1. Spirit Fanfics >
  2. •♫•♬•A Filha do All Might•♫•♬• >
  3. O Começo

História •♫•♬•A Filha do All Might•♫•♬• - Capítulo 1


Escrita por: Mel_Hatake

Notas do Autor


Pois é, gente, eu fiz mais uma história de universo alternativo (◕દ◕).
Eu gostei bastante de fazer a da Sakura, então quis fazer algo novo, baseado naquilo.
(Aliás, nessa fanfic tem palavrões, tá?)
Eu espero que gostem!
(。•̀ᴗ-)✧

Capítulo 1 - O Começo


Fanfic / Fanfiction •♫•♬•A Filha do All Might•♫•♬• - Capítulo 1 - O Começo

Olá, meu nome é Fumiko Yagi. Como vocês sabem, meu pai é o grandioso All Might, o herói número 1! Eu amo muito ele, e amaria ser como ele é no futuro, grandiosa, amada, forte e carinhosa.

A minha mãe morreu quando eu tinha três anos, meu pai disse que foi porque ela ficou muito doente, eu era bem pequena pra lembrar direito. Minha aparência vem toda dela, cabelos e olhos azuis, pele pálida, e um pouco de timidez - nada a ver com aparência, eu sei - agora, em personalidade, sou bem mais perto de Toshinori. Alegre, carismática e sempre sorrindo quando posso. Uma coisa original minha, são as minhas orelhas pontudas, que amo e acho muito fofas.

Eu sou uma das poucas pessoas que conhecem sua verdadeira forma e sua individualidade. Quando menor, eu amaria ser a herdeira desse poder, mas agora vejo que não sou a pessoa pra isso, eu já tenho um poder ótimo, e outra pessoa será mais digna que eu.

Falando nisso, vou falar da minha individualidade. Água, tudo que envolve isso. Controlo os três estados dela do jeito que eu quiser. Geralmente uso mais o líquido, já que é o mais fácil e é útil pra várias coisas. Eu uso não só para atacar, mas para me sustentar no ar e sair flutuando, e trazer coisas até mim, já que são seguradas pela água. O estado sólido eu não uso muito, porque... Bem, motivos pessoais. O gasoso, não acho tão legal quanto os outros, mas sei que ainda vou usar algum dia.

Estou sentada no sofá, acabei de almoçar e vou ver alguma coisa na televisão.

Papai não fica muito em casa durante o dia, está sempre fazendo seu trabalho de herói, acho que é por isso que não sinto falta da presença dele, sei que está fazendo o bem, e quando ele vem, é um amorzinho.

Parei num canal com uma notícia que me chamou atenção.

Hoje mais cedo um garoto foi feito de refém num bairro perto daqui, um vilão gosmento tinha pegado ele.

Também diz que outro menino de cabelo verde pulou no vilão pra tentar ajudar, mas não conseguiu, recebeu muita bronca por se colocar em risco desse jeito.

No final, meu pai salvou o dia novamente e o vilão foi preso. Tanto orgulho de ser filha dele.

[...]

Já está escuro, estranhei o fato de Toshinori não ter chegado ainda, ele sempre está aqui até às sete horas.

Ouvi alguém bater na porta, deve ser o papai.

Fui até a sala abrir, e era ele mesmo.

- finalmente, né.

- me desculpe o atraso, tive uns imprevistos - coçou a nuca.

- tipo o que? Me fale.

- ah, nada demais.

- me fala logo, eu te conheço, sei quando mente.

- okay então, sabe bem sobre o meu poder, não? - assenti com a cabeça - eu achei um sucessor.

- SÉRIO? QUE LEGAL! QUEM É? QUAL O NOME? EU QUERO VÊ-LO! - Gritei animada, eu sempre esperei pra ver o sucessor dele.

- nossa, não imaginei que fosse ficar tão animada - deu uma risadinha - o nome dele é Izuku Midoriya.

- gostei do nome, quando eu posso encontrar ele?!

- eu vou encontrar ele amanhã e começar a treina-lo para poder aguentar o One For All.

- ótimo, eu também posso aproveitar pra treinar, já que daqui a pouco tempo já é o teste de admissão da U.A!

- Mas falta dez meses até lá, você tem bastante tempo.

- ah, mas isso não importa, quanto mais cedo, mais tempo tenho, aí fica melhor ainda!

- tá bom, se está querendo tanto, não posso negar, né? - foi andando até a cozinha, se transformando em sua verdadeira forma no caminho.

- eu mal posso esperar! Ah, aliás, eu fiz a janta! Espero que goste.

- claro que sim, sua comida é ótima! Cozinha tão bem quanto sua mãe.

- ah, obrigada! - eu adoro quando ele me compara com ela, porque ela era incrível e linda, amaria ser como ela foi.

[...]

Hoje é o dia que o papai vai treinar o tal Midoriya, eu estou muito empolgada para finalmente conhecê-lo.

Já estamos na praia onde Toshinori combinou de encontrar ele, tentando acha-lo.

- ah, olha ele lá! Vamos - All Might apontou para o garoto.

Chegamos mais perto, ele estava de costas.

- Jovem Midoriya! - cutucou o ombro do garoto - Olá!

- A-all Might! E... - olhou pra mim - quem é ela?

- prazer, meu nome é Fumiko Yagi, eu estava tão animada pra conhecer o sucessor do papai! - apertei a mão dele.

- Papai?! - falou surpreso - All Might tem uma filha?!

- oh, eu esqueci de te contar, né? - papai coçou a nuca - ela vai treinar aqui também, insistiu pra vir te ver, queria mesmo te conhecer.

- é verdade! Você é mais fofo e baixinho do que eu pensei, mas é melhor assim! Quero te colocar num potinho - apertei as bochechas dele, corou - oh, me desculpe pela minha animação exagerada, é que eu admiro muito o papai e o poder dele, por isso queria ver ele passando para outras pessoas que vão ser que nem ele!

- mas se você tinha uma filha, porque me escolheu, All Might?

- eu me fazia essa pergunta quando menor, mas agora percebo que não sou digna pra isso, eu já tenho meu poder, e sou grata por ele. Sem contar que eu não aguentaria, de qualquer jeito. Mas enfim, vamos logo começar esse treinamento?

- sim! Vamos lá, jovens! - All Might saiu andando.

[...]

- ei, ei ei! Essa é uma geladeira tão confortável de se sentar!

Midoriya ainda não está perfeito para aceitar o poder, então o treinamento consiste em preparar o corpo dele.

Nesse momento ele está tentando puxar uma geladeira com All Might em cima.

- se pudesse movê-la mesmo um pouco, seria mais fácil. Mas sei que você consegue! - tentei consolar.

- bem, sim, digo, você pesa 274kg, certo? - Midoriya perguntou.

- não, eu perdi peso, tenho apenas 255kg agora, nesta forma - e mudou muito, né?

- mas enfim, porque estou arrastando lixo na praia?

- porque, sabe... Você não é um recipiente válido ainda.

- o que está dizendo agora é o oposto do que disse antes!

- ele está falando do seu corpo. Sua  individualidade, o One For All, é a capacidade física máxima de muitas pessoas reunidas em uma. Um corpo despreparado não pode herdar tudo isso - expliquei - os membros iam se separar e o corpo explodiria.

- OS MEMBROS VÃO O QUE?! - Midoriya falou nervoso - meu Deus, então estou fazendo isso pra treinar meu corpo?

- exatamente, jovem Midoriya! Mas isso não é tudo. Depois de pesquisar na internet ontem, descobri que parte da costa dessa praia tem estado assim a muitos anos.

- por alguma razão, devido as correntezas, objetos derivam muito até aqui, e as pessoas tiram vantagem disso para esconder seu despejo ilegal... Humanidade é uma falha! - falei decepcionada.

- heróis hoje em dia só correm atrás da ostentação. Originalmente, ser um herói significava fazer serviço voluntário. Mesmo as pessoas achando chato, ou o que for, você não pode fugir das suas raízes. Você vai limpar o horizonte de toda essa parte! - papai disse a Midoriya. - esse é o seu primeiro passo para se tornar um herói!

- limpar... Isso... Tudo?! - o garoto falou assustado. Eu no lugar dele também né sentiria assim, tem MUITA coisa aqui.

- jovem Midoriya, você quer ir para a U.A, não?

- sim! Porque é pra onde você foi. Então é a minha principal opção!

- você realmente é um fã sem cura, né? - dei uma risadinha - é bom porque é muito determinado.

- vocês dois querem, pelo mesmo motivo, como posso ver - ah, sim, eu também queria entrar lá por causa do papai - mas lembrem-se, esse é o curso de heróis mais difícil de se entrar. Isso significa que devem estar muito bons até lá, ótimos, na verdade! Foquem no treino, dez meses parece pouco, mas passa rápido!

[...]

Foi aí que começou os dez meses infernais de treino, eu não parava um minuto sequer, Toshinori criou um cronograma para nós dois, diferente pra cada um, então não treinávamos juntos sempre, só nos encontrávamos algumas vezes na tarde.

No meu treino, eu foquei bastante no meu físico também, sempre fui acostumada a usar a água para fazer tudo, mas tem situações que não vou poder usá-la, então tenho que cuidar disso.

Claro que também treino a minha individualidade, arduamente até o meu limite, o que acaba comigo.

O pior, é que também tenho escola nesse tempo, e as provas estão perto, então tenho que estudar e treinar ao mesmo tempo. Eu sempre fui uma ótima aluna, notas altas toda vez, mas com isso, foi a primeira vez que tirei um 7, o que surpreendeu não só os meus professores, quanto meu pai, mas ele entendeu o porquê disso acontecer, então tá tudo bem.

[...]

Hoje é o dia do exame de admissão, são seis horas e é só de tarde, mas já estou tão empolgada. Estou indo na praia com meu pai para encontrar o Midoriya, eu decidi que não iria treinar hoje, porque... Porque sim.

Saímos do carro e começamos a andar, achamos ele em cima da grade, gritando e BEM suado e acabado.

- meu Deus! Ele realmente conseguiu! Que incrível! - falei surpresa ao ver a praia limpa.

- não sobrou nada! Sério?! Ele terminou no último minuto, perfeito! - meu pai disse surpreso também.

Olhei para cima, Midoriya ia cair de cima da grade da praia, estava tão cansado.

Usei minha água para criar uma plataforma em baixo dele, para não cair com tudo no chão.

- bom trabalho, garoto - sorri involuntariamente.

- All Might... Eu consegui... - Midoriya falou com dificuldade.

- sim, você me surpreendeu. Adolescentes são demais!

- Midoriya, olha aqui - peguei meu celular e mostrei uma foto a ele - esse é você a dez meses. Você tá... Bem diferente - olhei ele de cima a baixo.

- você fez muito bem, bem demais! A sua miragem está finalmente quase visível, mas com certeza se tornou um recipiente digno!

- sinto que estou trapaceando... Você fez tudo isso por mim... Sou abençoado demais - começou a chorar de emoção. Eu abraçaria ele se não estivesse todo suado.

- certo, hora da cerimônia de premiação, Izuku Midoriya. Isso é algo que me disseram uma vez: algo que você recebe por ter sorte e algo que ganha por ser reconhecido são coisas completamente diferentes. Grave isso no coração. Esse é o poder que você ganhou pelo seu esforço - arrancou um fio de seu cabelo - coma isso - estendeu a mão com seu cabelo.

- que? - falei e comecei a rir.

- Oi?! - Midoriya disse decepcionado.

- na verdade não importa o que seja, contanto que consuma meu DNA. Mas enfim, vamos logo, senão os dois vão se atrasar para o exame!

- então vamos botar pra quebrar, Midoriya - coloquei as mãos em volta do ombro dele.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...