História A filha do meu padrasto - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Adolescente, Drama, Lgbt, Romance
Visualizações 22
Palavras 1.857
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, LGBT
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - Mudanças


Fanfic / Fanfiction A filha do meu padrasto - Capítulo 2 - Mudanças

[Domingo:23:40]

    São quase meia-noite e eu deveria está dormindo afinal amanhã têm aula (graças a Deus é a última semana de aula e depois férias), sinceramente? Dormir é a melhor parte dos meus dias, mas algum tipo de inquietação está me tirando o sono, sabe aqueles sentimentos de que alguma coisa ruim vai acontecer?! É isto.

-Talvez eu deva ir comer.

Falo para mim mesma enquanto luto contra a minha vontade de sair da cama. Indo em direção a cozinha percebo que não sou a única com insônia, minha mãe e o Giovanni estão em frente a porta da sala de estar, com expressões de enterro, acho que ele vai a algum lugar. Me escoro na parede do corredor que liga os quartos até a sala. Eles se despedem, minha mãe tranca a porta, respira fundo e se vira olhando em minha direção.

-Ta tudo bem?

Pergunto preocupada.

-Sim, Mas por qual razão você não está dormindo? Sabe que têm aula amanhã.

Ela me responde secamente tentando mudar o rumo da conversa.

-Não consigo dormir... Sua expressão esta tensa, têm certeza que esta tudo bem, mãe?

Nós nunca mantivemos segredos (eu acho), sempre fomos nós duas então somos tudo uma pra outra.

    Após insistir um pouco mais, minha mãe começa a falar [...]

-Então a ex-mulher do Giovanni faleceu e a filha vem pra cá? Sabia que algo ruim iria acontecer, mas caraca! Isso parece muito aquelas webserie.

-Não seja insensível, Helô!

-Desculpa, mas é a verdade.

Tento jogar um pouco de humor na situação, mas parece que não adiantou. A mamãe está de fato preocupada. Giovanni e a filha não têm uma relação muito afetiva, no entando ela completou 17 recentemente e de acordo com a justiça a guarda dela pertence a ele.

-Já está muito tarde, é melhor irmos dormir, amanhã você tem aula e eu preciso trabalhar.

-Sim, é melhor..

Entro em concordância com a minha mãe, pois realmente esta tarde e não há mais nada que possamos conversar para melhorar a situação.

[Segunda-feira 06:00]

Acordei mais cedo que o normal, não recomendo. Começo a me arrumar e não consigo parar de pensar que terei uma nova meia-irmã, me sinto ansiosa e ao mesmo tempo confusa.

-Bom dia, querida.

-Bom dia, mãe.

-Vai querer carona?

-Não, eu vou com o Bruno e com a Larissa.

-tem certeza?

-Hunrum... E... Tá tudo bem? Giovanni deu alguma notícia?

-Ele esta resolvendo a questão da guarda temporária, mas esta tudo bem, bom... infelizmente tenho que ir, se cuida! Beijo, beijo.

-Ok, beijo.

Essa com certeza foi a conversa mais breve e estranha que já tivemos, si é que podemos chamar isso de conversa. Bem... É melhor eu ir, Bruno e Larissa não são o exemplo de paciência (apesar dela ser a atrasada do trio).

*[Permita-me apresentá-los; Bruno e eu somos amigos desde a infância, éramos quase vizinhos, mas daí ele mudou pra Juíz de fora, (no entando o destino não quis separar a gente) continuamos mantendo contato e foi através dele que conheci a Larissa, confesso que eu não fui com a cara dela no início, porém hoje somos bem íntimas. Ah, e antes que vocês imaginem algo clichê como; O Bruno ser gay ou eles namorarem, não! O Bruno não é gay (mas até que ele seria um gay adorável) e eles não namoram.]*

Me encontro com eles em uma pracinha que facilita o encontro de nós três.

   Chegando lá me deparo apenas com o Bruno (O que não é novidade).

-Bom dia!

-Bom dia, Helô!.

Bruno fica me observando enquanto esperamos a Larissa, ele sempre sabe quando algo está me incomodando, certeza que ele vai arrancar respostas de mim até o fim do dia.

-E aí, tá tudo bem?

-Sim, só estou com um pouco de sono. E você?

-hmm, tudo ok.

Larissa chega e nós três seguimos juntos para a escola. Chegando na escola demonstro-me mais quieta que o normal, Bruno logo percebe meu comportamento e começa a me encarar como se estivesse me lendo por inteira (o que é bem bizarro).

  Não consigo me concentrar em nenhuma das aulas, chega o intervalo e decido não sair. Larissa é de outra turma então ela sempre vem nos chamar, mas hoje ela e o Bruno cochicaram em frente a porta enquanto olhavam para mim e por algum motivo ela acenou pra ele como se entrasse em concordância, sorriu para mim e seguiu em direção a outro corredor. Bruno vem em minha direção com um olhar preocupado.

-Vai falando.

-Como assim, "falando" o que?

Bruno começa a me interrogar, pessoalmente eu já sabia que isso iria acontecer.

-Eu te conheço, Helô. Aconteceu algo, não foi?

Suspiro inquieta e ao mesmo tempo aliviada em poder compartilhar com alguém.

-Mais ou menos... Aparentemente eu terei uma nova meia-irmã.

-Hmmm, complicado... E isso é bom ou ruim?

-Eu não sei, minha mãe está meio tensa, Giovanni com certeza preocupado pela relação não afetiva com a filha, a Bianca deve está péssima e eu? Eu nem sei como me sentir.

-Helô, primeiro que isso não é um bicho de sete cabeças, segundo você vai me explicar isso direito

Aceno para Bruno em concordância e com um olhar de alívio, entramos em um silêncio temporário, mas logo eu começo a explicar toda a situação.

-Estou compreendendo...

-Sabe o pior? É que eu fico triste pela minha mãe, ela demorou tanto tempo para achar um novo amor e agora toda essa tensão, acredito que ela tenha medo de perder o Giovanni, não que ele vá trocar ela pela filha, jamais! Mas que ele se perca, entende?! Giovanni é um cara que acumula a própria dor, minha mãe disse que ele tem um segredo muito grande e de alguma forma eu sinto que isso tem haver com a outra família dele.

-Então o que está te preocupando é que o passado do Giovanni possa machucar a sua mãe?

-É... Isso foi basicamente o que eu disse.

-Helô?! Olha pra mim, sua vida e a da sua mãe é uma benção. Aceite isso. Não importa se é ferrada ou sofrida. Algumas coisas vão se desenrolar como se fosse o destino.

   

Aceito o que o Bruno me disse como um tapa merecido em minha face.

   Ele começa a criar  teorias de como vai ser minha relação com a Bianca e é até divertido, nós começamos a stalkear ela em suas redes sociais, Bruno até faz piada de interesse, talvez ele tenha razão e isso tudo tenha uma parte boa ou sei lá o destino possa estar tentando encaixar algo. O intervalo acaba e passamos a prestar atenção nas aulas, dessa vez eu consigo, pois estou mais tranquila.

      As aulas vão passando e finalmente o sinal de encerramento toca e é hora de ir para casa, voltamos novamente em trio dessa vez mais alegre já que o Bruno conseguiu deixar o meu dia melhor.

  Chegando em casa me deparo com a mamãe, o que é bem estranho porque ela quase nunca esta em casa à tarde.

-Oooi, resolveu tirar folga?

-Oi, filha. Sim, esse é o benefício de trabalhar para você mesma.

-(risos)

Nós duas resolvemos aproveitar a tarde para ver um filme, distrair a mente de toda a tenção com a família do Giovanni.

    As horas vão se passando, o pensamento de ter uma "irmã" vai tomando conta de mim, resolvo ir mais uma vez em suas redes sociais, dessa vez sinto uma ansiedade maior, resolvo adicioná-la, talvez a gente possa conversar antes mesmo dela chegar aqui.

  Estou me organizando para dormir quando minha mãe me interrompe com um pingo de alegria.

-Acabei de falar com o Giovanni, ele conseguiu adiantar muita coisa de ontem para hoje. Ele e Bianca chegam amanhã!

-Nossa, que bom! E como esta a comunicação deles?

-Ele não quis falar sobre isso, mas jurou que estava tudo bem...

O olhar da minha mãe logo se entristece.

-Então esta tudo bem! Estou ansiosa para conhecer minha nova irmã.

-(risos)

   Consigo arrancar um pouco de humor da minha mãe, e isso me passa alívio, creio que agora podemos dormir tranquilas.

*[Terça-feira]*

  Me acordo um pouco entusiasmada mesmo sabendo que tenho aula (bem estranho). Começo a me arrumar e novamente me pego pensando na Bianca, resolvo verificar minha rede social:

*[Notificação: Bianca Marinho aceitou sua solicitação de amizade].*

Sinto uma ansiedade tomar conta de mim, no entanto eu hesito em mandar alguma mensagem. Volto a terminar de me arrumar antes que eu me atrase.

-Mãe?? Estou saindo

-Tão depressa? E sorrindo pela manhã?

-hunrum.. a vida é curta para que ficar de mal humor.

-Ok... Tem algo estranho

-(risos)

Sorrio para minha mãe, lhe dou um beijo e sigo caminho para a pracinha.

   Chegando na pracinha vejo que o Bruno e Larissa ainda não chegaram. Se passam 2min, e eu tomo coragem para mandar mensagem a Bianca.

[Heloísa Lombardi]: Ciao, come stai?

Sinto-me nervosa, será que ela vai responder? Meu Deus, eu não sei falar em Italiano... e se ela não souber falar em Português? Não, claro que ela sabe... Tem que saber né?!

   Suspiro, por qual razão estou tão nervosa? É só a filha do Giovanni cujo a mãe morreu e irá morar lá em casa com um grande drama familiar, nada demais..

[Bianca Marinho]: Não precisa falar em Italiano, sou fluente em Português.

Será que isso foi um fora? Bom... Ao menos ela fala em português.

[Heloísa Lombardi]: Que bom, depois daqui eu não saberia como continuar.

[Bianca Marinho]: Haha, você tem humor.

Acho que não estou indo tão mal assim, mas ela não respondeu minha pergunta.

[Heloísa Lombardi]: RS, eu tento. Mas então... Como você está?

Encaro a tela do celular, vejo que ela visualizou, mas nada da sua resposta. Bruno e Larissa logo se aproximam:

-E aí, vamos?

-Vamos!

     No caminho até a escola fico me perguntando se ela não respondeu porquê realmente não estava interessada em conversar ou se talvez ela já esteja no vôo, seja o que for eu não devo me preocupar tanto.

    O horário da escola encerra e já estou voltando para casa, foi um dia normal, nada de novo ou interessante. Chegando em casa vejo que novamente minha mãe decidiu tirar folgas.

-Olá, Doutora?!

-Helô! Eu não sei exatamente a que horas Giovanni e Bianca vão chegar, provavelmente bem tarde então isso nos dar tempo para organizar um quarto para ela, então... Você e seu gosto adolescente quer participar?

-Hmm... Tudo bem!

   Nós duas montamos um quarto o mais aconchegante possível, acredito que Bianca irá gostar.

  Hoje eu verifiquei minhas redes sociais várias e várias vezes, a cada vez que eu entrava stalkeava Bianca, a muitas mensagens em seu perfil sobre pêsames e etc... Percebo que ela é um alguém popular suas fotos são lotadas de comentários e curtidas, obviamente né?! Ela é bonita nem tem como evitarem, vendo isso me causa uma sensação estranha, mas dou de ombros e continuo procurando algo para me entreter.

     As horas vão se passando e vai ficando um pouco tarde, resolvo ir dormir, mesmo com a ansiedade de conhecer minha nova irmã estou muito cansada para esperar. Enquanto não adormeço, fico me perguntando sobre o passado do Giovanni, o que deve ter acontecido? Ele é tão atencioso, por quê ele deixaria uma filha de lado? Algo muito ruim deve ter acontecido, mesmo assim eu não consigo pensar em uma razão que o leve a fazer isto. Penso também na Bianca, que teve que crescer sem o pai assim como eu e que agora perdeu sua mãe, nem consigo imaginar a dor que ela deve estar sentindo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...