História A Flor da Pele - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags My Sad Secrets, Projeto Cristão
Visualizações 25
Palavras 841
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - Quem é o Jardineiro?


Fanfic / Fanfiction A Flor da Pele - Capítulo 2 - Quem é o Jardineiro?

~*~

"Pai." Murmurou a Crisântemo enquanto via o jardineiro se afastar lentamente do jardim. Respirou fundo e então se pôs a pensar: "O que quer que aconteça agora, farei tudo a favor dele, para sempre." Depois disso, a florzinha sentou-se naquele solo novo, esperando algum sinal, qualquer sinal de seu pai para que ela pudesse correr até ele e o atendesse antes de todas as outras plantas daquele jardim. Se tornar a primeira em tudo era essencial, e iria o impressionar, afinal, ela acabara de chegar.

A Crisântemo apenas queria dizer ao seu pai o quanto ela se sentia agradecida por ter sido tirada daquele lugar, e fazer com que o jardineiro jamais se arrependesse de tal decisão.

No entanto, o jardineiro estava demorando muito para voltar. A florzinha começou a sentir uma grande solidão dentro de si enquanto aguardava o retorno de Yeshua. Sentia suas pálpebras fechando lentamente.

"O que está fazendo?" Perguntou uma voz a sacudindo levemente "Você não pode adormecer desse jeito!"

A Crisântemo piscou uma ou duas vezes antes de dirigir os olhos ao cravo que a encarava.

"Qual é o seu nome?" Perguntou a florzinha

"Ciclanto." Respondeu o cravo.

 

~*~

São Paulo, Nove de Julho de 2018

Eu estava na biblioteca em busca de um livro para uma tarefa escolar que teria que fazer nas férias. Havia chamado um colega que estimo muito para ir comigo, mas ele negou o convite, dizendo que detestava sair de casa. Eu fiquei um pouco decepcionada com isso, por que não teríamos como nos ver durante as férias graças ao divórcio dos meus pais, e eu esperava que ele sentisse a minha falta tanto como eu sentia a dele. Naquela tarde fria de julho, minha mãe tentava distrair meu irmão com um dos jogos da biblioteca enquanto eu procurava qualquer livro que me chamasse a atenção naquelas prateleiras. Até que achei um livro sobre mistério e morte. O livro se chamava "Um de nós está mentindo" e contava a história de cinco jovens que estavam na detenção, e um deles é morto. Agora restam poucos suspeitos para decifrar a morte do estudante. Achei interessante, por que eu nunca havia lido nada igual antes, mas já tinha escrito uma redação com o tema de mistério e assassinato, tanto que ela se tornou uma One-Shot aqui do site e se chama 48h. Eu estava lendo as primeiras páginas quando um garoto se aproximou de mim e começou a conversar comigo. Eu fiquei muito envergonhada, por que mesmo eu tendo uma certa noção do que ele realmente queria, nunca havia acontecido nada parecido comigo antes. Fiquei sem reação e apenas dei o meu telefone como ele havia pedido. Quando o garoto se mandou acompanhado de outro, afundei minha cabeça no livro e pensei o quanto havia sido idiota, afinal, só podia ser uma aposta para que o garoto se aproximasse de mim e pedisse meu telefone! Me senti uma completa bobona e fiz o que ninguém faria: Coloquei o livro no lugar e fui correndo contar pra minha mãe.

 

~*~

"E o seu?" Perguntou o cravo

"O meu o que?" Perguntou a florzinha de volta

"O seu nome?"

"Ah sim...Crisântemo". Foi a resposta "Mas obrigado por me acordar."

"Não há de que." Respondeu ele "Quando eu era novo nesse jardim, vivia dormindo pelos cantos, mas acredite: As plantas que dormem por aqui fora de hora acabam perdendo as melhores partes. Ninguém me avisava, mas eu sempre ouvia os rumores. Então acabei por me tocar sozinho. Não queria que a mesma coisa acontecesse contigo, por isso te acordei."

"Muita gentileza da sua parte." Observou a Crisântemo "Mas o pai demora muito para voltar a aparecer?"

"Pai? Que pai?" Perguntou o Ciclanto

"O jardineiro! Foi ele que me trouxe pra cá!" Exclamou a florzinha, um tanto espantada por conta da falta de conhecimento que o cravo tinha sobre o próprio criador.

"Eu nasci da terra e dos nutrientes do sol, jamais fui cuidado por um jardineiro. " Respondeu o Ciclanto "Desculpe, eu não faço a menor ideia do que está falando."

~*~

Minha mãe me confortou, disse que eu não fui boba, mas o sentimento não sumiu. Assim que cheguei em casa, recebi a mensagem do garoto, e tratei de encurralá-lo contra a parede e retirar dele todo o interesse de flertar que ele tivesse comigo, por que eu não queria saber de nenhum relacionamento no momento. No entanto, quando fiz isso, percebi que o garoto não era ruim, e que se tornaria meu grande amigo daqui pra frente.

O Drabble "Eu só queria ler" foi feito em homenagem a nossa amizade.

Meu amigo não conhecia Deus.

Mas estava disposto a conhecer.

E eu iria ajudá-lo.

~*~

"Não...Sabe?"  Perguntou a Crisântemo, sem acreditar no que estava ouvindo.

"Quem é esse Jardineiro afinal? " Perguntou o cravo " O que ele faz?"

"O nome dele é Yeshua, ele que me trouxe até aqui." Respondeu a florzinha "É uma longa história."

O cravo abriu um sorriso:

"Dia de sorte: Tenho todo o tempo do mundo pra ouvir."


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...