História A filha do meu padrasto (Camren) - Capítulo 42


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camila Cabello, Camren, Drama, Incesto, Lauren Jauregui, Romance
Visualizações 1.266
Palavras 1.106
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, LGBT, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Notas lá

Capítulo 42 - Eu sou apaixonada por ela


~Camila

(02:00)

Clara andava para lá e para cá visivelmente confusa enquanto eu olhava fixamente para a mesa, imaginando o que deve ter acontecido com Lauren. Meu pai correu atrás dela furioso e não sei o que deve ter acontecido com ela, mas espero profundamente que ela esteja bem e que tenha conseguido fugir.

Naquele momento, eu não queria falar nada que piorasse a minha situação. De tanto chorar, o meu olho doía e eu estava exausta depois de tanta agitação, porém eu sabia que isso era só o começo.

- O que foi isso, Camila? – Clara perguntou ao parar diante de mim – Você e Lauren? Juntas? – ela se sentou na mesa perto de mim

- Acho que já deu para notar... – respondi exausta

- Mas por que tudo isso? Digo, você é lésbica? – estava claro que ela não sabia por onde começar.

Eu afirmei com a cabeça e ela esboçou reações que mostravam que ela estava surpresa. Clara não parecia brava, mas parecia horrorizada e surpresa com isso tudo.

- Olhe, eu sei que sua sexualidade não tem nada a ver comigo. Mas por que Lauren? – silêncio – Por que logo a minha filha? Sua irmã, Camila!

- Eu não escolhi isso... – falei com dificuldade evitando olhar para ela.

- Não, eu sei que você não escolheu, mas você poderia se relacionar com outra pessoa, certo? – ela esfregou o rosto e eu permaneci quieta – Eu tenho uma filha lésbica e não sou contra a homossexualidade, sei que isso não é errado, mas o que vocês estão fazendo é! Digo, ela é minha filha e eu sou casada com o seu pai, Camila.

As palavras de Clara me fizeram cair na realidade. A partir do momento em que eu fui me apaixonando por Lauren, me deixei levar e esqueci completamente dos riscos, mas eu sabia que eles existiam. Clara e eu permanecemos caladas até meu pai chegar em casa revoltado, ele olhou nós duas em silêncio e bateu na mesa tentando se acalmar.

- Caralho, é impossível ficar calmo numa situação dessas! – ele começou a andar agitado – O que você fez, Camila?! Porra, eu pago tudo para você; roupa, plano de saúde, comida e uma boa casa para morar junto com a Sofia. E como você me corresponde? Sendo ingrata, com mentiras e uma pouca vergonha como essa!

Enquanto encarava a mesa e evitar olhar o meu pai, eu sentia Clara olhando para mim como se estivesse implorando com os olhos para que eu ficasse calada.

- Eu não consigo... – ele suspirou – Eu não consigo descrever o nojo que eu estou sentindo por você agora.

- Alejandro! – Clara repreendeu.

- O que?! Você não acha isso nojento? Ela na cama com a sua filha?! Não consigo imaginar algo pior! – ele parou na frente de Clara e apontou o dedo na sua cara – Sua filha trouxe a Camila para esse lado. Não me interessa o que ela seja, mas Camila não! Ela não!

- Você controla isso por um acaso?! Camila é sua filha e vai deixar de ama-la por causa disso? – ela tirou a mão de meu pai do seu rosto – E fale direito comigo, eu sou sua mulher!

- Eu a amo sim, mas isso eu não aceito! – ele me encarou e saiu de perto de Clara – Olha para mim – ele me forçou a olha-lo.

Encarei o meu pai furioso, frustrado e visivelmente decepcionado. Eu já tinha visto o meu pai alterado, mas não daquele jeito. Só de olha-lo daquele jeito, eu já queria chorar.

- Abra essa sua boca e trate de me contar tudo. Se mentir para mim, vai ser pior e você sabe que eu descubro, a escolha é sua – ele deu um leve tapa no meu rosto e se afastou de mim esperando que eu começasse a falar.

Surpreendentemente, Clara não falou nada e isso quebrou o meu coração. Quer dizer que ela não vai falar nada? Meu pai só não deu um tapa forte porque com certeza estava esperando a melhor oportunidade e Lauren foi agredida por ele no olho, e ela não vai falar nada? Suspirei e tratei de engolir o choro.

- Lauren e eu começamos a ter um caso quando vocês viajaram para acertar os últimos detalhes da lua de mel – encarei o meu pai e ele ouvia a tudo atento – Lauren foi embora de casa por minha causa, eu a dispensei, ela não aceitou e foi embora.

- Então foi por isso? – Clara sussurrou para si mesma e suspirou lentamente, eu continuei.

- Daí... – tentei ao máximo segurar o choro – Eu comecei a ficar com o Matt para tentar esquecer a Lauren, o que eu sentia por ela não tinha acabado e isso começou a me sufocar de uma maneira insuportável. Eu sentia que não estava sendo eu mesma e que só estava com Matt para camuflar o que eu realmente sentia – comecei a cair no choro e meu pai parecia indiferente – Foi quando eu joguei tudo para o ar e voltei para ela. Foram os dias mais felizes da minha vida, nem o senhor conseguiu me fazer tão feliz como ela conseguiu! – berrei com a voz trêmula.

- Papo furado, não consigo acreditar nisso – ele bufou e eu cobri a minha cara chorando em desespero – O que você quer dizer com tudo isso? Que você se apaixonou pela filha da Clara? Me poupe, Camila! Você estava feliz com Matt, Lauren que a induziu a isso! – ele cruzou os braços depois que bateu o punho na mesa várias vezes.

É incrível como ele não consegue entender os meus sentimentos. Dizer que eu estava feliz com Matt é uma mentira sem tamanho, o que eu tive que me submeter para tentar esquecer Lauren foram as piores coisas que eu já fiz, transar com ele foi doloroso. Por dentro, me senti suja demais e com ódio de tudo isso, eu não queria que fosse assim, mas é impossível negar o que se é.

Levantei o meu rosto cheio de lágrimas e encarei meu pai que continuava indiferente, fechei os punhos.

- Eu sou lésbica, pai! – ficamos em silêncio e ele me olhou espantado – Eu gosto de mulher e sou apaixonada pela Lauren!

Meu pai estava atordoado, espantado e mesmo assim com uma expressão de raiva no rosto. Quando ele começou a andar em minha direção devagar, Clara ficou em alerta e se levantou da cadeira.

- Alejandro... – ela chamou e ele não respondeu, mas fechou o punho e se encontrava mais perto de mim – Alejandro... – mais uma vez e ele não respondeu. Foi quando ele começou a apressar o passo e ergueu o punho em minha direção – Não, Alejandro!!!!


Notas Finais


Preciso pedir perdão à vocês por estar demorando demais para postar, mas eu preciso que vocês entendam que eu estou demorando porque minhas aulas voltaram e estou focada para entrar na faculdade, estou escrevendo nas aulas para vocês terem noção. Mas enfim.. agradeço desde já pela preocupação de vcs e eu vou terminar essa história sim! Não se preocupem :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...