1. Spirit Fanfics >
  2. A flecha sombria (Imagine Kihyun) >
  3. Capítulo 03 - E o tal musgo?

História A flecha sombria (Imagine Kihyun) - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Demorei, né? Mas aqui está o capítulo novo.
Essa vida de Monbebe está sendo um desafio ultimamente para gente, não é mesmo? Mas seguimos firmes na luta.
E em tempo de corna vírus, bora ficar em casa e ler e escrever muita fanfic.
Higienizar as mãos com água e sabão.

Capítulo 4 - Capítulo 03 - E o tal musgo?


Fanfic / Fanfiction A flecha sombria (Imagine Kihyun) - Capítulo 4 - Capítulo 03 - E o tal musgo?

Os quentes raios do sol tocaram sem piedade a pele pálida do ser adormecido causando uma estranha sensação de conforto, como se o próprio Senhor Sol o tocasse. Mas o Senhor Sol seria tão gentil assim ao ponto de acordar uma simples estrela do firmamento? E essa sutil claridade que insistia em cutucar seus olhos fechados? Kihyun se moveu de leve na cama antes de começar a se espreguiçar, sentindo aquela nova sensação em seu corpo tão humano: primeiro o banho, depois a fome, depois o sono e agora isso, uma vontade de tensionar os músculos e estica-los novamente. Ele abriu os olhos devagar com medo de encontrar o Senhor Sol e levar uma bronca, já que ele não era muito conhecido por sua simpatia. Por sorte ele não estava lá e olhando em volta, ele apenas viu um quarto de mulher que ainda guarda alguns resquícios de sua adolescência. A estrela sentou na cama pensando em seus próximos passos e coçou os olhos e bocejou ao mesmo tempo em que Soojin entrava no quarto.

 

- Ah... você já acordou! - ela estava de pijama e tinha algo enrolado nas mãos - não esperava que acordasse tão cedo. Pode voltar a dormir, eu só vim pegar uma muda de roupa para a faculdade. Tomo banho, como e saio... e esse é meu grande dia a dia - mesmo mantendo um tom animado, parecia que tinha um pouco de decepção ou conformismo em suas palavras.

 

- Acordei! - o rapaz esfregou os olhos.

 

- Bom dia!

 

- Bom dia - Kihyun respondeu tentando entender o que foi aquela sequência de palavras ditas por Soojin, além de tentar entender o que acontecia com ele.

 

- Errr... o que é esse gosto amargo na minha boca? - ele abria e fechava a boca várias vezes tentando se adaptar àquilo.

 

- Ah! É o famoso "gosto de guarda-chuva" matinal - o rapaz a olhava com cara de espanto não entendendo nada. Ela sorriu e explicou - você nunca dormiu e acordou? - ele só balançou a cabeça negando - bom, quando nós dormimos, nosso corpo e todas as nossas funções vitais ficam mais calmas, por isso acordamos meio travados e com esse gosto ruim na boca. Mas escove os dentes que passa.

 

- Certo... escovar os dentes - ele foi fazendo suas anotações mentais. 

 

- Você pode se lavar depois de se levantar se quiser. As toalhas estão lá embaixo. Pode fazer o desjejum também... ah... e se quiser esticar os lençóis também pode - ela saiu, mas voltou um pouco culpada - ixi... acho que você não sabe esticar um lençol - ela o encarou por alguns segundos e depois sorriu - ok, é só esticar - explicou e saiu.

 

A pobre estrela olhou para o emaranhado de tecido e começou a estica-lo.

 

- Ser uma estrela é bem mais fácil que ser um humano - enquanto ele realizava a tarefa, as coisas da noite anterior passaram por sua cabeça e ele sorriu - mas é bem menos divertido.

 

Enquanto isso no outro quarto, Minhyuk já não teve um despertar tão tranquilo e caloroso, mal teve tempo de se deliciar com o toque do sol em sua face, já que batidas fortes na porta o tiraram de seu plácido sono.

 

- Levanta logo - Jooheon invadiu o quarto sem o menor pudor e falava alto para acordar o anjo - sai logo da minha cama... hey... você mexeu nas minhas coisas - ficou furioso ao ver que seu videogame estava ligado e com raiva pegou um tênis seu que estava jogado no chão e o arremessou acertando em cheio a cabeça do ser alado, que deu um grito de dor.

 

- Calma, senhor Lee Jooheon - ainda zonzo, o anjo foi sair da cama e acabou caindo ao se enrolar e tropeçar no lençol - ai! 

 

- Calma nada! - disse alto - mas que bela porcaria... olha essa bagunça - ele pegou as cobertas que tinha usado para dormir no quarto de sua mãe e jogou por cima do anjo - pode arrumar essa zona aí que você causou - o quarto de Jooheon era um típico quarto de um homem jovem e solteiro, bagunçado até onde a vista alcançava. Minhyuk olhou a cena com desgosto, mas achou justo realizar a tarefa e pôs a mão na massa. Tempo depois, o dono do quarto voltou com uma toalha molhada na mão e jogou-a no meio da bagunça - depois leve isso para a lavanderia com o resto da roupa suja. - Minhyuk só piscou algumas vezes levemente espantado. 

 

Na cozinha, o cheiro do café da manhã da família Lee invadia o ambiente e atiçava a fome de todos, até da pobre criatura que limpava um certo quarto. Kihyun apareceu em seguida com os cabelos molhados, deixando que algumas gotas caíssem pelo chão da casa. Ele tinha adorado o chuveiro e prontamente seguiu a sugestão de Soojin. A moça o observou e desviou o olhar em seguida assim que ele sorriu para ela.

 

- Bom dia, querido - a amorosa senhora Lee o recebeu na cozinha já apontando um lugar para ele sentar-se à mesa - onde estão os outros?

 

Jooheon logo aparecia na cozinha e sentava-se em seu lugar, encarando Kihyun com desgosto, mas nada que alterasse o seu apetite, já que assim foi para mesa e começou a comer. 

 

- Onde está o Minhyuk? Ele não acordou ainda?

 

- Sei lá... deve estar lá em cima ainda arrumando a cama - um barulho de coisa caindo foi ouvido - espero que ele não quebre nada.

 

- Como assim? Hey... não me diga que você deixou ele lá em cima sozinho arrumando aquele ninho de ratos que você chama de quarto? - Soojin ficou indignada ao saber o que o irmão tinha feito e subiu correndo para o quarto dele. Jooheon permanecia inabalável.

 

- O que foi isso? - perguntou inocentemente Kihyun.

 

- Nada não, querido - respondia a senhora Lee sempre com um sorriso na face. 

 

No quarto, sem muita opção, Minhyuk tentava dobrar as peças de roupas que estavam jogadas e colocou no submundo que era o guarda-roupa de Jooheon, alinhou os pares de tênis, espirrava com a poeira que levantava dos móveis, com relação ao chão ele não sabia muito bem o que fazer e o observava desoladamente e com as mãos na cintura. Foi nesse cenário de desalento que a moradora mais jovem da casa encontrou o anjo.

 

- Deixe isso aí, Minhyuk - o olhar da garota pareceu de surpresa - uau! Nunca imaginei que houvesse um quarto por baixo daquela zona. Por que você fez isso, Minhyuk? Arrumar o quarto daquele ogro?

 

- Porque ele me pediu tão gentilmente - o anjo sorria amavelmente - não me custa nada ajudar.

 

- Gentilmente? Sei... - ela sabia o quão gentil e amável era o irmão, mas tinha certeza que não era o caso naquele momento, já que Jooheon encontrava-se bastante irritado com a situação - vem, deixa isso. Ele está se aproveitando da situação.

 

A refeição correu sem maiores problemas, exceto pelo fato de Soojin sair correndo para não perder a hora, já Jooheon ia devagar sem se preocupar se chegaria atrasado ou não. Os dois visitantes passariam o dia com a matriarca da casa.

A senhora Lee foi prestativa com os rapazes e mostrou para eles coisas simples do dia a dia, mas que para eles eram novidade. Eles adoraram ouvir música e ver TV, Minhyuk tinha curiosidade sobre o vídeo game, mas a senhora Lee o desencorajou já conhecendo o temperamento do filho. O gato da família foi uma surpresa à parte que ainda não tinham visto, o bichano fez questão de não aparecer na noite anterior com toda aquela balbúrdia. Era um gatinho cinza e rajado de nome Gucci e que tinha um irmão de nome Yoshi, que devia estar bem acomodado em algum lugar sossegado da casa. Kihyun se afeiçoou rapidamente a Gucci e foi uma excelente distração para ver as horas passarem.

 

- Você acha que Soojin vai conseguir encontrar alguma pista sobre a cigana Vida? - Kihyun não conseguia se desvencilhar dessa história e se via bastante preocupado com a situação de Celestia.

 

- Ela me pareceu esperta e decidida. Acho que consegue sim - de forma animada, Minhyuk respondeu enquanto degustava pipoca de um enorme balde. Assistir TV comendo pipoca já fazia parte da "Lista das coisas legais do mundo dos humanos que Minhyuk iria sentir falta e que iria aproveitar ao máximo" enquanto estivesse naquele plano. 

 

***

 

Antes de ir para o seu prédio, Soojin correu para o prédio de Biologia para encontrar seu amigo de infância, Hongjoong, e lhe entregar o musgo. Ela encontrou-o encostado na escada do prédio jogando uma bolinha de silicone para cima e agarrando-a no ar, conversava com alguns amigos e acenou ao ver a amiga se aproximar. O tímido amigo de Soojin agora era um rapaz descolado, com trancinhas finas na parte de trás da cabeça em um corte moderno, um risco estiloso na sobrancelha e piercing, ele foi de encontro a ela.

 

- Soojin-a! A que devo a honra de sua humilde presença em meus domínios? - ele agia de forma exagerada sabendo que isso irritava a moça e logo ele caía na gargalhada - desculpa! - depois ele põe as mãos nos bolsos e a encara esperando a resposta.

 

- Bobo! - ela sorri - eu queria que você desse uma olhada nisso aqui e me dissesse de onde vem - ela estendeu um pequeno pote plástico com o musgo, o rapaz o olhou com curiosidade, mas sem empolgação nenhuma.

 

- É um musgo - deu de ombros.

 

- Isso eu sei, né!

 

- Mas o que você quer eu diga então? - ele arqueou uma das sobrancelhas e sorriu de lado.

 

- Sei lá... você tem acesso aos laboratórios... poderia analisar no microscópio e me dizer alguma coisa sobre isso.

 

- Ok! - ele apertou os lábios e concordou por fim - mas você vai me dever uma - e piscou marotamente para ela.

 

- Te pago aquele milk-shake daquela loja nova.  Que tal?

 

- Fechado! - ele sorriu e os dois se cumprimentaram com hi-five típico dos garotos. 

 

O dia passou vagarosamente sem nenhum acontecimento relevante, o que deixava Soojin ansiosa, pois ela queria logo saber se Joong tinha alguma notícia e não ter nada acontecendo para distraí-la a deixava louca. Por sorte a hora do almoço chegou e a moça correu para o prédio onde seu amigo estudava, deixando suas amigas para trás sem entender nada do que acontecia.

 

- Desculpa meninas, tenho pressa agora - disse ela juntando suas coisas e jogando de qualquer jeito na mochila.

 

- Hey, Soojin - Jooe se assustou com a pressa da amiga - que pressa é essa?

 

- E o almoço? - quem indagou foi Hyojung igualmente surpresa.

 

- Preciso pegar algo urgente com o Hongjoong e tenho que ir antes dele ir embora... - ela já estava quase na porta quando terminou a frase.

 

- Uhmmm... Hongjooooooong - as duas amigas se entreolharam e logo começaram a rir, pois elas sempre deram o maior apoio para que esse casal se formasse, por mais que Soojin sempre enfatizasse que eles eram amigos de infância e ela o via como um irmão.

 

Sem perder tempo, a moça corria atravessando gramados e estudantes que iam de um lado para o outro, alguns mais tranquilamente que outros. Ela esbarrou em alguns antes de chegar até a sala onde seu amigo a aguardava. Ele estava debruçado sobre o microscópio e fazia algumas anotações antes de reparar a amiga esbaforida parada à porta.

 

- Ah, você está aí a muito tempo? - ele sorriu animadamente enquanto ajeitava o jaleco - bem... tenho algo para você, sim. Sei que é isso que esses olhinhos brilhantes estão ansiando - ele parou de falar esperando que a amiga implorasse pela informação - tenho uma boa e má notícia, qual quer ouvir primeiro? - seu sorriso era maroto demais para ser levado a sério.

 

- Fala logo!

 

- Está bem... - incorporando um ar pomposo, ele prossegue - esse tipo de briófita...

 

- Pare de me enrolar e fale logo! - num misto de ansiedade e irritação, Soojin cortava o amigo.

 

- Ok. Esse musgo só são encontrado em duas regiões específica no planeta. A má notícia é que um desses locais é Israel, num lago de região montanhosa e a boa notícia é... pan pan pan - ele sacudiu os dedos para provocar a amiga - é que a outra região fica exatamente aqui na nossa humilde cidade, mais precisamente no lago Uri.

 

- Lago Uri? - a menina pareceu divagar - tão perto assim...

 

- O que tem de tão especial nesse musgo? - Hongjoong apoiou o cotovelo na bancada enquanto observava com curiosidade o interesse da amiga pelo musgo.

 

- Nada não! - mudou rapidamente de assunto - obrigada pela ajuda. Foi muito útil... te pago o milk-shake a noite - ela saiu correndo sem dar tempo para que Joong falasse qualquer coisa.

 

 

***

 

Ela foi correndo para sua casa e chegou esbaforida torcendo para que o musgo fosse do lugar mais perto, ou seja, do laguinho da cidade. Ao chegar, ela depara-se com fumaça e cheiro de comida queimada e vai apressada para a cozinha.

 

- Mas o que está acontecendo aqui? - ela estava pasma com o estado da sua cozinha. 

 

- Oi Soojin! - mesmo com o rosto coberto de fuligem, o sorriso dado por Minhyuk era iluminador. Já Kihyun só expressava vergonha - nós queríamos retribuir a senhora Lee pelo cuidado conosco e resolvemos cozinhar.

 

- Resolvemos não - a estrela se manifestava indignado - ele resolveu sozinho e quase incendiou a cozinha.

 

- Exagero seu!

 

- Minha mãe vai me matar... vai matar vocês dois. Onde ela está? - a moça parecia preocupada.

 

- Foi ao shopping - o anjo estava animado - creio que ela disse que podia confiar em nós e passear despreocupada. Ela é ou não é um amor de pessoa? Nunca imaginei que humanos fossem assim tão doces.

 

- Doces? - Kihyun olhava para Soojin assustado - ela não parece nada doce.

 

- Vocês! - ela começava a falar um pouco mais séria e nervosa - limpem já isso!

 

- Mas nós nem fizemos o almoço ainda.

 

- E nem farão!

 

Os três começaram então um mutirão de limpeza para que tudo estivesse limpo antes que a dona da casa voltasse.

 

- De quem foi essa ideia brilhante?

 

- Do Minhyuk - a estrela falou depressa. 

 

- Traidor! Você falou que ia ajudar - o anjo pareceu magoado.

 

- A gente nem sabe cozinhar.

 

- Você disse que sabia.

 

- Eu disse que ia ajudar. É diferente!

 

- Chega os dois! Só limpem - ela revirou os olhos.

 

A tarde passou assim, sem maiores problemas, e com seus estômagos roncando, Soojin foi obrigada a comprar um lanche para eles, já que eles não queriam saber de cozinhar por um bom tempo. 

A senhora Lee encontrou com o filho no caminho para casa e os dois chegaram juntos, onde Jooheon já sentiu logo de cara o cheiro de queimado.

 

- Que cheiro é esse, Jin-a? - ele esperava uma resposta da irmã, a qual ela respondeu prontamente como quem não quisesse nada.

 

- Tentamos preparar um lanche e não deu muito certo. Você sabe como sou péssima cozinheira.

 

Os dois celestiais se olharam e logo Minhyuk se manifestava.

 

- Não foi bem isso - ele era um ser justo e não compreendeu porque a menina mentiu por eles - eu quis cozinhar para a senhora Lee, mas eu nunca cozinhei na vida.

 

- Nem eu - disse Kihyun com o queixo encolhido, sentindo muita vergonha.

 

- Ah, que graça, meninos. Não precisavam se preocupar - a senhora Lee foi amável como sempre, para a indignação do filho.

 

- Anda mentindo, é, irmãzinha?

 

- Não enche, Jooheon!

 

- Tudo bem, crianças, já passou - tentou apaziguar o ânimo dos filhos.

 

- Mas como foi o passeio, mãe?

 

- Aprazível, minha flor - a senhora Lee disse com um leve sorriso, capaz de acalmar qualquer humor mais exasperado.

 

- E como foi na faculdade?

 

- Bem também - disse simplesmente - eu falei com o Hongjoong e ele me deu uma informação sobre o tal musgo - todos pararam o que estavam fazendo e olharam ansiosos para a menina. Ela sentiu-se triunfante, apesar da vergonha de ter todos olhando para ela, cada um com uma expressão no rosto.

 

- Fala logo - resmungou o irmão.

 

- Ué, não era você que não estava nem aí para isso? - ele desdenhou.

 

- Aish... desembucha!

 

- Está bem... o musgo pode ser ou não do Lago Uri, aqui do parque ou de um lago lá nas montanhas de Israel... vamos torcer para que seja daqui do Uri, porque não temos como ir para outro país.

 

- Como assim "nós"? - Heon sempre ficava indignado quando a irmã se colocava no meio dessa história maluca.

 

- Se for o caso, eu posso ir voando - Minhyuk falou com tranquilidade, já que sendo um anjo ele poderia voar por aí.

 

- Bem... não sei como isso pode te ajudar, Minhyuk, mas podemos começar pelo nosso lago.

 

- Para mim parece ótimo - dessa vez foi Kihyun que se manifestou com animação na voz, levantando-se do sofá e rumando para a porta - vamos encontrar a cigana Vida e poderemos voltar para casa e ajudar o príncipe e o reino!

 

Não deixou de ser um certo choque para Soojin ouvir aquelas palavras, mas era fato que eles não eram humanos e ali não era o lugar deles. Natural que quisessem voltar, por mais maravilhados que estivessem com o mundo humano.

Assim que Kihyun abriu a porta da sala e saiu, a garota foi atrás dele seguida por Minhyuk e Jooheon. Ele agarrou o braço da irmã tentando impedi-la de avançar, mas ela se desvencilhou dele.

 

- Você não está curioso? - desafiou o rapaz - Vamos, não custa nada.

 

- Vou, mas é só para ver vocês quebrarem a cara e para cuidar de você.

 

- Pare de ser tão negativo - ela avançou enquanto Jooheon imitava ela pelas costas.

 

O parque não era muito longe e o grupo seguiu a pé sob o protesto de Jooheon, que para começo de conversa nem queria ter ido, mas não deixaria a irmã andar sozinha com tipos estranhos. A ideia dele de irem de metro tinha sido refutada pela irmã. Por ser um parque aberto eles não tiveram problemas para chegar até o lago, uma porção de água que não tinha nada de especial, nem o tamanho, já que era pequeno. Eles olharam em volta pensando no que estavam procurando, nem Minhyuk sabia.

 

- Certo, chegamos. E agora? - o humor de Jooheon voltava à tona.

 

- Procuramos onde tem musgo - respondeu Soojin.

 

- Olhe em volta. Isso é um lago, vai ter musgo por todo lado.

 

- Seja mais positivo, irmão. Veja, todos estão se esforçando - ela apontou para os dois rapazes que faziam uma busca nas margens do lago - agora vamos continuar procurando.

 

Quando a menina se virou para continuar sua busca, ela tropeçou em uma raiz e perdeu o equilíbrio, caindo no lago. Ela até tentou forçar o peso do corpo para fora, mas o esforço foi em vão, dando apenas tempo para gritar antes de atingir a água. Jooheon chamou pela irmã e pensou que ela só estava brincando, o que ele achou uma maluquice. Minhyuk e Kihyun correram para perto do irmão, ambos preocupados. O rapaz das covinhas olhou para chão e viu a raiz e estranhou porque não tinha nenhuma árvore naquela margem do lago. Soojin já estava demorando demais para voltar e sem perder tempo e sem avisar os demais, ele pulou na água atrás da irmã e igualmente não voltou, para a surpresa da dupla sideral. Kihyun e Minhyuk se olharam e decidiram pular também, sumindo em seguida.

As águas do lago se acalmaram assim que os quatro pularam e permaneceu sereno como se nada tivesse acontecido. 

 

Continua... 

 


Notas Finais


Espero que não tenha ficado muito longo esse capítulo.

Participações especiais no capítulo de hoje: Ateez, Momoland e Oh my girl


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...