casa também, tudo ao meu redor tinha sumido. Ouço uma voz chamando por mim, eu olhava para todo lado mas não havia ninguém ali, era só eu, mas aquela voz não parava de chamar pelo meu nome, mas não tinha ninguém ao meu redor, então aparece uma luz, nela havia uma mão, e a voz diz:


**Pega minha mão. - ao dizer isso eu seguro a mão dela e ela me puxa. 


Flashback off


(Ela acorda e sua respiração estava às alturas, ela não consiguia falar direito e, ao ver sua mãe elas se abraçam.) 


Mãe - Oque aconteceu?-me pergunta preocupada. 


S/N- Eu não sei. E.. Eu t..tava no colégio. Espera, como eu cheguei aqui?- questiono incrédula. 


Mãe -Você tinha desmaiado no colégio, graças a Deus que você esta bem.- respira aliviada. 


S/N- Mas eu não me lemb... -Fui interompida por um senhor de cabelos amarelos e de olhos azul, sua pele era branca,e magro. Ele não era tão feio e nem tão velho assim. 


*** -Você não lembra porque estava desmaiada no chão?-nego.- A maioria, na verdade, não lembra de nada. rs.. -Isso é sério? Nossa. Refiro os olhos. -Bem eu já estou indo. 


Mãe -Obrigada.- da um meio sorriso. 


***-Se precisar de alguma coisa é só me chamar.-devolveu o sorriso.


Mãe - Eu gostaria Gabriel.- O moço sai e minha mãe dá um sorriso,esse sorriso é muito familiar.  


S/N- Mãe porquê você sorriu dessa forma? - ela se senta no sofa. 


Mãe- Eu não posso mais sorrir? Não importa o bom é que minha filha está a salva.-mudou de assunto.


Ela sai e vai para cozinha e eu ainda não tô entendendo o motivo de eu ter desmaiado, eu tenho certeza que tinha acontecido algo naquele colégio. Mas é as lembranças, eu não me lembro delas ter aparecido, assim eu nunca tive um cachorro antes e aquela coisa de olhos vermelhos parece bem real para mim, eu senti aquela coisa perto de mim.. affs, já estou ficando maluca. Preciso de um psicólogo urgente viu! 


( S/N vai para o quarto e toma um banho, ela ficava na dúvida sobre as lembranças que apareceu na sua mente, ela nunca passou por algo assim, será que S/N tem lembranças de algo que nunca aconteceu ou que ja aconteceu  antes? Será que ela perdeu a memória em algum possível assidente que sua mãe não a contou?)


Notas Finais


Bom essa foi a História ^•^
Eu não sou muito boa com história
Mais eu vou tenta caprichar mais kk

Espero que gostem e me perdoem
Pelos erros.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...