1. Spirit Fanfics >
  2. A Flor da Guerra >
  3. Parque Aquático- 3

História A Flor da Guerra - Capítulo 53


Escrita por:


Capítulo 53 - Parque Aquático- 3


Fanfic / Fanfiction A Flor da Guerra - Capítulo 53 - Parque Aquático- 3

Um capítulo repleto de ciúmes... Espero que gostem!

 

Dia 02/03

 

15:57

 

Completamente feliz por ter finalmente aprendido a nadar, Hinata andava ao lado de Deidara em direção da lanchonete. O sorriso que ela tinha no rosto não queria desaparecer, estava grata pela paciência do loiro. Agora ela poderia fazer os treinamentos no lago assim como o restante dos soldados, não teria que ser um fardo naquele tipo de treino. 

Deidara andava tranquilamente enquanto via o quão animada estava a jovem, queria vê-la daquele jeito todos os dias, era como se ele ficasse em paz quando a via de forma tão alegre. 

 

Deidara: É uma pena que o nosso tempo esteja acabando, não é?– trouxe Hinata para mais perto ao perceber que da lanchonete, Neji encarava os dois com uma cara de poucos amigos.

Hinata: S-Sim, gostaria que pudéssemos ficar mais tempos juntos!– disse de forma doce assim que o olhou.

Deidara: Agora entende que se apenas nós dois viéssemos para o parque seria melhor? É meio ruim ter que passar pouco tempo com você.– ele olhava disfarçadamente para Neji enquanto abria um sorriso provocante, obviamente estava querendo ver o Hyuuga enciumado.

Hinata: Eu entendo, mas eu também não posso ignorar os outros rapazes, entende? Vocês todos são amigos ótimos para mim.– ao ouvir aquilo, Deidara desfez o sorriso. 

Deidara: Odeio quando acha que quero apenas ser apenas um amigo.– ela ficou um tanto confusa ao ouvir aquilo, mas antes que pudesse perguntar algo, ambos chegaram na lanchonete.

 

Assim que Hinata chegou perto de onde Obito, Sasuke e Neji estavam, percebeu que tinha algo de errado com seu primo. Ele parecia querer ignora-la e isso a deixava um tanto sentida. Receosamente, ela andou até o banco que ficava ao seu lado e se sentou próxima do homem. Do seu outro lado, estava Sasuke enquanto pedia para a garçonete dois sucos.

 

Sasuke: Que sabor irá querer?– perguntou para a Hyuuga.

Hinata: Qualquer um, vou pegar o dinhei...– vou interrompida quando viu o Uchiha pagar pelos dois sucos.

Sasuke: Vou querer de abacaxi.– a garçonete por trás do balcão assentiu e seguiu até pequena bancada onde estavam as frutas e o liquidificador. 

Hinata: Você não vai querer nada, Neji-nii-san?– surpresa, ela não recebeu uma resposta do moreno. Apenas ficou ainda mais confusa ao vê-lo descer do banco e seguir até a parte de fora da lanchonete.

 

Obito se aproximou ao ver que tinha algo de errado entre os dois, e logo resolveu perguntar para a menor o que estava acontecendo.

 

Obito: Vocês brigaram?– se sentou no mesmo lugar de onde Neji estava.

Hinata: Não pelo que eu me lembre.– falou triste.

Obito: Ele estava bem antes de você chegar, deve ter acontecido alguma coisa.– coçou a nuca– Vou ir falar com ele.– antes que o Uchiha pudesse se levantar, Hinata segurou em sua mão na tentativa de impedi-lo. 

Hinata: E-Eu vou!– disse enquanto deixava sua bolsa com Obito e seguia até a parte de fora do local.

 

Ela olhou para os lados procurando pelo seu primo, mas quando o avistou encostado numa grande estrutura de ferro de um dos brinquedos, percebeu que ele realmente não parecia estar muito bem.

Neji estava observando as nuvens na tentativa de se acalmar, mas para piorar sua situação, percebeu que a Hyuuga havia lhe encontrado.

 

Hinata: Neji-nii-san?– o chamou assim que se pôs ao lado do mesmo.

Neji: Por que me seguiu?– ele continuava fitando o céu.

Hinata: Por que eu não te seguiria? Essa pergunta é melhor.

Neji: Talvez por estar muito ocupada com Deidara ou com os outros.– sua voz era grave.

Hinata: Isso me parece ciúmes.– soltou uma pequena risada para descontrair.

Neji: Não é!– virou a cabeça para o lado oposto da mulher.

Hinata: Então por que está ficando vermelho?– perguntou assim que viu brevemente a bochecha do mesmo tomar certa coloração. 

Neji: Apenas estou nervoso!– ao ver que Hinata não estava o levando a sério, acabou ficando ainda mais irritado. 

Hinata: Neji-nii-san, você sabe que se eu vim aqui é porque estou preocupada contigo, não sabe?– se aproximou mais um pouco.

Neji: É difícil pensar nisso sendo que você se preocupa com todos de forma igual. É como se você me tratasse como eles.– bufou.

Hinata: Olha, eu irei te ouvir.– segurou em uma das mãos dele com gentileza– Me diga como quer que eu te trate.

Neji: Não tem como eu responder isso, quero que seus gestos venham de forma espontânea, não que eu tenha que te dizer como me tratar.– desfez o contato.

Hinata: V-Você realmente está bravo...– botou a mão no queixo–... Faz um bom tempo que não age assim comigo, é até estranho.

Neji: Se você não quer me ver assim, sugiro que volte a "flertar" com Deidara.– cruzou os braços.

 

Hinata não disse nada durante alguns instantes, tinha certeza de que o Hyuuga estava sentindo um ciúmes incontrolável. Ela não sabia o certo o que podia fazer, então apenas o pegou de surpresa com um abraço carinhoso.

 

Hinata: C-Como eu disse, eu vim aqui pois fiquei preocupada... Não vou te soltar até que mude esse humor!– ele tentava desfazer o toque da morena, mas sabia que Hinata era insistente e não o largaria– Eu odeio te ver assim!

Neji: E eu odeio te ver com ele!– disse entredentes.

Hinata: Mas agora eu estou aqui!– o olhou com um sorriso calmo mesmo estando fazendo força para contê-lo– Por que me diz o que te fez ficar tão nervoso?

Neji: Eu não aguento mais ver a pessoa que amo me tratar de forma tão... comum!– ele estava claramente frustado– Você disse que não iria jogar meus sentimentos fora, mas parece que você está os ignorando!

 

Hinata demorou alguns instantes para se lembrar de quando havia dito aquilo para Neji, mas logo corou dos pés à cabeça por não saber o que dizer no momento. Ela soltou o homem lentamente e olhou para baixo como se procurasse alguma resposta.

 

Neji: Você mentiu, não foi?– segurou nos ombros da menor– Mentiu sobre dizer que seria possível me amar algum dia?!

Hinata: É claro que não!– suas mãos seguiram vagarosamente para cima até se estacionarem nas laterais do rosto do mesmo– Eu só preciso de um tempo para descobrir ao certo os meus sentimentos, mas nada vai mudar o fato de que realmente te amo!

Neji: Não quero que me ame com esse olhar de como se eu fosse apenas um familiar seu. Quero que me enxergue como seu homem!– ele não hesitava em suas palavras.

Hinata: Eu preciso de um tempo, para saber o que sinto realmente.– sua feição era calma e serena, como se quisesse fazer o mesmo também se acalmar um pouco.

Neji: Estou tentando dar meu máximo para que me veja de forma diferente, lhe darei esse tempo, mas por favor... se esforce um pouco para também notar os meus outros lados.– encostou a testa na dela. 

Hinata: Irei fazer isso, mas com uma condição.– gesticulou.

Neji: E qual seria?– se afastou um pouco.

Hinata: Quando estiver se sentindo sozinho, triste ou enciumado, venha falar comigo!

Neji: Sim, eu irei.– para dar ênfase na afirmação, o mesmo assentiu com a cabeça.

Hinata: Agora vamos voltar?

Neji: Vamos.– seguiu ao lado da mesma de volta a lanchonete.

 

...

 

Quando adentrou a lanchonete, Hinata percebeu que Sasuke e Obito conversavam tranquilamente enquanto gesticulavam com as mãos como se tivesse falando sobre algo em que ambos se interessavam. Ao perceberem que Neji e a mulher haviam chegado, eles os chamaram para que se aproximassem e entrasse naquele "assunto" do qual discutiam.

Ao seguir até os bancos, Hinata acabou tendo a atenção tomada quando ouviu vozes de mulheres vindo do canto da lanchonete. Ela mirou seu olhar até as vozes e acabou se deparando com Itachi debruçado no balcão enquanto era rodeado de garotas. Inesperadamente, a Hyuuga mudou o rumo de seus passos e andou rapidamente até o pequeno grupinho de forma que nem mesmo ela esperava vir de si mesma.

 

Hinata: Com licença!– passou pelo meio das mulheres e puxou o Uchiha pela mão.

???: Ei... Quem você pensa que é?!– falou uma das mulheres enquanto cruzava os braços.

Hinata: Me desculpem, mas nitidamente ele está incomodado com a presença de vocês!– o puxou.

Itachi: H-Hina?– ele estava mais que surpreso, mas sentia algo dentro do seu peito esquentar ao vê-la tomar aquela atitude– Para onde está me levando?– soltou uma risada.

Hinata: Vamos nos sentar com os outros! Por que estava sozinho?– suas bochechas estavam infladas, o Uchiha sentia uma imensa vontade de aperta-las. 

Itachi: Eu estava apenas querendo ficar um pouco sozinho, certa pessoa entre os rapazes não me agrada muito, entende?– ela o parou de puxar, mas não o olhou.

Hinata: Então você queria continuar com elas?– olhou para baixo.

 

Itachi ficou pensativo sobre o que iria falar, mas a resposta certa ja estava em mente. Era óbvio que estava odiando ser rodeado por aquelas garotas, mas queria saber o motivo dela parecer tão enciumada.

 

Hinata: Pela sua demora, pude pensar na resposta.– soltou a mão do mesmo.

Obito: Hina, Itachi, venham logo! Estou esperando vocês para podermos pedir algo para...– foi cortado por Itachi.

Itachi: Eu esqueci meu dinheiro no carro, prometo não demorar!– rapidamente, ele segurou não mão da perolada que permanecia calada em sua frente e correu até a parte de fora.

 

A Hyuuga não entendeu ao certo o que ele queria fazer, mas apenas se deixou levar e acompanhou os passos do maior até as catracas da saída do parque. Ela não sabia o que dizer, não conseguia arranjar palavras para definir o que sentia naquele momento.

Quando chegaram até o lado do carro, Itachi soltou a menor que estava evitando olhá-lo diretamente. Seu olhar focava em tudo que estava em volta, menos nos olhos escuros que insistiam em fita-la.

 

Hinata: Por que me trouxe aqui?– ela fazia pequenos círculos no chão com o pé.

Itachi: Pois eu queria falar com você em um lugar mais apropriado, longe de todos.– coçou a nuca.

Hinata: Diga.– falou como se estivesse um tanto apressada.

Itachi: Quero que me explique por que fica tão mal humorada quando sente ciúmes?– levou sua mão até o queixo da mesma.

Hinata: C-Ciúmes? Por que eu sentiria isso?– ele soltou uma risada.

Itachi: O "porque" de você sentir isso, eu não sei, mas quem me puxou do meio daquelas mulheres foi você!– lentamente ele virou o rosto dela de forma delicada a obrigando a olhá-lo nos olhos.

Hinata: Me desculpe! Não sabia que estava gostando de ficar entre elas!– falou ironicamente, vê-la dizer coisas daquele jeito era algo novo para Itachi.

Itachi: Entenda uma coisa Hinata...– a puxou para mais perto e a envolveu em um abraço repleto de carinho–... A única pessoa com quem eu quero estar é você.– apoiou o queixo no topo da cabeça dela.

 

O coração de Hinata disparou em batidas fortes e rápidas, por que se sentia daquele jeito quando estava com ele? Ela queria saber aquela resposta. 

 

Itachi: Você só me tirou de lá pois viu que eu estava incomodado?– desfez o abraço e abaixou sua cabeça na mesma altura que a dela.

Hinata: É c-claro!– se enrolou em suas palavras.

Itachi: Não vai admitir que estava enciumada?– ela negou com a cabeça.

Hinata: Afinal é meu amigo, eu deveria apenas torcer para você encontrar alguém que...– antes que ela pudesse terminar de falar, seus lábios foram tomados por um beijo roubado. 

 

A Hyuuga não estava esperando por aquilo, um beijo tão calmo e gentil que lhe pegou de surpresa fazendo com que seu interior ficasse ainda mais inquieto. Antes de fechar os olhos e se entregar ao beijo, ela reparou no rosto do homem que mostrava toda a paz existente em si, era apaixonante.

Ao ver que Hinata não tinha negado aquela ação tão repentina, Itachi aprofundou o beijo e assim pediu passagem com a língua que logo foi aceita. Suas mãos seguiram até as laterais do rosto da mesma, mesmo tendo que se separar por conta do fôlego, eles se sentiam completos.

 

Itachi: Depois disso eu pude deixar claro sobre o que sinto por você?– levou seu polegar até o lábio inferior da mesma que se encontrava entreaberto– Você pode corresponder esses sentimentos?

Hinata: Isso tudo é tão difícil...– falou baixo enquanto ainda recuperava o ar.

Itachi: Eu posso fazer ficar fácil!– segurou mas mãos pequeninas da mulher– Eu posso fazer isso pois estou disposto a passar por mais de mil dificuldades para poder estar ao seu lado.

Hinata: I-Itachi-kun...– ela não sabia o motivo, mas seus olhos acabaram se enchendo de lágrimas.

Itachi: E-Eu disse algo errado?!– perguntou um tanto desesperado ao vê-la daquele jeito.

Hinata: É claro que não!– enxugou os olhos com as costas da mão– Apenas estou feliz!

Itachi: Isso quer dizer que você...– foi interrompido quando foi puxado por um beijo rápido.

Hinata: Eu não sei como dizer isso, mas toda vez que estou perto de você, me sinto bem... Sinto uma paz que nunca senti com nenhuma outra pessoa antes!

Itachi: Todos os dias, eu preciso de você e te quero ao meu lado.– ambos os corpos estavam próximos.

 

Mesmo depois daquele beijo, existia algo dentro de ambos que não queria se aquietar. Eles sentiam que queriam mais, e seu olhares comprovavam aquilo diretamente.

 

Hinata: Itachi-kun...– se aproximou um pouco mais–... Eu quero...– desviou o olhar para o lado, não sabia como diria algo tão vergonhoso na frente de uma pessoa que parecia tão calma por fora.

Itachi: Você está quente.– discretamente, o moreno levou seu toque até a cintura dela– Pelo seu jeito, você me parece pedir por algo.

 

Ao ver que Hinata ainda desviava o olhar, Itachi sorriu de lado e abriu o carro com a chave que estava no bolso de sua bermuda. 

 

Hinata: V-Vai pegar o seu dinheiro?– ele negou com a cabeça antes entrar pela porta do banco de trás e inesperadamente puxar a mão da mesma fazendo com que ela caísse em cima de seu corpo. 

 

Esticando um pouco o braço para baixo, Itachi conseguiu fechar a porta para que ambos ficassem sem problemas das pessoas acabarem os vendo naquela situação. Na sua cabeça, tudo o que iriam fazer ali dentro do carro eram se beijarem e trocarem carícias como se fossem um casal mais tranquilo, mas ao ver a expressão tão bela que a menor tinha no rosto, sua cabeça acabava pensando em coisas impróprias.

 

Itachi: Me diga... O que você iria dizer antes de entrarmos no carro? O que você queria?– sua voz cava a fez estremecer ainda por cima de seu corpo.

Hinata: Eu não posso dizer isso.– colocou as mãos sobre seu peito desnudo.

Itachi: Mas eu posso...– se posicionou de forma que ela ficasse sentada no banco por baixo se si– Mesmo sendo talvez precipitado, eu quero você e te desejo de todas as formas possíveis.– mordiscou o lóbulo de sua orelha. 

 

Por conta de um pequeno gritinho ao sentir a mão do homem percorrer sua barriga, fez com que ele gostasse daquilo ainda mais ao saber que teria um bom tempo para fazê-la enlouquecer pouco a pouco.

 

Itachi: Apenas quero a sua permissão, não quero que as coisas aconteçam no meu tempo.– distribuiu beijos pelo pescoço dela– Ainda está um pouco marcado...– falou ao ver a leve marca que tinha em sua pele–... Farei com que essas marcas desapareçam aos poucos, ninguém irá encostar a mão em você novamente!

Hinata: Itachi-kun...– ela entendia que o homem era tão cuidadoso quanto qualquer outra pessoa, sabia que se fosse possível, ele iria dividir consigo todo o peso de seus problemas mesmo se já tivesse vários em suas costas– Eu quero que m-me faça sua.

 

Havia certo brilho no olhar do homem ao ouvir aquilo, ele amava aquela luz própria que ela transmitia. Aquele olhar tão inocente, o jeito do qual ela reagia aos seus toques, tudo aquilo o deixava ainda mais sedento em fazer mais e mais.

 

Itachi: Irei fazer você se sentir tão bem como nunca se sentiu antes.– falou antes de trilhar um caminho de beijos molhados até o tecido da parte de cima do biquíni.

Hinata: É certo fazermos isso aqui dentro?– ela soltou um breve gemido ao sentir as mãos desfazerem o laço do biquini e jogar no banco da frente.

Itachi: Não pense nisso agora.– ele parecia estar completamente fascinado pela visão que tinha.

Hinata: M-Mas...– ao sentir seu seio esquerdo ser abocanhado, ela deixou de falar o que pretendia. 

 

Itachi mordiscava o bico de seu seio enquanto massageava o outro com sua mão de forma delicada. Os gemidos doces que escapavam da boca da mulher soavam como música para os seus ouvidos, nunca iria imaginar que ouviria algo mais doce que sua voz comum.

 

Itachi: Se você conseguisse ver sua expressão agora, iria ver o quão obsceno esse momento está se tornando em minha mente.– falou assim que a deitou no banco e colocou as pernas da mesma em seus ombros. 

Hinata: Espere, isso é c-constrangedor!– arregalou os olhos.

Itachi: Não fique com vergonha.– deslizou a mão da barriga dela até a intimidade que ainda estava coberta pela calcinha do biquíni– Você quer isso, não quer?

Hinata: S-Sim...– ela acabou arfando assim que sentiu a mão do homem adentrar o tecido que lhe cobria e logo em seguida circular a região com os dedos. 

 

Não demorou para que ele logo encontrasse o seu "ponto fraco" e perceber que ela já parecia estar bem excitada pelo visto até antes de tê-la tocado na região inferior. Os movimentos leves deixavam a perolada cada vez mais ansiosa, ansiosa para também fazê-lo se sentir bem.

 

Itachi: Que mulher indecente.– sorriu de lado ao ver que ela tentava conter os gemidos ao morder os lábios– Vou fazer com que não consiga se conter nem mesmo se tampar a boca com a mão. 

 

O mesmo abaixou rapidamente a última peça de roupa que a mulher usava e jogou na mesma direção da qual tinha havia jogado o sutiã. Antes que ela pudesse cobrir sua intimidade com as mãos por conta da vergonha, o moreno simplesmente a abocanhou fazendo ela segurar em seus cabelos enquanto sentia aquela grande onda de prazer lhe tomar. Daquele jeito, a mente da Hyuuga iria entrar em completo pane. 

 

Hinata: I-Itachi-kun...– jogou a cabeça para trás enquanto sentia seu quadril ser ainda mais levantado para ficar na altura do mesmo– Desse jeito eu vou e-enlouquecer!

 

O Uchiha sentia que era cada vez mais incontrolável de se segurar por conta dos gemidos que ela soltava, estava louco para poder toma-la por completo. Antes mesmo que pudesse adentrar seus dedos no sexo da mesma, acabou percebendo que ela havia chegado ao seu primeiro orgasmo quando perdeu um pouco as forças e sentiu suas pernas estremecerem. Tudo o que ele pensou depois ter visto ela daquele jeito tão entregue as sensações, pôde confirmar que tinha sorte em presenciar uma visão tão privilegiada. 

 

Itachi: Acho que irão notar que estamos demorando...– olhou as horas através do celular de Obito que estava no banco da frente– Vou pegar o seu biquíni...– antes que ele pudesse esticar seu braço, acabou sendo empurrado contra o banco pela menor– Hina?– perguntou confuso.

Hinata: Agora é a minha vez de fazê-lo se sentir bem.– olhou para o mesmo de uma forma maliciosa, algo que ele nunca iria esperar vindo dela.

 

Ela estava segura de que iria fazer algo bom, algo tão bom quanto ele havia lhe feito. Através da bermuda, Hinata não deixara de notar uma boa elevação que denunciava o quão rígido ele se encontrava.

 

Itachi: Eu não conhecia esse seu lado.– segurou no queixo dela enquanto a via se posicionar de joelhos na frende de onde estava sentado no banco.

 

Sem dizer nada, Hinata desceu a bermuda do mesmo fazendo com que ele ficasse completamente nu em sua frente. Ela engoliu seco ao ver a ereção do membro do Uchiha, mas sabia o que fazer já que havia chegado tão longe. Suas mãos contendo o tremor, tocaram delicadamente no membro do maior.

 

Itachi: Essa parece ser sua primeira vez fazendo isso...– falou gentil enquanto se controlava– Não sabe o quanto estou ficando louco em vê-la assim.

 

A perolada aproximou a boca na cabeça de seu membro e logo passou a língua na região em movimentos circulares, era tão quente e tão provocante aquelas pérolas lhe olhando de forma tão inocente. 

Com ajuda das mãos, Hinata fazia movimentos vai e vem na parte de onde não conseguia chegar com a boca, a boca que se mantinha focada na sucção da qual estava fazendo Itachi delirar.

 

Itachi: Que boca...– um gemido rouco acabou escapando de sua boca, a Hyuuga havia amado ouvir aquilo.

 

Ele não queria segurar nos cabelos da mulher pois sabia que não iria se controlar e provavelmente tentaria "comandar" a situação, por isso resolveu deixá-la no controle total. 

Depois de alguns instantes fazendo aqueles movimentos de forma ligeira, o Uchiha acabou tendo que interrompê-la para que não chegasse no seu ápice, então logo fez com que ela desviasse o toque.

 

Hinata: E-Eu fiz algo de errado?– perguntou confusa.

Itachi: Não é isso.– sorriu travesso enquanto a puxava para cima de si– Você sabe o que eu quero.

 

A perolada estava um tanto ansiosa, não aguentava mais tantas provocações, queria senti-lo dentro de si.

 

Itachi: Vou preenchê-la por dentro até que não haja nada além de mim.– depois de ter ouvido aquilo, Hinata soltou um gemido alto ao sentir sua intimidade ser invadida pelo pênis.

Hinata: Itachi-kun...– gemeu o nome do mesmo de forma sôfrega em seu ouvido, aos poucos ela mesma começou a se movimentar enquanto sentia seus seios serem sugados por ele.

 

Se aquilo fosse um sonho, Itachi não queria acordar. Tudo que envolvesse a jovem era muito intenso, seus corpos estavam em chamas, mas para ele aquilo era um incêndio.

Enquanto trocavam caras e bocas de tesão, Hinata sentiu-se estar vidrada na expressão em que ele fazia. Certo rubor tomava conta do rosto do moreno enquanto sua boca estava entreaberta, ela se sentia ótima ao ver que estava causando aquelas sensações no mesmo.

Itachi mantinha os braços envolvendo a cintura da mesma, fazendo com que ela estivesse ainda mais próxima de si. Sua testa estava encostada no ombro da mulher, aquilo deixava o momento muito mais romântico do que a Hyuuga estava costumada a presenciar. Seu interior se revirava de prazer, cada vez que fazia o movimento para baixo dava-se para ouvir um baque de seus corpos em êxtase. Itachi não consegui se conformar do quão macia e quente Hinata era por dentro, não iria se acostumar tão fácil com tamanha perfeição. Ele queria entrar cada vez mais fundo naquele corpo, aquela era uma das formas mais sinceras para demonstrar seu amor, e também a maneira mais profunda de encostar a sua alma na dela. 

Cada vez mais que se moviam, o interior dela se comprimia anunciando seu segundo orgasmo, logo aquilo o deixava na mesma situação que a perolada.

 

Hinata: E-Eu vou...– gemeu enquanto dizia que estava chegando ao seu ápice.

Itachi: Vamos fazer isso juntos.– a beijou antes de ambos atingirem o limite.

 

O gemido de Hinata foi abafado pelo beijo lento onde transmitia todo o amor do qual ele sentia por si. Ambos estavam conectados de forma que não queriam se distanciarem, mas o tempo não permitia que ficassem juntos por mais alguns instantes. 

 

Itachi: Você não tem noção do quanto eu estou disposto a te amar incondicionalmente.– encostou sua testa na dela, logo a perolada pode ver a sua pupila dilatar– Queria que pudéssemos ficar aqui um pouco mais, mas eles já devem estar reparando em nossa demora.– se referiu a Obito, Neji e os outros.

Hinata: Eu não quero mais sair do seu lado.– deu um selinho no mesmo antes de descer do seu colo e procurar pelo biquini.

Itachi: Fique sentada, irei pegar as coisas para você.– vestiu a bermuda antes de descer do carro e logo em seguida pegar as coisas que estavam jogadas na ponta do banco da frente– Você deveria descansar.

Hinata: E-Eu estou bem.– pegou o biquini que Itachi havia entregado em suas mãos– Antes de irmos, podemos nos beijar mais uma vez?

Itachi: Não existe maneira de negar esse pedido.– ajudou a morena a amarrar o sutiã.

 

Assim que a Hyuuga prendeu o cabelo em um coque para que pudesse refrescar um pouco a região do seu pescoço e abaixar um pouco a sua temperatura, ela desceu do carro acompanhada do maior que se pôs em sua frente. Seus olhos se encaravam, suas bocas sorriam de forma gentis como se tivesse realizado algo mais que desejado.

 

Itachi: Irei fazer de você a mulher mais feliz do mundo enquanto estiver do meu lado.– segurou nas laterais do rosto dela e selou seus lábios em um beijo apaixonado. 

 

Era exatamente aquela paz, aquela paz que ele transmitia só de estar ao seu lado que fez seu coração se decidir sobre seus sentimentos. 

Depois daquele beijo, ambos se separaram e deram as mãos enquanto seguiam até a lanchonete do parque aquático, eles mantinham um sorriso bobo no rosto.

 

 

—-

 

Hora do extra!

 

-Quem foi aquele que mais fez a Hina rir?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...