História A filha do meu Padrasto - Capítulo 70


Escrita por:

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza
Tags Amor, Anthony, Lorena, Meioirmãos, Proibido
Visualizações 124
Palavras 1.048
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Romance e Novela, Suspense

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 70 - Capítulo 70


Após alguns minutos vejo a porta se abrindo e minha mãe saindo.

Eu estava roendo as unhas de tão nervoso que estava.

Ha observo se aproximar, sua expressão estava seria.

-e ai... Tudo bem?

-ele estava dormindo, esta com a perna enfaixada e um pequeno curativo na cabeça.

-eu disse ha você... Ele esta bem.

Ha abraço com força.

-preciso ir e, preciso que venha comigo.

-que? Anthony... Eu preciso ficar...

-a próxima visita é as nove da noite, já deixei meu numero aqui eles ligarão qualquer coisa... Anastásia precisa de você agora.

Ela exita por um instante mas logo depois aceita vir comigo.

Ha levo ate em casa encontrando Lorena em frente a garagem.

-lá vem a fera.

Digo enquanto minha mãe desse do carro.

-Anthony... Porque não me acordou ontem.

Ela estava brava, isso estava claro.

Minha mãe cochicha um boa sorte enquanto entra para dentro de casa.

-morena você estava cansada, não vi mal algum em deixar você descansar.

-meu pai sofreu um acidente Anthony... Você não vê mal nisso?

Dou um suspiro longo engatando o freio e desligando o carro.

-amor, seu pai esta bem... Passei a noite no hospital, ele esta melhorando.

-quem deveria estar lá era eu Anthony... Mas não, você me deixou dormir.

-a próxima visita é as 21:00h, você vai e tira suas próprias conclusões ok?! Eu mesmo levo você se quiser... Vem cá.

Digo abrindo a porta do carona, ela da a volta no carro e entra ainda com sua cara emburrada.

-eu disse pra você que ficaria tudo bem, não disse?!

-disse.

-só na noite passada eu conversei com os três médicos encarregado do hospital, eles são os melhores... Você confia neles?!

-confio.

-então está tudo bem, eles ligarão se houver alguma piora mas, espero que não liguem.

Digo sorrindo, me próximo do seu rosto encostando os nossos lábios. Eu queria muito mais que um selinho mas estava exausto.

-preciso ir, tenho que passar na empresa mas antes vou em casa.

-Desculpa por... Culpar você, obrigado por passar a noite lá.

-assim esta melhor.

Digo tentando ser engraçado, dou mais um selinho nela, abrindo a porta e esperando ela descer.

-se vemos ha noite? Eu ligo pra você.

Ela confirma com a cabeça enquanto eu dou a ré e saio da garagem prestes a enfrentar o trânsito das dez.


-Thomaz, preciso que segure as pontas por aqui, minha mãe precisa de mim nesse momento.

Eu estava explicando a situação para o Thomaz, eu precisarei muito dele e da Mila.

-sim senhor.

-eu continuarei vindo quando der mas preciso que me represente nas reuniões e nas compras e vendas de comércios... Consegue fazer isso?!

-sim senhor, pode ir tranquilo.

Eu estava sentado no sofá aconchegante da minha sala na empresa, eu tinha passado no meu apê, tomado um banho rápido e tomado um copo de leite mas meu corpo ainda estava fraco.

-irei confiar em você, a empresa nesse instante esta em suas mãos.

-fico lisonjeado senhor.

Ouso batidas leves na porta.

-entra...

-com licença senhor, a senhorita Katherine está aqui.

Droga... Ela ficou de trazer o restante das papeladas para mim assinar.

-pode passar ela Mila.

-com licença senhor.

Diz Thomaz saindo da sala, Katherine entra com seu sorriso estonteante em minha sala.

-espero não ter atrapalhado.

-jamais Katherine Müller.

Digo ha convidando para se sentar, eu estava cansado demais para levantar e ir ate minha mesa.

-achei que me ligaria mas, percebi que me enganei.

-desculpa... Tive imprevistos, não consegui nem ler o contrato.

-tudo bem, se mudou de ideia sobre comprar minha loja eu entenderei.

-nada disso senhorita kheterine... A compra já foi efetuada com muita satisfação.

-fico feliz em ouvir isso do senhor.

-Anthony... Pode me chamar de Anthony.

-bom Anthony... Você não gostaria de jantar comigo talvez?, poderíamos tirar algumas dúvidas sobre o contrato.

-esse é um convite tentador senhorita mas... Infelizmente já tenho compromissos para essa noite.

-na próxima talvez?!

-com certeza.

Diz ela apertando minha mão e saindo do meu escritório.

Eram 14:42 da tarde aquele sofá estava me relaxando até de mais.

Coloco mais uma almofada de baixo da minha cabeça fechando os meus olhos e apagando logo em seguida.

Lorena entra em minha sala e caminha lentamente em minha direção.
Eu ainda estava deitado no sofáela para em minha frente passando sua mão macia e delicada em meu rostoem meu pescoço descendo para o meu peitoral e deslizando em minha barriga... Eu estava excitado querendo tê-la em meus braços.

-Lorena...

Cochicho ainda de olhos fechados.

-quase...

Abro meus olhos lentamente me deparando com Emanuelle em minha frente.

Tiro suas mãos rapidamente de mim colocando uma almofada no meu colo.

-é bom saber que meu toque ainda causa efeito em você.

-quem deixou você entrar aqui?

-Disse para a recepcionista que não precisava me anunciar, além do mais somos amigos.

Pego meu celular vendo duas chamadas perdidas de Lorena, eram 19:43 da noite.

-Emanuelle não estou legal hoje ok?! Outro dia conversaremos.

-aconteceu alguma coisa?

-nada do seu interesse, por favor você tem que ir.

-achei que poderia contar com você quando eu precisasse.

-e pode mas não hoje.

Ela se senta ao meu lado colocando sua mão em minha perna, eu ha encaro admirando a sua tamanha cara de pau.

-sinto sua falta Anthony...

Fecho os meus olhos e dou um suspiro longo, eu tinha tanta coisa ha fazer, pra me preocupar e uma louca tentando me agarrar não precisava estar entre elas.

-sente é?!

-sinto... Sinto falta da sua presença, do seu calor, do seu toque... Suas mãos deslizando pelo meu corpo...

Aquilo realmente era sexy, eu não tinha mais sentimentos algum por ela mas, o desejo ainda estava ali...

Por um lado eu também estava carente, eu e Lorena não tínhamos praticado muito nos últimos tempo.

E o fato de ter uma ex sexy e gostosa, implorando pelo meu toque em minha sala... Isso infelizmente me excitava...

Porra Emanuelle...

-preciso que saia...

-amigos também se tocam as vezes.

Levanto pegando em suas mãos ha levantando, estavamos cara a cara, um sentindo a respiração do outro.

Coloco minhas mãos em sua cintura apertando delicadamente, fazendo ela caminhar para trás... Ainda estavamos praticamente colados.

Paro assim que chego em frente a porta, me a próximo dela e dou um beijo em sua bochecha abrindo a porta e a guiando para fora.

-Anthony... Eu achei que...

-achou errado Manu, eu estou com a Lorena... Eu ha amo e isso não é segredo pra ninguém.

-será que ama mesmo?

Diz ela olhando para minha ereção.

-amo... Você é linda e isso é apenas o efeito colateral que você causa em mim mas, eu comecei a pensar com a cabeça de cima agora... Fica bem, se falamos outro dia.

Fecho a porta orgulhoso de mim, por ter sido forte e aguentado firme.

-quase amigão.

Digo olhando para o meu pênis e sorrindo logo em seguida.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...