História Á flor da pele. - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hanabi Hyuuga, Hinata Hyuuga, Hizashi Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Mikoto Uchiha, Naruto Uzumaki, Sasuke Uchiha, TenTen Mitsashi, Toneri Otsutsuki
Tags Hinata, Naruino, Naruto, Romance, Sasuhina, Sasuke
Visualizações 183
Palavras 3.194
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oieeeee meus bonitos e bonitas!!!!!!! Como vocês estão??? Espero que bem <333

Mais um cap feito com muito carinho, espero que gostem. Boa leitura!!!!1

Capítulo 8 - Capítulo 8 - Primeira parte.


 

 

                                                                                   Á FLOR DA PELE

                                                                                  Primeira parte.

                                                                                       8

                                                                                

A Hyuuga da leves batidas na porta de madeira escura só para avisar que tem alguém entrando. Sabia que o pai não queria ver ninguém então se apresentar e pedir para entrar seria uma total perda de tempo. Ela franze o cenho com o cheiro e álcool que impregna o cômodo inteiro, revira os olhos ao notar o estado deplorável do pai.

                                                              Sera que ele não iria superar aquela merda nunca? Pensou.

----- Soube o que aconteceu no velório, sinto muito, pai. -- aquilo era verdade, ela realmente sentia muito por ter pedido o espetáculo. ----- Hinata esta passando dos limites, não acha?

----- Sua irmã ainda é uma criança. -- ele fala lentamente porque o excesso de bebida travar sua língua ----- Ela ainda não entende a gravidade das coisas.

Hanabi se senta na poltrona em frente ao pai. Sabia que precisaria ter uma conversa calma se realmente quisesse concluir o que vinha planejando desde a morte da madrasta.

Hiashi estava fraco e abalado em todos os sentidos, tinha plena consciência disso, a chance de manipula-lo para que agisse de acordo com os seus interesses eram muito maiores agora. Só precisaria encaixar as palavras corretamente e as coisas seguiriam seu fluxo.

----- Com todo o respeito, pai. -- a morena ergue o olhar seria para o homem ----- Acho que quem não entende a gravidade das coisas aqui é o senhor.

----- O que quer dizer com isso? -- ele luta para que os olhos não se fechem.

----- Sasuke gosta da Hinata! -- solta suas palavras tentando não explodir com o pai. Como ele era tão lerdo assim? ----- Sempre gostou e depois de ontem você não tem como negar isso!

----- Eles só se encontraram, não vejo nada demais nisso. -- da de ombros desinteressado ----- São praticamente crianças.

----- Hinata é filha de Fugaku, automaticamente, Sasuke e ela são irmãos.

Com aquelas simples palavras a Hyuuga consegue captar totalmente a atenção do pai. Ele se levanta e começa a esfregar as mãos no rosto com força. Hanabi não consegue segurar o sorriso, finalmente tinha alcançado o ponto principal da questão.

----- Não quero ouvir essas besteiras, Hanabi! -- nervoso, o homem vai em direção a mesa de bebidas ----- Já tenho problemas demais então não preciso de você me atrapalhando mais ainda!

A morena se vira e cruza as pernas. Se sentindo superior, ela aprecia com prazer o pai virar mais um copo de conhaque, de longe podia notar que as mãos de Hiashi tremiam.

----- Só você que não quer ver a verdade, papai. -- fala indiferente ----- Hikari te enganou e te fez criar uma filha que nunca foi sua.

----- Já chega, quero que vá embora daqui. -- ele se apoia na parede sentindo o coração dolorido demais até para continuar em pé.

----- Hinata já não é mais tão criança. -- a morena se levanta e caminha lentamente até o pai ----- Ela esta crescendo rápido e logo vai se tornar uma mulher. -- expôs simplista ----- Não vai demorar muito para que homens comessem a se interessar por ela, é um processo natural, entende?

----- Onde você quer chegar, Hanabi? -- diz baixo.

----- O que quero dizer é que se as coisas continuarem como estão, logo Sasuke e Hinata não serão só amigos. -- ela sorri cheia de veneno ----- E não podemos deixar que dois irmãos se envolvam dessa forma é, no mínimo, nojento.

Hiashi olha para a filha atordoado com aquelas palavras. Em sua mente, milhares de coisas se passavam. Queria mais que tudo nesse mundo que Hinata realmente fosse sua filha, porém, muitas coisas acontecerem em um intervalo de tempo muito curto e ele já não tinha mais certeza de nada. A traição de Hikari era como uma ferida aberta jorrando sangue constantemente, nunca havia imaginado que a esposa faria uma coisa dessas mas, se ela tinha sido capaz de o trair, qual era a garantia de que realmente não teria criado, amado e protegido uma filha que não era sua?

----- Espera que eu faça o que então? -- angustiado, ele pergunta para a filha mais velha na esperança de que ela lhe de alguma direção do que fazer.

----- Não é obvio, pai? -- a morena segura os ombros do homem. O desespero estampado no rosto dele era maravilhoso ----- Temos que separar os dois o quanto antes.


                                                                                                          X=X=X=X


Hinata joga com força a escova de cabelo no chão e se deita na cama sem se importar com os fios azulados pingando água. A menina sente os olhos se enchendo de lagrimas novamente, não sabia se queria chorar de raiva ou tristeza, ultimamente sabia de muito pouco sobre si mesma. Ela se senta rapidamente e respira fundo, se recusava a ter outra seção de choro naquele dia.

Faziam exatamente quatro dias que o velório de sua mãe havia ocorrido, quatro dias que Mikoto a humilhou daquela forma, quatro dias que o pai não falava com ela e quatro dias que não via Sasuke.

A Hyuuga se deita de lado e abraça seu travesseiro. Aquele com certeza era o momento em que mais sentia a falta da mãe, queria mais que tudo Hikari do seu lado, ao contrario de todos a sua volta,  a mãe nunca a abandonaria e a teria defendido de Mikoto, não ficaria parada como pai havia feito. 

Por mais horrível que se sentisse, Hinata não se arrependia de confirmar o pensamento de que, no momento, odiava com todas as suas forças o pai e a irmã. Nenhum dos dois tinha se dado ao trabalho de saber como ela estava desde que a mãe havia morrido, esperava aquela atitude de Hanabi mas não do pai. 

Hiashi sempre tinha sido seu protetor mesmo que do jeito severo dele, porém, desde que as coisas aconteceram era como se o pai a evitasse a todo custo e aos poucos um abismo enorme fosse criado entre eles. Imaginava que o pai estava com raiva do que acontecer no velório, sabia que ele tinha razão, ela era mesmo a culpada de toda aquela situação, porém, daqui a pouco se passaria um semana sem que tivesse noticias dele, não sabia nem o que estava se passando em sua casa e o tio e primo que havia conhecido a poucos dias eram mais acolhedores que seu pai e irmã. 
                                         

                             Caramba, se não fosse por Sasuke eu nem ia saber do que ela morreu. 

 

Pensar no amigo trás um pequena pontada de saudades. Queria muito ter a chance de vê-lo outra vez, mas sabia que aquilo só pioraria as coisas. Os acontecimentos do velório já tinha sido traumatizantes demais ao ponto de que uma aproximação entre os dois era impossível. Sentia falta de Sasuke mais do que queria admitir porque o Uchiha parecia ser o único que se importava com ela no momento, Ino e Naruto também eram grandes amigos mas ninguém se comparava ao moreno.
 

Alias, pensar nele a fazia recordar do beijo dos dois e isso fazia seu rosto queimar de vergonha. Até agora ainda não sabia como tinha criado coragem para beija-lo naquele dia, somente se lembra de ter sentido uma necessidade de tê-lo consigo e de preencher aquele vazio, o vazio que só Sasuke era capaz de encher. Hinata se permite soltar um sorriso bobo ao lembrar que o Uchiha era o primeiro garoto que havia beijado, nunca iria admitir mas, estava feliz por ser o Uchiha. 

Logo depois ela franze o cenho numa careta, não sabia como encarar o amigo depois de tudo aquilo, tanto o beijo quanto Mikoto ainda atormentavam sua mente. A Hyuuga solta o ar aliviada, tinha certeza de que se Sasuke aparecesse ali ela iria morrer de vergonha. 
Hinata se senta assustada quando batidas fortes são dadas em sua janela. Ela arregala os olhos claros quando vê só a cabeça de Sasuke atrás do vidro e, ao contrario dos seus últimos pensamentos, não sente vontade de morrer de vergonha e sim de medo. E se alguém o visse? Estariam perdidos com certeza. 
                                             

Quando o Uchiha entra a menina logo se apressa em puxar as cortinas da janela. 

----- O que faz aqui? -- incrédula, ela fala baixo com medo de alguém ouvir ----- Ficou maluco? Ninguém pode ver a gente juntos! 

----- Não estou vendo mais ninguém aqui, Hina. -- o moreno revira os olhos. 

----- Sim, mas se alguém...

----- Eu precisava ver você! -- ele a corta.

A Hyuuga abaixa os olhos envergonhada com as palavras do Uchiha. Mentira se dissesse que não estava feliz em vê-lo, contudo, o medo de alguém aparecer era tão forte quanto a saudades que sentia do amigo. Ela levanta a cabeça e encontra o olhar sério do moreno sentado em sua cama. 

----- Aconteceu alguma coisa? -- ri sem humor ----- Quer dizer, mais alguma coisa? 

----- O mesmo de sempre, nada que eu não possa lidar. -- cansado, solta o ar com força pela boca ----- Mas se eu continuasse naquela casa mais um pouco iria acabar me matando. 

----- Para de falar essas coisas. -- ela faz uma carreta se sentando ao lado do amigo ----- Sério, nem de brincadeira! 

----- Bem, acho que vou sair daqui e me jogar de uma ponte. -- tenta controlar o sorriso quando vê a expressão irritada da amiga ----- Porque eu me dei ao trabalho de vir aqui e você tá me expulsando. 

----- Não estou! -- ela fala com raiva.

----- Claro que sim, nem me perguntou como estou me sentindo.

----- Iria perguntar mas você... 

----- É horrível ver que sua melhor amiga nem liga pra você. -- ele diz distraído. 

----- Cala a boca! -- a morena acerta um soco no ombro do amigo que logo começa a rir. 

----- Bem, pelo menos te irritar ainda não perdeu a graça. -- o garoto tenta controlar sua risada

A Hyuuga cruza os braços e se vira na direção contraria do amigo. Sasuke tinha o poder de a irritar nos piores momentos mas, não conseguiu negar que aquela simples conversa havia deixado seu humor um pouco melhor. No final das contas, tê-lo como melhor amigo não era tão ruim assim. 

----- Claro, estou morrendo de rir. -- se vira de novo para o moreno ----- Quero ver se você vai achar graça caso meu pai ou Neji entrem aqui e... 

----- Quem é Neji? -- a corta rapidamente. 

------ Ah, é meu primo. -- diz simplista. 

----- Primo? -- ele faz uma carreta não gostando nem um pouco naquela conversa ----- Desde quando você tem primos? 

----- Eu também não o conhecia. -- a menina da de ombros ----- Ele é filho do irmão do meu pai que venho para o velório da minha mãe. 

Se a cara de Sasuke já era feia ela só tinha acabado de aumentar. Quem era Neji e porque Hinata o deixava entrar no quarto dela? 

----- E você gosta dele? -- o Uchiha fita a amiga que parece não se dar conta da raiva que ele esta sentindo. 

----- Bem, a gente não se conhece a muito tempo. -- ela da de ombros pensativa ----- Mas ele é um garoto bem legal, gostei bastante dele. 

----- Legal? -- sibilou. 

Hinata se assusta quando Sasuke se levanta com raiva da cama. A Hyuuga franze o cenho não entendendo a atitude do amigo. Ela tinha dito algo de errado? 

----- É, legal. -- ela se levanta também ----- Você ta irritado com o que? 

O Uchiha cruza os braços e encara a amiga. Realmente não sabia porquê tinha se irritado tanto assim por saber que Hinata tinha um primo, a questão era, estava não somente bravo mas furioso. 

----- De quem você gosta mais? -- a pergunta veio antes que pudesse pensar direito ----- Eu ou esse tal de Neji? 

----- Que tipo de pergunta é essa? -- confusa, ela não consegue enxergar sentido na conversa. 

Sasuke descruza os braços e jura que se tivesse coragem daria uns gritos na Hyuuga. Como ela podia ser tão tonta? 

----- Quero saber se você gosta mais dele ou de mim! -- fala como se fosse óbvio. 

Hinata desvia o olhar do de Sasuke que no momento parecia intimidador demais. Sentia receio de contar a verdade e acabar magoando o amigo e, mesmo que não estivesse entendendo nada, percebia que o Uchiha estava muito mais que zangado. 

----- Me senti muito sozinha nesses últimos dias. -- ainda não olha para ele ----- Neji ficou comigo todo esse tempo e foi uma boa companhia. 

Um sensação incomoda toma conta do Uchiha. Não queria assumir mas saber que outra pessoa, principalmente outro garoto, tinha tomado conta de Hinata no seu lugar, feria seu ego mais do que demonstrava. Nem conhecia o tal de Neji mas já estava com vontade de lhe dar uns belos murros, era óbvio que o patife planejava rouba-la dele.  

----- Você já fez sua escolha então. -- ele cerra os punhos e caminha com raiva em direção a janela ----- Gosta mais dele.

----- Eu não disse nada disso, Sasuke! -- aflita, a morena segura o braço do amigo. ----- Ele só ficou comigo porque eu estava triste, não tem motivos pra você ficar com raiva. 

----- Não pode deixar outra pessoa cuidar de você, tonta! -- ríspido, ele se segura para não gritar 

----- Por que não? -- pergunta confusa ----- Somos da mesma família então... 

----- Porque esse é o meu papel, só eu posso proteger você! 

Sasuke desvia o olhar no mesmo instante que Hinata. O Uchiha sente o rosto queimar, coisa que não era comum em sua personalidade. Estava com raiva da Hyuuga mas não se arrependia totalmente do que tinha dito, pelo menos agora a amiga sabia que ele se importava com ela mesmo que estivesse longe. 

----- É verdade que em pouco tempo Neji se tornou alguém especial pra mim. -- sorri um pouco ao ouvir ele resmungar ----- Mas você é meu melhor amigo e eu nunca te trocaria por ninguém. 

A palavra amigo soou um pouco incomoda para o Uchiha, mas se contentou em saber que Hinata sempre deixaria ele estar por perto. Não precisava de provas para saber que aquilo era verdade porque se a Hyuuga tinha dito, confiaria em sua palavra. 

----- Somos inseparáveis, Hina. -- ele abraça a garota com força aliviado por saber que nada no mundo seria capaz de leva-la para longe ----- Mesmo você sendo uma tonta.

----- Eu não sou tonta, você que é ranzinza demais. -- reclama mas não consegue segurar a risada. 

A familiar sensação de cocegas na barriga toma conta do Uchiha novamente, seu corpo fica quente por ter a pele de Hinata colada na sua e o perfume doce que ela carrega faz com que se sinta nas nuvens. A Hyuuga se afasta um pouco mas seus braços continuam a rodear Sasuke, a morena apoia o queixo no peito do garoto que sente as pernas fracas com o rosto da amiga próximo ao seu. 

Os olhos escuros estão fixos nas orbes claras, as respirações quentes se misturam e as pontas dos narizes se encostam. Sasuke esta pronto para beijar Hinata que espera ansiosamente por isso, os olhos de ambos se fecham na expectativa de não só se beijarem mas se conectarem daquela forma tão especial e pura, porém, esse beijo nunca aconteceu naquele dia e nem nos anos seguintes. 

----- HINATA! 

As duas crianças se afastam rapidamente ao ouvir a porta sendo aberta e Hiashi gritando em pleno pulmões. 

A Hyuuga arregala os olhos assustada. Nunca tinha visto o pai com uma expressão tão raivosa como daquele momento, ter Hiashi olhando para ela daquela forma era uma experiencia nova e fazia e menina se revirar de medo por dentro. 

----- Você deixou esse garoto entrar no seu quarto?! -- o homem range os dentes de raiva.

----- P-P-Pai eu... -- por mais que quisesse, falar era uma coisa muito difícil no momento. 

Hinata sente Sasuke segurar sua mão mas não consegue desviar o olhar do pai, aquele rosto tão gélido e rude a impossibilitava de fazer qualquer coisa que não fosse tremer de medo. 

----- Eu que entrei sozinho. -- o moreno parecia calmo mas era possível detectar um temor em sua voz ----- Ela não tem culpa de nada. 

Hiashi pouco ouve o que o garoto tinha a dizer. A única coisa que se passava em sua cabeça era a confirmação de que Hinata realmente não era sua filha porquê, tinha absoluta certeza, que uma filha sua jamais se comportaria daquela forma. Como se já não bastasse sentir o peso da traição de Hikari, ainda tinha que lidar com uma menina se portando de um jeito tão vulgar e indecente, levando garotos para dentro da sua casa e fazendo sabe-se lá o que. 

Além disso, Hanabi estava certa, logo aqueles dois iriam se envolver mais, portanto, era necessário lidar com o problema antes que ele começasse de fato 

 

                                                          Estou farto! Não vou criar outra vadia sobre meu teto! 

É com esse pensamento que Hiashi agarrou o pulso de Hinata que exclamou de dor, mesmo assim ele pouco se importava porquê seu único desejo no momento era se livrar daquela garota. Foi assim que o homem começou a arrastar a Hyuuga pelos corredores da mansão e escadaria a baixo, ela chegou a tropeçar e cair algumas vezes mas nem isso foi capaz de frear seu ódio que era maior que qualquer no mundo. O moleque Uchiha também gritava alguma coisa mas o garoto não era problema seu, depois que se livrasse da filha de Hikari nunca mais tornaria a vê-lo de novo. 

Hinata que já estava totalmente desesperada com a brutalidade do pai, só viu seu panico aumentar quando avistou um carro parado no portão de casa. Dentro estava seu tio e Neji que carregava um semblante triste. A Hyuuga ouvia os gritos de Sasuke e seus pés se arrastando no cascalho do jardim, tinha a impressão que os joelhos estavam sangrando porque o ardor neles era muito forte. 

Ela foi praticamente jogada dentro do veículo e a porta se trancou com força, se sentia tonta e com falta de ar, sua cabeça ainda não tinha processado tudo que estava acontecendo. 

A garota achou que seu coração não podia bater mais forte do que no momento, mas quando o carro começou a se mover, ela viu que estava errada. 

As mãos pequenas batiam no vidro da porta do veículo e os olhos começaram a embaçar com as lágrimas, a morena viu o pai entrar dentro de casa sem ao menos olhar para trás no mesmo instante que Sasuke corria atrás do carro. Podia ouvir ele gritando seu nome e queria responder, mas não tinha forças para isso. A Hyuuga fixava o olhar no Uchiha durante todo o trajeto, ainda tinha esperança que ele pudesse a alcançar e a tirar dali.
 

Mas Sasuke ainda era só uma criança e não demorou para que o veículo ganhasse velocidade, em uma curva Hinata o perdeu de vista e aqueles olhos escuros que tanto amava ficaram somente em sua imaginação por muito tempo. 

 


Notas Finais


Seguinte, se vocês me matarem não vai ter segunda parte, ok? kkkkkkkkk É isso meus lindos, terminamos a primeira parte da fic e eu agradeço muito a todos vocês, que me apoiaram durante esses cap. Vocês são maravilhosos <333

Imagino que no momento vocês estão me achando um monstro mas eu também to triste, tá? kkkkkkkkkk Entãoooooo, como tenho um coração mole estou disposta a postar a segunda parte ainda hoje ou amanhã, porémmmmm, nada é de graça né amores <333 Serio, 30 comentários e eu coloco outro, juro pelos meus dois gatos. Temos quase 200 pessoas aqui, sera que 30 de vocês não tem a coragem de deixar aqui em baixo suas sinceras opiniões para essa podre autora que só quer o amor de vocês?????? Não sejam malvados kkkkkkkkkkk

Gente, vocês estão entendendo o sentimento do Hiashi em relação a Hana? O porque dele estar agindo assim? Não to defendendo, pode meter o cacete nele kkkkkkk Mas quero que vocês entendam a relação que esta se formando entre os dois, ok? Qualquer duvida vou ficar muito feliz em responder <33

O MAIS IMPORTANTE DE TUDO: E o nosso casalzinho? Ah gente, quase morri escrevendo esse final deles. Bem, o que vocês esperam do futuro deles? O reencontro? Como vai ser as personalidades deles? Agora a gente vai entrar numa fase mais adulta, só putaria ( brincadeira) kkkkkkkkkk.... Ou não kkkkkk

É isso meus lindos, obrigado pelo carinho de vocês. Se cuidem, beijos <33333333333333


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...