História A filha do anjo Gadreel... - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Adam Milligan, Balthazar, Bobby Singer, Castiel, Charlene "Charlie" Bradbury, Chuck Shurley, Claire Novak, Dean Winchester, Gabriel, Gadreel, Jody Mills, Lúcifer, Mary Winchester, Rowena MacLeod, Sam Winchester
Tags Castiel, Dean, Gadreel, Jack Kline, Sam
Visualizações 50
Palavras 1.243
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - 02.


Fanfic / Fanfiction A filha do anjo Gadreel... - Capítulo 2 - 02.

Angel on:

Assim que acabei de colocar minhas roupas no armário, decide sair um pouco de lá, talvez conhecer um pouco melhor os meninos, abri a porta saindo em seguida e fui em direção ao lugar aonde eles estavam, assim que cheguei chamei a atenção de todos.

- é... Oi tá com fome? O Cass saiu pra resolver algumas coisas mais volta logo. - Sam como sempre estava sendo simpático, eu apenas positivei. - tem torta na geladeira, o Dean não vai se importa de você comer um pedaço.

Sam levantou seguindo para aonde suponho ser a cozinha, eu sentei ao lado de Jack que sorriu, e eu devolve.

- aqui. - Sam colocou o prato com uma fatia de torta na minha frente, eu peguei o garfo dando a primeira garfada, sendo seguida por outra.

- ai garota, tenha modos, come mais devagar. - disse Dean e Sam revirou os olhos.

- quando você tiver modos você fala dela Dean, mais enquanto isso encontrou alguma coisa? - Sam perguntou se sentando.

- pessoas sendo encontradas mortas, e com seus sangues sendo chupados Até a última gota. - disse Dean.

- vampiro, vamos nessa então. - disse Sam.

- mais e os pirralhos? - perguntou Dean.

- eu não entendo, porque me chama de pirralha? - perguntei.

- porque você é uma pirralha. - disse Dean piscando um dos olhos. - vamos meter o pé.

- meter o pé aonde? - perguntei jogando a cabeça levemente pro lado.

- Castiel criou ela direitinho. - Dean se levantou, e Sam fez o mesmo e saíram.

- é uma metáfora, eles usam muito isso. - explicou Jack.

- você usa isso também? - perguntei, e ele deu de ombro. - é estranho.

- é. - ele se levantou também. - agora temos que arrumar as coisas, eles vão caçar.

- Caçar? Caçar o que? - perguntei levantando.

- eles caçam coisas que fazem mal as pessoas. - disse começando a caminha, e eu fiz o mesmo.

- tipo a mulher má? - ele positivou, chegamos na frente do meu quarto e eu entrei, fui pro banheiro e tomei um banho, e veste um vestido e uma sapatilha, amarrei meu cabelo, coloquei algumas roupas na mochila e sai do quarto dando de Cara com Sam.

- oi, eu já ia te chamar pra ir pra garagem, vem vamos lá. - eu segui Sam até aonde suponho ser a garagem, ele caminhou até um daqueles negócio que tem quatro rodas, Garro, Rarro, Carro isso Carro esse é o nome dele, ele abriu a porta pra me e eu entrei sentando do lado de Jack, e Sam entrou também só que mais pra frente.

- vamos passar numa loja de roupas comprar uma roupa pra ela, ai mergulhamos no caso. - disse Dean ligando aquilo, passamos o caminho todo em silêncio, paramos pra comprar minha roupa, e fomos pra um hotel, sentei na cama.

- você pode ficar com essa cama. - disse Sam.

- eu não durmo. - disse e eles se olharam.

- ótimo, mais cama pra me. - disse Dean se jogando numa cama.

- vou comprar alguma coisa pra gente comer. - disse Sam, e eu e Jack assentimos, e ele saiu.

- quer fazer alguma coisa? - perguntou Jack.

- de que tipo? - perguntei, olhando para ele.

- vem, você pode jogar, ou escutar música. - eu me levantei sentando ao lado de Jack no sofá.

- o que é Música? - perguntei e ele me entregou um negócio estranho.

- isso é um fone você tem que colocar no ouvido assim. - ele colocou no meu ouvido e eu comecei a ouvi uma voz.

- isso é música? - perguntei olhando pra ele, e ele assentiu.

Dean on:

Já era de manhã, e estava todo mundo se arrumando pra ir pro purgatório.

- vamos logo. - disse pegando meu casaco e saindo sendo seguido pelos outros, peguei um distintivo e entreguei pra garota.

- agente Wayne, não é o Batman? - perguntou ela e eu revirei os olhos.

- o Batman não é o único que tem esse sobrenome, e não podemos falar nosso nome verdadeiro então. - coloquei ele no bolso dela.

- mentir não é feio? - ela perguntou, não é possível que ela seja tão parecida com o Castiel.

- vou falar a mesma coisa que disse pro Castiel, quando queremos uma coisa muito, muito mesmo, nós mentimos. - disse abrindo a porta pra ela.

- porque? - ela jogou a cabeça um pouco pro lado.

- porque é assim que viramos presidente, agora entra no carro, entra. - ela Deu de ombros e entrou, Sam sorriu pra me e eu revirei os olhos entrando assim como os outros. - eu e a garota vamos olhar o corpo, vocês dois vão falar com os familiares da vítima.

Comecei a dirigir, parando na frente da casa aonde suponho ser dos familiares, Sam e Jack saíram.

- Dean trata ela bem, nada de ser brigão. - disse Sam sussurrando.

- eu adoro ela, ela é como uma irmã mais nova pra me. - disse irônico.

- só tenha paciência por favor. - ele deu as costas, e a pirralha passou pra frente.

- o que é o inferno? - perguntou ela com a bíblia na mão.

- um lugar aonde você vai quando apronta, agora fica ai sentada, quietinha, pro Títio poder trabalhar tá? - perguntei e ela assentiu.

- então se você fazer coisa errada você vai pra lá? - eu revirei os olhos e olhei pra ela e assentir. - tive um sonho com o inferno uma vez.

- serio e como foi? - perguntei olhando para a estrada.

- as pessoas me batiam lá, eu escutei gritos, e choros, escutei a mulher má queimar, o Castiel estava lá Esse dia, eu acordei ensanguentada, por todas as partes do corpo, foi um sonho bem ruim, parecia tão real, nessa época eu tinha 2 anos. - meu olhar parou nela. - tenho sonhos deste tipo até hoje, eu ainda acordo machucada, e esses machucado demoram uma semana pra cicatrizar. - ela tirou o cabelo um pouco mostrando uma cicatriz.

- você sempre tem sonhos assim? - perguntei e ela abaixou a cabeça.

- eu fiquei com tanto medo que não durmo mais, faz 5 anos que eu não deito pra dormir. - ela olhou pra me.

- tem certas coisas que precisamos enfrentar, tipo um corpo estranho que esta lá dentro. - parei o carro e abri a porta, e ela fez o mesmo, entramos no hospital indo pro purgatório.

- olá eu sou o agente Smith e essa é minha parceira agente... - olhei pra ela batendo no seu braço e ela pegou o distintivo, de cabeça pra baixo, peguei o mesmo e consertei. - agente Wayne.

- tipo o Bruce Wayne? - perguntou o cara endireitando o óculos.

- pois é. - disse. - viemos vê o corpo de Josh Moulin.

- A claro me sigam. - seguimos ele até o purgatório, procurei o corpo do homem, e abri a câmera aonde ele estava, Angel abriu os olhos.

- isso é um morto? Coitado. - disse ela olhando pra ele.

- é, teve o sangue todo sugado, até a última gota. - olhei o pescoço dele. - é vampiro conserteza.

- o que... - interrompe ela.

- o que dissemos antes? Não atrapalha o Títio Dean. - disse sorrindo. - agora toma isso e vai brincar. - dei a primeira coisa que achei pra ela, que era uma tesoura, e ela sentou na cadeira, analisando a mesma.

Fechei a câmera. - vamos pirralha chega de brincar por hoje. - ela largou a tesoura e me seguiu até a saída, entramos no carro, e fomos pro hotel.

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...